Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Remo vence o Paysandu e conquista o título do Campeonato Paraense de 2018

Isac marcou de pênalti e garantiu, pela 4ª vez seguida, o triunfo do Leão diante do Papão

O Clube do Remo venceu pela quarta vez seguida o seu maior rival, o Paysandu Sport Club, e conquistou o título do Campeonato Paraense de 2018. O atacante Isac, de pênalti, deu a vitória aos azulinos, aos 26 minutos do 1° tempo, explodindo o Fenômeno Azul nas arquibancadas do Estádio Olímpico, Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida foi realizada na tarde deste domingo (8), com o Leão Azul conquistando seu 45ª título estadual de sua história.

Outra marca que impressiona, é a do técnico Givanildo Oliveira, que nunca perdeu para o rival bicolor. Foram nove jogos, sendo sete vitórias e dois empates. Esse é o segundo título paraense conquistado pelo técnico a frente do Leão, em 1993, faturou em cima do próprio Paysandu, iniciando a saga do tabu de 33 jogos sem perder para o rival.

O Clube do Remo foi disparado o melhor time do Parazão 2018: em 14 jogos somou 31 pontos, sendo 10 vitórias, um empate e três derrotas. O Leão Azul agora é o soberano do estado do Pará.

O jogo: Leão 1 x 0 Papão – Mais que merecido, Clube do Remo campeão paraense de 2018

Precisando reverter a vantagem o Paysandu chegou primeiro: na jogada rápida, o atacante Walter disparou de fora da área, a bola passou assustando o goleiro Vinícius. Em boa troca de passes do Papão, Pedro Carmona disparou da intermediária e o goleiro Vinícius fez uma ponte para ficar com a bola. O Remo perdeu a bola na frente, o Paysandu saiu em contra-ataque com Mateus Muller, que tocou para Cassiano, o atacante bicolor disparou cruzado para a defesa de Vinícius.

Quando foi para o ataque o Leão Azul foi fatal. Felipe Marques recebeu lançamento e foi derrubado pelo goleiro Marcão, pênalti assinalado pelo árbitro Anderson  Daronco-RS, da FIFA. Isac pediu a preferência e cobrou com muita categoria, deslocando o goleiro Marcão, aos 26 minutos, 1 a 0 Leão, para a explosão do Fenômeno Azul no Mangueirão.

Em mais um lance perigoso dos azulinos, Levy tabelou com Elielton e deixou o atacante de frente para ampliar, mas preferiu lançar e a bola ficou com Marcão.

Fernando Torres/Paysandu

Para o segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti alterou sua equipe: sacando Matheus Silva e Willyam, colocando Moisés e Danilo Pires, respectivamente. Na primeira chegada de ataque do Paysandu, Moisés desviou de cabeça para o atacante Walter, que disparou cruzado para fora. O Papão começou a se expor e o Leão aproveitou os espaços. Adenilson recebeu passe e ficou sozinho para cruzar, mas preferiu chutar e mandou pela linha de fundo.

Minutos depois, Adenilson chutou de fora da área, a bola passou assustando o goleiro Marcão. O Papão tentou pressionar, Moisés chutou cruzado, Vinícius defendeu e na sobra, o zagueiro Mimica despachou para fora. O técnico Givanildo Oliveira colocou o atacante Jayme no lugar de Elielton. Após cruzamento na área, Isac cabeceou por cima da bicolor. Outra vez o Leão, Felipe Marques cruzou, o goleiro Marcão saiu mal e a bola chegou para Adenilson, que sozinho cabeceou em cima do arqueiro bicolor.

O Paysandu respondeu com Walter, que cruzou e Moisés sozinho cabeceou para fora. Após escanteio para o time bicolor, Diego Ivo cabeceou e o goleiro Vinícius espalmou sensacional. Felipe Recife sentiu e o time azulino teve que mudar, entrando Fernandes. Na última mudança do Papão, saiu Mike e entrou Peu. Em uma falta de muito longe, Esquerdinha cobrou forte por cima da meta bicolor.

O time do Paysandu sem muita força conseguia chegar. Moisés em uma boa jogada individual passou de dois marcadores e disparou forte, o goleiro Vinícius salvou espetacular. Em contra-ataque bicolor, Peu disparou de longe por cima da meta remista. Mais uma bola na área do Remo, Moisés cabeceou sozinho para fora. Givanildo Oliveira mexeu pela terceira vez, sacando Felipe Marques e colocando Rodriguinho.

O time bicolor foi para o tudo ou nada. Cassiano cruzou para a cabeça de Diego Ivo, o nome do jogo, o goleiro Vinícius fez a defesa. No contra ataque-azulino, Isac recebeu na esquerda e chutou cruzado para fora. Outra vez o Remo, Levy deixou Jayme sozinho para ampliar, mas o atacante azulino conseguiu perder. Walter pegou uma sobra dentro da área, mas acabou chutando por cima. O árbitro Anderson Daronco levou até aos 51 minutos. Placar final: Remo 1 x 0 Paysandu. Clube do Remo campeão paraense de 2018.

Imagem TV Cultura

“Complicado falar agora alguma coisa nesse momento. Hoje criamos, buscamos e o gol não saiu e eles venceram o clássico. A gente estava trabalhando a bola e a equipe lutou até o final. No segundo tempo nos dedicamos, mas infelizmente tomamos um gol no primeiro tempo que acabou atrapalhando. A nossa equipe sentiu um pouco no primeiro tempo. O Remo foi o campeão e agora é dá os parabéns para eles”, afirmou Cassiano, atacante do Paysandu.

“Fico feliz de ter participado deste grupo campeão, estão todos de parabéns. Fico feliz, mas toda a honra e a glória ao senhor Jesus e a Deus por me capacitar e me dá força para treinar, trabalhar e com saúde. Trabalhamos muito duro. Acho que o mérito não é só meu, é do preparador de goleiro Juninho, que treina a gente muito duro e forte. A comissão técnica e os companheiros. Estou muito feliz e era um título que eu almejava muito”, disse Vinícius, goleiro do Clube do Remo.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy, Bruno Maia, Mimica e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Fernandes) e Adenilson (Rodriguinho); Elielton (Jayme), Felipe Marques (Rodriguinho) e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

PAYSANDU: Marcão; Matheus Silva (Moisés), Diego Ivo, Edimar e Mateus Muller; Nando Carandina, Willyam (Danilo Pires) e Pedro Carmona; Walter, Mike (Peu) e Cassiano. Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Anderson Daronco-RS (FIFA)

Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos-BA (FIFA) e Guilherme Dias Camilo-MG (FIFA)

Quarto-árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva-PA (FIFA)

Quinto-árbitro: Joquetan Moreira Guimarães-PA

Sexto-árbitro: Rafael Ferreira Vieira-PA (CBF)

Cartões amarelos: Esquerdinha e Adenilson (Remo); Matheus Silva, Mateus Muller e Nando Carandina (Paysandu)

Gol: Isac, de pênalti, aos 26 minutos do 1º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 1.092.010,00 – Pagantes: 25.879 – Não pagantes: 3.000 Total: 28.879

Por Fábio Relvas

Futebol

Clube do Remo vence o Paysandu e sai na frente na briga pelo título do Campeonato Paraense de 2018

O Leão Azul derrotou o Papão pela terceira vez consecutiva neste Parazão e joga pelo empate no próximo clássico, para ficar com o título

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will/Remo

O Clube do Remo, mais uma vez, venceu o Paysandu pelo Campeonato Paraense de 2018. Na tarde deste domingo (1), o Leão Azul derrotou o Papão, por 2 a 1, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, e largou na frente pela conquista do título do Parazão. A partida foi válida pelo jogo de ida da decisão do estadual.

O Leão saiu na frente depois que o árbitro Raphael Claus-SP (FIFA) marcou pênalti de Maicon Silva, em cima de Elielton. Isac cobrou bem, deslocou o goleiro Marcão e correu para o abraço, aos 29 minutos, 1 a 0. O Papão empatou em outro pênalti, quando Perema se enroscou com Mimica dentro da área. Cassiano cobrou no canto esquerdo de Vinícius, que foi, mas não alcançou, 1 a 1, aos 43 minutos.

Na segunda etapa, o Leão venceu com uma pintura do meia Rodriguinho, que havia acabado de entrar, e acertou um lindo chute no ângulo do goleiro Marcão, marcando um golaço, aos 34 minutos, 2 a 1, explodindo de vez o Mangueirão.

Clube do Remo e Paysandu voltam a se enfrentar no próximo domingo (8), às 16h, no Mangueirão, no jogo de volta da final do Campeonato Paraense de 2018. O Leão joga pelo empate para ficar com o título, enquanto o Papão vai ter que vencer por dois gols de diferença para garantir a taça. Uma vitória bicolor, por um gol de diferença, leva a decisão para os pênaltis.

O jogo: Paysandu 1 x 2 Remo – Mais um vitória do Leão, a terceira em três clássicos! 

O árbitro Raphael Claus, da FIFA, concedeu um minuto de silêncio pela morte do jogador Aru. Em uma jogada rápida do Paysandu, pela direita, a bola foi para área e Cassiano desviou de letra, mas ninguém apareceu para completar. Em outra jogada bicolor, a bola sobrou para Walter, que emendou um chutaço de fora da área; o goleiro Vinícius espalmou para o lado, salvando o Leão.

Os azulinos responderam quando Dudu tocou para o atacante Jayme, que disparou na primeira vez, estourando na zaga bicolor e, no rebote, mandou muito forte por cima da meta de Marcão. Outra chance com Jayme, que bateu forte cruzado e mandou para fora. Elielton deu uma caneta em Mateus Muller e cruzou na área, a bola passou de todo o ataque remista e foi para fora.

Mike arrancou pelo meio e deixou para Moisés, que bateu de primeira, mas o goleiro Vinícius defendeu; na volta, a bola bateu na mão de Walter e o árbitro parou a jogada. Que chance perdeu o Paysandu. A chuva chegou mais forte no Mangueirão. Em uma falta de muito longe, Mateus Muller cobrou por cima da meta de Vinícius. Mimica cobrou falta, Elielton dominou e foi derrubado por Maicon Silva dentro da área: pênalti assinalado pelo árbitro Raphael Claus. Isac cobrou com muita categoria e deslocou o goleiro Marcão, 1 a 0 Leão, aos 29 minutos.

Foto: Samara Miranda/Remo

Danilo Pires cobrou uma falta para o Papão e mandou, como diz na gíria, “para fora do Mangueirão”. Mais uma bola na área remista, Perema e Mimica se enroscaram e o árbitro Raphael Claus marcou outro pênalti: Cassiano cobrou no canto esquerdo, Vinícius foi, mas não alcançou, 1 a 1, aos 43 minutos. O Paysandu teve a chance com Moisés, que dominou e chutou de fora da área, mandando para fora.

Para o segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti teve que tirar o atacante Cassiano, que sentiu uma contusão e deu lugar para o volante Willyam. A bruxa estava solta no Papão: o lateral-direito Maicon Silva também sentiu sozinho e foi substituído por Matheus Silva, ainda com três minutos da etapa derradeira. Minutos depois, aos oito, foi a vez do volante Cáceres, que sentiu e foi trocado pelo meia Fábio Matos.

O Clube do Remo ganhou uma falta perigosa, mas Adenilson cobrou muito alto. O time bicolor saiu em contra-ataque, Moisés recebeu na direita, cortou para o meio e chutou muito longe da meta azulina. O Paysandu cruzou na área e Walter emendou de calcanhar, a bola passou assustando Vinícius. Pressão bicolor: Fábio Matos cruzou, a bola bateu no zagueiro Mimica – os bicolores pediram pênalti; na volta, Willyam cruzou, a bola passou da zaga e do goleiro Vinícius, sendo afastada por Bruno Maia.

O goleiro Vinícius cobrou falta do campo remista, a bola foi dividida e sobrou para o meia Rodriguinho, que havia acabado de entrar na partida e disparou um chutaço de fora da área: um golaço do Leão no Mangueirão, aos 34 minutos, 2 a 1, explodindo o Fenômeno Azul nas arquibancadas. Rodriguinho cobrou escanteio e quase marcou gol olímpico, mas Marcão espalmou de volta para escanteio. O Papão quase empatou quando Willyam levantou para o toque de cabeça de Walter, mas o goleiro Vinícius espalmou para escanteio. O árbitro levou até os 48 minutos. Placar final: Paysandu 1 x 2 Remo.

“A sensação é incrível. Vai ser inesquecível esse clássico. Passei bastante tempo fora do Brasil, e o que pesou para voltar foi escolher um time de massa, como o Clube do Remo, com essa torcida fantástica. Olhar para a torcida e ver eles gritando e vibrando vai ser inesquecível. A gente fica ali no banco se imaginando; estava com essa convicção de que eu iria entrar e iria marcar o gol da vitória,” afirmou Rodriguinho, meio-campo do Clube do Remo, que decidiu
com o gol da vitória.

FICHA TÉCNICA 

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva (Matheus Silva), Perema, Edimar e Mateus Muller; Cáceres (Fábio Matos), Danilo Pires e Walter; Mike, Moisés e Cassiano (Willyam).
Técnico: Dado Cavalcanti

REMO: Vinícius; Gustavo, Bruno Maia, Mimica e Esquerdinha; Felipe Recife (Fernandes), Dudu e Adenilson (Rodriguinho); Elielton, Jayme e Isac (Jefferson Recife).
Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Raphael Claus-SP (FIFA)
Assistentes: Fabrício Vilarinho-GO (FIFA) e Rogério Pablos Zanardo-SP (CBF)
Quarto-árbitro: Wasley do Couto Leão-PA (CBF)
Quinto-árbitro: Nadilson Sousa dos Santos-PA
Quinta-árbitra: Nayara Lucena Soares-PA

Cartões amarelos: Maicon Silva, Danilo Pires e Edimar (Paysandu); Gustavo, Isac e Esquerdinha (Remo)
Gols: Isac, de pênalti, aos 29 minutos do 1º tempo para o Remo; Cassiano, de pênalti, aos 43 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Rodriguinho, aos 34 minutos do 2º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 448.375,00
Pagantes: 16.019
Não pagantes: 3.000
Total: 19.019

Futebol

Com um gol de pênalti para cada lado, São Raimundo e Bragantino ficam no empate no Colosso do Tapajós

Pantera e Tubarão ficaram no empate no jogo de ida pela disputa do terceiro lugar do Parazão 2018

Por Fábio Relvas

São Raimundo e Bragantino entraram em campo, na noite deste sábado (31), para o jogo de ida pela disputa do terceiro lugar do Campeonato Paraense de 2018. Em um jogo acirrado no Estádio Colosso do Tapajós, em Santarém, as duas equipes ficaram no empate, em 1 a 1.

O Tubarão do Caeté abriu o placar, após o atacante Marcelo Maciel ser derrubado dentro da área: na cobrança, Keoma bateu firme no canto direito de Jader, aos 12 minutos do segundo tempo. O troco do Pantera veio na mesma moeda, depois que Hebert Chocolate chutou para o gol e a bola bateu na mão do zagueiro Romário dentro da área, outro pênalti foi assinalado pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. Wendel cobrou, deslocando o goleiro Paulo Ricardo e deixando tudo igual, 1 a 1, aos 28 minutos da etapa complementar do jogo.

As duas equipes voltam a campo no próximo sábado (7), para o jogo de volta, às 15h30, no Estádio Diogão, em Bragança. Quem vencer fica com o terceiro lugar e, se houver outro empate, a decisão da vaga vai para os pênaltis. O terceiro colocado do Parazão garante vaga na Copa do Brasil de 2019.

O jogo: Pantera 1 x 1 Tubarão – Disputa do terceiro lugar do Parazão 

Antes da bola rolar, o árbitro Gustavo Ramos Melo concedeu um minuto de silêncio pelo falecimento do atacante Aru Sompré, que sofreu um trágico acidente automobilístico na madrugada da última sexta-feira (30), quando seu carro particular colidiu com um caminhão, na BR-222, em Marabá. Aru teve passagem pelo São Raimundo em 2012 e disputou o Campeonato Paraense daquela temporada com a camisa do alvinegro santareno.

Com a bola rolando, o Pantera chegou com Wendel, que disparou de fora da área e Paulo Ricardo espalmou para escanteio. O São Raimundo foi para pressão e sufocou o adversário: após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Felipe que chutou e parou na boa defesa de Paulo Ricardo. Na sequência do lance, Wendel se livrou da marcação e disparou por cima da meta do Tubarão.

Mais uma bola na área do Bragantino e o pequeno Jefferson Monte Alegre subiu sozinho e, de cabeça, mandou por cima. PC Timborana arrancou de seu campo e disparou cruzado, mas ninguém do Tubarão do Caeté chegou para complementar a jogada. Léo deu lançamento para Jefferson Monte Alegre, que chutou muito forte por cima da meta do Braga. Na volta para o segundo tempo, o técnico Vladimir de Jesus mostrou que o time seria ofensivo, tirando o volante Lima e colocando o atacante Hebert Chocolate.

O Pantera chegou pela esquerda e, após o cruzamento, Jeová emendou um voleio; a bola passou tirando a tinta da trave de Paulo Ricardo, que não é cantor, mas tirou com seu olhar 43. O Bragantino respondeu quando Marcelo Maciel recebeu lançamento, driblou a marcação e foi derrubado pelo zagueiro Moisés; pênalti assinalado pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. O volante Keoma cobrou forte no canto direito do goleiro Jader, aos 12 minutos, 1 a 0 Tubarão
do Caeté.

Na jogada rápida do São Raimundo, Hebert Chocolate chutou e a bola tocou na mão do zagueiro Romário, do Bragantino; o árbitro Gustavo Ramos Melo não titubeou e assinalou outro pênalti, desta vez para o time da casa. Wendel cobrou com categoria e deslocou o goleiro Paulo Ricardo, aos 28 minutos, 1 a 1, no Colosso do Tapajós. O Braga não sentiu o gol e quase chegou ao segundo em cobrança de falta de Keoma, quando a bola passou muito perto da trave de Jader.

Depois do lance, um temporal caiu em Santarém, alagando o gramado do Barbalhão. Kleyton cobrou falta, houve um desvio no meio do caminho e quase enganou o goleiro Paulo Ricardo. Em um contra-ataque rápido do Pantera, Felipe tocou para Hebert Chocolate, que disparou forte, e Paulo Ricardo salvou para escanteio. Novamente, Hebert Chocolate chutou forte de fora da área, mas o goleiro Paulo Ricardo defendeu bem.

Tavinho recebeu lançamento e deu um toque com categoria por cima de Paulo Ricardo; a bola passou muito perto da trave do Braga. O árbitro acrescentou cinco minutos e levou o jogo até aos 50. Em uma sobra de bola na área, Felipe chutou e Paulo Ricardo fez outra defesa para o Tubarão do Caeté. No último lance, após cobrança de escanteio, o zagueiro Sandro subiu de cabeça e o goleiro Paulo Ricardo pegou, no centro de sua meta. Placar final: São Raimundo 1 x 1 Bragantino.

FICHA TÉCNICA

SÃO RAIMUNDO: Jader; Ciro, Moisés, Sandro e João Victor; Lima (Hebert Chocolate), Jeová, Léo (Kleyton) e Wendel; Jefferson Monte Alegre (Tavinho) e Felipe.
Técnico: Vladimir de Jesus

BRAGANTINO: Paulo Ricardo; Rodrigo Reis, Romário, Gabriel Gonçalves e PC Timborana; Keoma, Paulo de Tárcio, Eneilson e Alan Calbergue (Kleber Queiroz); Pecel (Marcelo Maciel) e Romarinho (Mauro Ajuruteua).
Técnico: Artur Oliveira

Árbitro: Gustavo Ramos Melo-CBF
Assistentes: Silvério Ferreira Pinto e Vanaldo Nascimento dos Santos Júnior
Quarto-árbitro: Fábio Welden de Sousa Silva

Cartões amarelos: Léo, Lima, João Victor e Ciro (São Raimundo); Keoma, Rodrigo e Paulo de Tárcio (Bragantino)
Gols: Keoma, de pênalti, aos 12 minutos do 2º tempo para o Bragantino; Wendel, de pênalti, aos 28 minutos do 2º tempo para o São Raimundo
Local: Estádio Colosso do Tapajós, em Santarém

Futebol

Paysandu elimina o Bragantino nos pênaltis e garante vaga na final do Campeonato Paraense de 2018

O Papão passou sufoco, mas garantiu vaga para final do Parazão nas penalidades, ao bater o Tubarão do Caeté

Por Fábio Relvas
Foto: Fernando Torres/Paysandu

Foi no sufoco, mas o Paysandu garantiu vaga na grande final do Campeonato Paraense de 2018, ao derrotar o Bragantino no tempo normal, por 2 a 0, e nos pênaltis pelo placar de 4 a 2.

Cassiano, de pênalti, aos 43 minutos e Diego Ivo, aos 48 do primeiro tempo, garantiram a vitória bicolor no tempo normal. Nas penalidades máximas, Walter cobrou o último pênalti e garantiu a classificação. A partida foi realizada na noite deste sábado (24), no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

O time bicolor espera o vencedor da outra semifinal, entre Remo e São Raimundo, que se enfrentam neste domingo (25), às 16h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, também em Belém.

O jogo: Papão 2 x 0 Tubarão – 4 a 2 nos pênaltis para o Paysandu – Rumo ao tri? 

Precisando reverter a vantagem do Bragantino, o Paysandu começou o jogo pressionando o adversário. Após cruzamento rasteiro dentro da área, o goleiro Deco Júnior espalmou e, na sobra de bola, o atacante Walter chutou para fora. A torcida bicolor ficou no “uh”. Mais uma bola rasteira na área do Braga: Cassiano ficou de frente para marcar, mas parou na defesa de Deco, que mandou para escanteio.

O Bragantino custou a chegar, mas quando foi, Pecel experimentou um chutaço de fora da área, o goleiro Marcão salvou para escanteio. Cassiano recebeu cruzamento da direita, matou no peito e chutou por cima da meta de Deco. Em outro ataque bicolor, Mike disparou de fora da área, o goleiro Deco espalmou para escanteio. Em um contra-ataque rápido, Felipe Maracanã ficou sozinho com Marcão, driblou o goleiro bicolor, mas chutou para fora.

O Papão seguiu em cima de uma maneira impressionante. Mike recebeu e, quase na pequena área, chutou para a defesa com os pés de Deco Júnior; na sequência, Edimar mandou um balaço e o goleiro do Tubarão mandou para escanteio. Após bola na área, Danilo Pires mandou para o fundo do barbante, mas a arbitragem marcou falta do zagueiro Edimar, do Paysandu, na disputa da jogada.

O Paysandu teve a chance na cobrança de falta de Cassiano, mas o goleiro Deco foi bem no lance e tratou de espalmar para escanteio. Moisés recebeu passe de Nando Carandina e foi derrubado na área: pênalti marcado pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. Cassiano cobrou com muita categoria, deslocando do goleiro Deco, aos 43 minutos, 1 a 0 Papão. Logo em seguida, Walter recebeu lançamento e chutou cruzado, o zagueiro Diego Ivo desviou no meio do caminho, marcando o segundo gol bicolor, aos 48 minutos, 2 a 0 Paysandu, explodindo a Fiel Bicolor na Curuzu.

A bola rolou para o segundo tempo com uma chuva mais forte no Estádio da Curuzu. Após boa jogada pela direita, Maicon Silva cruzou rasteiro e, na hora da finalização, o atacante Cassiano furou e a bola ficou com Deco. Walter cruzou da esquerda na cabeça de Cassiano, que subiu firme; o goleiro Deco salvou para escanteio. O Bragantino lançou na área e a bola bateu na mão do zagueiro Fernando Timbó: pênalti assinalado pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. João Leonardo cobrou muito fraco e praticamente recuou para o goleiro Marcão, que defendeu para o Papão.

O Paysandu tentou o terceiro: Mike recebeu lançamento, mas o goleiro Deco chegou primeiro e fez a defesa. O pênalti perdido motivou o Papão. Cáceres lançou na medida para Maicon Silva, que cruzou para trás para o chute de Walter, mas a bola subiu demais. Walter recebeu outra bola e chutou de fora da área, passando à direita de Deco. A zaga bicolor fez lambança e entregou para PC Timborana, que mandou por cima. Na última chance da partida, Fábio Matos pegou a sobra e chutou por cima da meta de Deco. Placar final: Paysandu 2 x 0 Bragantino.

A decisão da vaga para final foi para os pênaltis. Melhor para o Paysandu, que venceu por 4 a 2 e se garantiu na grande final do Parazão 2018. Cassiano, Mike, Mateus Muller e Walter marcaram para o Papão, enquanto Fábio Matos parou na defesa do goleiro Deco. Em relação ao Tubarão, Keoma e Serafim marcaram, enquanto Gabriel Gonçalves parou na defesa de Marcão e Paulo de Tárcio acertou no travessão.

Após a classificação, o atacante Walter, que marcou o último gol de pênalti, foi provocar o banco de reservas do Bragantino e houve um princípio de confusão entre os jogadores das duas equipes. O Papão aguarda o vencedor entre Remo e São Raimundo para decidir o título do Parazão 2018.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Marcão; Maicon Silva, Diego Ivo (Fernando Timbó), Edimar e Nando Carandina; Cáceres, Danilo Pires (Fábio Matos) e Walter; Mike, Moisés (Mateus Muller) e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

BRAGANTINO: Deco Júnior; Serafim, Romário, Gabriel Gonçalves e PC Timborana; Keoma, Paulo de Tarcio, Eneilson e Felipe Maracanã; Pecel (Marcelo Maciel) e Romarinho (Mauro Ajuruteua).
Técnico: Artur Oliveira

Árbitro: Gustavo Ramos Melo-CBF
Assistentes: Rafael Ferreira Vieira-CBF e Bárbara Roberta Costa Loiola-CBF
Quarto-árbitro: Djonaltan Costa Araújo-CBF
Quinto-árbitro: Ignácio José de Almeida Pedro

Cartões amarelos: Maicon Silva, Edimar e Nando Carandina (Paysandu); Eneilson, Romário, PC Timborana e João Leonardo (Bragantino)
Gols: Cassiano de pênalti, aos 43 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Diego Ivo, aos 48 minutos do 1º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém
Renda: R$ 155.095,00
Pagantes: 7.463
Sócio Bicolor: 3.000
Credenciados: 1.259
Total: 8.722

Futebol

São Raimundo vence o Remo no Estádio Barbalhão e abre vantagem para o jogo de volta em Belém

O Pantera jogou com um a menos durante boa parte da partida e conseguiu segurar o Leão

Por Fábio Relvas

O São Raimundo abriu vantagem sobre o Clube do Remo, por uma vaga na final do Campeonato Paraense de 2018. O Pantera venceu o Leão Azul, por 1 a 0, na noite desta quinta-feira (22), no Estádio Municipal Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém, na partida de ida da semifinal do estadual. O único gol da partida foi assinalado pelo atacante Jefferson Monte Alegre, aos 23 minutos do primeiro tempo, em cobrança de pênalti.

Com o resultado positivo, o Pantera vai para Belém jogando pelo empate, já o Clube do Remo terá que vencer por dois gols de diferença se quiser avançar para a final do Parazão, ou devolver o placar de um gol e levar a decisão da vaga para os pênaltis. As duas equipes voltam ao campo no próximo domingo (25), às 16h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

O jogo: Pantera 1 x 0 Leão – Mesmo com um jogador a menos

A partida começou truncada no Estádio Barbalhão. Felipe Marques tentou marcar para o Remo e o goleiro Jader fez a defesa. O São Raimundo teve uma falta cobrada pelo atacante Chocolate, mas a bola foi por cima da meta remista. Mais uma vez o Leão Azul com Felipe Marques: após o chute, o goleiro Jader mandou para escanteio. O time azulino começou com mais posse de bola.

Mas quem marcou mesmo foi o Pantera. O atacante Jefferson Monte Alegre foi derrubado, dentro da área, pelo lateral-direito Levy, fazendo o árbitro Djonaltan Costa Araújo assinalar pênalti para o São Raimundo e cartão amarelo para o jogador remista. Jefferson Monte Alegre cobrou rasteiro no canto esquerdo do goleiro Vinícius, que foi na bola, mas não alcançou, aos 23 minutos, 1 a 0, para festa da torcida santarena.

O time da casa estava tímido no jogo, mas voltou a atacar com Bruno Limão, que chutou e a bola tocou na zaga, ficando nas mãos de Vinícius. O Clube do Remo tentou chegar em cobrança de falta, mas o goleiro Jader afastou de soco. Logo depois, o meia Kleyton, do São Raimundo, atingiu forte o lateral Esquerdinha, do Leão, e recebeu o cartão vermelho diretamente, aos 42 minutos. A torcida ficou irritada com a arbitragem.

Com um jogador a mais, o Remo foi para cima. Após cruzamento de Esquerdinha, Isac ajeitou de cabeça para o chute de primeira de Felipe Marques; a bola subiu demais. Em outra tentativa dos azulinos, a bola foi tocada para Felipe Marques, que bateu por cima da meta de Jader. No segundo tempo, o São Raimundo veio com mudança: o técnico Vladimir de Jesus tirou o autor do gol, Jefferson Monte Alegre, e colocou Romário.

O Remo teve uma falta quase que frontal, mas Adenilson pegou muito mal na bola e mandou longe da meta de Jader. Um princípio de tumulto se viu nas arquibancadas, entre as torcidas do São Raimundo e do Remo. O Leão jogou bola na área, o zagueiro Mimica subiu de cabeça para a bela defesa do goleiro Jader, mas a arbitragem assinalou impedimento. Apesar de ter muito mais posse de bola, o time azulino não conseguia criar boas jogadas e o tempo foi se passando.

Dudu, em jogada individual, dominou e chutou para o gol; a bola desviou na zaga do Pantera e foi para escanteio. O Remo quase empatou: Levy cruzou da direita, Felipe Marques ajeitou para o chute de Rodriguinho, que mandou para fora, perdendo uma chance de ouro. O jogador Ciro, do São Raimundo, reclamou demais no banco de reservas e recebeu cartão amarelo, mesmo estando fora das quatro linhas. Placar final: São Raimundo 1 x 0 Remo.

FICHA TÉCNICA

SÃO RAIMUNDO: Jader; Bruno Limão, Moisés, Sandro e João Victor; Tetê, Léo (Felipe), Jeová e Kleyton; Jeferson Monte Alegre (Romário) e Chocolate (Jean).
Técnico: Vladimir de Jesus

REMO: Vinícius; Levy, Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Rodriguinho) e Adenilson; Elielton, Isac (Jefferson Recife) e Felipe Marques.
Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Djonaltan Costa Araújo-CBF
Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias-CBF e Hélcio Araújo Neves-CBF
Quarto-árbitro: Walter Francisco N. dos Santos
Quinto-árbitro: Romário Ramos da Silva

Cartões amarelos: Moisés, Ciro e Jader (São Raimundo); Levy, Bruno Maia, Rodriguinho e Mimica (Remo)
Cartão vermelho: Kleyton (São Raimundo)
Gol: Jefferson Monte Alegre de pênalti, aos 23 minutos do 1º tempo para o São Raimundo

Local: Estádio Municipal Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém
Público pagante: 3.786
Credenciados: 793
Total: 4.579
Renda: R$ 73.900,00

Futebol

Parauapebas perde para o Bragantino no Estádio Diogão e é rebaixado outra vez para a Segundinha do Parazão

O PFC não conseguiu segurar a força do Tubarão do Caeté e caiu por 2 a 1 dentro de Bragança

Por Fábio Relvas

A décima e última rodada da primeira fase do Campeonato Paraense de 2018 conheceu o último time rebaixado para a Segundinha. O Parauapebas foi até Bragança, na tarde deste domingo (18), encarar o perigoso Bragantino no Estádio Diogão, mas não segurou a pressão do Tubarão do Caeté e acabou saindo derrotado pelo placar de 2 a 1. Com isso, o PFC foi rebaixado novamente para a segunda divisão do futebol paraense.

Os donos da casa saíram na frente com o gol de João Leonardo, aos 12 minutos de bola rolando. O PFC não se intimidou e chegou ao empate ainda na primeira etapa, com o volante Matheus Moreno, que deixou sua marca aos 22 minutos. Na segunda etapa, o Bragantino buscou a vitória e conseguiu marcar o segundo gol, através do mesmo João Leonardo, aos 21 minutos, decretando a vitória do Tubarão do Caeté por 2 a 1. O resultado classificou o Bragantino em segundo lugar e rebaixou o Parauapebas para a Segundinha do Parazão de 2019.

A bola rolou para mais quatro jogos. O Paysandu Sport Club recebeu o Paragominas no Estádio da Curuzu. A partida entre Papão e Jacaré foi bastante equilibrada. Os bicolores marcaram primeiro, quando Fernando Timbó lançou o atacante Magno Ribeiro, que tocou para Walter chutar de fora da área e acertar no canto direito do goleiro Rédson, 1 a 0 Papão, aos 16 minutos do primeiro tempo.

Só que não deu tempo para comemorar, porque o Jacaré foi logo empatando com Lukinha, em uma bela cobrança de falta, aos 18 minutos de jogo. Placar final: Paysandu 1 x 1 Paragominas. Com o resultado, o Paysandu terminou em primeiro lugar da Chave A1 e classificado para as semifinais, enquanto o Paragominas conseguiu se garantir na elite para 2019.

No Estádio Modelão, o Castanhal lavou a alma contra o Independente. Ainda ameaçado com o fantasma do rebaixamento, o Japiim da Estrada partiu para cima do Galo Elétrico. O time da casa marcou três gols com Ramon, aos 21, Souza, aos 38 minutos do primeiro tempo, e Bernardo, aos 10 do segundo tempo.

O Independente chegou a diminuir com Mocajuba, aos 13 minutos do segundo tempo, enquanto Everson Bilau decretou a goleada, aos 37 minutos da etapa derradeira. Placar final: Castanhal 4 x 1 Independente. O resultado deixou as duas equipes eliminadas, mas garantidas na elite do próximo ano.

Outro jogo da tarde foi o confronto entre o Águia de Marabá e o São Raimundo. O Azulão entrou em campo eliminado e livre do rebaixamento, ao contrário do Pantera, que foi ao campo classificado para as semifinais do Parazão. Em uma partida sem muitas emoções, o Águia venceu, por 1 a 0, com gol assinalado por Tairon, aos 34 minutos do segundo tempo, decretando a vitória do Azulão na despedida da competição.

Quem fez bonito na última rodada foi o Clube do Remo. O Leão Azul encarou o já rebaixado Cametá, no Estádio Parque do Bacurau. Os remistas marcaram aos 22 minutos de jogo: após cruzamento na área, Jefferson Recife finalizou para a defesa de Maycon e, na sobra, o zagueiro Mimica completou de cabeça, 1 a 0 Leão. Não demorou muito e os azulinos chegaram ao segundo tento com o volante Dudu, que arrancou bonito, saindo de dois marcadores e fuzilando para o fundo da meta cametaense, 2 a 0, aos 29 minutos de bola rolando.

O Mapará conseguiu diminuir o placar aos 36 minutos do segundo tempo: Ronaldo cobrou escanteio e Caio subiu mais alto para cabecear para o barbante. Placar final: Cametá 1 x 2 Remo. Com o resultado, o time cametaense conseguiu terminar sua participação sem nenhuma vitória no Campeonato Paraense e rebaixado para a Segundinha. Já o Clube do Remo somou mais três pontos e garantiu a melhor campanha de todos os clubes, chegando aos 22 pontos e classificado para as semifinais.

Resultados da 10ª rodada

  • Paysandu 1 x 1 Paragominas (Curuzu)
  • Castanhal 4 x 1 Independente (Modelão)
  • Águia 1 x 0 São Raimundo (Zinho Oliveira)
  • Bragantino 2 x 1 Parauapebas (Diogão)
  • Cametá 1 x 2 Remo (Parque do Bacurau)

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
Paysandu: 20 Pontos (Classificado)
Bragantino: 19 Pontos (Classificado)
Independente: 13 Pontos (Eliminado)
Águia: 11 Pontos (Eliminado)
Cametá: 4 Pontos (Rebaixado)

Chave A2
Remo: 22 Pontos (Classificado)
São Raimundo: 16 Pontos (Classificado)
Castanhal: 13 Pontos (Eliminado)
Paragominas: 11 Pontos (Eliminado)
Parauapebas: 8 Pontos (Rebaixado)

Semifinais do Parazão

  • Bragantino x Paysandu – quarta-feira (21/03), às 16h, no Estádio Diogão, em Bragança
  • São Raimundo x Remo – quinta-feira (22/03), às 20h, no Estádio Barbalhão, em Santarém
  • Paysandu x Bragantino – sábado (24/03), às 18h, no Estádio da Curuzu, em Belém
  • Remo x São Raimundo – domingo (25/03), às 16h, no Estádio Mangueirão, em Belém
Futebol

Parauapebas encara o Bragantino no Estádio Diogão precisando vencer para permanecer na elite do Parazão

O jogo é decisivo para o PFC, que vai entrar pressionado, buscando a vitória para continuar na elite do futebol paraense em 2019

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) entra em campo pressionado pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paraense de 2018. O Gigante de Aço tem pela frente o Bragantino, o Tubarão do Caeté, que está classificado para a semifinal do estadual. O time do técnico Fran Costa vai com a missão de vencer o Braga, fora de casa, para tentar escapar do rebaixamento para a Segundinha do Parazão.

As duas equipes vieram da segunda divisão, onde fizeram a final da competição. Jogando no Estádio Diogão, o palco do próximo confronto, os times ficaram no empate em 2 a 2 no tempo normal, com vitória do Bragantino nas cobranças de pênaltis. Na ocasião, o Tubarão ficou com o tricampeonato estadual. A partida mais recente foi no Estádio Rosenão, no último dia 4, quando o PFC foi goleado pelo placar de 4 a 2, valendo pela quinta rodada.

O técnico Fran Costa vai arrumando a casa para tentar procurar a melhor formação do Parauapebas, já que possui um jogador suspenso e outro lesionado. O treinador não vai poder contar com o volante Gilberto, que pegou o terceiro cartão amarelo contra o Águia de Marabá, e vai ter que cumprir suspensão. Outro volante que deve ficar de fora é Max Carrasco, que sente uma contratura na panturrilha direita.

O treinador não quis antecipar a escalação do time, mas o PFC pode ir a campo com: Bruno; Djalma, Cris, André Ribeiro e Juninho; Augusto Recife, Wellington Cabeça, Rogério Maranhão e Luiz Fernando; Monga e Léo Paraíba. Só a vitória interessa ao Parauapebas, para buscar a permanência na elite do futebol paraense. A delegação do PFC chegou a Bragança na madrugada deste sábado (17).

Bragantino e Parauapebas se enfrentam neste domingo (18), às 16h, no Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança, pela décima e última rodada do Campeonato Paraense em sua primeira fase. O apito fica por conta do árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva-FIFA, sendo auxiliado por Dimmi Yuri das Chagas Cardoso-CBF e José Jacemir Gonçalves Brito. A quarta-árbitra fica por conta de Elaine da Silva Melo-CBF.

Caso Fidélis

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Pará (TJD-PA), Dilson José Bastos de Lemos, acatou o pedido da denúncia do Parauapebas Futebol Clube contra o Paragominas Futebol Clube, em relação a possível irregularidade do atacante Fidélis, do Jacaré. O atleta teria sido escalado estando suspenso, na partida entre Independente e Paragominas, no dia 13 de janeiro, válida pela primeira rodada do Parazão.

Segundo informações da diretoria do Parauapebas, o resultado provavelmente sairá na próxima terça-feira (20). O advogado do PFC no caso é Eric Bittencourt de Almeida. Se for punido, o Paragominas Futebol Clube perderá três pontos e dependendo dos resultados da última rodada, pode ser rebaixado para a Segundinha. Três times correm risco do descenso: Castanhal, Paragominas e Parauapebas.

Futebol

São Raimundo vence o Independente de virada no Estádio Navegantão e confirma vaga na semifinal do Parazão

O Pantera confirmou sua classificação com uma rodada de antecedência e vai encarar o Remo na semifinal. Já o Independente deu adeus ao sonho da vaga

Por Fábio Relvas

O São Raimundo venceu o Independente na noite desta quarta-feira (14), no Estádio Municipal Antônio Dias, o Navegantão, em Tucuruí, e confirmou sua classificação para a semifinal do Campeonato Paraense de 2018. Por outro lado, o Independente deu adeus ao sonho da vaga. O Pantera derrotou o Galo Elétrico de virada, por 2 a 1, em um jogo bastante movimentado, válido pela nona rodada do estadual.

O Independente saiu na frente com o gol de pênalti marcado pelo atacante Betinho, aos 25 minutos do primeiro tempo. O São Raimundo chegou ao empate ainda na primeira etapa, através de Ciro, aos 38, e conseguiu virar com o gol de Leonardo, em cobrança de falta, aos cinco minutos da etapa derradeira. Com o resultado adverso do Galo, o Bragantino também conseguiu sua vaga na semifinal.

Portanto, as semifinais do Campeonato Paraense já foram definidas antes mesmo da última rodada: Paysandu x Bragantino e Remo x São Raimundo. A décima e última rodada vai ser apenas para conhecer o segundo rebaixado: a degola está entre Castanhal, Paragominas e Parauapebas. O time do Cametá Sport Club foi o primeiro a ser rebaixado, com duas rodadas de antecedência.

O jogo: Galo 1 x 2 Pantera – de virada e vaga na semifinal confirmada!

As duas equipes entraram em campo com o mesmo objetivo: em busca da classificação para a semifinal do Campeonato Paraense. A bola rolou debaixo de muita chuva no Estádio Navegantão, em Tucuruí. O São Raimundo chegou primeiro e, na falta cobrada pelo meia Kleyton, a bola passou assustando o goleiro Dida. Apesar de ser o visitante, o Pantera santareno tinha mais posse de bola que o adversário.

Na base do desespero em busca do gol, o Independente ganhou um pênalti a seu favor. O atacante Chaveirinho entrou na área e foi derrubado pelo lateral-direito Ciro, o árbitro Wasley do Couto Leão não titubeou e assinalou em favor do Galo Elétrico, amarelando o defensor do Pantera. O atacante Betinho não perdoou e colocou dentro do barbante, fazendo a festa da torcida de Tucuruí no Navegantão, 1 a 0, aos 25 minutos.

Jogando bem, o São Raimundo foi em busca do empate e conseguiu: após bola na área, o lateral-direito Ciro apareceu para completar para o fundo do gol, 1 a 1, aos 38 minutos. Para o segundo tempo, as duas equipes voltaram com as mesmas formações. Com menos de um minuto, Anderson Preto disparou em tentativa de marcar para o Galo Elétrico e assustou o goleiro Jader.

Quem marcou mesmo foi o Pantera, aos cinco minutos, em uma bela cobrança de falta de Leonardo, virando o placar para cima do Independente, 2 a 1, São Raimundo. Na sequência, Wendell disparou e o goleiro Dida salvou o que seria o terceiro gol. A torcida do Galo Elétrico desanimou no Estádio Navegantão. O time quase empatou após cobrança de falta, quando Chicão subiu de cabeça e Jader fez uma grande defesa para o time santareno.

Em uma cobrança de falta de Mocajuba, a bola passou assustando o goleiro Jader. Wendell tentou de fora da área, a bola passou perto da meta de Dida. O técnico Júnior Amorim não teve alternativa, e colocou cinco atacantes no time do Independente, já que só a vitória interessava. Em uma bola na área, Feijão, sozinho, perdeu a chance do empate. Mais uma bola na área, outra vez o baixinho Feijão tocou de cabeça e quase deixou tudo igual no placar.

No desespero, o Galo Elétrico buscava o empate. Fabrício ficou de frente para o gol, mas o chute foi para fora, enlouquecendo o torcedor que ficou no “uh”. Os jogadores se desentenderam e o árbitro Wasley do Couto Leão expulsou dois atletas, um de cada lado, Ezequias do Independente e Lima do São Raimundo. Na última chance do jogo, Fabrício cobrou falta para fora e o árbitro encerrou a partida, aos 50 minutos. Placar final: Independente 1 x 2 São Raimundo.

FICHA TÉCNICA

INDEPENDENTE: Dida; Léo Rosa (Wegno), Thayson, Ezequias e Mocajuba; Anderson Preto (Feijão), Chicão e Fabrício; Ray Gol, Chaveirinho (Lucas Sheldon) e Betinho.
Técnico: Júnior Amorim

SÃO RAIMUNDO: Jader; Ciro, Moises, Adielson e João Victor; Tetê, Leonardo, Jeová (Lima) e Kleyton (Felipe); Wendell e Herbert Chocolate (Wanderson).
Técnico: Vladimir de Jesus

Árbitro: Wasley do Couto Leão-CBF
Assistentes: José Ricardo Guimarães Coimbra-CBF e Heronildo Sebastião Ferreira da Silva-CBF
Quarto-árbitro: Melck Muller Soares de Almeida

Cartões amarelos: Chaveirinho, Anderson Preto, Léo Rosa, Wegno e Ray Gol (Independente); Ciro, Jeová, Leonardo, Jader e Lima (São Raimundo)
Cartões vermelhos: Ezequias (Independente) e Lima (São Raimundo)
Gols: Betinho de pênalti, aos 25 minutos do 1º tempo para o Independente; Ciro, aos 38 minutos do 1º tempo para o São Raimundo; Leonardo de falta, aos 5 minutos do 2º tempo para o São Raimundo.

Local: Estádio Municipal Antônio Dias, o Navegantão, em Tucuruí

Classificação do Parazão 2018

Chave A1
Paysandu: 19 pontos
Bragantino: 16 pontos
Independente: 13 pontos
Águia: 8 pontos
Cametá: 4 pontos

Chave A2
Remo: 19 pontos
São Raimundo: 16 pontos
Castanhal: 10 pontos
Paragominas: 10 pontos
Parauapebas: 8 pontos