Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Carajás

Carajás: destino preferido para eternizar momentos

Além da beleza natural, o clima e a segurança favorecem a escolha dos fotógrafos

O Parque Zoobotânico e o Núcleo Urbano da Serra dos Carajás, localizados há 25 km de Parauapebas, se tornaram o destino preferido de fotógrafos para eternizar momentos de grávidas, debutantes e noivos.

“Além do ambiente lindo, o clima favorece também, por estar sempre fresco e com uma luz natural maravilhosa, e, para mim o mais importante, a segurança. Sou comerciante e faço da fotografia meu hobby, apesar de me ocupar bastante ultimamente. Mas sempre penso no ambiente para não colocar em risco o meu equipamento, que é um investimento alto,” compartilha o fotógrafo Elienai Araújo, da Prime Fotos, que está há quatro anos no mercado de Parauapebas e região. Ele conta ainda que cerca de 90% dos seus clientes escolhem Carajás como ambiente para registrar seus momentos, uma decisão que ele aprova bastante. “Em Parauapebas, não tenho a mesma tranquilidade para fotografar como encontro em Carajás”.

Rosana e Magno percorreram mais de 80 quilômetros para fazer seu ensaio pré-casamento em Carajás: “viemos de Canaã [dos Carajás] por sugestão do nosso fotógrafo e gostamos do resultado. Já conhecia Carajás e agora esse cenário vai fazer parte também da nossa história de amor,” disse o noivo. “Amei o clima porque minha maquiagem ficou intacta. Agora estou ansiosa para conferir o resultado”, confessou a noiva.

Outro fotógrafo de Parauapebas que confirma a preferência dos clientes por subir a Serra dos Carajás é Kleiber de Souza e ele explica que tem um carinho pra lá de especial pelo destino. “Quando escolhem Carajás, eu fico feliz demais pois relembro os vinte e dois anos que morei lá. Os clientes sempre pedem pela beleza natural, o clima e a segurança”, revelou o profissional da Mídia Livre, que tem se destacado nos eventos de Parauapebas.

Então, se está pensando em eternizar seu momento e não ainda definiu o local, a Serra dos Carajás é uma opção de fácil acesso. A autorização é conseguida através do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na portaria de Carajás e todos os profissionais de fotografia e filmagem já conhecem os procedimentos necessários.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Polícia

PM desarticula quadrilha que realizava arrastões em Parauapebas

Durante confronto, três bandidos morreram e pelo menos cinco ainda estão escondidos

A Polícia Militar, em conjunto com a Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rotam), desarticulou hoje (11) uma quadrilha que realizava assaltos e arrastões em Parauapebas. A ação já dura três dias.

“Estamos trabalhando nesses dias para acabar com esses bandidos que amedrontam a população. Hoje, desde as oito horas, fizemos um cerco e conseguimos ‘derrubar’ três deles, mas a ocorrência ainda está em andamento, porque a quadrilha tem muitos homens. Nós vimos de seis a oito espalhados pelo matagal, no bairro Nova Vida II”, relatou o Sargento J. Ricardo, da Polícia Militar, que está à frente da operação.

Leia tudo sobre:Capa Justiça Parauapebas Polícia

Parauapebas

Vereadores e prefeito de Parauapebas lutam pela votação da MP Nº789/2017

Expectativa é de que votação entre na pauta da sessão do dia 21

O aumento da alíquota da Compensação Financeira pela Exploração de Extração Mineral (CFEM) de 2% sobre o valor líquido para 4% sobre o valor bruto das vendas ao consumidor final é uma luta travada, principalmente, pelos municípios mineradores como Parauapebas. Este aumento será possível com a adoção de uma forma de cálculo mais justa para os municípios mineradores em relação às mineradoras, dessa forma, haverá mais recursos para serem investidos em obras e no desenvolvimento de novas matrizes econômicas. Ou seja, realmente proporcionando uma compensação para os impactos suportados em função da atividade da mineração, fazendo com que essas cidades sejam beneficiadas, ao invés de ficarem apenas com as mazelas ambientais e sociais decorrentes da implantação de grandes projetos que duram pouco anos.

Nesta quinta-feira, 9 de novembro, no Congresso Nacional, haveria uma votação que poderia melhorar a arrecadação do município, porém, mais uma vez, ela foi adiada por falta de quórum. Embora os representantes do Legislativo e do Executivo de Parauapebas estivessem bem empenhados, articulados e exercendo pressão sobre os deputados, poucos foram os que se mostraram interessados em defender os direitos de terras alheias, não tendo essa votação como prioridade.

Elias da Construforte (PSB), presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, município que abriga a maior província mineral de minério de ferro de alto teor em atividade no mundo e, por consequência, de maior relevância na participação do PIB mineral do Brasil, disse que, em conjunto com os municípios de Minas Gerais, eles representam aproximadamente, 85% da produção mineral. “Quero deixar claro que em momento algum buscou-se o aumento da carga tributária, pois a CFEM, conforme decisão do próprio Supremo Tribunal Federal, é receita patrimonial oriunda exclusivamente da exploração mineral”, explicou Elias.

Acompanhado do prefeito Darci Lermen (PMDB), dos vereadores Marcelo Parcerinho (PSC), Francisca Ciza (DEM), Joel do Sindicato (DEM), João do Feijão (PV), José Pavão (PSDB) e Eliene Soares (PMDB), o vereador Elias da Construforte disse que o Legislativo e o Executivo tomarão todas as medidas necessárias para garantir à cidade de Parauapebas uma compensação à altura das riquezas aqui exploradas.

Pará

Outubro se despede com muita água no Sudeste do Pará

Último dia do mês oficializa a chegada do período chuvoso na região

Após cinco meses de altas temperaturas e muita seca, a chuva mudou o clima no Sudeste do Pará e, segundo informação do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) de Belém, o fenômeno da natureza estava atrasado. “A chuva atrasou na região, era para ter iniciado a partir do dia 15 de outubro. Dentre as cidades do sudeste do Pará, apenas em Xinguara a chuva iniciou na data certa”, disse o coordenador estadual do INMET, José Raimundo Abreu.

Mas, no último dia do mês (31), todas as cidades – como Tucumã, Canaã dos Carajás, Parauapebas, Xinguara, São Félix do Xingu, Santana dos Xinguaras e Marabá – deram boas vindas as chuvas fortes. Da região onde está instalada a estação meteorológica do INMET, a Serra dos Carajás registrou o maior volume de chuva, que teve início ainda de madrugada, por volta das 4h. “O acumulado do dia (31) ficou em quase 107 milímetros e os horários com maor intensidade foram entre as 4 e 6h (55,2 mm) e de 15 às 16h (23,4 mm), representando 60% do esperado para todo o mês, se comparado com a média de chuva em Marabá”, detalhou o coordenador.

Quem mora em Carajás há mais de 37 anos está acostumado com períodos de chuvas ininterruptos. “Antigamente, o inverno iniciava em novembro e só se ia ver sol depois de abril. Era chuva sem parar. A chuva de hoje não é o inverno ainda e, com as mudanças climáticas, ainda vai aparecer muito sol por aqui. O inverno vai começar mesmo em janeiro e permanecer até março; quem estiver achando que é inverno, não é não. Carajás nunca fez tanto calor como fez neste ano e a chuva hoje ajudou a amenizar a alta temperatura, acabar com a poeira e a fumaça das queimadas”, comemora a moradora Elenildes da Silva, conhecida como Nena, que foi criada na Serra e hoje, com a família, tem um faturamento extra com a venda de caldos e a chuva é sinônimo de lucros.

Entretanto, a chuva atrapalhou quem tem rotina de pegar a Rodovia Raimundo Mascarenhas, entre Parauapebas e Carajás, para trabalhar. A funcionária pública Zulma Pereira costuma descer por volta das 9h, mas desistiu: “muita chuva mesmo, não teve como descer. Decidi não ir, pois a estrada é muito perigosa – pista molhada, muitas curvas e o risco de árvores caírem”. Outro desfalque foi com os funcionários do supermercado Hipersenna de Carajás: com as fortes chuvas em Parauapebas, muitos não pegaram o transporte e, em vários setores, não conseguiram nem repor mercadoria após o feriado do Dia do Comerciário. “Meu colega não veio porque perdeu o horário da van. Estou sozinho e não sei como vou trazer a carne do estoque e atender aos clientes”, disse funcionário do açougue.

Cidades do Sudeste do Pará

O INMET divulgou o volume de chuvas em outras cidades, como em Xinguara – onde a chuva iniciou às 10h e o acumulado do dia está em 27 milímetros – e Marabá, que registrou um pouco menos, 25 milímetros. “As temperaturas hoje ficaram mais baixas mas, a partir de amanhã, ela retorna para acima dos 30 graus”, alertou Abreu.

O meteorologista explica ainda que a variabilidade na distribuição de chuva é o fenômeno de uma linha de instabilidade que rompeu o bloqueio de umidade em todo o Sudeste do Pará e, por isso, devem permanecer as chuvas intensas em áreas pontuais durante novembro. “Esse fenômeno acontece há 12 mil metros acima das nuvens, onde acontece a circulação anticiclônica com temperaturas frias, cerca de 55 graus negativos. Com o encontro da umidade em temperaturas elevadas, acontecem as chuvas, inclusive com risco de granizo. Em alguns locais, percebeu-se que a água da chuva estava gelada e isso vai acontecer durante todo o mês de novembro”, detalhou José Raimundo Abreu.

Parauapebas

Vários bairros de Parauapebas ficaram alagados com o volume de chuva na cidade, como nas fotos registradas pelo nosso repórter. O Blog solicitou os registros para a Coordenaria Municipal de Defesa Civil (COMDEC), setor ligado a prefeitura, e até o fechamento dessa matéria não foi informado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esporte

Judoca parauapebense conquista a etapa final do Grand Prix Infraero de Judô Paralímpico

Thiego Marques venceu as quatro lutas que disputou em Porto Alegre (RS)

Por Fábio Relvas

Thiego Marques, de 18 anos, atleta de judô paralímpico, segue conquistando resultados expressivos em sua carreira e representando muito bem a cidade de Parauapebas, sudeste do estado do Pará. Neste sábado (21), na cidade de Porto Alegre (RS), Thiego foi campeão da etapa final do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos na categoria ligeiro até 60 kg, onde realizou quatro lutas e venceu todas.

Com o resultado, o atleta continua sendo o número um em sua categoria no ranking nacional e segue firme na Seleção Brasileira Paralímpica. O Grand Prix Infraero de Judô reuniu a elite, com grandes judocas, e contando com a participação de 250 atletas de 17 estados, mais o Distrito Federal. Os atletas subiram no tatame do ginásio Tesourinha. O evento foi uma realização da Confederação Brasileira de Desporto para Deficientes Visuais (CBDV).

“O Grand Prix Infraero de Judô é disputado em duas etapas: a primeira etapa é sempre em março e agora essa etapa, no segundo semestre, é sempre em outubro. A primeira etapa é o Grand Prix Internacional, onde esse ano participaram 15 países e o Thiego ficou na segunda colocação; e agora, nessa segunda etapa, ele foi campeão, fez quatro lutas e venceu todas. Lutou muito bem e foi campeão. O Thiego vem em uma crescente”, afirmou Antônio Sérgio, professor e chefe da delegação brasileira em grandes competições e descobridor de Thiego.

Thiego Marques foi descoberto em Parauapebas no projeto Judô Solidário, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), tendo à frente o professor Antônio Sérgio. O judoca pratica o esporte desde os seus 10 anos de idade e tem como principal objetivo chegar as Paralimpíadas de Tóquio em 2020. Se continuar obtendo pontos e seguir firme na frente no ranking, Thiego provavelmente vai alcançar seu sonho.

“Estamos muito contentes para que o Thiego continue nessa crescente, o trabalho está sendo feito para isso. Nós estivemos recentemente lá no Uzbequistão, ele como atleta na categoria 60 kg e eu como chefe de delegação. Não foi muito bem: ganhou uma luta com um sul-africano, perdeu uma para o Uzbequistão e outra para o Japão, mas continuou pontuando para o ranking mundial. Então esse foi um grande feito para esse ano fecharmos o nosso planejamento com chave de ouro”, disse Antônio Sérgio.

O calendário desde ano terminou com a segunda etapa do Grand Prix Infraero, agora é seguir a preparação para 2018. O atleta tem uma rotina pesada de treinamentos, mas tudo muito bem acompanhado por especialistas. Geralmente Thiego segue pesado no judô pela parte da manhã, à tarde aprimora o jiu-jitsu – que acaba sendo uma técnica para o judô, uma espécie de complemento na sua arte marcial – e ainda vai para academia à noite.

“Os treinamentos continuam. A preparação técnica, física, nutricional é toda feita em Parauapebas. Para o ano começar o calendário será lá para o final de janeiro e fevereiro. Serão 10 fases de treinamentos: além dessa competição internacional, tem a primeira fase do Grand Prix Infraero e também haverão algumas competições fora do Brasil, como no Japão, Canadá e provavelmente uma na Inglaterra, que será o mundial”, finalizou Sérgio.

Política

Nova diretoria do PSC em Parauapebas é apresentada pelo vice-governador

Zequinha Marinho anunciou ainda nova meta do partido para filiações no estado

As lideranças do Partido Social Cristão (PSC) em Parauapebas se reuniram na tarde deste sábado (5), no Plenarinho da Câmara Municipal, para participar de uma palestra com o vice-governador Zequinha Marinho, que também é o presidente estadual do partido. Na ocasião, a nova diretoria do PSC Parauapebas foi apresentada.

O vereador Marcelo Parcerinho foi o escolhido para presidente, o professor Pedro Jacques de Oliveira para vice-presidente, Jeremias Gomes Cavalcante para secretário, Valdivino da Silva Linhares para tesoureiro, e Manoel Messias Alves da Silva, Ronam Gomes Pereira Neto e o empresário Magleano Baesse Carvalho são suplentes.

Atualmente, o PSC tem em torno de 30 mil filiados em todo o estado do Pará; o vice-governador apresentou durante o evento a meta do partido para aumentar esse número, no prazo de um ano. “A população brasileira é simpatizante do nosso partido. Defendemos os valores cristãos, temos condições de alcançar a nossa meta, que é de 200 mil filiados”, afirmou Zequinha Marinho.

Quando questionado sobre a ousadia da meta, uma vez que ela aumenta em quase sete vezes o número atual de filiados, o presidente estadual do partido compartilhou que a estratégia é focar por segmento: “vamos dividir isso por etapa e envolver o nosso pessoal de forma que mulheres atraiam mais mulheres, jovens tragam mais jovens. Cada um trabalhando com o seu segmento”.

Zequinha Marinho destacou a importância da cidade na conquista da meta, “Parauapebas tem 150 mil eleitores, 4% disso dá seis mil filiados. Queremos aqui pelo menos 3 mil homens, 1.500 mulheres e 1.500 jovens; essa é a meta mínima para o município. O Marcelo Parcerinho é jovem, é político, é um vereador maduro, está no segundo mandato, tem tarimba e boa relação em toda a cidade. Tenho certeza que ele à frente vai animar os seus colegas para que isso aconteça”.

“É uma grande felicidade retornar à presidência do partido; a primeira vez foi em 2008. Na última eleição, o PSC tirou mais de oito mil votos. Nossa meta, estabelecida pelo diretório estadual, é alcançar seis mil filiados. Acredito muito que é possível alcançarmos esse desafio”, afirmou Marcelo Parcerinho.

Parauapebas

Cobranças direcionadas ao Executivo marcam a reabertura dos trabalhos legislativos

Entre outros assuntos discutidos estiveram o produção rural do município e comparações entre as receitas de 2016 e 2017

Na sessão solene desta terça-feira (1º), que marcou a reabertura dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal de Parauapebas, a maior parte dos vereadores cobraram retorno do Executivo, principalmente com relação às demandas apresentadas à gestão por meio de Indicações.

“Esses seis primeiros meses foram de aprendizado pra mim. Consegui agilizar muita coisa fazendo um contato direto com os secretários, mas sinto falta de retorno das nossas Indicações, assim como os outros vereadores”, relatou o primeiro a usar a tribuna, Luiz Castilho.

O vereador Horácio Martins, em um discurso inflamado, cobrou mais ações efetivas para o desenvolvimento da produção rural do município e questionou o estado crítico de algumas estradas na zona rural.

Ivanaldo Braz, por sua vez, fez um comparativo das receitas entre o primeiro semestre de 2016 e o mesmo período de 2017 e demonstrou que a situação do caixa melhorou, cobrando assim mais ações do Executivo no sentido de gerar emprego e renda. “Esse governo precisa mostrar a que veio”, cutucou o vereador.

Joelma Leite também questionou a atuação do Executivo e a inatividade nesse primeiro semestre. “No início do ano fiquei satisfeita quando o prefeito disse que iria fazer o arroz com o feijão, nesse primeiro momento. Mas, para mim, ‘arroz com feijão’ são ruas organizadas e limpas, com iluminação, hospital funcionando plenamente e boas escolas. Infelizmente, isso não está chegando para nossa população”, afirmou a vereadora.

Já o vereador Marcelo Parcerinho destacou a labuta dos profissionais de saúde que trabalharam por anos no Hospital Municipal e perderam seus postos de trabalho em função da convocação dos concursados; um grupo representando esses profissionais participou da sessão. “Não é justo médico ganhar 50 mil, enfermeiro ganhar 20 mil e técnico de enfermagem ganhar 12 mil por conta de plantões e horas extras em excesso, enquanto tem gente desempregada. É preciso encontrar uma solução”, relatou o vereador.

Saúde

Especialista afirma que crescem os casos de Doenças Inflamatórias do Intestino em Parauapebas

"Tem aumentado os casos de pessoas diagnosticadas com Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) em Parauapebas" - Afirma Dr. Thiago de Almeida Flauzino, cirurgião Geral e atua em Coloproctologia.

De acordo com Thiago de Almeida Flauzino, que é Cirurgião Geral e atua em Coloproctologia, especialidade médica relacionada às doenças intestinais, tem aumentado os casos de pessoas diagnosticadas com Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) em Parauapebas, “infelizmente não tenho números exatos, mas constato pelas consultas realizadas que novos casos são crescentes”.

O especialista atende pela rede pública de saúde, na Policlínica, e informa que os principais sintomas das doenças são “diarreia crônica, saída de sangue ou muco nas fezes.Nos casos mais graves ocorre dores abdominais e anemia”. Nesses últimos casos também essas doenças podem levar à incapacitação física, ao desenvolvimento de câncer e à necessidade de cirurgia no intestino e reto. Se diagnosticadas cedo podem ser controladas e tratadas de forma adequada, evitando assim possíveis cirurgias.

Em todo o Brasil também vem aumentando o número de diagnósticos dessas doenças, porém, pesquisa aponta que os brasileiros desconhecem essas enfermidades localizadas no intestino, conforme publicação no site da Sociedade Brasileira de Coloproctologia. A pesquisa constata que, na presença de alguns de seus sintomas (como dor abdominal e sangue nas fezes) a maioria dos brasileiros prefere se automedicar ou esperar passar.

A pesquisa foi realizada em seis capitais brasileiras durante o último mês de março e revela como os brasileiros se comportam frente a um ou alguns sintomas das DII – no caso de dor abdominal, 46% preferem se automedicar; na diarreia frequente, 61% se automedicam ou tomam remédios caseiros, e mesmo quando há sangue nas fezes, 39%prefere “esperar passar”.

Na Europa, outra pesquisa indica que essas doenças cresceram até 15 vezes nas últimas cinco décadas, que 44% dos seus pacientes se afastam do trabalho em decorrência da doença e perdem pelo menos quatro semanas de trabalho por ano.

Doenças Inflamatórias Intestinais

Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa são as Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), elas formam um grupo de doenças inflamatórias crônicas, ainda de causa desconhecida, envolvendo o aparelho digestivo. Apesar da origem desconhecida, sabe-se que pode haver predisposição genética e que o meio ambiente exerce papel importante.

As DII’s afetam homens e mulheres indistintamente e o diagnóstico acontece geralmente por volta dos 30 anos de idade. Segundo a pesquisa europeia, 10 anos após o diagnóstico, 53% dos pacientes serão hospitalizados e 44% serão afastados de seu trabalho em decorrência da doença. De 20% a 25% das pessoas com uma DII apresentam os sintomas de forma contínua e, mesmo com o acompanhamento médico, de 30% a 40% dos pacientes apresentam algum tipo de complicação entre 10 a 15 anos depois do diagnóstico. Em cerca de 40% dos pacientes,além dos problemas intestinais, as DII podem afetar os olhos, a pele e as articulações.

A Doença de Crohn envolve o intestino (íleo) em 30% dos pacientes e a região ileocecal em 40% dos casos, enquanto a Retocolite Ulcerativa restringe-se ao cólon e quando a doença está ativa (em crise), a mucosa intestinal torna-se maciçamente infiltrada por células inflamatórias e é afetada por microúlceras.

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico é feito com base no histórico clínico dos pacientes, exames de sangue e de imagem (como a Colonoscopia, onde um aparelho com uma câmera percorre o intestino). O tratamento inclui alteração de hábitos (como parar de fumar e adoção de dieta saudável) e medicamentos para controle da doença.

Os interessados podem buscar o profissional de saúde, ou serviço público especializado mais próximo de sua região, no site do GEDIIB (www.gediib.org.br), ou www.seuintestinomudou.com.br

error: Conteúdo protegido contra cópia!