Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

No retorno de Dado Cavalcanti, Paysandu vence o Parauapebas no Estádio Rosenão pela 6ª rodada do Parazão

Cassiano e Fábio Matos marcaram os gols do Papão, enquanto Gilberto descontou para o PFC

Por Fábio Relvas

As duas equipes precisavam pontuar devido a queda de rendimento dentro do Campeonato Paraense. O técnico Dado Cavalcanti estava retornando ao time bicolor. O Paysandu chegou logo no início com o gol de Maicon Silva, mas o árbitro marcou falta do lateral-direito bicolor. Pedro Carmona resolveu experimentar o goleiro Bruno do Parauapebas, mas errou o alvo. O PFC atacou, depois da lambança da zaga do Papão, Luiz Fernando recebeu passe e mandou um chutaço: a bola explodiu no travessão do goleiro Marcão.

Com mais posse de bola, o Papão era superior ao adversário. Willyam entrou livre pela direita e cruzou rasteiro para Mike; o atacante bicolor deu um toque sútil na bola, mas o goleiro Bruno defendeu. Em um contra-ataque do Paysandu, Moisés tocou para Cassiano, que bateu de primeira e abriu o placar para o Papão, aos 26 minutos, 1 a 0, para festa da Fiel Bicolor no Rosenão.

O time da capital Belém cresceu após o gol e Matheus Muller arriscou de fora da área; a bola passou assustando. Na melhor chance do Parauapebas, Rafinha foi lançado na esquerda, tirou do goleiro Marcão, mas chutou muito fraco, dando tempo para o zagueiro Diego Ivo cortar quase em cima da linha. Na cobrança de escanteio, Gilberto apareceu livre na primeira trave e tocou de cabeça; Marcão pegou no susto, salvando o Papão.

O Paysandu respondeu com Moisés, que serviu bem Maicon Silva na direita, no chute forte, o goleiro Bruno salvou para escanteio. Na sequência, após a cobrança, Perema tocou livre e sozinho mandou para fora. Antes do final da primeira etapa, ainda deu tempo de mais uma chegada bicolor, com o atacante Moisés, que disparou à direita da meta do goleiro Bruno do PFC.

Na segunda etapa, o Papão quase voltou a marcar com Moisés, um dos seus jogadores mais perigosos; o chute passou perto. O lateral-esquerdo Rafinha tentou marcar para o time da casa, mas Marcão segurou firme. No lance seguinte, uma blitz total do Paysandu com duas chances do atacante Mike contra a meta de Bruno: na primeira, bateu firme no alto e o goleiro espalmou, a bola voltou e após outro chute rasteiro, o arqueiro do PFC salvou com os pés.

Querendo ampliar o placar, o time bicolor seguiu em cima tentando. Cassiano recebeu e chutou para fora. Rodrigo teve a chance para o Gigante de Aço, mas isolou contra a meta adversária. Em mais uma tentativa de Cassiano, o goleiro Bruno defendeu. Magno Ribeiro, ex-Parauapebas, entrou no jogo e quase marcou um belo gol por cobertura. O time do PFC estava dando muito espaço ao Papão que tocava e chegava com facilidade. Willyam achou uma brecha e chutou, mas mandou alto.

A bola parada poderia ser a solução do Gigante de Aço: em uma falta de muito longe, o meia Luiz Fernando soltou o pé e a bola passou assustando o goleiro Marcão. O Paysandu quase ampliou com Cassiano, que parou no goleiro Bruno. O meia Fábio Matos, que entrou no segundo tempo pelo Papão, simulou um pênalti e foi advertido com cartão amarelo pelo árbitro Gustavo Ramos Melo.

O técnico Léo Goiano colocou o atacante Maninho, quase deixando tudo igual na primeira jogada, mas perdeu um gol de cara: Magno Ribeiro pegou uma sobra e chutou por cima da meta de Bruno. De tanto insistir, o Papão chegou ao segundo gol. Magno Ribeiro recebeu na direita, cruzou rasteiro para Cassiano, que ajeitou para o chute de Moisés, mas o atacante não pegou bem na bola e Fábio Matos ficou com a sobra e estufou as redes do goleiro Bruno, 2 a 0, aos 43 minutos.

O time bicolor começou a cadenciar a partida e tocar a bola. Fábio Matos perdeu um gol sozinho. O Gigante de Aço conseguiu chegar ao seu gol: aos 47 minutos do segundo tempo, após cobrança de escanteio, Gilberto dominou e fuzilou para dentro da meta de Marcão. Placar final: Parauapebas 1 x 2 Paysandu.

Com a vitória, o Papão foi para a liderança da Chave A1 com 13 pontos. Já o PFC segue na lanterna com apenas cinco pontos na Chave A2.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Bruno; Rodrigo, Cris, Lucas e Rafinha (Evandro); Gilberto, Djalma, Augusto Recife e Luiz Fernando (Maninho); Monga e Jhon Lennon.
Técnico: Léo Goiano

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva, Perema, Diego Ivo e Matheus Muller; Nando Carandina, Willyam (Cáceres) e Pedro Carmona (Fábio Matos); Mike (Magno Ribeiro), Moisés e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Gustavo Ramos Melo
Assistentes: Hélcio Araújo Neves e José Ricardo Guimarães Coimbra
Quarto-árbitro: Raimundo Gilson Brito

Cartões amarelos: Cris, Rafinha e Gilberto (Parauapebas); Diego Ivo e Fábio Matos (Paysandu)
Gols: Cassiano, aos 26 minutos do 1º tempo e Fábio Matos, aos 43 minutos do 2º tempo para o Paysandu; Gilberto, aos 47 minutos do 2º tempo para o Parauapebas;

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas
Renda: R$ 38.670,00
Pagantes: 1.654
Credenciados: 700
Total: 2.354

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futebol

Meio-campo Djalma, ex-Paysandu, já está treinando no Parauapebas Futebol Clube para a disputa do Parazão

O atleta chegou nesta quinta, treinou com o restante do grupo, e está à disposição do técnico Léo Goiano para a próxima partida justamente contra o seu ex-clube

Por Fábio Relvas

Após dispensar cinco atletas do elenco: Tiago Baiano (lateral-direito), Ângelo, João Grilo, Will (meias) e Heliton (atacante), a diretoria do Parauapebas Futebol Clube (PFC) anunciou a contratação do meio-campo Djalma, que é fruto da base do Paysandu Sport Club. O atleta chegou nesta quinta-feira (8) na capital do minério e já foi treinando no Estádio Rosenão com o restante do grupo, ao comando do técnico Léo Goiano.

Benedito Moia Varela, ou simplesmente Djalma, tem 25 anos e é natural da cidade de Cametá, do interior do estado do Pará. Iniciou sua carreira na base do Paysandu Sport Club e tem no currículo dois títulos do Campeonato Paraense: 2010 e 2013, além de dois acessos com o clube paraense para a Série B: em 2012 e 2014. Inclusive, na conquista do estadual de 2013, marcou o primeiro gol bicolor no jogo de ida, contra o Paragominas, quando o Papão goleou, por 4 a 0, na Arena Verde; depois, o alviceleste voltou a vencer, por 3 a 1, no Mangueirão e foi campeão.

Djalma atuou em mais de cem jogos com a camisa do Paysandu, e sua é toda voltada ao futebol: seu irmão Fabricio também foi jogador, além de seu tio Varela, que atuou com a camisa do Clube do Remo na década de 90. Depois do Papão, o jogador ainda teve passagens pelo ASA-AL, Barretos-SP e São Raimundo-PA.

O atleta chega ao PFC com as melhores expectativas e explica por que é chamado de Djalma: “Djalma é um apelido de infância que um amigo meu colocou e ficou até hoje; graças a Deus, porque narrar Benedito seria muito esquisito. Sou sobrinho do Varela, jogador que atuou no Remo. Em relação ao PFC, a expectativa é muito boa. Os jogadores me receberam muito bem e eu já conhecia o professor Léo Goiano. A expectativa é que a gente já possa, com todo respeito à equipe do Paysandu, conseguir o objetivo que são os três pontos nesse próximo jogo, já que perdemos o último dentro de casa. Esperamos que, a cada jogo, possamos conquistar o nosso objetivo e classificar o time para a semifinal”, afirmou o meia.

O presidente João Luiz, popularmente conhecido como “Uai”, sabe que o time não vai bem dentro do Parazão de 2018, e alguma coisa teria que ser feita para tentar melhorar o desempenho do PFC em sua campanha no estadual. Sendo assim, a primeira medida tomada foi liberar alguns atletas e buscar outros nomes para fortalecer o plantel, almejando uma possível vaga na semifinal.

“A situação em que nos encontramos dentro do campeonato é um pouco incômoda; nós temos que mexer, temos que fazer algo, temos que trabalhar. Esses atletas que dispensamos, foram porque a gente trouxe, eles trabalharam, mas não deram o rendimento técnico que esperávamos; é normal dentro de um time de futebol, a gente estar dispensando e contratando. Estamos trabalhando para trazer novos nomes, atletas com o nível mais alto, para realmente dar o resultado que esperamos. Trouxemos o Djalma, ex-Paysandu e agora estamos atrás de um atacante para definir jogos”, disse Uai.

Futebol

Parauapebas é goleado pelo Bragantino dentro do estádio Rosenão e cai para o quarto lugar da Chave A2

O Tubarão do Caeté não tomou conhecimento e deitou e rolou no segundo tempo em cima do PFC

Por Fábio Relvas
Fotos: Carlos Campos

O Parauapebas Futebol Clube decepcionou o seu torcedor na tarde deste domingo (04), quando caiu para o Bragantino, pelo placar de 4 a 2, e despencou na Chave A2 do Campeonato Paraense. O time ocupa agora o 4º lugar com cinco pontos conquistados. A partida foi realizada no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, válida pela quinta rodada do estadual.

O jogo: Parauapebas 2 x 4 Bragantino – Que tiro foi esse PFC!

As duas equipes enfrentaram a chuva e o gramado pesado do Estádio Rosenão. O Bragantino chegou primeiro com Kleber Queiroz, que cruzou e a bola passou assustando; Max Carrasco respondeu para o Parauapebas, mas o chute foi por cima da meta. O Tubarão do Caeté chegou pela segunda vez e foi fatal: Alan Calbergue cobrou falta e o zagueiro Ronny Taperaçu subiu com estilo para marcar, aos 17 minutos do 1º tempo, 1 a 0 para os visitantes.

Com o gol sofrido, o PFC se soltou mais em campo. O lateral-esquerdo Rafinha chutou e a bola passou perto. Em seguida, o atacante Monga ganhou na dividida e chutou para a boa defesa de Paulo Ricardo, que colocou para escanteio. De tanto insistir, o Gigante de Aço chegou lá: Maninho tocou pelo meio para Max Carrasco, que ajeitou para o chute certeiro de Luiz Fernando, a bola foi no ângulo, um golaço, aos 36 minutos, 1 a 1.

Na segunda etapa, em menos de um minuto, Romarinho pegou uma sobra de bola e mandou um chutaço, na gaveta: outro belo gol no Rosenão, 2 a 1, Bragantino. Logo depois, aos cinco minutos, o PFC voltou a empatar, quando Maninho passou da marcação e bateu forte no canto, deixando o goleiro Paulo Ricardo sem ação, 2 a 2. O jogo pegou fogo e logo depois, o Gigante de Aço quase virou a partida: Ângelo fez boa jogada pela direita e cruzou para Maninho, que sozinho mandou para fora.

O time do PFC seguiu em cima. Tiago Baiano cruzou da direita para Monga, o atacante bateu de primeira e o goleiro Paulo Ricardo fez a defesa. Em uma jogada mais forte, o meia Wellington Cabeça derrubou o adversário e recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho. Daí em diante, o Parauapebas se perdeu em campo. Alan Calbergue chutou de fora da área, e Bruno salvou para escanteio.

Maninho fez grande jogada individual, se livrou da marcação, mas chutou em cima de Paulo Ricardo. O Tubarão do Caeté teve a chance com Paulo de Tárcio, que mandou de voleio para a defesa do goleiro Bruno. Romarinho fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro, o goleiro Bruno salvou na primeira e na sobra Felipe Maracanã não perdoou e marcou, aos 36 minutos.

Para fechar o placar, o lançamento na frente chegou para Dock, que driblou o goleiro Bruno e ampliou, 4 a 2, aos 39 minutos.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Bruno; Tiago Baiano, Cris, André Ribeiro e Rafinha; Max Carrasco, Amaral (Ângelo), Wellington Cabeça e Luiz Fernando; Monga (Matheus Moreno) e Evandro (Maninho).
Técnico: Léo Goiano

BRAGANTINO: Paulo Ricardo; Pedro Henrique, Romário, Ronny Taperaçu e Gabriel Lima; Keoma (Felipe Maracanã), Paulo de Tárcio, Kleber Queiroz (Dock) e Alan Calbergue; Pecel (Aslen Mendes) e Romarinho.
Técnico: Artur Oliveira

Árbitro: Joel Alberto Teixeira Rezende
Assistentes: Jhonathan Leone Lopes e Antônio Alves Teixeira Filho
Quarto-árbitro: André Michel Petri Galina

Cartões amarelos: André Ribeiro, Max Carrasco e Wellington Cabeça (Parauapebas); Pecel (Bragantino)
Cartão vermelho: Wellington Cabeça

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futebol

Com gol do atacante Monga, Parauapebas vence a primeira no Parazão diante do Águia no Estádio Rosenão

O resultado deixou o PFC em segundo lugar da Chave A2 com cinco pontos

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) finalmente conquistou sua primeira vitória na disputa do Campeonato Paraense de 2018. O triunfo veio na tarde deste sábado (27), quando o PFC derrotou o Águia de Marabá por 1 a 0, pelo clássico do sudeste do estado do Pará, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O único gol do jogo foi assinalado pelo atacante Monga de cabeça, aos 20 minutos da primeira etapa. A partida foi válida pela quarta rodada.

O resultado deixou o Gigante de Aço em segundo lugar, com cinco pontos dentro da Chave A2 da competição estadual. Quanto ao Águia, o time marabaense soma quatro pontos e está em quarto lugar na Chave A1.

O próximo jogo do Parauapebas será diante do Bragantino, no domingo (04), às 16h, no Estádio Rosenão. Já o Águia de Marabá vai visitar o São Raimundo de Santarém, às 17h, também no domingo, no Estádio Jader Barbalho, o Barbalhão.

O jogo: Deu Parauapebas – 1 a 0!

As duas torcidas foram ao Rosenão empurrar suas equipes rumo à vitória. Logo no inicio da partida, o volante Augusto Recife foi lançar uma bola e acabou sentindo uma fisgada na coxa e teve que ser substituído por Ângelo. Na primeira bola em que pegou, Ângelo chutou cruzado para a boa defesa do goleiro Bernardo. O Águia respondeu na bola parada: após cobrança de falta de Samuel, Juninho subiu sozinho e cabeceou para fora.

Em outra descida do Azulão, Felipinho chutou de fora da área, o goleiro Bruno defendendo bem para o PFC. O Parauapebas começou a tocar a bola e envolver o adversário. Rogério Maranhão recebeu na esquerda e cruzou na medida para a cabeçada do atacante Monga, que se antecipou a zaga e marcou um belo gol, aos 20 minutos jogados. 1 a 0 PFC. A torcida ainda vibrava com o gol quando Rogério Maranhão resolveu arriscar, a bola passou à direita da
meta de Bernardo.

O Gigante de Aço cresceu no jogo. Após cobrança de falta, Max Carrasco cabeceou no primeiro pau, e a bola passou perto da meta marabaense. Felipinho do Águia resolveu arriscar de fora da área, o goleiro Bruno bateu roupa, mas segurou firme na segunda. Felipinho demostrava que era o jogador mais perigoso do Azulão: em uma cobrança de falta do habilidoso atleta, a bola explodiu no travessão do Parauapebas.

Passado o susto, o PFC voltou a atacar com Rogério Maranhão, que disparou um chute venenoso à direita da meta de Bernardo. Em um lance duvidoso dentro da área do Águia, Evandro cruzou da direita na cabeça de Monga, que testou, e a bola bateu no zagueiro adversário. A turma do Parauapebas correu toda em cima do árbitro Joquetam Moreira Guimarães pedindo um toque de mão, mas a arbitragem mandou seguir o lance.

No segundo tempo, o Gigante de Aço queria resolver logo e foi para cima. Ângelo fez boa jogada pela esquerda, e deixou para Rogério Maranhão, que de frente chutou em cima do goleiro Bernardo. O Águia acabou perdendo algumas bolas na forte marcação do PFC, que seguia atacando. Em uma bobeira da defesa, o atacante Monga serviu de bandeja para Helinton, que sozinho e de frente, conseguiu chutar por cima da meta aguiana.

O Gigante de Aço não estava dando espaço ao Azulão e em mais uma roubada de bola, Monga outra vez deixou um companheiro livre para marcar, mas Evandro disparou em cima do paredão Bernardo, que fechou bem o ângulo. Depois de uma boa troca de passes, a bola chegou para Evandro, que disparou um chute em cima de Bernardo. Placar final: Águia 0 x 1 Parauapebas.

“Graças a Deus, eu fui feliz. Já estava há três jogos sem marcar e tive a felicidade de fazer o gol hoje. O mais importante são os três pontos e agora estamos na vice-liderança e vamos trabalhar para o próximo jogo e conseguir mais três pontos”, disse Monga, atacante do Parauapebas, autor do gol único da partida.

“Os garotos estão no caminho certo. Não é se abalar e nem se empolgar com vitória, tem que ter um equilíbrio e isso a gente sabe muito bem. Estamos há muitos anos na frente e eu sei fazer o vestiário muito bem para equilibrar os garotos no próximo jogo fora de casa”, afirmou João Galvão, técnico do Águia de Marabá.

FICHA TÉCNICA

ÁGUIA: Bernardo; Ari, Andrey, Léo Azevedo e Rafael Vieira; Mael, Juninho, Samuel (Dutra) e
Felipinho (Léo Pará); Guga (Dias) e Eric Di Maria.
Técnico: João Galvão

PARAUAPEBAS: Bruno; Rodrigo, Cris, André Ribeiro e Rafinha; Max Carrasco, Wellington
Kabeça, Augusto Recife (Ângelo) (Juninho) e Evandro; Monga e Rogério Maranhão (Helinton).
Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Joquetam Moreira Guimarães
Assistentes: Ederson Brito de Albuquerque e Ducival de Silva Brito
Quarto-árbitro: Melck Muller Soares de Almeida
Cartões amarelos: Dutra (Águia); Max Carrasco e Rodrigo (Parauapebas)
Gol: Monga de cabeça, aos 20 minutos do 1º tempo
Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Futebol

Com gol do meia Fábio Matos, Paysandu vence o Parauapebas na Curuzu na estreia do Parazão 2018

O PFC segurou até onde deu, mas levou um gol aos 34 minutos da etapa final; o volante Augusto Recife e o técnico Léo Goiano foram expulsos pelo árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) estreou com derrota no Campeonato Paraense de 2018: o time perdeu para o Paysandu, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (171), no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. O gol único da partida foi assinalado pelo meia Fábio Matos, aos 34 minutos da etapa final. O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva acabou expulsando o estreante Augusto Recife e o técnico Léo Goiano, ambos do Gigante de Aço, ainda na primeira etapa.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (21). O Parauapebas encara de frente o Cametá, às 16h, no Estádio Parque do Bacurau, já o Paysandu visita o Castanhal no mesmo horário no Estádio Maximino Porpino.

O jogo: Paysandu 1 x 0 Parauapebas

A Fiel Bicolor compareceu em grande número para empurrar o Paysandu Sport Club. Na primeira chegada do Papão, após cruzamento na área, o goleiro Bruno saiu mal de sua meta, Nando Carandina desviou, e o volante Max Carrasco salvou quase de cima da linha, o primeiro “uh” da torcida. Na sequência, Fábio Matos arrancou com a bola e foi derrubado por Max Carrasco, que levou o primeiro cartão amarelo do jogo.

O jogo era de forte marcação. Fábio Matos mais uma vez arrancou e cruzou, a bola ficou fácil para a defesa do goleiro Bruno. O atacante Mike dominou uma bola e o lateral-esquerdo Rafinha fez falta mais forte e ainda chutou o jogador bicolor caído; nenhum cartão foi mostrado. Na cobrança de falta, Moisés mandou direto para a defesa de Bruno. O PFC chegou pela primeira vez apenas aos 24 minutos: Tiago Baiano cruzou da direita e Monga não acertou a cabeçada.

Quando o Paysandu conseguiu uma brecha na zaga parauapebense, Fábio Matos recebeu sozinho para marcar, mas a arbitragem paralisou tudo assinalando impedimento do meia bicolor. O time do Papão estava visivelmente desentrosado, mas aos poucos chegava ao ataque e pressionava o retrancado Parauapebas. Peu fez grande jogada pela direita e cruzou, a bola chegou para Moisés, mas o atacante Bicolor errou o voleio. No lance seguinte, a bola foi
alçada na área do Pebas, Mike ajeitou para Peu que emendou um belo chute, a bola passou raspando a trave.

Aos 35 minutos, Augusto Recife deu um carrinho em cima de Perema e o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva mostrou o cartão vermelho direto para o capitão do PFC. A torcida do Paysandu aplaudiu a saída de campo do atleta, que atuou quatro temporadas com a camisa bicolor. O técnico Léo Goiano reclamou da arbitragem em um lance de um lateral para o PFC, que o árbitro deu em favor do Papão e foi expulso do banco. Rafael Guerra, preparador físico do Gigante de Aço, ficou em comando do time.

O jogo pegou fogo. Após cobrança de escanteio, Max Carrasco desviou de cabeça na primeira trave e o goleiro Marcão salvou o Papão, na melhor chance do PFC na partida. No segundo tempo, o técnico Marquinhos Santos tirou o volante Nando Carandina e colocou o paraguaio Cáceres. Com um a mais, o Paysandu começou a arriscar e Fábio Matos resolveu disparar de longe, mas errou o alvo.

Minutos depois, Maicon Silva cruzou da direita para a cabeçada de Mike, o goleiro Bruno salvou o PFC de tomar o primeiro gol. Em outra jogada do Papão, Mike foi lançado e de cara chutou em cima do goleiro Bruno. Fábio Matos chutou de fora da área e novamente mandou para muito longe. Danilo Pires tocou para Maicon Silva, que cruzou da direita, o goleiro Bruno tirou de soco.

Com um a menos, o PFC se retrancou totalmente em campo; o Paysandu tinha um volume muito grande do jogo, mas deixava a desejar nas finalizações. Maicon Silva cruzou da direita para a cabeçada de Mike, o goleiro Bruno espalmou e salvou mais uma vez o Parauapebas. Finalmente o Papão chegou lá: Diego Ivo recebeu na área e disparou, o goleiro Bruno defendeu e na sobra, Fábio Matos chutou indefensável, 1 a 0, aos 34 minutos, para a explosão da Avalanche Bicolor na Curuzu.

Com o gol, o Paysandu se soltou mais e quase chegou ao segundo. Maicon Silva cruzou para Moisés, que pegou de primeira mandando longe. Nos minutos finais, o PFC voltou a chutar com Rogério Maranhão, que disparou sobre a meta do goleiro Marcão, mas aos 49 minutos, o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva encerrou a partida: Paysandu 1 x 0 Parauapebas.

“Já era previsto né, quando esse cidadão ai apita acontece isso. Ele deve ter alguma coisa contra a mim, sempre favorecendo as equipes grandes, e o Paysandu não precisa disso. Poderíamos ter saído pelo menos com um ponto, a equipe lutou e foi briosa em campo. Nós temos mais dois atletas de transferência internacional, o Tiago Pedra e o Lucas, que podem ser regularizados. Vamos enfrentar o Cametá em um jogo duríssimo, eu conheço o profissional que está lá”, disse Léo Goiano, técnico do PFC.

“Realmente uma estreia com suas complicações pelo fato de pouco tempo de preparação. Nossa equipe teve um bom volume de jogo, os atletas estão de parabéns pela eficiência e vamos evoluir gradativamente na competição, mas parabéns ao Parauapebas pela partida. Nós sabíamos que teríamos dificuldades, e tivemos ainda mais pela não regularização internacional de alguns atletas, mas rapidamente podemos evoluir, a tendência é essa. É sempre muito bom começar ganhando”, disse Marquinhos Santos, técnico do Paysandu.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva, Perema, Diego Ivo e Fernando Timbó (Renan Gorne); Renato Augusto, Nando Carandina (Cáceres) e Fábio Matos; Mike, Peu (Danilo Pires) e Moisés.
Técnico: Marquinhos Santos

PARAUAPEBAS: Bruno; Tiago Baiano, Rodrigo, André Ribeiro e Rafinha; Max Carrasco, Augusto Recife, Wellington Cabeça (Wilkerson), Evandro e Ângelo (Amaral); Monga (Rogério Maranhão).
Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – FIFA
Assistentes: Hélcio Araújo Neves e Rafael Ferreira Vieira
Quarto-árbitro: Joquetan Moreira Guimarães

Cartões amarelos: Perema e Nando Carandina (Paysandu); Max Carrasco, Ângelo, André Ribeiro e Monga (Parauapebas)
Cartões vermelhos: Augusto Recife e Léo Goiano (Parauapebas)
Gol: Fábio Matos, aos 34 minutos do 2º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém
Renda: R$ 320.951,00
Pagantes: 9.987
Sócio Bicolor: 3.461
Credenciados: 1.478
Total: 14.923

esporte

Léo Goiano faz mistério quanto à escalação do PFC que encara o Paysandu na Curuzu

O Parauapebas realizou último treino na Escola Superior de Educação Física na capital Belém
Por Fábio Relvas

A delegação do Parauapebas Futebol Clube (PFC) já se encontra na capital Belém para a estreia no Campeonato Paraense de 2018, diante do Paysandu Sport Club. O time está concentrado em um hotel visando o grande duelo. Segundo informações da diretoria, o elenco do PFC vai seguir em Belém até o duelo contra o Cametá pela segunda rodada e depois volta para a capital do minério para encarar o Independente.

Na preparação para a estreia, o Gigante de Aço realizou dois jogos-treino contra a seleção local da cidade. No primeiro teste, 5 a 0 para o PFC no Complexo Esportivo, e no segundo desafio, 3 a 2 no estádio Rosenão. Os jogos serviram para o técnico Léo Goiano analisar o time. O atacante Monga foi bem no primeiro jogo e marcou três vezes, enquanto que Heliton, outro atacante, se destacou no segundo, deixando sua marca duas vezes.

O técnico Léo Goiano faz mistério quanto a escalação da onzena titular, mas praticamente definiu o Gigante de Aço para o confronto. A cúpula da equipe aguarda a regularização de jogadores, já que alguns nomes ainda não caíram no BID (Boletim Informativo Diário da CBF) e por tanto não estarão à disposição do comandante para a partida contra o Papão no estádio da Curuzu. São quatro baixas no time: o zagueiro Cris vai cumprir suspensão pela expulsão na final da Segundinha contra o Bragantino. O volante Gilberto está lesionado e também vai ficar de fora. O zagueiro Braga não foi regularizado para a partida de estreia.

O provável time do Parauapebas: Bruno; Tiago Baiano, Rodrigo, André Ribeiro e Rafinha; Max Carrasco, Wellington Cabeça, Augusto Recife, Ângelo e Evandro; Monga. Em relação ao volante Ricardo Capanema, o atleta pediu um tempo para a diretoria e técnico Léo Goiano para resolver problemas particulares, mas a contratação do atleta não foi descartada pelos dirigentes. O PFC realizou o último treinou hoje (16/01) à tarde na Escola Superior de Educação Física, no bairro do Marco, em Belém.

“Nós vamos enfrentar a equipe mais poderosa do campeonato, que tem a obrigação de ganhar a competição, tanto o Paysandu como o Remo, tem a disposição valores surreais comparados aos nossos, mas estamos trabalhando forte, trabalhando com muito critério, trabalhando com muita seriedade para que a gente possa montar um bom elenco. O Paysandu tem uma dinâmica de jogo construída, tem um elenco praticamente montado da Série B, mas estamos prontos”, afirmou Léo Goiano, técnico do PFC.

A partida entre Paysandu e Parauapebas será nesta quarta-feira (17/01), às 20h30, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. O árbitro será Dewson Fernando Freitas da Silva – FIFA, sendo auxiliado por Hélcio Araújo Neves e Rafael Ferreira Vieira. Joquetan Moreira Guimarães será o quarto-árbitro. Os ingressos estão à venda no valor de R$ 30.

Futebol

Atacante Heliton marca dois e decide para o Parauapebas em jogo-treino no Rosenão

O PFC teve muitas dificuldades contra a seleção local, mas conseguiu vencer por 3 a 2; no final, houve confusão entre os jogadores e comissão técnica

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) realizou mais um teste neste sábado (6), no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, visando o Parazão 2018. Em um jogo-treino diante da seleção local, com muitos jogadores atuantes no time do Primavera, que disputa o Campeonato Municipal da cidade, o Gigante de Aço passou sufoco, mas conseguiu vencer o adversário pelo placar de 3 a 2.

Em um primeiro tempo acirrado, com chances para os dois times, quem se deu melhor foi a seleção local. Em um golaço do atacante Maninho, jogador da cidade de Canaã dos Carajás, o time do combinado saiu na frente, 1 a 0. O atleta que marcou o tento, já teve seu nome divulgado na lista dos contratados do PFC para o estadual, e deve se apresentar nesta segunda-feira (8).

No segundo tempo, o PFC entrou pressionado pela torcida, que começou a pegar no pé do time. O atacante Tiago Pedra perdeu gols incríveis de frente para a meta adversária e recebeu críticas das arquibancadas, até que o mesmo Pedra conseguiu marcar e deixar tudo igual no Rosenão, 1 a 1. A equipe do técnico Léo Goiano começou a tocar a bola e envolver o adversário. Mesmo assim, o treinador não estava satisfeito com a onzena titular e fez alterações na equipe.

O atacante Heliton, que atuou no Remo e Paysandu, entrou no jogo para resolver para o Parauapebas. O atacante marcou e virou para o Gigante de Aço, 2 a 1. Apesar de ficar a frente do placar, o time não estava convencendo em campo. A seleção local não se intimidou com o time profissional do PFC e foi para cima até chegar ao empate: o lateral-esquerdo Emerson igualou o marcador, 2 a 2. Quando tudo estava se encaminhado para o empate, outra vez o atacante Heliton apareceu para marcar e decretar a vitória do PFC, por 3 a 2, sobre a seleção local.

Quando o árbitro Bruno Serejo encerrou a partida, houve uma confusão envolvendo os atletas das duas equipes e a comissão técnica do Parauapebas, mas a turma do deixa disso chegou e nada de tão grave aconteceu. O Parauapebas Futebol Clube (PFC) estreia contra o Paysandu Sport Club (PSC), no próximo dia 17, às 20h30, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

Amistosos deste sábado (06/01)

Em Castanhal: Castanhal 1 x 2 Remo
Em Tucuruí: Independente 1 x 1 Águia
Em Rurópolis: Seleção de Rurópolis /Placas 1 x 3 São Raimundo
Em Parauapebas: Parauapebas 3 x 2 Seleção Local
Em Paragominas: Paragominas 1 x 0 Imperatriz-MA

Futebol

Parauapebas Futebol Clube anunciou a contratação do volante Augusto Recife

O jogador estava no Paysandu desde 2014 e agora vai defender as cores do Gigante de Aço no Parazão 2018

Por Fábio Relvas

A diretoria do Parauapebas Futebol Clube (PFC) segue reforçando o elenco para a disputa do Campeonato Paraense de 2018. A cúpula do Gigante de Aço confirmou uma contratação de peso: trata-se do volante Augusto Recife, 34 anos, que estava desde 2014 atuando no Paysandu Sport Club, onde encerrou seu ciclo na temporada de 2017. O atleta tem chegada prevista para sexta-feira (05/01).

Augusto de Oliveira da Silva, ou simplesmente Augusto Recife, como é conhecido no futebol, é natural da cidade de Joaquim Nabuco, em Pernambuco. O atleta tem uma vasta experiência profissional, passando por diversos clubes tradicionais como: Cruzeiro-MG, Internacional-RS, Flamengo-RJ, Santa Cruz-PE, Ipatinga-MG, Náutico-PE, Botafogo-SP, ABC-RN, São Caetano-SP, Joinville-SC e Paysandu-PA.

Em relação a títulos, Augusto Recife é um multicampeão por onde passou. Conquistou campeonatos como: Supercampeonato Mineiro (2002), Copa Sul Minas (2002), Campeonato Mineiro (2003, 2004 e 2006), Copa do Brasil (2003), Campeonato Brasileiro (2003), Campeonato Gaúcho (2005), Campeonato Paulista do Interior (2010), Campeonato Paraense (2016 e 2017) e Copa Verde (2016).

Além de Augusto Recife, a diretoria do PFC anunciou outras contratações como: Rodrigo (lateral-direito), vindo do futebol mineiro, Ricardo Capanema (volante), ex-Paysandu e atuante na última Segundinha no Carajás Esporte Clube e Max Carrasco (lateral-direito e volante), que estava atuando em Belo Horizonte. Todos os atletas estão vindo com o aval do técnico Léo Goiano. O Parauapebas realiza mais um jogo treino contra a seleção local no próximo sábado (06/01), às 17h, no estádio Rosenão. O time segue treinando em dois períodos.

“Preparação forte. Nós planejamos toda a pré-temporada de forma bem sistêmica para que a gente pudesse chegar no início da competição forte e pronto para a guerra que vai ser o Campeonato Paraense de 2018. É necessário a gente ter um grupo de trabalho de 22 até 25 atletas. Estamos trabalhando forte. Tem alguns atletas que já estão contactados e possivelmente chegam na sexta-feira (5) e nós vamos fechar o elenco no final de semana”, afirmou Léo Goiano, técnico do Parauapebas.

error: Conteúdo protegido contra cópia!