Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
PFC

FPF divulga tabela do Parazão 2018 e PFC vai correr contra o tempo para montar um elenco inteiro e brigar pelo título

A estreia do PFC será diante do Paysandu, em Belém, e segundo a diretoria, apenas Léo Goiano, Cris e Monga, permanecem no time vice-campeão da Segundinha
Por Fábio Relvas

A diretoria de competições da Federação Paraense de Futebol (FPF) divulgou nesta quarta-feira (06/12) a tabela do Parazão 2018. Os confrontos da 1ª fase, que é a chamada fase classificatória, foram todos definidos com hora e data, resta apenas acrescentar os locais das partidas, já que não aparece o nome de nenhum estádio na tabela divulgada pela FPF. O motivo, é que as dez equipes que estão na briga pelo título devem apresentar os laudos técnicos até o próximo dia (20/12)

“Estamos aguardando os laudos técnicos dos estádios para poder informar os locais das partidas e atualizar na tabela de jogos. Os laudos tem que ser prioridades dos clubes. As equipes do interior tem que correr com esses documentos. Apesar do recesso da Federação Paraense de Futebol, agora em dezembro, vamos está visitando algumas praças esportivas e verificar como estão em todos os sentidos. Vamos olhas as cabines para saber se a imprensa vai ter condição de trabalhar durante a competição”, afirmou Paulo Romano, diretor de competições da FPF.

O regulamento segue igual ao do Parazão passado, com cinco clubes em cada chave. Na Chave A1: Paysandu, Independente Tucuruí, Águia de Marabá, Cametá e Bragantino, enquanto que na Chave A2 estão: Clube do Remo, São Raimundo, Castanhal, Paragominas e Parauapebas. Os confrontos serão de chave contra chave, em partidas de ida e volta. Os dois primeiros de cada chave avançam para a semifinal, em um campeonato de turno único.

Em relação ao Parauapebas Futebol Clube (PFC), vice-campeão da Segundinha, o time perdeu todo o seu plantel que disputou recentemente o campeonato estadual. A diretoria segue sigilosa correndo contra o tempo para montar um elenco inteiro, já que segundo informações de Jairo Belém, diretor de futebol do PFC, somente o treinador Léo Goiano e a sua comissão técnica, o zagueiro Cris e o atacante Monga, estão confirmados para a elite do futebol paraense.

O time já tem compromisso marcado na primeira rodada diante do Paysandu Sport Club, em Belém, no dia (17/01/18), às 20h30, com partida podendo ocorrer no estádio da Curuzu ou Mangueirão. O técnico Léo Goiano está na capital buscando contato para trazer bons jogadores que possam vestir a Camisa do Gigante de Aço, dentro da realidade do clube. O presidente João Luiz, o popular Uai, afirma que o time vai entrar para buscar o título do Parazão.

“Já estamos planejando o nosso plantel para disputar a elite do futebol paraense. Nós temos um treinador que pensa alto e vamos buscar o título do Parazão. Por que não? O Cametá não foi campeão do interior? O Independente não foi campeão do interior? Parauapebas tem todas as chances, não desmerecendo os outros, mas temos condições tranquilamente de buscar esse objetivo e garantir vaga na Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série D”, afirmou Uai, presidente do PFC.

Segue abaixo o regulamento 2018:

Segue abaixo a tabela 2018:

CBF

CBF divulga o Ranking Nacional dos Clubes e o Parauapebas aparece na 189ª colocação com 100 pontos

Além do PFC, o RNC traz ainda mais oito equipes do estado do Pará, com o Paysandu sendo o melhor ranqueado
Por Fábio Relvas

Como acontece em toda a temporada, ao fim do Campeonato Brasileiro, a Diretoria de Competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), atualiza o Ranking Nacional dos Clubes (RNC). A lista que fica até dezembro de 2018, foi atualizada nesta segunda-feira (04/12), na sede da instituição, no Rio de Janeiro, onde aparece o nome de 220 clubes, sendo nove equipes do futebol paraense.

Entre os paraenses, o Paysandu Sport Club aparece como o melhor ranqueado, ficando na 26ª posição com 5.868 pontos, saltando quatro posições em relação ao anterior. O Clube do Remo é o segundo melhor ranqueado do estado do Pará com 1.776 e na 57ª colocação. Sendo assim, o Leão Azul se manteve no mesmo lugar em relação ao Ranking Nacional dos Clubes divulgado no final da temporada passada.

Além dos dois gigantes da capital Belém, o RNC traz também as equipes do interior do estado. O Águia de Marabá aparece com os seus 929 pontos na 77ª posição. Depois surge o São Raimundo de Santarém na 109ª colocação com 596 pontos. O São Francisco, também de Santarém está com 524 pontos ficando na 110ª posição. Na sequência, o Independente Tucuruí fica na 166ª colocação com 250 pontos. O Paragominas soma 106 pontos e aparece na 185ª posição. O Parauapebas Futebol Clube (PFC) é o oitavo melhor ranqueado do estado do Pará, na 189ª colocação com 100 pontos. Fechando as equipes paraenses, surge o Cametá com 25 pontos na 214ª posição.

Apesar de ter um histórico de grandes conquistas, a Tuna Luso Brasileira, a chamada Elite do Norte, segue fora do Ranking Nacional dos Clubes. A Águia Guerreira tem dez títulos do Campeonato Paraense e duas conquistas do Campeonato Brasileiro. A sua não participação na elite do Parazão, causa a sua ausência dentro do novo formato de ranking da Confederação Brasileira de Futebol, já que as equipes tem que pontuar dentro do Brasileirão e Copa do Brasil e sem disputar o Campeonato Paraense, a Tuna fica impossibilitada em buscar vaga no mínimo na Série D ou na própria Copa do Brasil.

Segundo a própria CBF, o ranking leva em consideração o desempenho dos clubes em apenas duas competições: o Campeonato Brasileiro das Séries: A, B, C ou D e a Copa do Brasil. O campeão da Série A recebe 800 pontos, o da Copa do Brasil ganha 600 pontos, o da Série B leva 400 pontos, o da Série C recebe 200 e o da Série D, 100. A Sociedade Esportiva Palmeiras e o Cruzeiro Esporte Clube são os líderes do Ranking Nacional dos Clubes, ambos somando 15.288 pontos.

PFC

Parauapebas Futebol Clube faz carreata em comemoração ao acesso para a elite do futebol paraense

Os jogadores saíram em carreata pela cidade em cima do carro do Corpo de Bombeiros. O Gigante de Aço foi o vice-campeão da Segundinha

Por Fábio Relvas

A delegação do Parauapebas Futebol Clube (FPF), chegou no início da tarde desta sexta-feira (01/12), na Capital do Minério, após a final da Segundinha do Parazão 2017, onde a equipe enfrentou o Bragantino no estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança, empatando em 2 a 2 no tempo normal e perdendo nos pênaltis pelo placar de 5 a 4. Nada que desanimasse atletas e torcedores.

Os jogadores saíram em carreata pela cidade em cima do carro do Corpo de Bombeiros passando por algumas ruas, saindo do shopping e seguindo pela Avenida do Comércio, Rua Sol Poente e chegando até a Prefeitura Municipal, de lá foram para uma comemoração com muito churrasco na Arena Chiqueirão, espaço do presidente João Luiz, o popular “Uai”. Apesar do vice-campeonato estadual, o principal objetivo foi alcançado, que foi o acesso para a elite do futebol paraense.

“Esse acesso é muito importante. Sabíamos das dificuldades que seria do projeto dessa nova diretoria e realmente foi difícil, mas graças ao apoio de todos agente conseguiu o objetivo maior. Claro que gostaríamos do título, mas devido às circunstâncias do jogo, ao me vê, tudo encaminhava para o título do Parauapebas, mas se não fosse à intervenção do juiz marcando uma penalidade que não houve a expulsão de dois jogadores nossos, então isso dificultou bastante”, afirmou Flamel, meio-campo do PFC.

Flamel chegou ao PFC bem no início do trabalho, ainda ao comando do técnico Everton Goiano, mas uma contusão tirou o atleta de toda a primeira fase da Segundinha. O meia só foi atuar de titular quando se recuperou e com a chegada de Léo Goiano, a partir das quartas de final diante da Tuna Luso Brasileira, no estádio Rosenão. Flamel destaca a luta da equipe e vai aguardar seu futuro. O Clube do Remo já anunciou que não quer o retorno do atleta, enquanto que o PFC tem interesse em sua permanência para a elite do Parazão.

“Todo mundo está de parabéns pela luta, pelo empenho, pela entrega em toda competição, principalmente nesse último jogo onde a gente poderia ter se consagrado campeão, mas fica ai o acesso, que é importante para a cidade, importante para cada um jogador, para a comissão e para todos que fizeram parte. Todo mundo se doou ao máximo, se dedicou bastante para realmente conseguir esse acesso e foi corado no final do ano. Agora é ver o que tem mais na frente para que a gente possa está resolvendo nossa vida em relação a clubes”, disse Flamel.

A diretoria do PFC ainda não confirmou quais os jogadores devem ficar para o Parazão 2018. O contrato de todos termina neste sábado (02/12), e uma boa parte do elenco já tem contrato ou estão apalavrados com outros clubes. Aleílson, artilheiro da equipe, com quatro gols na Segundinha, tem contrato firmado com a Aparecidense-GO. Em relação ao goleiro Cleriston, o paredão vai analisar a melhor proposta para seguir na próxima temporada.

“Estou muito feliz, em ter conquistado esse acesso vestindo a camisa do PFC. Um campeonato difícil de 15 equipes, onde apenas dois obtiveram o acesso, e a gente conseguiu. Quando vim para cá, eu vim para recolocar o PFC de volta a primeira divisão com meus companheiros e isso graças a Deus aconteceu. Infelizmente o título não veio, mas encerro essa participação de cabeça erguida, pois dei o meu melhor. A diretoria me convidou para renovar, tenho algumas propostas em mãos também. Agora é ir para casa, analisar todas, certinho para fazer a melhor escolha”, analisou Cleriston.

A única certeza mesmo é o técnico Léo Goiano. O treinador chegou para comandar o clube na reta final da competição. A primeira partida foi no empate sem gols contra a Tuna pelas quartas de final e vitória nos pênaltis, seguindo para a semifinal no jogo diante do Izabelense, quando o Gigante de Aço venceu, por 2 a 1, e na sequência a final encarando o Bragantino, empatando em 2 a 2 e saindo derrotado nos pênaltis. Léo confirmou sua permanência no comando do Gigante de Aço para a elite.

“Eu tinha umas possibilidades de trabalho como mencionei em outras oportunidades, mas optei por permanecer no Parauapebas pelo carinho, pelo respeito que eu tenho que as pessoas têm por mim, pelo meu trabalho. Eu quero muito ano que vem montar uma equipe competitiva, uma equipe briosa, uma equipe que possa dignificar o município de Parauapebas, o estado e representar muito bem nessa competição que nós teremos em 2018 e quem sabe a gente ambicionar até mesmo o título do Parazão”, declarou Léo Goiano, técnico do PFC.

Futebol

Parauapebas perde para o Bragantino nos pênaltis pela final da Segundinha do Parazão 2017

Com o vice-campeonato, o PFC vai estrear na elite do Parazão diante do Paysandu Sport Club, o atual bicampeão, na capital Belém

Por Fábio Relvas

Bragantino e Parauapebas fizeram um grande jogo pela final da Segundinha do Parazão 2017. A decisão foi realizada na tarde desta quinta-feira (30/11), no estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. No tempo normal, a partida terminou empatada em 2 a 2. O Tubarão do Caeté abriu o placar com Alan, em cobrança de falta, aos 27 minutos, com falha do goleiro Cleriston. O Gigante de Aço empatou também em cobrança de falta com Thiago Potiguar, um golaço, aos 43 minutos.

Na etapa final, o PFC foi para cima e virou a partida com o gol marcado pelo lateral-esquerdo Neilson, que disparou um chutaço da entrada da área, em um outro golaço, aos 20 minutos.

Empurrado pela torcida e aproveitando o fato de ter dois jogadores a mais em campo, o Bragantino chegou ao empate com Rafinha, em cobrança de pênalti, aos 36 minutos. Com o empate em 2 a 2 a decisão foi para os pênaltis, melhor para o Bragantino que venceu por 5 a 4 e conquistou pela terceira vez a Segundinha do Parazão. Com o vice-campeonato da Segundinha, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear na elite do futebol paraense em 2018 diante do bicampeão, o Paysandu Sport Club, na capital Belém.

A final: Bragantino 2 x 2 Parauapebas – Tubarão tricampeão nos pênaltis: 5 a 4

A torcida compareceu em massa no estádio Diogão para acompanhar a grande final da Segundinha do Parazão 2017. A partida começou com forte marcação, com muitas faltas sendo assinaladas para as duas equipes. A primeira tentativa real de gol saiu apenas aos 14 minutos
com o meia Flamel, que disparou um chute venenoso, a bola passou perto da meta do Bragantino.

Quem quase abriu o marcador foram os donos da casa. Keoma foi levando, entrou na área e disparou cruzado, a bola passou para fora, levantando a torcida do Tubarão. Mas momentos depois não teve jeito. Alan cobrou falta e o goleiro Cleriston acabou falhando no lance e tomou um frango, aos 27 minutos de jogo, 1 a 0 Bragantino. A torcida cantava nas arquibancadas: “Oh, o Tubarão voltou”.

O técnico Léo Goiano, que entrou apenas com um atacante, no caso o Monga, mudou de ideia, tirou o volante Matheus Moreno e colocou Danúbio, outro homem de frente. A mudança surtiu efeito e o PFC foi para cima. Thiago Potiguar cobrou uma falta com perfeição e marcou
um golaço, na gaveta do goleiro Marcelo Valverde, aos 43 minutos, 1 a 1, calando a torcida no estádio Diogão. O disputado e equilibrado primeiro tempo terminou no empate. A torcida do Bragantino pegou no pé da arbitragem na saída para os vestiários.

O técnico Artur Oliveira do Braga já voltou para a etapa derradeira com duas mudanças. Sacou os dois atacantes: Mauro Praia e Aslen Kevin e colocou Marcelo Maciel e João Leonardo, respectivamente. Ambos também atacantes. Quem chegou com perigo foi o PFC. Flamel acertou um chute de primeira e quase marcou um golaço, a bola passou assustando a meta de Marcelo Valverde. O time da casa deu o troco com Marcelo Maciel, que na velocidade ficou de frente e bateu cruzado, quase marcou o segundo do Tubarão do Caeté.

O vento forte em Bragança atrapalhou as equipes em determinadas jogadas em profundidade. O técnico Léo Goiano voltou a mexer no Pebas, tirando o atacante Monga e colocando EversonBilau no ataque. O jogo deu uma caída, a correria do primeiro tempo não se via mais no segundo tempo. Até que o lateral-esquerdo Neilson chegou na entrada da grande área e soltou o pé, aos 20 minutos, virando o jogo para o Gigante de Aço, 2 a 1.

O time do PFC de boa na partida começou a tocar a bola e fazer o adversário correr atrás dela. O Braga chegou, após cobrança de falta, Marcelo Maciel apareceu como um foguete, mas cabeceou para fora. Em uma rápida jogada, Thiago Potiguar deixou Danúbio na cara, mas o atacante perdeu um gol incrível. No lance seguinte, em um contra-ataque rápido do Bragantino, o zagueiro Cris cometeu pênalti e recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o cartão vermelho.

O meia Rafinha chamou a responsabilidade e cobrou o pênalti com categoria deixando tudo igual no Diogão, para a explosão da massa do Tubarão, aos 36 minutos, 2 a 2. Após o gol, o meia Thiago Potiguar descontrolado foi expulso de campo e com isso o Gigante de Aço ficou com dois jogadores a menos, se complicando em campo. O árbitro Djonaltan Costa Araújo acrescentou mais quatro minutos. O zagueiro Romário do Bragantino cometeu falta forte em Everson Bilau e recebeu cartão vermelho. Final de jogo: Bragantino 2 x 2 Parauapebas.

A decisão da Segundinha do Parazão foi para os pênaltis.

O Bragantino iniciou a série dos cinco e fez com João Leonardo, Rafinha, Keoma e Marcelo Maciel, enquanto que Paulo de Tarcio chutou para fora. Pelo Parauapebas assinalaram Flamel, Neilson, Felipe Baiano e Bruno Leite, já Wanderlan parou na defesa do goleiro Marcelo Valverde.

Nos pênaltis alternados, Bruninho marcou para o Tubarão e Everson Bilau acertou na trave perdendo para o PFC.

Placar final: Bragantino 5 a 4 nos pênaltis. Bragantino conquistou o tricampeonato da Segundinha do Parazão.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO: Marcelo Valverde; Diego Macapá, Romário, Rodrigo Reis e Gabriel Lima; Paulo de Tarcio, Rafinha, Keoma e Alan (Bruninho); Mauro Praia (Marcelo Maciel) e Aslen Kevin (João Leonardo). Técnico: Artur Oliveira.

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Matheus Moreno (Danúbio), Gilberto, Felipe Baiano, Flamel e Thiago Potiguar; Monga (Everson Bilau). Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Djonaltan Costa Araújo (CBF/PA)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves (CBF/PA) e Nayara Lucena Soares

Quarto-árbitro: Joquetam Moreira Guimarães

Quinto-árbitro: Mosenias Machado dos Santos Galvão

Cartões amarelos: Romário (Bragantino); Felipe Baiano, Neilson e Cris (Parauapebas)

Cartões vermelhos: Romário (Bragantino); Cris e Thiago Potiguar (Parauapebas)

Gols: Alan de falta, aos 27 minutos do 1º tempo para o Bragantino; Thiago Potiguar de falta, aos 43 minutos do 1º tempo para o Parauapebas; Neilson aos 20 minutos do 2º tempo para o Parauapebas; Rafinha de pênalti, aos 36 minutos do 2º tempo para o Bragantino

Local: Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança.

futebol

FPF volta atrás e realiza sorteio após polêmica com a arbitragem da final da Segundinha do Parazão

Um quinteto de arbitragem vai comandar a grande final, entre Bragantino e Parauapebas, no estádio Diogão, em Bragança
Por Fábio Relvas

A Federação Paraense de Futebol (FPF) conseguiu causar polêmica na reta final da Segundinha do Parazão 2017. Nesta terça-feira (28/11), a instituição escolheu a dedo a arbitragem para a decisão da competição entre Bragantino e Parauapebas, sem o tradicional sorteio. Isso fere o Estatuto do Torcedor. Segundo informações, a cúpula do Parauapebas Futebol Clube escolheu o nome do árbitro Gustavo Ramos Melo, o mesmo que apitou Izabelense e PFC pela semifinal da competição estadual, quando o Gigante de Aço venceu por 2 a 1. A diretoria do Tubarão do Caeté, através de seu presidente Cláudio Wagner Soares Cruz, o popular Cláudio da Van, afirmou que não estava sabendo de toda a situação.

A decisão pegou todo mundo de surpresa, principalmente pela forma que foi conduzida a escolha, sendo por baixo dos panos e uma visível manobra da federação. A Comissão de Arbitragem da FPF, através do presidente Fernando Sérgio Castro, de uma maneira estranha, pediu para a imprensa se retirar do local para a realização do “sorteio”, o que de fato não ocorreu.

“Lamentável o que aconteceu hoje (terça-feira – 28/11) a tarde na FPF.O árbitro Gustavo Ramos Melo foi escalado diretamente para apitar Bragantino x Parauapebas sem a realização de um sorteio, ferindo por completo o Estatuto do Torcedor. Não pode, tem que haver sorteio. Lembrando que já havia dois árbitros para o sorteio, Djonaltan Costa Araújo e Andrey da Silva e Silva e inexplicavelmente surgiu escalado Gustavo Ramos Melo”, afirmou Kleber Ribas de Almeida, ex-árbitro de futebol.

Depois de receber crítica pesada de toda a imprensa do estado do Pará, a Federação Paraense de Futebol (FPF), voltou atrás dessa manobra, que seria um verdadeiro retrocesso para a instituição, e resolveu realizar um sorteio na tarde desta quarta-feira (29/11), em seu auditório, localizado na capital Belém.  A FPF convidou os clubes, a imprensa e esportistas para acompanhar o sorteio.

Desse modo e de maneira correta, como exige o Estatuto do Torcedor, foi realizado o sorteio na casa do futebol e árbitro principal da final será Djonaltan Costa Araújo (CBF/PA), sendo auxiliado por Hélcio Araújo Neves (CBF/PA) e Nayara Lucena Soares. Tendo ainda Joquetam Moreira Guimarães e Mosenias Machado dos Santos Galvão, como quarto e quinto árbitros, respectivamente.

A partida final da Segundinha do Parazão 2017, entre Bragantino e Parauapebas, está marcada para quinta-feira (30/11), às 15h30, no estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. Os ingressos para a decisão vão custar R$ 20 na hora da partida e R$ 15 antecipado. As diretorias entraram em acordo para divisão da renda. As duas equipes já estão classificadas para a elite do futebol paraense.

futebol

FPF confirma a final da Segundinha entre Bragantino e Parauapebas para o estádio Diogão em Bragança

Os dois clubes entraram em acordo e a final está marcada para a próxima quinta-feira (30/11), às 15h30, no estádio Diogão
Por Fábio Relvas

A Federação Paraense de Futebol (FPF) confirmou a final da Segundinha do Parazão 2017, entre Bragantino e Parauapebas para a próxima quinta-feira (30/11), às 15h30, no estádio São Benedito, o Diogão, em Bragança. O Pedido foi feito pelo presidente do PFC João Luiz, popularmente conhecido como “Uai”, ao presidente do Bragantino Cláudio Wagner Soares Cruz, popularmente chamado de “Cláudio da Van”, que concordou com a ideia.

“Nós que fizemos essa solicitação ao Bragantino, até para baratear mais as despesas. Para a gente ficar aqui (em Belém) a semana toda e jogarmos no sábado sairia muito caro e a federação logicamente que não iria arcar com todas essas despesas. O presidente Uai conversou com o presidente do Bragantino Cláudio para que se possível fizéssemos o jogo na quarta, não houve essa possibilidade. Então o Bragantino pediu que fosse feito na quinta, o presidente prontamente se colocou a disposição”, afirmou Jairo Belém, diretor de futebol do PFC.

A princípio a FPF iria marcar o jogo para o próximo sábado (02/12), pela manhã, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, ou ainda, pela parte da tarde também no sábado no estádio Leônidas Castro, a Curuzu, que pertence ao Paysandu Sport Club. Os clubes devem entrar em um acordo para dividir a renda do jogo no estádio Diogão, que tem capacidade para 11 mil torcedores.

Os dois times chegaram a final invictos. Na classificação geral da competição estadual, o Bragantino é o líder com 16 pontos e o Parauapebas o vice com 12 pontos. O Tubarão do Caeté tem cinco vitórias e um empate, marcou 14 gols, contando os três do W.O. diante do Pedreira e sofreu dois, com um saldo positivo de 12 bolas. Em relação ao Gigante de Aço, o time tem três vitórias e três empates, marcou nove gols e sofreu três, tendo um saldo positivo de seis tentos.

Além do lateral-esquerdo Jaquinha, dispensado semana passada pela não regularização devido ao imbróglio de sua rescisão com o Clube do Remo, mais dois jogadores deixaram o elenco do Gigante de Aço. O volante Francesco, que era o titular absoluto na era do técnico Everton Goiano e que perdeu seu espaço com o treinador Léo Goiano, e o atacante Tozin, que amargava o banco de reservas. Ambos foram liberados pelo clube. O PFC segue hospedado em um hotel da capital Belém aguardando a grande final.

Futebol

Parauapebas vence o Izabelense dentro do “Abreuzão” e está de volta a elite do futebol paraense

O PFC vai disputar o título da Segundinha do Parazão diante do Bragantino, provavelmente no Mangueirão

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) está de volta a elite do Parazão. O Gigante de Aço derrotou o Izabelense, por 2 a 1, na tarde deste domingo (26/11), no estádio Edilson Abreu, o Abreuzão, em Santa Izabel do Pará.

O Gigante de Aço abriu o placar com Thiago Potiguar cobrando pênalti, aos 20 minutos do primeiro tempo. O Frangão da Estrada chegou ao empate também em cobrança de pênalti convertido por Ramon aos 37 minutos do primeiro tempo. O gol do acesso do PFC veio com o atacante Monga, aos 28 minutos do segundo tempo. Com a vitória, o Parauapebas voltou para a elite do futebol paraense e vai decidir o título da Segundinha contra o Bragantino.

O jogo do acesso: Izabelense 1 x 2 Parauapebas – Gigante de Aço de volta a elite

A torcida do Izabelense fez o seu papel e compareceu em massa no estádio Edilson Abreu para empurrar o Frangão da Estrada. O time da casa chegou primeiro no chute do meia Ramon, o goleiro Cleriston atento defendeu. Depois de uma pressão do Parauapebas, o árbitro Gustavo Ramos Melo marcou pênalti do zagueiro Marquinho. O meio-campo Flamel cobrou e o goleiro André Luís defendeu para explosão da torcida no Abreuzão.

O time não se abateu e voltou a pressionar o adversário. Após lançamento para a área, o atacante Monga pegou uma sobra e disparou, o zagueiro Marquinho meteu a mão na bola e o árbitro Gustavo Ramos Melo não titubeou, marcou mais um pênalti em favor do PFC e expulsou o atleta do time de Santa Izabel. Thiago Potiguar cobrou bem e marcou, 1 a 0, Gigante de Aço, aos 20 minutos.

O time da casa ficou desarticulado em campo. O atacante Aleílson perdeu duas chances. Em uma delas cabeceou para fora e a outra entrou de cara e disparou para a defesa de André Luís. No lance seguinte, Monga cabeceou e marcou, mas a arbitragem anulou alegando falta de ataque. Parecia que o Gigante de Aço era mandante do jogo, sempre procurando o ataque. Em outra tentativa, Flamel disparou e quase ampliou o marcador.

O Frangão da Estrada foi para cima e Pelezinho depois de uma bela jogada individual foi derrubado pelo goleiro Cleriston dentro da área. Mais um pênalti assinalado pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. O meia Ramon cobrou e deixou tudo igual, aos 37 minutos, 1 a 1, a fanática torcida do Izabelense foi à loucura no estádio. O jogo pegou fogo. O lateral-esquerdo Negueba disparou de fora da área e a bola passou muito perto da meta de Cleriston. Pelezinho arrancou, passou pela marcação e disparou, a bola tocou na zaga e Herê não conseguiu empurrar para o gol. O primeiro tempo movimentado terminou em 1 a 1.

Na etapa derradeira, quase o PFC marcou logo a um minuto. Após cobrança de falta, a bola sobrou para Wanderlan que perdeu o gol sozinho. O Izabelense deu o troco e também depois de uma sobra de bola, André disparou mandando por cima. A bola parada era a arma do Gigante de Aço. Flamel cobrou falta para a testada quase que fulminante de Gilberto, a bola passou muito perto da meta de André Luís.

As equipes mostravam que não queriam saber de decidir nos pênaltis. Em mais uma bola alçada na área, o atacante Monga subiu e cabeceou para fora. O melhor jogador em campo, o meia Pelezinho do Izabelense se machucou e teve que ser substituído por Lucas Magrão. A torcida reconheceu o esforço do atleta que saiu muito aplaudido de campo. O Gigante de Aço voltou a atacar e foi fatal. Mais uma bola na área e o atacante Monga desviou de cabeça para o fundo do barbante, aos 28 minutos, 2 a 1, PFC.

O Parauapebas estava de boa na partida. Tocando bem a bola e tendo espaço para jogar com um jogador a mais em campo. Flamel cobrou falta e o goleiro André Luís espalmou. Em outra cobrança de falta, o zagueiro Cris subiu com estilo e testou para fora. A torcida do Frangão começou a incentivar o time e deu um gás aos jogadores. Em uma bola alçada na área do Pebas, Cleriston saiu dividindo e jogando para escanteio. O árbitro deu cinco minutos de acréscimo. O PFC quase fechou o caixão do adversário, quando em um contra-ataque Monga deu passe para Everson Bilau, que chutou e André Luís defendeu. No lance seguinte, a bola foi para área, Herê meteu de bicicleta, a bola explodiu no travessão do goleiro Cleriston.

A última jogada da partida, o volante do Pebas Everton Luiz cometeu falta violenta e recebeu cartão vermelho. Na cobrança de falta, Negueba disparou e o goleiro Cleriston defendeu. Placar final: Izabelense 1 x 2 Parauapebas. O PFC está classificado para a final da Segundinha e volta para a elite do futebol paraense após um ano ausente. O Gigante de Aço vai decidir o título contra o Bragantino e vai buscar o bicampeonato da competição estadual.

“Um jogo disputadíssimo. A torcida deles lotou o estádio e deu pressão. Prevaleceu a entrega, o sacrifício. Todo mundo está de parabéns, desde o professor Everton Goiano que começou o trabalho. Poderíamos ter decidido no 1º tempo. Eu fiquei um pouco chateado com o grupo
pelo gol que sofremos, mas o importante foi que a equipe se entregou e conquistamos o acesso para a elite”, afirmou Léo Goiano, técnico do Parauapebas.

FICHA TÉCNICA

IZABELENSE: André Luís; Cleiton, Marquinho, Júnior e Negueba; Galvão, Balão Marabá (André), Pelezinho (Lucas Magrão) e Ramon; Herê e Feijão (Helison). Técnico: Fran Costa

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Gilberto (Everson Bilau), Felipe Baiano, Flamel (Everton Luiz) e Thiago Potiguar; Monga e Aleílson. Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Gustavo Ramos Melo

Assistentes: Rafael Ferreira Vieira e Dimmi Yuri Cardoso – Quarta-árbitra: Elaine da Silva Melo

Cartões amarelos: Marquinho, Feijão e Herê (Izabelense); Cris, Monga, Cleriston, Gilberto e Felipe Baiano (Parauapebas)

Cartão vermelho: Marquinho (Izabelense) e Everton Luiz (Parauapebas)

Gols: Thiago Potiguar de pênalti, aos 20 minutos do 1º tempo para o Parauapebas; Ramon de pênalti, aos 37 minutos do 1º tempo para o Izabelense; Monga aos 28 minutos do 2º tempo para o Parauapebas

Local: Estádio Edilson Abreu, o Abreuzão, em Santa Izabel do Pará

Resultado da outra semifinal
O Bragantino também conquistou a vaga na final e está de volta a elite do futebol paraense após anos ausente. O Tubarão do Caeté venceu, por 3 a 0, o Sport Belém na tarde deste domingo (26/11), no estádio Diogão, em Bragança. Os gols foram assinalados por Rafinha duas vezes e Aslen Kevin. O Bragantino vai decidir o título da Segundinha do Parazão 2017 contra o Parauapebas.

A Federação Paraense de Futebol (FPF) vai reunir para confirmar a grande final da Segundinha do Parazão 2017, entre Bragantino e Parauapebas, provavelmente para o próximo sábado (02/12), pela manhã, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, na capital Belém.

Futebol

Bragantino, Sport Belém, Izabelense e Parauapebas a um passo da elite do futebol paraense

As semifinais da Segundinha do Parazão acontecem neste domingo (26/11). Quem passar garante o acesso para o Parazão 2018
Por Fábio Relvas

A Segundinha do Parazão 2017 começou com 14 clubes na disputa e agora restam apenas quatro sonhando com a elite do futebol paraense. Bragantino, Sport Belém, Izabelense e Parauapebas, vão se enfrentar pelas semifinais da competição estadual e os vencedores dos duelos estarão de volta ao Parazão da primeira divisão se juntando com Paysandu, Remo, Independente Tucuruí, São Raimundo, Águia de Marabá, Castanhal, Cametá e Paragominas.

O Bragantino saiu da Chave A1 e segue invicto na competição e com a melhor campanha entre os semifinalistas. O Tubarão do Caeté, contando a fase classificatória e as quartas de final, somou 13 pontos, em cinco jogos, sendo quatro vitórias e um empate. A equipe tem o comando do experiente técnico Arthur Oliveira, o chamado “Rei Arthur”, que já conquistou título de campeão paraense pelo Clube do Remo como atleta e treinador. Arthur sabe que a força da torcida no estádio Diogão poderá fazer a diferença nessa reta final.

“É um jogo que precisamos está no nosso melhor, no nível de concentração altíssimo até porque vamos jogar contra um adversário que vai vir atrás de uma bola, um adversário que joga fechado atrás. Então vai ser um jogo de paciência e nós estamos trabalhando a semana toda pensando nisso, nessa situação de jogo para que a gente possa conseguir o nosso objetivo que é passar para a elite. Eu espero que a gente possa contar com o nosso torcedor, a cobrança e o apoio que nós estamos no dia a dia e todo mundo tá falando que vai vir no jogo no domingo e vamos precisar muito deles. É o 12º jogador, todo jogo é pensamento positivo. Aqueles que não puderem vir estarão ali na rádio ligados com pensamento positivo para que possamos conseguir a vitória”, disse Arthur Oliveira.

Já o Sport Belém é a grata surpresa da Segundinha. Com poucos recursos financeiros, o Dragão da Maracangalha da capital Belém, também saiu da Chave A1 e chegou até a semifinal com três vitórias, um empate e uma derrota, somando 10 pontos, na fase classificatória e quartas de final. O time treinado pelo experiente Zé Carlos improvisou trabalhos em um campo de um clube particular da capital, com treinos de sete contra sete, já que o espaço não permite o tradicional 11 contra 11. O Sport Belém conta com o meio-campo Fininho, destaque da equipe e que marcou três gols no jogo das quartas de final diante do Tapajós, na vitória por 4 a 2. O time de Belém não disputa a elite desde 2003.

“Nós precisamos nos superar mais uma vez, jogando fora de casa com uma equipe muito forte a do Bragantino. Já jogamos um jogo lá sabemos que é uma equipe que vem para cima, que a torcida apoia muito, mas nós também estamos preparados para fazer uma grande partida. Falta apenas um jogo para o tão sonhado acesso então que a gente possa está em uma tarde feliz no domingo e que eu possa fazer mais uma grande partida e que a gente saia de lá classificado”, afirmou Fininho.

O Izabelense estava na Chave A2 da competição estadual. O Frangão da Estrada somou 10 pontos com três vitórias, um empate e uma derrota, atuando na fase classificatória e quartas de final. A equipe de Santa Izabel do Pará não disputa a elite do Parazão desde 1993 e quer mudar o rumo da história. Para isso conta com o técnico Fran Costa, conhecido como O “rei do acesso”, já que em 11 campeonatos em que comandou uma equipe, conseguiu nove acessos.

“Eu sempre venho falando para os meus jogadores que nós estamos a 90 minutos e a um  gol do acesso. Se fizermos um gol e não tomar nenhum, estaremos na fase principal do Parazão. Esse é o objetivo de todos nós. Vai ser um jogo difícil com uma equipe de qualidade que é a do Parauapebas e estamos consciente disso. Mas já estamos todos concentrados e esperamos contar com o apoio da torcida para buscar esse sonhado acesso”, falou Fran Costa.

Em relação ao Parauapebas Futebol Clube, o time da Capital do Minério, assim como o Bragantino, também segue invicto na competição. Em cinco jogos somando fase classificatória e quartas de final, o Gigante de Aço chegou aos nove pontos, sendo duas vitórias e três empates. Atuando fora de casa, o time do PFC venceu uma e empatou outra, justamente diante do Izabelense, seu adversário na semifinal da Segundinha. Na ocasião, o duelo terminou em 2 a 2. A delegação viajou na tarde de sexta-feira (24/11) rumo a Santa Izabel do Pará. O time se preparou para o que der e vir e pênaltis também foi treinado, já que o PFC conseguiu eliminar a Tuna Luso nos tiros livres da marca da cal.

“A gente sabe das dificuldades que vamos enfrentar lá em Santa Izabel. Já jogamos contra a equipe deles e sabemos que eles se reforçaram, estão com um elenco muito bom, mas agente tem que fazer o fator nosso, do nosso elenco que tem uma qualidade incontestável e fazer a diferença. Trabalhamos durante a semana firme e forte para chegar lá não correr riscos e conseguir esse acesso. Tivemos um propósito de tentar ganhar da Tuna, infelizmente a vitória não veio e foi para os pênaltis e saímos coroados. A bola não entrou, foi um jogo muito truncado e agora lá sabemos também que vai ser um jogo truncado e a gente tem que se preparar para conseguir o resultado. Se por acaso não vir estamos preparados para as penalidades também”, afirmou Cleriston, goleiro do PFC.

A Comissão de Arbitragem da Federação Paraense de Futebol (FPF) sorteou nesta quinta-feira (23/11), na sede da instituição, que fica localizada na capital Belém, o quarteto de arbitragem para os duelos das semifinais da Segundinha do Parazão 2017.

Bragantino e Sport Belém se enfrentam neste domingo (26/11), às 15h30, no estádio São Benedito, o Diogão, em Bragança. O árbitro da partida será Wasley do Couto Leão, que será auxiliado por Rafael Bastos Cardoso e Bárbara Roberta Costa Loiola. A quarta-árbitra fica por conta de Ruth Helena de Araújo Soares.

Izabelense e Parauapebas duelam neste domingo (26/11), às 15h30, no estádio Edilson Abreu, o Abreuzão, em Santa Izabel do Pará. O árbitro central será Gustavo Ramos Melo, tendo como assistentes Rafael Ferreira Vieira e Dimmi Yuri Cardoso. Elaine da Silva Melo fica como a quarta-árbitra.

error: Conteúdo protegido contra cópia!