Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Série B

Em jogo movimentado, Paysandu e Luverdense ficam no empate em Lucas do Rio Verde

O Papão saiu na frente no placar com o gol do atacante Bergson, mas cedeu o empate ao Verdão do Norte
Por Fábio Relvas

Luverdense e Paysandu fizeram um jogo equilibrado na noite desta terça-feira (17/10), no estádio Passo das Emas, em Mato Grosso. A partida foi válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O Papão saiu na frente com o atacante Bergson, logo aos 11 minutos de jogo, mas cedeu o empate aos 48 minutos da primeira etapa. O gol do Verdão do Norte foi assinalado pelo meio-campista Marcos Aurélio. O resultado de 1 a 1 foi péssimo para as duas equipes, que estão com o propósito de não cair para a Série C. O Papão é o 12º colocado com 38 pontos, enquanto que o LEC segue na zona de rebaixamento em 17º lugar com seus 35 pontos.

O Paysandu Sport Club volta a campo contra o Londrina-PR, no próximo sábado (21/10), às 16h30, no estádio do Café, em Londrina, no Paraná. O jogo será pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Tudo igual: 1 a 1

As duas equipes começaram o jogo buscando o ataque e quem chegou primeiro foi o Luverdense. Após boa triangulação na frente, Rafael Ratão ficou cara a cara para marcar, mas o goleiro Emerson saiu abafando o lance. Em seguida, Marcos Aurélio tentou surpreender o arqueiro bicolor e mandou um chute forte de fora da área, obrigando o goleiro a espalmar para escanteio.

Depois do susto inicial, o Paysandu foi para o ataque e não perdoou. Logo aos 11 minutos de jogo, o ataque Bergson avançou pelo meio e disparou para o fundo do gol do goleiro Diogo Silva, que se esticou todo e não alcançou a bola, que foi no cantinho direito, 1 a 0 Papão para a alegria da Fiel Bicolor, que compareceu ao estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde. O time paraense cresceu na partida e Juninho arriscou um chute da entrada da área, a bola desviou na zaga e foi para escanteio.

Em uma jogada cheio de estilo, Augusto Recife e Caion, tabelaram a bola trocando bons passes de cabeça, até que Caion matou no peito para chutar, mas foi travado pela defesa.  O LEC chegou em duas oportunidades. Na primeira, Sérgio Mota cobrou escanteio na primeira trave e Rafael Silva desviou sem muito perigo a meta bicolor. Na sequência, Marcos Aurélio tabelou com Rafael Ratão e disparou, mandando pela linha de fundo.

O Luverdense foi para a pressão. Aderlan cruzou na área, o zagueiro Perema não conseguiu cortar, mas o atacante Alfredo do Verdão do Norte não aproveitou a falha do defensor bicolor. Sérgio Mota arriscou de fora da área e o goleiro Emerson atento fez a defesa para o Papão. O time da casa teve tudo para empatar, quando Rafael Ratão recebeu passe de lateral e entrou sozinho e na hora de finalizar chutou cruzado para fora, a bola passou na boca do gol e não entrou.

O LEC chegou a marcar um gol, depois que a bola foi alçada na área do time paraense, o atacante Alfredo raspou de cabeça e Rafael Ratão ficou sozinho para completar e finalizar para a rede, mas a arbitragem invalidou o lance marcando impedimento.  O Papão voltou a atacar com Bergson, que foi derrubado perto da grande área. O lateral-direito Ayrton cobrou a falta e isolou mandando muito longe da meta adversária. Em mais um lance bicolor, Caion se livrou da marcação e conseguiu chutar sem ângulo, mas parou na defesa de Diogo Silva.

Quando tudo estava se encaminhado para o Paysandu deixar o gramado vencendo na primeira etapa, eis que surge um cruzamento da esquerda na área bicolor e Marcos Aurélio testou firme no meio da zaga do Papão e empatou o jogo, aos 48 minutos, 1 a 1. Após o gol, o meio-campista do time do Mato Grosso foi provocar a torcida da equipe paraense mostrando o escudo da camisa.

No segundo tempo, a partida seguiu movimentada. O atacante bicolor Bergson arriscou de fora da área, a bola bateu forte no chão e quase enganou o goleiro Diogo Silva, que acabou defendendo. O LEC começou a apostar na bola parada. Em uma cobrança de escanteio, Rafael Silva tocou de cabeça levando perigo a meta do Papão. Além disso, a equipe do Mato Grosso começou a chutar de qualquer jeito afim de testar o goleiro Emerson.  Sérgio Mota mandou um chutaço de fora da área, o arqueiro bicolor defendeu e deu rebote, mas conseguiu ficar com a bola na sequência. Caion deu o troco para o Paysandu entrando na área e chutando firme, a bola passou tirando a tinta da trave.

Sérgio Mota, o jogador mais perigoso do Luverdense, mandou um chute perigoso, assustando o goleiro Emerson. No lance seguinte, Aderlan cruzou na área, o arqueiro bicolor saiu catando borboleta e não achou nada, a bola caiu nos pés de Eduardo que sozinho e com o gol livre, conseguiu fazer o mais difícil, mandar para fora, levando a torcida do LEC ao desespero. Apesar do jogo noturno, o calor estava forte em Lucas do Rio Verde e o árbitro Felipe Gomes da Silva do Paraná, deu a parada técnica.

O Verdão do Norte queria a vitória e tentava chegar ao ataque. O zagueiro William resolveu chutar de longe e errou feio o alvo, a bola nem assustou o goleiro Emerson. Sérgio Mota pegou uma sobra da zaga bicolor, mas também errou a pontaria. Blitz total do Luverdense, em outro lance de Sérgio Mota, o meio-campo do time da casa chutou, o arqueiro do Papão soltou e Eduardo mandou para fora.

O Paysandu começou a retardar o jogo com alguns atletas caindo em campo. Mas em um contra-ataque, quase o time visitante surpreende na arrancada de Weliton Júnior, que deixou para Magno Ribeiro, o atacante chutou e parou na defesa de Diogo Silva. A partida virou lá e cá e a equipe da casa buscou a vitória com o atacante Eduardo, que entrou na área e chutou sem ângulo, Emerson segurou. O árbitro deu sete minutos de acréscimos e o técnico Marquinhos Santos do Papão foi a loucura. Ninguém conseguiu alterar mais o placar e a partida terminou mesmo empatada em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA

LUVERDENSE: Diogo Silva; Aderlan, Neguete, William e Paulinho; Moacir, Marcos Aurélio e Sergio Motta; Rafael Ratão (Cléu Silva), Alfredo (Eduardo) e Rafael Silva (Douglas Baggio). Técnico: Júnior Rocha

PAYSANDU: Emerson; Perema, Diego Ivo e Rafael Dumas (Jean); Nando Carandina, Renato Augusto e Augusto Recife, Ayrton e Juninho (Magno); Bergson (Welinton Júnior) e Caion. Técnico: Marquinhos Santos

Árbitro: Felipe Gomes da Silva (CBF-PR)

Assistentes: Luiz Santos Souza Renesto (CBF-PR) e Diego Grubba Schitkovski (CBF-PR)

Cartões amarelos: Neguete e Marcos Aurélio (Luverdense); Nando Carandina e Bergson (Paysandu)

Gols: Bergson aos 11 minutos do 1º tempo para o Paysandu e Marcos Aurélio aos 48 minutos do 1º tempo para o Luverdense

Local: Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso

Série B

Paysandu pressiona no segundo tempo, mas não consegue marcar e fica no 0 a 0 diante do CRB

O placar não foi bom para nenhum dos dois times que brigam para fugir do rebaixamento
Por Fábio Relvas

Paysandu e CRB não saíram de um empate sem gols no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, na noite desta sexta-feira (13/10), valendo pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O resultado não agradou as duas equipes que lutam contra o rebaixamento. Tanto o Papão como o Galo, podem cair posição no complemento da rodada que encerra neste sábado. O time paraense é o 11º colocado com 37 pontos, enquanto que a equipe alagoana ficou em 13º lugar com 36 pontos na classificação.

O Paysandu volta a campo pela Série B na próxima terça-feira (17/10), contra o Luverdense (MT), às 21h30, no estádio Passo das Emas, em São Lucas do Rio Verde, Mato Grosso.

A partida: 0 a 0

No primeiro tempo de jogo, a pontaria do Paysandu não estava tão boa. Quando o meia Fábio Matos pegou uma bola de frente, acabou isolando logo nos minutos iniciais. Logo em seguida, novamente Fábio Matos cruzou rasteiro e o atacante Bergson chegou atrasado e a bola fiou nas mãos do goleiro. Na outra jogada do bicola, Lucas Renato Augusto chutou para a boa defesa de Edson Kölln. A proposta do CRB na primeira etapa era só se defender e o Papão não conseguiu mais chegar à meta adversária.

No segundo tempo, o time alagoano até que se soltou mais em campo, mas sempre o Paysandu era o dono da posse de bola. O lateral-esquerdo Peri, que entrou ainda no primeiro tempo, mandou um balaço e Edson Kolln praticou uma grande defesa. Nas raras chances do Galo, Danilo Pires resolveu mandar um chute de fora da área e quase surpreende, mas Emerson espalmou para escanteio.

O lance acordou o CRB. Após lambança do zagueiro Perema, Neto Baiano tentou marcar por cobertura, mas mandou por cima do travessão, seria um golaço na Curuzu. Depois dessa chance, o jogo pegou fogo. Caion em jogada individual se livrou da marcação e chutou para a grande defesa do goleiro da equipe alagoana. Em lances lá e cá, o Galo quase marcou mais uma vez com Neto Baiano, que parou na defesa do goleiro Emerson.

O Papão deu o troco quando Fábio Matos passou para Bergson que chutou cruzado, Edson Kolln desviou salvando o CRB. A torcida bicolor sentiu que o momento era bom e começou a cantar nas arquibancadas incentivando a equipe. A última chance do jogo foi da equipe paraense. Após escanteio da direita, o zagueiro Perema subiu de cabeça, mas a bola foi desviada pela zaga. Final de partida: Paysandu 0 x 0 CRB. O placar não foi bom para nenhum dos dois times que brigam para fugir do rebaixamento.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Emerson; Lucas Taylor, Perema, Diego Ivo e Guilherme Santos (Peri); Rodrigo Andrade (Welinton Júnior), Nando Carandina, Renato Augusto e Fábio Matos; Bergson e Marcão (Caion). Técnico: Marquinhos Santos

CRB: Edson Kölln; Edson Ratinho (Tinga), Flávio Boaventura, Adalberto e Diego; Olívio, Danilo Pires, Adriano, Chico (Pedro Botelho) e Tony; Zé Carlos (Neto Baiano). Técnico: Mazola Júnior

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)

Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)

Cartões amarelos: Fabio Matos, Peri e Renato Augusto (Paysandu); Chico, Tony, Tinga, Edson Kölln e Adalberto (CRB)

Local: Estádio Leônidas, a Curuzu, em Belém

Renda: R$ 199.840,00

Pagantes: 8.464

Sócio Bicolor: 4.118

Credenciados: 1.370

Total: 13.952

Série B

Goleiro Emerson defende pênalti e Paysandu vence de virada o Boa Esporte pela Série B

Emerson falhou no gol adversário e acabou se redimindo na partida defendendo pênalti

Por Fábio Relvas

O Paysandu voltou a vencer fora de casa pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Na partida desta sexta-feira (06/10), valendo pela 28ª rodada, o Papão foi até Varginha, Minas Gerais, encarar o Boa Esporte no estádio Dilzon Luiz de Melo, o Melão. O time da casa saiu na frente com o gol do zagueiro Douglas Assis, aos 37 minutos do 1º tempo, mas o Papão da Curuzu voltou diferente na segunda etapa e virou a partida com gols de Bergson e Diego Ivo, aos 41 e 49 minutos. Antes da virada bicolor, o goleiro Emerson, que falhou no gol adversário, defendeu um pênalti cobrado por Thaciano, aos 11 minutos da etapa derradeira, sendo o herói da partida.

O Paysandu volta a campo contra o CRB (AL), na próxima sexta-feira (13/10), às 19h15, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, valendo pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O Papão é o 12º colocado com 36 pontos na classificação.

O jogo: Papão 2 a 1 de virada!

As duas equipes entraram em campo buscando a vitória, já que o empate não mudaria muita coisa em relação as posições dos times na tabela de classificação. O Boa Esporte teve uma grande chance quando o zagueiro Diego Ivo derrubou Thaciano próximo da área. Na cobrança de falta, após tanta demora, Fellipe Mateus carimbou a barreira bicolor. Quem levou perigo mesmo foi o Paysandu, após cruzamento de Ayrton, a bola chegou até Fábio Matos que meteu a cabeça, mas atento o goleiro Fabrício defendeu.

O time da casa acabou abrindo o placar. O atacante paraense Reis cobrou falta da direita, a bola chegou no segundo pau para o toque de cabeça do zagueiro Douglas Assis, o goleiro Emerson tentou defender, mas acabou contribuindo e falhando no lance, espalmando para dentro de sua meta, 1 a 0 Boa Esporte, aos 37 minutos do 1º tempo. O Papão tentou o empate no finalzinho da primeira etapa, quando Guilherme Santos cruzou para o toque de cabeça do zagueiro Diego Ivo, mas a bola passou a esquerda do goleiro Fabrício. No lance seguinte, a zaga bicolor fez lambança e entregou nos pés de Fellipe Mateus, que de frente mandou por cima.

No segundo tempo, o Paysandu colocou uma nova postura em campo e foi para cima do adversário. Em um contra-ataque rápido, o atacante Bergson deu um lindo toque de calcanhar para Rodrigo Andrade que ficou na cara do gol, mas o jogador bicolor isolou mandando longe da meta. A zaga do time paraense estava nervosa e em mais uma bobeira, o zagueiro Diego Ivo com a bola dominada, acabou se atrapalhando e cometendo pênalti em cima de Reis. Thaciano cobrou rasteiro no canto esquerdo de Emerson, que se esticou e defendeu para escanteio, se redimindo na falha do gol, salvando os paraenses, aos 11 minutos.

A defesa de Emerson deu um novo gás ao time do Paysandu que quase empatou, quando Caion arrancou pela direita e cruzou rasteiro, Ayrton chegou atrasado no lance, mas conseguiu tocar na bola que passou muito perto. O time mineiro voltou a assustar no chutaço de fora da área desferido por Alyson, a bola passou assustando. Depois desse lance, só deu Paysandu. Em uma falta cobrada por Ayrton, o goleiro Fabrício salvou de tapinha para escanteio.

No lance seguinte, o volante Escobar se enroscou com o atacante Welinton Junior dentro da área e o árbitro Adriano Milczvski do Paraná, marcou pênalti para o bicola. Bergson com muita categoria deslocou o goleiro deixando tudo igual em Varginha, 1 a 1, aos 41 minutos. Quando tudo se encaminhava para o empate, o que não era bom para as duas equipes, o Papão acabou chegando ao gol da vitória. Guilherme Santos cobrou falta no meio da área, o zagueiro Diego Ivo subiu mais alto de que todo mundo e cabeceou firme para marcar aos 49 minutos, festa bicolor, 2 a 1.

FICHA TÉCNICA

BOA ESPORTE: Fabrício; Ruan, Douglas Assis, Caíque e Paulinho; Escobar, Diones e Fellipe Mateus (Alyson); Thaciano (Casagrande), Rodolfo e Reis. Técnico: Nedo Xavier

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo e Guilherme Santos; Rodrigo Andrade, Jhonnatan (Caion), Nando Carandina e Fábio Matos (Wellinton Junior); Bergson e Magno (Juninho). Técnico: Marquinhos Santos

Árbitro: Adriano Milczvski (PR)

Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Luciano Roggenbaum, ambos do Paraná

Cartões amarelos: Caíque (Boa Esporte); Perema, Diego Ivo e Bergson (Paysandu)

Gols: Douglas Assis, aos 37 minutos do 1º tempo para o Boa Esporte e Bergson aos 41 e Diego Ivo, aos 49 minutos do 2º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Dilzon Luiz de Melo, o Melão, em Varginha (MG)

Futebol

Paysandu perde para o Juventude em Caxias do Sul e pode cair posição na Série B

O Papão não conseguiu segurar a pressão do time Gaúcho e saiu derrotado

Por Fábio Relvas

O Paysandu voltou a perder fora de casa pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Desta vez, o time bicolor caiu para o Juventude (RS), por 1 a 0, na noite desta sexta-feira (29/09), no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. O gol único do jogo foi marcado pelo atacante João Paulo, aos 38 minutos da etapa final. A partida foi válida pela 27ª rodada da Série B. Com o resultado, o time paraense permaneceu na 12ª colocação com 33 pontos, mas pode cair uma posição se o Guarani (SP) vencer ou empatar contra o Criciúma (SC), na noite deste sábado (30/09), no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

O próximo compromisso do Paysandu será diante do Boa Esporte (MG), na próxima sexta-feira (06/10), às 19h15, no estádio Municipal de Varginha, em Minas Gerais, valendo pela 28ª rodada da Série B.

O jogo: não deu Papão!

Um jogo de opostos em Caxias do Sul. O Juventude precisava vencer para encostar no G4 e o Paysandu querendo ganhar para se distanciar do Z4 da Série B. Quem chegou primeiro foi o Alviverde, após escanteio da direita, Leilson cruzou e Micael meteu a cabeça, mas o goleiro Emerson espalmou salvando o Papão. O time paraense começou a partida nervoso. Em mais uma tentativa dos donos da casa, Pará alçou bola na área e o volante Jhonnatan desviou de cabeça para a meta bicolor, quase marcando gol contra.

A pressão do Juventude era grande. O lateral-esquerdo Pará fez uma grande jogada individual e rolou para o atacante Yago, que saiu da marcação e chutou, a bola passou tirando a tinta da trave. Tiago Marques saiu levando pela esquerda e tocou para Leilson, na hora de finalizar foi travado pela zaga do Paysandu. O time paraense finalmente chegou com o Ayrton, que cruzou da direita para a cabeça de Marcão, o goleiro Matheus Cavichioli defendeu sem dificuldade.

Um dos destaques do jogo, o lateral-esquerdo Pará, soltou um chute de fora da área, Emerson afastou de soco. Depois o mesmo Pará cobrou escanteio venenoso e quase surpreendeu com um gol olímpico, mais uma vez Emerson espalmou para fora. O Papão teve uma falta no finalzinho do primeiro tempo, o lateral-direito Ayrton cobrou nas mãos do goleiro Matheus Cavichioli.

Na segunda etapa, o Paysandu tentou sair mais para o jogo. Após cruzamento, a zaga do Juventude bateu cabeça e cortou mal, a bola sobrou para o Rafael Duma que pegou de primeira, mas mandou para fora. Faltou tranquilidade no lance para o zagueiro bicolor. Foi a vez do atacante Bergson aparecer na partida, em uma jogada individual pela direita, rolou a bola para o meio, Jhonnatan apareceu, dominou e chutou, mas mandou para fora perdendo a melhor chance do Papão.

Depois de levar o susto, o Juventude acordou e chegou a marcar. Leilson cobrou falta da direita no primeiro pau, Fahel desviou de cabeça para o fundo do gol e saiu comemorando, mas a arbitragem invalidou o lance marcando impedimento do volante do Alviverde. Em outro lance, Mateus Santana enfiou para Tiago Marques na área, o atacante dividiu com o zagueiro Diego Ivo do Papão e pediu pênalti, mas nada foi marcado.

Em uma falta quase que frontal para o Paysandu, Ayrton chamou a responsabilidade no lance, mas bateu muito fraco nas mãos do goleiro. O clima esquentou entre os jogadores após um lance mais duro entre Jhonnatan do Paysandu e Tiago Marques do Juventude. O árbitro acabou nem mostrando cartão e acalmou os ânimos. Em uma falha de marcação do time paraense, os donos da casa finalmente marcaram. Mateus Santana arrancou pelo lado esquerdo e cruzou para o meio da área para a chegada do atacante João Paulo, que bateu firme e venceu o goleiro Emerson, 1 a 0, aos 38 minutos da etapa derradeira, festa no Alfredo Jaconi. Detalhe que na hora do gol de João Paulo, o atacante Caprini, que estava no banco de reservas, se exaltou na comemoração e foi advertido pelo árbitro com cartão amarelo.

O time Gaúcho começou a administrar o resultado e quase marcou o segundo em uma jogada semelhante ao gol. Mais uma vez Mateus Santana cruzou rasteiro da esquerda e o atacante João Paulo se antecipou a zaga e bateu, mas dessa vez a bola foi por cima. Placar final em Caxias do Sul: Juventude 1 x 0 Paysandu

FICHA TÉCNICA

JUVENTUDE: Matheus Cavichioli; Tinga, Domingues, Micael e Pará (Wesley Natã); Fahel, Mateus Santana e Leilson; Yuri Mamute (João Paulo), Tiago Marques e Yago (Wallacer).Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo, Rafael Dumas (Juninho) e Guilherme Santos; Augusto Recife, Nando Carandina e Jhonnatan (Fábio Matos); Bergson (Magno) e Marcão. Técnico: Marquinhos Santos.

Árbitro: Marcos Mateus Pereira (MS)

Assistentes: Leandro dos Santos Riberdo (MS) e Daiane Caroline dos Santos (MS)

Cartões amarelos: Yuri Mamute, Yago e Caprini (Juventude); Ayrton, Marcão e Guilherme Santos (Paysandu)

Gol: João Paulo aos 38 minutos do 2º tempo para o Juventude

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)

Futebol

Paysandu vence o Guarani de virada na Curuzu e sobe duas posições na classificação da Série B

Não foi fácil, mas o Papão virou para cima do Bugre e chegou aos 33 pontos no Brasileirão

Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club suou a camisa, passou sufoco, mas venceu de virada a equipe do Guarani (SP), na noite desta terça-feira (27/09), no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. O Papão fez 2 a 1 no Bugre e somou mais três pontos na classificação da Série B, chegando aos 33 e subindo para o 12º lugar.

O time de Campinas marcou primeiro com o meia Bruno Nazário, logo aos seis minutos de jogo. A equipe bicolor correu atrás e virou a partida com Bergson cobrando pênalti aos 28 minutos ainda do 1º tempo e com o Diego Ivo aos 37 minutos do 2º tempo. A partida foi válida pela 26º rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O Papão volta a campo já nesta sexta-feira (29/09), quando enfrenta o Juventude (RS), às 21h30, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

A partida: Papão 2 a 1 de virada

O jogo era o chamado de “seis pontos” devido as posições das duas equipes na tabela de classificação da Série B. O Guarani desesperado em tentar um vitória, começou a partida atacando. Após um cruzamento de Kevin na área, a bola foi direto nas mãos do goleiro Emerson. A segunda tentativa do Bugre foi fatal. Mais uma vez o lateral-direito Kevin foi acionado e cruzou na medida na cabeça do meia Bruno Nazário, que subiu livre e testou forte, a bola ainda tocou na trave e foi morrer no fundo da meta bicolor, 1 a 0 Guarani, logo aos seis minutos de jogo.

O Papão reagiu após cobrança de falta de Ayrton, a bola foi alçada na área, Rodrigo Andrade dominou no peito e desferiu um chute com força, o goleiro Vagner fez a defesa e na sobra, o atacante Marcão parou novamente no bom goleiro bugrino que salvou em um puro reflexo. O Guarani voltou a atacar buscando o segundo gol, mas o atacante Paulinho dentro da área chutou na rede pelo lado de fora.

Diogo Oliveira resolver arriscar de fora da área, mas parou em Vagner que defendeu bem e nem deu rebote. No lance seguinte, o atacante Bergson também resolveu arriscar, a bola passou tirando a tinta da trave, lance que levantou a Fiel Bicolor nas arquibancadas. De tanto insistir, o Papão chegou lá. O lateral-esquerdo Guilherme Santos foi lançado e acabou derrubado por Kevin dentro da área e o árbitro Igor Junio Benevenuto de Minas Gerais assinalou pênalti para o time paraense. O atacante Bergson, artilheiro bicolor na temporada, cobrou mal e contou com a sorte, a bola passou embaixo do goleiro Vagner, que ainda tocou, mas ela entrou, tudo igual na Curuzu, 1 a 1, aos 28 minutos.

O bugre tentou chegar em mais uma bola área, Paulinho cruzou para o toque de cabeça do zagueiro Ewerton Páscoa, que mandou por cima da meta bicolor. O Paysandu teve tudo para virar o jogo em um contra-ataque rápido, Ayrton cruzou da direita para Marcão, que só ajeitou para a chegada de Bergson, mas o atacante isolou por cima da meta de Vagner, levando a torcida bicolor a loucura.

O time paraense insistia em bolas alçadas na área e em duas oportunidades com Ayrton e Rodrigo Andrade, a zaga do Guarani conseguiu afastar o perigo. A última tentativa do primeiro tempo foi dos visitantes. Kevin cruzou na área do Papão, o atacante Rafael Silva meteu a cabeça na bola, mas parou na boa defesa de Emerson que atento segurou bem.

O segundo tempo começou agitado. O Guarani chegou primeiro em uma falta cometida pelo zagueiro Diego Ivo em cima de Eliandro. Na cobrança frontal, Diego Jussani bateu forte na bola, mas mandou longe da meta do time paraense. As coisas só pioraram para a equipe do interior paulista. O lateral-esquerdo Salomão, puxou Ayrton do Paysandu em um contra-ataque bicolor e levou o segundo cartão amarelo, consequentemente o vermelho e foi expulso de campo, deixando o Bugre com um a menos, isso em apenas quatro minutos da etapa derradeira.

O banco de reservas do Papão estava agitado e reclamando muito da arbitragem, até que o árbitro Igor Junio Benevenuto, expulsou o preparador físico Ronny Silva do Paysandu. Com um a mais, o time bicolor ganhou espaço e seguiu atacando. Rodrigo Andrade disparou de fora da área e obrigou o goleiro Vagner a espalmar para escanteio. O Guarani pouco chegava a não ser em tentativas de tabelas. Em uma delas, Paulinho tentou chegar com Bruno Nazário, mas sem sucesso. O time de Campinas começou a fazer a chamada “cera” no futebol e os jogadores caiam em campo. O autor do gol Bruno Nazário foi um que desabou tardando o decorrer da partida.

Quando a bola voltou a rolar, Juninho cruzou da direita para Bergson, que dominou para chutar, mas foi desarmado na hora “h”. A bola parada virou arma do Guarani, que sem forças tentava chegar dessa maneira. Em uma cobrança de falta, Paulinho alçou na área para o toque de cabeça de Diego Jussani, a bola passou sem perigo e se perdeu pela linha de fundo. O Paysandu respondeu na mesma moeda, após levantamento na área, o zagueiro Diego Ivo tocou de cabeça, a bola passou raspando a trave.

O lance acordou mais uma vez a Fiel Bicolor que procurou incentivar o time. Em outra bola na área, Bergson desviou para o meio, Marcão escorou sozinho, mas o goleiro Vagner operou um verdadeiro milagre em outro puro reflexo fazendo uma defesaça. O gol era questão de tempo e ele saiu aos 37 minutos para alívio bicolor. Guilherme Santos cobrou escanteio no segundo pau para a testada certeira do zagueirão Diego Ivo, que subiu sozinho e estufou as redes, 2 a 1, Papão de virada na Curuzu.

Os dois times correram muito e no final da partida os jogadores estavam se arrastando em campo, principalmente os atletas do Guarani. O Bugre ainda tentou o empate na falta cobrada por Kevin, mas o goleiro Emerson chegou cortando de soco. Ainda deu tempo do Paysandu assustar mais uma vez, quando Magno rolou para Bergson que foi desarmado por Diego Jussani na hora de finalizar.

O time do Bugre queria sair de Belém pelo menos com um empate e foi desesperadamente para o ataque. Eliandro tentou chegar pela esquerda e cruzou rasteiro, mas a arbitragem deu saída de bola. O desesperou chegou até o goleiro Vagner que foi para a área adversária tentar o cabeceio, mas a falta que foi cobrada do círculo central, não levou perigo e a bola foi parar nas mãos de Emerson. Placar final: Paysandu 2 x 1 Guarani.

Ficha técnica

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Diego Ivo, Perema e Guilherme Santos; Renato Augusto, Nando Carandina (Jhonnatan), Rodrigo Andrade (Magno) e Diogo Oliveira (Juninho); Bergson e Marcão. Técnico: Marquinhos Santos.

GUARANI: Vagner; Kevin, Ewerton Páscoa, Diego Jussani e Salomão; Baraka, Evandro e Bruno Nazário (Gabriel Leite); Paulinho (Caíque), Rafael Silva (Léo Rigo) e Eliandro. Técnico: Marcelo Cabo

Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG) –  Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)

Cartões amarelos: Rodrigo Andrade (Paysandu); Paulinho, Salomão e Vagner (Guarani)

Cartões vermelhos: Salomão (Guarani) e Ronny Silva (Preparador físico do Paysandu)

Gols: Bruno Nazário, aos seis minutos do 1º tempo para o Guarani; Bergson de pênalti, aos 28 minutos do 1º tempo e Diego Ivo, aos 37 minutos do 2º tempo, marcaram para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Casto, a Curuzu, em Belém

Renda: R$ 47.150,00 – Despesas: R$ 34.474,04 – Líquido: R$ 11.675,96 – Pagantes: 1.263 – Sócio Bicolor: 1.747 – Credenciados: 1.235 – Total: 4.245.

Futebol

Paysandu perde para o Goiás no estádio Serra Dourada e estaciona no 14° lugar da Série B

O Papão não teve força em Goiânia e acabou saindo derrotado de campo em um jogo fraco

Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club voltou a perder pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Na tarde deste sábado (23/09), o Papão enfrentou o Goiás (GO), no estádio Serra Dourada, em Goiânia, e saiu derrotado pelo placar de 2 a 1. Os gols do time esmeraldino foram assinalados pelo meia Tiago Luís (ex-Paysandu) e pelo lateral-esquerdo Carlinhos, enquanto que o volante Rodrigo Andrade
descontou para o bicola. O próximo compromisso do time paraense será contra o Guarani (SP) na terça-feira (26/09), às 21h30, no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém.

O jogo: Goiás 2 x 1 Paysandu

O Goiás entrou pressionado pela torcida já que há sete rodadas o time não sabia o que era vencer. Foi a estreia do técnico Hélio dos Anjos a frente do esmeraldino. A primeira chance foi dos donos da casa, depois que Tony fez jogada individual e deu passe para o atacante Aylon, que disparou alto sobre a meta de Emerson. O jogo estava morno, quente mesmo era a temperatura no estádio Serra Dourada, o que obrigou ao árbitro Rodolpho Toski Marques (PR/Fifa), a paralisar a partida com a famosa parada técnica, que serviu para a hidratação dos jogadores em campo. Isso aos 24 minutos do 1º tempo.

Apesar da parada, os atletas de Goiás e Paysandu, não renderam o suficiente para levar perigo às metas adversárias, o que deixou a torcida do Verdão irritada levando as vaias ao time, que precisava desesperadamente dos três pontos na partida.

Na segunda etapa o jogo começou da mesma maneira, com pouca criação das equipes. O Goiás fez boa jogada envolvendo três jogadores, até que a bola chegou para a cabeçada do meia Tiago Luís, que tocou firme, mas mandou para fora. A arbitragem anulou o lance marcando impedimento. No lance seguinte, não teve jeito. Tony cobrou falta da direita e Tiago Luís (ex-Paysandu), mergulhou de cabeça para abrir o placar, aos 14 minutos, 1 a 0.

O time paraense não sentiu o gol e tentou chegar em bola parada, quando Bergson foi derrubado próximo da grade área. O lateral-direito Ayrton de frente para o crime, acabou carimbando a barreira adversária. Quem não faz leva. O Goiás aproveitou mais um erro da zaga do Papão e ampliou. Mais uma vez o lateral-direito Tony cruzou com perfeição para a chegada do lateral-esquerdo Carlinhos, que meteu a cabeça na bola e balançou as redes, marcando o segundo, 2 a 0, aos 33 minutos. Festa no estádio Serra Dourada.

O Paysandu tinha esperança na bola parada e foi em uma delas que diminuiu o placar. Após cobrança de escanteio, o atacante Marcão desviou de cabeça e a bola chegou até o volante Rodrigo Andrade, que completou com estilo, 2 a 1, aos 37 minutos. O time esmeraldino quase chegou ao terceiro, quando o Aylon mandou colocado, a bola passou tirando a tinta da meta bicolor, a galera do Verdão ficou no “uh”. Placar final: Goiás 2 x 1 Paysandu.

Ficha técnica

GOIÁS: Marcelo Rangel; Tony, Fábio Sanches, Alex Alves e Carlinhos; Everton Sena, Pedro Bambu, Léo Sena (Elyeser) e Tiago Luis (Andrezinho); Carlos Eduardo (Nathan) e Aylon. Técnico: Hélio dos Anjos

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Perema, Douglas Mendes e Guilherme Santos; Renato Augusto, Nando Carandina (Juninho), Rodrigo Andrade e Diogo Oliveira (Jhonnatan); Bergson (Magno) e Marcão. Técnico: Marquinhos Santos.

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR/Fifa)

Assistentes: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR) e Rafael Trombeta (PR)

Cartões amarelos: Carlinhos, Léo Sena, Carlos Eduardo e Andrezinho(Goiás); Ayrton, Guilherme Santos e Nando Carandina (Paysandu)

Gols: Tiago Luís aos 14 e Carlinhos aos 33 minutos do 2º tempo para o Goiás e Rodrigo Andrade aos 37 minutos do 2º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia

Público pagante: 11.343 – Público presente: 12.820 – Renda: R$ 73.310, 00

Foto: Cristiano Borges / O Popular

Futebol

Paysandu quebra jejum de vitórias em Belém diante do ABC no estádio da Curuzu e chega aos 30 pontos na Série B

O Papão não teve dificuldades contra o time de Natal e somou mais três pontos, mas permanece em 14º lugar

Por Fábio Relvas

Após dois meses sem vencer em Belém, o Paysandu quebrou o jejum ao derrotar o ABC-RN, no estádio da Curuzu, na tarde deste sábado (16/09). O Papão fez 2 a 0 no adversário que é o lanterna da Série B. Os gols bicolores foram assinalados pelo volante Rodrigo Andrade aos 11 minutos do 1º tempo e pelo atacante Marcão aos seis minutos do 2º tempo. A vitória deixou o time bicolor com 30 pontos, que segue em 14º lugar na classificação. A partida foi válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O Papão volta a campo conta o Goiás-GO no próximo sábado (23/09), às 16h30, no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

O jogo: 2 a 0 Papão!

O Paysandu entrou em campo pressionado pela torcida devido aos fracassos seguidos dentro de casa pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Os jogadores do Papão sabiam da necessidade da vitória contra o lanterna ABC-RN. O time paraense começou melhor o jogo se atirando ao ataque. Bergson dominou uma bola de frente, arrumou, ajeitou e disparou, mas mandou muito alto, longe da meta adversária.

O time Potiguar começou a chegar mais duro nos jogadores bicolores. Em um lance que levava perigo, o meia Diogo Oliveira driblou o zagueiro Vinícius e sofreu falta. De tanto tentar sufocar o adversário, o Paysandu chegou ao seu gol, quando o volante Rodrigo Andrade recebeu pelo lado direito, cortou a marcação para o meio e bateu colocado, tirando a chance de defesa do goleiro Edson, belo tento bicolor, aos 11 minutos do 1º tempo: 1 a 0!

O Paysandu seguiu em cima, após sobra de bola, o zagueiro Diego Ivo emendou um chute de primeira, mas o goleiro Edson pegou com tranquilidade. O forte calor no estádio da Curuzu, fez o árbitro Leandro Pedro Vuaden do Rio Grande do Sul determinar a parada técnica para os jogadores se hidratarem.  Quando a partida retornou, o atacante Bergson teve tudo para marcar o segundo gol bicolor, após uma dividida na área, a bola sobrou para o jogador do Papão que parou na boa defesa de Edson.

O ABC dava muito espaço aos donos da casa e o Paysandu tentava chegar de qualquer maneira. Em uma troca de passes, Nando Carandina recebeu de Guilherme Santos e chutou rasteiro, a bola passou longe da meta abcedista. E o fraco primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Papão.

Na etapa derradeira, o Paysandu aproveitou a falha de marcação do ABC para ampliar. A tabela foi entre os atacantes do Papão, Bergson recebeu e tocou para Marcão chutar forte e estufar as redes, logo aos seis minutos: 2 a 0! Para alegria da Fiel Bicolor. Após o gol sofrido, finalmente o time de Natal chegou ao ataque, depois do cruzamento da direita de Levy, Lucas Coelho cabeceou firme, mas mandou por cima da meta do goleiro Emerson.

Após o susto, o time bicolor seguiu pressionando o adversário. Em uma boa jogada de Lucas Taylor, que cruzou na medida para Marcão, o atacante do Papão sozinho conseguiu desperdiçar uma chance clara. Na sequência, depois de uma boa triangulação, foi a vez do atacante Bergson ficar de frente para o crime, mas chutou muito longe da meta de Edson. Era uma chuva de gols perdidos. No lance seguinte, Marcão mergulhou de cabeça se antecipando ao goleiro, mas a bola foi para fora.

Blitz total do Paysandu ocorreu quando Jhonnatan pegou uma sobra na área e acertou a trave, a bola sobrou limpa para Augusto Recife que sozinho fez o mais difícil, chutou para fora. No desespero o ABC tentou surpreender em chute de longa distância, mas o atacante Daniel Cruz mandou muito alto e nem assustou o goleiro Emerson. Final de jogo: Paysandu 2 x 0 ABC.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Emerson; Lucas Taylor, Perema, Diego Ivo (Douglas Mendes) e Guilherme Santos; Renato Augusto, Rodrigo Andrade (Augusto Recife), Nando Carandina e Diogo Oliveira (Jhonnatan); Bergson e Marcão. Técnico: Marquinhos Santos

ABC: Edson; Levy, Vinicius (Daniel Cruz), Cleiton e Daniel Nazaré; Márcio Passos, Felipe Guedes e Gegê; Fabinho (Berguinho), Jean Carlos (Lucas Coelho) e Adriano Pardal. Técnico: Itamar Schulle

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden do Rio Grande do Sul

Assistentes: José Eduardo Calza e Mauricio Coelho Silva Penna, ambos do Rio Grande do Sul

Gols: Rodrigo Andrade aos 11 minutos do 1º tempo e Marcão aos 6 minutos do 2º tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro (Curuzu), em Belém

Renda: R$ 111.720,00

Pagantes: 3.734

Credenciados: 1.235

Sócio Bicolor: 1.715

Total: 6.684

Foto: Jorge Luiz/Ascom do Paysandu.

Futebol

Uber fecha parceria para patrocinar Paysandu e reforça operação no Norte do país

A parceria vai até o primeiro semestre de 2018

Com parcerias de times tradicionais do sudeste brasileiro como o Juventus Football Club e o Flamengo basquete, a Uber se aproxima do torcedor por meio de patrocínios de equipes que têm fortíssima identificação com os lugares em que ela tem interesse em expandir. Seguindo essa cultura, a empresa inicia uma parceria pela primeira vez na Região Norte ao investir no Paysandu Sport Club de Belém do Pará.

Entre os elementos do contrato, estão a presença da marca nos estádios em dias de jogos, assim como nos treinos e ações com a imprensa. A parceria se estende, neste primeiro momento, até o primeiro semestre de 2018

“Estamos muito animados e orgulhosos por apoiar o Paysandu, especialmente em um momento em que a Uber está chegando a tantas cidades do Norte do país e podemos acompanhar de perto a paixão dos torcedores do Papão”, diz Michele Biggi, gerente geral da Uber no Norte.

Em 2017, a Uber está presente não apenas em Belém do Pará, mas também em Manaus, Porto Velho e Macapá, além de São Luiz, no Nordeste brasileiro. Hoje, é possível conseguir um carro ao toque de um botão em todas as capitais brasileiras.

“Nós, do Paysandu, recebemos com muita alegria esse apoio da Uber, que tem contribuído não apenas com a mobilidade das nossas cidades, mas com o futebol do Pará”, diz Tony Couceiro, presidente do Paysandu.

error: Conteúdo protegido contra cópia!