Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia

Mais de meia centena de policiais caçam assaltantes do Bradesco de Jacundá

O bando fugiu em direção a Goianésia do Pará, onde um dos carros usados no assalto foi encontrado incendiado
Continua depois da publicidade

Mais de 50 policiais civis e militares estão envolvidos nas buscas de um bando formando por aproximadamente 10 integrantes que assaltou a agência do Bradesco da cidade de Jacundá na noite de ontem, terça-feira (14). Apesar do intenso tiroteio e destruição parcial do cofre principal da agência, a quadrilha, segundo informa a polícia, não teve êxito na jornada. Nenhum refém saiu ferido fisicamente nem moradores.

Estão envolvidos nas buscas equipes da DRCO, GPE, Tático, Polícia Rodoviária Estadual, CPR 4 da Polícia Militar de Tucuruí, além de policiais de Jacundá. Eles vasculham via terrestre e área a região rural denominada de Açaizal e também Janari, no município de Goianésia do Pará, onde uma caminhonete Ford Ranger foi destruída por fogo. O carro era usado na fuga do bando.

A ação da quadrilha começou com a rendição de uma guarnição da Polícia Rodoviária Estadual. Três policiais lanchavam num ponto da Avenida Cristo Rei, cerca de 300 metros do banco, quando foram surpreendidos pelo grupo armado que chegou numa Ford Ranger, prata. Em seguida, outra caminhonete foi roubada e o motorista feito refém.

Cinco reféns civis foram colocados como escudo humano com os militares. E quatro componentes da quadrilha fortemente armados dispararam dezenas de vezes para o alto. No interior da agência, três explosões provavelmente de dinamites foram ouvidas. “O cofre ficou parcialmente destruído, no entanto, não houve roubo de dinheiro”, informou o delegado Sérgio Máximo, embora populares tenham afirmado que viram os assaltantes saírem carregando cinco malotes.

Na fuga, a primeira tentativa do bando foi sair pela Rodovia PA-150 no sentido de Marabá. “A estrada estava bloqueada por uma viatura de nossa guarnição”, explicou o major Fábio Rayol, comandante da 18ª CIPM. O bando optou pela estrada vicinal da Moran Madeira, que dá acesso aos municípios de Goianésia do Pará e Breu Branco. Logo na entrada da estrada, os reféns foram liberados com a viatura da PRE e também uma caminhonete S-10. Na manhã de hoje o terceiro carro foi encontrado na região do Açaizal, incendiado.

Até o fechamento desta matéria o reforço policial dá continuidade às buscas, que tem apoio de um helicóptero da PM.

Moradores arriscaram as próprias vidas na tentativa de registrar fotos e filmar a ação da quadrilha. Durante a fuga, mais de cem motociclistas perseguiram os veículos da quadrilha. E tão logo saiu do banco, a agência foi invadida por dezenas de populares.

Marabá

Amedrontados com assaltos, comerciantes pedem ajuda da PM em Marabá

Empresários da Av. Nagib Mutran, principal via do comércio da Cidade Nova, já não conseguem trabalhar nem dormir sossegados, temendo assaltos e arrombamentos
Continua depois da publicidade

Apavorados desde o momento em que abrem seus estabelecimentos até a hora em que fecham. Assim tem sido a rotina dos comerciantes da Avenida Nagib Mutran, principal via de negócios do Bairro Cidade Nova. Essa preocupação, porém, não cessa quando eles voltam para casa, pois ainda há o perigo de ter o desprazer de, ao chegar no dia seguinte, encontrar a loja arrombada e dela levadas mercadorias. Diante do temor crescente e do aumento do volume de queixas, o Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Marabá (Sindicom) promoveu reunião na noite de ontem (14) para debater o assunto e encontrar soluções.

Participaram do encontro cerca de 20 comerciantes da Nagib Mutran, representando os demais empresários; o subcomandante do 4º BPM (4º Batalhão de Polícia Militar), major Hélio Ernani Oeiras Formigosa; o recém-chegado comandante de área do Núcleo Cidade Nova, capitão Harley Alves da Costa; o presidente do Sindicom, Félix Gonçalves de Miranda; o vice-presidente Raimundo Alves da Costa Neto; e os  diretores Francisco Arnilson de Assis e Maria do Livramento Sá de Almeida, a Lia da Liberdade.

Félix Miranda, Raimundo Neto e Francisco Arnilson abriram o encontro, cada um falando objetivamente dos motivos e, por fim, franqueando a palavra para a pequena plateia que ocupou uma das salas do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial). Os relatos impressionam pela ousadia como os bandidos agem. O primeiro comerciante a falar, do ramo de confecções, lembrou que o empresário hoje recolhe uma carga muito pesada de impostos e que gostaria de ver o retorno, sobretudo em segurança pública. Ele contou que seu comércio já foi alvo de dois assaltos e informou que, em cada ataque desses as perdas são altas, variam de R$ 20 mil a R$ 30 mil. O empresário alertou ainda para o fato de que muitos, por não conseguirem suportar financeiramente os danos causados pelos assaltos, podem vir a cerrar as portas e acabar gerando desemprego. Ou seja, no rastro do problema da segurança vem também o problema social.

Uma empresária contou que está perdendo vendas no horário do almoço, período em que a rua fica com pouco movimento e, temendo ser vítima de assalto, ela fecha a porta de vidro e teme atender quem chega ali, a não ser que o cliente já seja conhecido. Outra contou que, em apenas uma noite, perdeu para arrombadores as economias que havia conseguido amealhar em 25 anos de trabalho, como funcionária de uma rede de lojas de departamentos, das quais havia investido cada centavo em uma loja.

Houve ainda relatos de outros arrombamentos; de marginais ameaçando comerciantes de arrombar suas lojas na madrugada e concretizando mesmo a ameaça; de furtos em dias de grande movimentação, como no último fim de semana, quando aconteceu o Liquida Geral; e de assaltos – vários – à luz do dia.

Após ouvir atentamente os comerciantes, o major Oeiras disse que, com a incorporação recente de 133 policiais no 4º Batalhão e com a chegada do capitão Haley, iria ajustar, a partir de hoje, a
situação da segurança no Cidade Nova, especialmente na área comercial, com policiamento a pé, e a presença de uma viatura, que já faz rondas no local 24 horas.

“Agora é uma questão de ajuste, acabamos de tomar conhecimento das demandas dos comerciantes, vamos poder ajustar esse policiamento para dar uma qualidade melhor na segurança aqui da Cidade Nova”, disse ele, anunciando a entrega, em breve, de 41 motos para o batalhão local, várias das quais serão empregadas no policiamento ostensivo daquele núcleo. “Essa reunião foi muito importante porque promoveu a união entre a PM e a comunidade do comércio e, com certeza absoluta, vamos ter um resultado mais positivo”, avaliou Oeiras.

Já o capitão Harley afirmou que com todo o apoio logístico garantido pelo 4º BPM, iria, a partir de hoje, começar seu trabalho implantando uma rede de segurança, usando os grupos de WhatsApp, para que o comerciante possa interagir diretamente como a PM no dia a dia, informando sobre pessoas e movimentações suspeitas, além de outras providências. “Creio que os índices da criminalidade vão diminuir”, disse ele.

Marabá vai ganhar mais um Batalhão da Polícia Militar 

O major Oeiras anunciou ainda que, considerando o grande crescimento da cidade, em breve haverá a instalação de mais um batalhão em Marabá, o 34º BPM, que vai garantir o policiamento ostensivo na parte de Marabá após a ponte do Rio Itacaiúnas, na Região do Rio Preto, na Região do Sororó e em Itupiranga, São Geraldo do Araguaia e Piçarra.

Segundo ele, só falta a assinatura do governador Simão Jatene para que ocorra a instalação. Lia da Liberdade lembrou que essa era uma reivindicação bem antiga da população do outro lado do Itacaiúnas e também falou das conquistas e avanços no setor da segurança, quando o Cisju (Conselho Interativo de Segurança e Justiça) funcionava em sua plenitude, afirmando que aquele era o caminho, a interação entre a população e os órgãos de segurança, para que a tranquilidade volte reinar no Cidade Nova.

Nova reunião deve ocorrer em breve, esta também com a presença de representantes da Polícia Civil, Ministério Público Estadual, Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá

Marabá

Assassino de professor é PM do Maranhão. Ele está sendo interrogado em Imperatriz.

Mulher que estava com o policial ainda não foi encontrada e deve responder como cúmplice do homicídio
Continua depois da publicidade

Está detido e sendo interrogado na noite desta quinta-feira, 9, o soldado da Polícia Militar do Maranhão, Felipe Freire Sampaio, acusado de ter assassinado o professor Ederson Costa dos Santos, de 28 anos, na madrugada do último sábado, dia 4 de agosto. O PM veio de Imperatriz-MA, onde reside e trabalha na corporação.

Segundo informou agora à noite a Superintendente de Polícia do Sudeste do Pará, delegada Simone Felinto, o veículo que aparece nas imagens de vídeo amplamente divulgadas em redes sociais é um Fox cor vermelho, de placa OFM-8620, de Marabá, o qual está apreendido.

O interrogatório do suspeito acontece em Imperatriz por uma equipe da Delegacia de Homicídios de Marabá, enviada pela Superintendência do Sudeste Paraense e liderada pelo delegado Ivan Pinto.

No momento de sua prisão, Felipe Freire não esboçou reação, se entregou, mas permaneceu calado, segundo a delegada Simone Felinto.

A Polícia Civil continua as investigações em busca de novas provas que possam contribuir para o inquérito que segue em andamento pelo período de 30 dias, contados da sua abertura.

A polícia conseguiu realizar a apreensão do Fox que era dirigido por Felipe na noite do crime, o qual está bastante avariado. Todavia, a Polícia Civil ainda não confirma o nome e nem a prisão da mulher que também aparece nas imagens da noite do assassinato, como acompanhante do assassino do professor. Também não revela em qual endereço apreendeu o veículo Fox.

Parauapebas

PM e Civil desmantelam quadrilha de assaltantes em Parauapebas

Um foi encontrado morto, outro morreu em confronto, um terceiro foi preso e o quarto fugiu
Continua depois da publicidade

Uma quadrilha formada pelos indivíduos Elielson Trindade, 18 anos, o “Bred”; Thalisson Costa Mendes; Daniel Souza Reis, 19, conhecido como “Geladinho”; e um quarto não identificado, que vinha cometendo assaltos e aterrorizando a cidade, foi desarticulada nesta quarta-feira (8), em Parauapebas, pelas polícias Civil e Militar.

O corpo de Elielson Trindade, 18 anos, morto em circunstâncias misteriosas, foi encontrado na área da represa, no Bairro Tropical II, crivado de balas. O pai dele, de prenome João, contou que estava em casa quando ouviu estampido de tiros.

Logo em seguida, um colega do rapaz passou e disse que uma pessoa havia sido ferida em tiroteio. As irmãs de Elielson foram até a margem da represa e só encontraram a camisa e as sandálias do irmão e retornaram para casa, quando voltaram ao local, já o encontraram sem vida. João disse que o filho era viciado em entorpecentes e já havia se cometido assaltos, após se envolver com pessoas ligadas ao crime. Elielson morreu por volta das 12h. Já às 15 horas, a Polícia Civil cumpriu mandado de prisão preventiva contra Thalisson Mendes Costa. Ele foi localizado e capturado no Bairro Jardim Tropical, acusado de ter cometido vários assaltos na cidade.

E, aproximadamente 17h30, na Rua Manoel Bandeira, Bairro da Paz, ao ser abordado pela Polícia Militar, Daniel Souza Reis, 19, conhecido como “Geladinho” e “De Belém”, sacou de uma arma, que, em verdade, era uma imitação, e tentou intimidar os policiais, mas foi rechaçado a tiros e morreu ali mesmo.

O comparsa de “Geladinho”, não identificado, conseguiu fugir portando uma pistola calibre 380, cromada, roubada de um empresário da cidade durante um assalto, em que também perdeu dinheiro para os ladrões.

Segundo o tenente Freitas, da Policia Militar, contra “Geladinho” havia dois mandados de prisão preventiva pelos crimes de latrocínio, homicídio e assalto. O oficial afirmou que ele tinha “um amplo histórico de crimes”.

Marabá

4º Batalhão de Polícia Militar comemora 40 anos de criação em Marabá

Solenidade no quartel da 4º BPM marcou a data e reuniu autoridades civis e militares. Na oportunidade, integrantes da tropa e outras autoridades foram agraciados com medalhas e certificados
Continua depois da publicidade

Aconteceu na manhã desta terça-feira (7) solenidade militar em homenagem aos 40 anos de criação do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), em Marabá. A cerimônia foi presidida pelo tenente-coronel Heriberto Clauber dos Santos Furtado, subcomandante do Comando de Policiamento Regional II (CPR-II), que, ao mesmo tempo, representou o comandante do CPR-II, coronel Mauro Sérgio Marques da Silva, que se encontrava em outra atividade; e o comandante do 4º Batalhão, tenente-coronel Franklin Roosevelt Fayal, que está adoentado.

Com a presença de autoridades civis e militares, a tropa entoou, ao som da Banda do 4º BPM, o Hino da Polícia Militar e Hino do Batalhão, assim como participou de formatura e desfilou em homenagem à importante data. Em breve discurso, o tenente-coronel Furtado dirigiu palavras de agradecimento a todos os que estavam prestigiando aquele momento e aos policiais que integram o 4º BPM, do qual ele disse
ter orgulho de pertencer, e agradeceu aos parceiros que acreditam na PM, “formada por policiais sérios e competentes”, que trabalham para que Marabá e os nove municípios de abrangência do 4º Batalhão “sejam lugares cada vez melhores para se viver”.

Durante a solenidade, vários policiais e também civis foram homenageados com a Láurea do Mérito Pessoal, Medalha General Sotero de Menezes, Certificado de Destaque Operacional, Certificado de Bons Serviços Prestados e Certificado de Amigos do Batalhão. (Ver relação abaixo).

Parceria rende bons frutos para a segurança

Ao Blog, a superintendente Regional de Polícia Civil do Sudeste do Pará, delegada Simone Felinto, disse que o 4º BPM está de parabéns pelos 40 anos de existência, pois muito tem contribuído para Marabá e região, por meio de seus homens e mulheres que se dedicam dia e noite em prol da segurança da população.

“Hoje é um dia festivo e de muita alegria para todos nós da Segurança Pública. As operações integradas com a Polícia Militar estão produzindo bons frutos e a prova disso é a queda do número de homicídios, roubos e furtos. E nós queremos cada vez mais fortalecer essa parceria”, comemorou ela.

O vereador Rodrigo Lima da Silva (PR), da Câmara Municipal de Marabá, o Cabo Rodrigo, que serviu a PM em Marabá por 19 anos e oito meses, também comemorou a data e disse que, entre suas propostas, conseguiu aprovar a realização de Sessão Solene em Homenagem às Forças Militares. Ele destacou ainda outra proposta, esta já em andamento, que é a instalação da Escola Militar em Marabá: “A comunidade da Folha 13 e corpo docente Escola Rio Tocantins já veem a diferença, com a presença da PM ali, assim como os pais já notam diferença no
comportamento dos filhos”, ressaltou ele, que disse sempre defender a categoria. “Não esqueço nunca de defender o nome na PM, que é uma instituição bicentenária”.

O terceiro-sargento Arielson de Jesus Ramos, com 30 anos de serviços prestados à PM em Marabá, afirma que sente um orgulho muito grande de ter cumprido com sua obrigação para com o Estado e à sociedade marabaense. “Agradeço a Deus e à minha família, amo a minha profissão e a minha família, sempre cumpri com as minhas obrigações, minha ficha corrida é limpa, nunca tive problemas com a Justiça com nem com a Justiça Militar”, salienta ele.

Orgulho de servir ao Estado e à sociedade 

Indagado sobre o qual foi o momento mais crítico dos 30 anos de carreira, sargento Arielson  conta que, em 1995, ao tentar prender um homem em Itupiranga, este atirou contra ele, o ferindo em uma das pernas: “Mesmo assim, mesmo ferido, consegui dominá-lo e prendê-lo. Não revidei não disparei contra ele, que foi condenado a nove anos de prisão e acabou me pedindo muito perdão”, relata o sargento, que está prestes a se aposentar. “Por esse ato, fui elogiado e até condecorado com Medalha de Honra ao Mérito por Bons Serviços Prestados”, lembra Arielson, que novamente indagado, desta vez, sobre qual sua maior alegria responde: “É todo dia estar em casa, com a minha esposa, meus filhos e minhas netas. Sair de casa e voltar sabendo que todos estão bem”.

Na oportunidade, o secretário Regional de Governo, Jorge Bittencourt, antecipou ao Blog que, dos 536 concursados excedentes que já foram chamados pelo governo do Estado, 98 virão para Marabá, juntar-se aos 133 que foram empossados recentemente e já estão nas ruas.

Atualmente, o 4º BPM conta com 700 integrantes distribuídos em Marabá, Itupiranga, Nova Ipixuna, São João do Araguaia, São Domingos do Araguaia, Brejo Grande do Araguaia, Palestina do Pará, Piçarra e São Geraldo do Araguaia.

 

Condecorações

Láurea do Mérito Pessoal: segundo-sargento Gilmar Lopes da Silva, primeiro-sargento Lilamar Silveira Oliveira e segundo-sargento Eduardo Carlos Ribeiro de Jesus.

Medalha General Sotero de Menezes Comemorativa a Feito Heroico: terceiro-sargento Luiz Ferreira dos Santos Filho e cabo Manoel Pereira de Almeida.

Certificado de Destaque Operacional: cabo Danilo Porfiro Alves Ferreira, soldado Warley Fernandes Monção e soldado Jorge da Silva Martins.

Certificado de Bons Serviços Prestados: segundo-sargento José de Deus da Paz Monteiro da Silva, segundo-sargento Raimundo Nonato Brito da Silva, terceiro-sargento Jorge Silva Ribeira, terceiro-sargento Luiz Ferreira dos Santos Filho, terceiro-sargento João Rêmulo dos Santos Carneiro e terceiro-sargento Arielson de Jesus Ramos.

Certificado Amigos do Batalhão: tenente-coronel Heriberto Clauber dos Santos Furtado, tenente-coronel Benedito Tobias Sabbá Corrêa, major Cláudio Marino Ferreira Dias, delegado de Polícia Civil Vinícius Cardoso das Neves, Hellen Cristina Machado de Araújo, diretora do Disque-Denúncia, Jocenilson da Silva Souza, diretor do DMTU e o empresário José de Sousa Diniz Filho.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá
Ourilândia do Norte

Sargento da PM morre vítima de acidente de trânsito em Ourilândia do Norte

O motociclista pilotava em alta velocidade, fazendo manobras arriscadas e deitado no banco 
Continua depois da publicidade

Um acidente ocorrido na noite de ontem, quinta-feira (5), tirou a vida da sargenta Ana Cláudia da Silva Moreira, da Polícia Militar, por volta das 19h, na Rodovia PA- 279, em frente ao quartel da PM, em Ourilândia do Norte. Ela saía do trabalho e, ao atravessar a pista, foi atropelada por Samuel da Silva Santos, 19 anos, que pilotava perigosamente – inclusive deitado no banco – a motocicleta Honda Fan, preta placa JVE-8629.

Com o impacto da batida, a sargenta Cláudia sofreu fratura no maxilar, fratura exposta no fêmur da perna direita e fratura no da esquerda e traumatismo craniano. Ela foi socorrida pelo Samu e removida ao Hospital Regional de Redenção, passou por cirurgia, mas não sobreviveu. Quanto a Samuel Silva, ele sofreu uma lesão na face e escoriações e segue internado no Hospital Municipal de Ourilândia.

Municipalização

Na noite da próxima terça-feira (10) o Ministério Público do Pará realiza, na Câmara Municipal de Ourilândia do Norte, Audiência Pública sobre a municipalização do trânsito naquela cidade, onde não existe nenhum tipo de fiscalização, o que possibilita que acidentes, como o que vitimou a policial militar continuem acontecendo.

Parauapebas

Prevenção: Polícia Militar faz revista surpresa na carceragem do Rio Verde.

A revista se deu como prevenção, depois que mais de 50 presos fugiram do CRAMA, em Marabá, durante a semana.
Continua depois da publicidade

A Polícia Militar do Pará fez uma varredura na carceragem localizada no bairro Rio Verde, em Parauapebas, na manhã desta quinta-feira (28). Dez militares, sob o comando do Major PM Emmet, Subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar em Parauapebas, participaram da revista nas celas, quando foi encontrada pequena quantidade de substância entorpecente (maconha).

Cento e quarenta presos custodiados naquela carceragem foram minuciosamente revistados.

A ação visa prevenir possível fuga, já que durante a semana mais de cinquenta detentos escaparam do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA), em Marabá.

Segundo o Major Emmett, “a prevenção é sempre o melhor remédio”, enfatizando que outras revistas surpresas serão feitas periodicamente pelo comando no sentido de evitar futuras fugas.

Parauapebas

Após denúncia de vítimas, Polícia de Parauapebas captura dupla de assaltantes

Tiago Oliveira da Costa e Ezequiel Silva dos Santos são de Marabá e vinham cometendo assaltos em Parauapebas. Ezequiel é foragido do Crama desde 2016, com passagens por assalto a mão armada.
Continua depois da publicidade

Dois bandidos foram capturados pela Polícia Militar de Parauapebas, na manhã desta segunda-feira (25), após cometerem assaltos. A guarnição da PM que estava posicionada nas imediações do bambuzal, na PA-275, foi abordada por um cidadão informando que havia sido roubado por dois elementos numa motocicleta e que estava rastreando-os pelo aparelho celular.

Deslocando-se ao local apontado pelo rastreador, o bairro do Rio Verde, a guarnição escutou a população informando que havia ladrões pulando o muro. Os policiais conseguiram pegá-los. Dentro da residência, foram encontrados um revólver calibre 38 com numeração raspada, sete munições, 33,85 gramas de pedra de oxi; 6,65 gramas de maconha e produtos do roubo (celular, documentos, carteira e a bolsa de uma das vítimas). Também foi recuperada uma Honda Biz cinza, roubada no domingo à noite.

Segundo informou o Tenente Freitas, são dois elementos altamente perigosos, que vinham cometendo vários assaltos no início do dia. Ao checar os nomes, foi observado que um deles, Ezequiel Silva dos Santos (vulgo Neguinho), era foragido do sistema penal de Marabá desde 2016.

O tenente aproveitou nossa reportagem e fez um apelo para que, caso haja alguma outra vítima, compareça à delegacia para reconhecê-los. “Seria muito bom, pois, pelo menos assim, estes vagabundos ficarão presos por mais tempo”, explicou.

Segundo Tiago Oliveira da Costa (vulgo Orelha de Macaco), de 20 anos, ele nunca havia sido preso. Trabalhava como açougueiro em Parauapebas e justificou o crime por necessidades financeiras. “Estava sem dinheiro, precisando mesmo, estava passando fome. Pedi esse dinheiro a meu patrão, mas ele estava só me enrolando”.

Já Ezequiel Silva dos Santos, o Neguinho, tem 32 anos e não apresentou justificativa para o assalto. “Não tem nada que justifique. Não adianta eu botar desculpinha não, que desculpinha não resolve a vida de ninguém”. Ele assumiu a posse do revólver, mas quanto à droga apreendida, não reconheceu. “Eu não sei dessa droga não; o revólver é meu”.

Uma das vítimas, Gizael da Silva reconheceu os bandidos e nos contou que eles o abordaram às 7h30 de hoje, nas imediações da Câmara Municipal de Parauapebas. Levaram sua carteira, com todos os documentos e o valor de R$ 300,00. “Reconheci todos os dois, eles estavam numa moto Honda Biz vermelha”.