Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Assaltantes explodem caixas e roubam bancos durante a madrugada em Eldorado dos Carajás

Assalto a bancos em Eldorado dos CarajásDuas agências bancárias de Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará, foram alvo da ação de um grupo armado na madrugada desta quinta-feira (10). De acordo com a Polícia Civil, os  criminosos instalaram explosivos nos caixas eletrônicos e cofres para detoná-los, danificando a área interna dos bancos. Um dos vigilantes foi levado como refém durante a fuga e abandonado na rodovia BR-155, no trecho conhecido como Curva do S. Ainda não há informações sobre a quantia roubada.

Segundo a polícia, os assaltantes seguiram por uma estrada vicinal, que dá acesso às cidades de Piçarra e São Geraldo do Araguaia, no sul do Pará.

Caminhão incendiado em Eldorado dos CarajásO delegado Marcelo Delgado informou que as Polícias Civil e Militar dos municípios de Piçarra, São Geraldo do Araguaia, Redenção e Xinguara foram acionadas para montar barreiras nas estradas de acesso a essas regiões com o objetivo de interceptar o grupo. Policiais militares dos Grupamentos Táticos de Marabá e Parauapebas também foram deslocados para o município, juntamente com policiais civis da Superintendência da Região Sudeste, sediada em Marabá. O helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) de Marabá já está no apoio às buscas aos assaltantes.

Ainda segundo a polícia, pelo menos sete homens armados chegaram a Eldorado dos Carajás em três veículos por volta de 3h desta quinta-feira (10). Um caminhão foi queimado sobre uma ponte na estrada estadual, que dá acesso a Parauapebas, para impedir a passagem da PM até o centro da cidade, onde estão localizados os bancos. Os vigilantes que fazem a segurança das agências contam que o grupo chegou atirando e rapidamente os rendeu. Após explodirem os caixas, um dos vigilantes foi levado como refém e abandonado em seguida durante a fuga dos criminosos.

A unidade do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC) de Parauapebas já foi acionada para periciar os bancos. A assessoria da Polícia Civil informou ainda que irá deslocar policiais da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos (DRRB) para presidir as investigações. (G1)

Parauapebas

Polícias Civil e Militar apreendem 170 quilos de maconha em Parauapebas

As polícias Civil e Militar de Parauapebas apreenderam nesta quarta-feira (21) 170 quilos de maconha prensada e prenderam duas pessoas pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

20151021145551 

A droga foi apreendida em uma fazenda localizada a 50 quilômetros do centro da cidade, onde também foram presos Ilton Carlos Martins e Djalma Coelho. Ilton Martins, conhecido como “Latrozin”, é foragido da carceragem de Pedrinhas (MA) e já responde pelos crimes de latrocínio e roubo majorado. Após o interrogatório, o acusado levou a equipe policial até o local em que foi encontrada a droga.

Lá, dando continuidade à operação, as Polícias Civil e Militar de Parauapebas prenderam em flagrante delito o nacional Antônio Paulo Rodrigues Sampaio,  que, além de participar do tráfico de drogas na região, também tem participação no último roubo a banco do Brasil em Curionópolis, que ocorreu neste último mês de agosto

Segundo informações do delegado Thiago Carneiro, essa é a maior apreensão de drogas em Parauapebas dos últimos cinco anos, e só foi possível chegar até o local após intenso trabalho de investigação. Os acusados estão recolhidos à disposição da justiça.

Pará

Superintendente e Comandante da PM no sul do Pará são homenageados durante solenidade do Programa de Redução a Criminalidade em Belém

Na manhã desta terça-feira, 21, gestores do Sistema de Segurança Pública realizaram homenagem a dez policiais militares e dez policiais civis, durante solenidade alusiva ao encerramento do Ciclo 2015.1 do Programa de Redução a Criminalidade (Prec), no auditório da Secretaria de Planejamento do Estado do Pará (Seplan). O evento comemorou a redução nos índices de criminalidade em dez Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs) do Estado do Pará.

Durante o evento, cerca de 400 agentes de segurança receberam certificado de participação e agradecimento dos resultados obtidos em relação a diminuição dos principais tipos de delitos como homicídio, latrocínio e roubo, nos municípios do Estado, sendo eles Soure, Paragominas, Breves, Tucuruí, Redenção, São Felix do Xingu, Abaetetuba, Capanema e Altamira.

Miranda

Entre os agraciados estavam o delegado Antônio Miranda (foto), superintendente da Polícia Civil do Araguaia Paraense, com sede em Redenção, e o Coronel Oliveira (foto), comandante regional da 13ª RISP, onde graças as ações de repressão ao tráfico de drogas, com a locação de servidores em locais estratégicos e as operações na zona rural – onde via de regra o policiamento é fraco – e reforçando o policiamento nas vilas, o crime de homicídio doloso, que serve como parâmetro para criminalidade, foi reduzido em 20% na região.

O evento contou comas as ilustres presenças do secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, General Jeannot Jansen, do comandante geral da PM no Pará, coronel Campos, e do delegado geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino de Souza, além de autoridades das polícias civil e militar e agraciados.

O Projeto Piloto 2013 do Programa de Redução da Criminalidade foi implantado em outubro de 2013, na Região Metropolitana de Belém, visando estabelecer e regular o modelo de gerenciamento para a redução da criminalidade na RMB, a ser operacionalizado pelas instituições diretamente envolvidas no programa (Segup, Polícia Militar e Polícia Civil). Em janeiro de 2014 o programa passou a funcionar em todas as regiões 15 integradas de Segurança Pública do Estado (Risps).

O programa se baseia em metas de redução de crimes (Indicadores de Criminalidade) previamente fixadas e estabelecidas para cada Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), com responsabilidade compartilhada pelas Polícias Militar e Civil, por meio das coordenadorias colegiadas.

Parauapebas

Casos de Polícia

450 caixas de remédios furtados foram apreendidos em Marabá

  • A Polícia do Pará apreendeu na última quarta-feira (8), em duas farmácias de Marabá, cerca de 450 caixas  com medicamentos desviados da Farmácia do Trabalhador do Brasil (FTB). De acordo informações divulgadas pela Polícia Civil, três homens que eram proprietários dos estabelecimentos foram presos em flagrante e estão à disposição da Justiça. “Os três presos eram sócios proprietários das farmácias onde foram encontrados os produtos desviados”, explicou o delegado Márcio Maio. Nas farmácias foram encontrados diversos medicamentos, inclusive remédios controlados. Na investigação foi descoberto que o autor do furto dos produtos é um ex-supervisor da FTB. Ele foi detido e conduzido até a delegacia, mas como não foi pego em flagrante, foi liberado e deve responder a inquérito policial pelo crime.

Preso com 19 tabletes de maconha na PA-160

  • Um fugitivo do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão foi preso durante uma operação da Polícia Civil na Rodovia PA-160, que liga Parauapebas a Canaã dos Carajás. Raimundo Nonato Silva Serra viajava em uma van com destino a Parauapebas. Ao revistarem o veículo, no município de Canaã dos Carajás, os policiais encontraram em poder dele 19 tabletes de maconha. Silva Serra, que é natural de Monção, no Maranhão  é suspeito de matar uma homem em Canaã dos Carajás no mês de março.

PC prende três acusados de saidinha bancária

  • Polícia Civil de Parauapebas cumpriu três mandados de prisão preventiva em desfavor dos nacionais Francimar Viveiros Costa, Marco Antônio da Silva Pereira e Paulo dos Santos Silva. “Os suspeitos fazem parte de uma associação criminosa especialista em saidinha bancária”, afirmou o delegado Tiago carneiro, superintendente regional de Polícia Civil em Parauapebas. De acordo as investigações, a quadrilha cometeu três saidinhas bancárias nos últimos dias, sendo que da ultima vítima levaram R$17.000,00. Com os suspeitos foram apreendidos R$2.000,00, três motocicletas e diversos aparelhos telefônicos. A investigação e a prisão foi efetuada pelo DPC Paulo e IPC’s Almeida, Bonfim e Baiano, sob coordenação da Superintendência Regional de Carajás.

Governo federal vai acompanhar apuração de matança em Belém

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República incumbiu o Ouvidor Nacional dos Direitos Humanos, Bruno Renato Teixeira, de acompanhar as investigações das mortes de dez pessoas ocorridas na noite de ontem (4) e na madrugada de hoje (5) em Belém.

Em nota, a secretaria Informa estar em contato com as autoridades do estado do Pará e do Ministério da Justiça, para obter informações sobre a apuração do caso. As mortes são investigadas pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Na noite dessa terça-feira, o cabo Antônio Figueiredo, da Polícia Militar (PM), que não estava em serviço, foi morto a tiros no bairro Guamá. Na madrugada de hoje, nove pessoas foram assassinadas em bairros diferentes de Belém, depois de serem abordadas em vias públicas por pessoas em motos.

Só após os trabalhos de investigação e da perícia criminal, a polícia poderá dizer se existe vínculo entre os homicídios com a morte do policial. A Corregedoria-geral da PM investigará o possível envolvimento de policiais nas mortes.

Justiça

GGI-Parauapebas: segurança pública será reforçada com o fortalecimento da integração entre órgãos

Nesta terça-feira (04) foi apresentado oficialmente o Gabinete de Gestão Integrada no Município (GGI-M), que tem como principal proposta desenvolver ações que promovam maior segurança para a população e seu respectivo bem estar social.

lançamento2

Além do prefeito Valmir Mariano, secretários de governo e vereadores, o evento contou também com a presença das seguintes autoridades: o juiz Líbio Moura, titular da Vara Penal de Parauapebas; o delegado Marcelo Delgado Dias, superintendente regional da Polícia Civil; o Major Alan Costa da Silva, do 23º Batalhão da Polícia Militar; Rafael Oliva Caravelo Barra, representando a Defensoria Pública; Eduardo Falesi, do Ministério Público.

O prefeito Valmir Mariano destacou os investimentos na segurança pública por entender a necessidade de melhorias nessa área para a cidade. “Logo que assumimos, a nossa gestão implantamos o sistema de videomonitoramento, criamos a Secretaria de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão e iniciamos o processo do concurso público para a formação da guarda municipal”, lembrou o prefeito.

“Agradeço o papel de protagonista que a prefeitura de Parauapebas tem exercido junto ao poder judiciário para melhorar a segurança pública. Antes nós já contávamos com uma espécie de gabinete informal, a partir de agora teremos condições de ser mais eficazes e de dar uma resposta mais rápida para a população” destacou o juiz Líbio Moura.

Lançamento

Hipólito Gomes, titular da Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi), organizadora do evento, esclareceu o papel da secretaria e destacou a sua importância no processo de integração dos órgãos. “Vamos criar em conjunto uma agenda articulada para o desenvolvimento de políticas públicas para a segurança”, acrescentou o secretário.

De acordo com o prefeito Valmir Mariano, que preside o gabinete, a partir dessa apresentação oficial do GGI-M à comunidade, os envolvidos terão uma agenda de reuniões para discutir e deliberar os assuntos mais prioritários. O primeiro encontro está agendado para a próxima semana.

GGI-M

A criação dos GGI-Ms é uma diretriz estratégica do Ministério da Justiça, com ações apoiadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), voltadas para construção de uma cultura de paz, através de trabalhos focados na segurança cidadã, com a participação efetiva dos agentes de segurança e da sociedade civil organizada.

O GGI-M é um fórum executivo e deliberativo que tem como missão integrar sistematicamente os órgãos e instituições federais, estaduais e municipais, priorizando planejamento e execução de ações integradas de prevenção e enfrentamento da violência e criminalidade.

Ministério Público

Pará: MP oferece denúncia contra 20 policiais militares presos na operação Katrina

imageO Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do 2ª promotor de Justiça Militar Armando Brasil Teixeira (foto), ofereceu denúncia contra os 20 policiais militares presos ontem, 21, na chamada Operação Katrina. Eles são acusados de estarem envolvidos em atividades ilícitas como arrecadação de dinheiro proveniente de comércio ilegal de estrangeiros e rede de corrupção instalada no 2ª Batalhão da Polícia Militar.

O promotor de Justiça Armando Brasil requereu a prisão com base nas conclusões do inquérito policial militar. A corregedoria da Polícia Militar efetuou as prisões. O representante do MPPA também já pediu a abertura de procedimento para a expulsão dos envolvidos da corporação.

Foram denunciados os policiais militares:

1. ASP. OF. PM. Luigi Rocha da Silva Barbosa

2. CB. PM. Celso da Silva Montelo

3. SD. PM. Rogério Soares Pereira

4. SGT. PM. Valdenildo Campos Gouveia

5. CB. PM. Almiro Mesquita da Costa Junior

6. CB. PM. Maria Lídia Borges Ribeiro

7. SD. PM. João Paulo de Souza Rodrigues

8. CB. PM. Raimundo Nonato Rodrigues Ferreira

9. CB. PM. Alcimar Ramos Lobato

10. CB. PM. Evandro Aires de Azevedo

11. SD. PM. Eri de Jesus da Silva Corrêa

12. CB. PM. Marcio Lopes Rosa

13. SD. PM. Jefferson Raiol de Souza

14. CB. PM. Wilson Dias Valente

15. SD. PM. Eric Melo da Paixão

16. CB. PM. Selma Regina Reis dos Santos

17. CB. PM. Lucinea Nunes da Luz

18. SD. PM. Heraldo Vasque Lira

19. CB. PM. Claudio Luciano Freitas Costa

20. CB. PM. Adauto Tavares

Após inquérito policial militar instaurado para apurar a conduta dos policiais militares Luigi Barbosa e Celso Montelo, ambos da 1ª Cia do 2ª Batalhão da Polícia Militar, constam nos autos que Luigi estaria no comando de uma rede de corrupção instalada no 2ª BPM. Dentre as atividades ilícitas comandadas pelo Aspirante, destacam-se a arrecadação de dinheiro proveniente de comércio ilegal de estrangeiros e a extorsão de beneficiários do Seguro Defeso – pagamento feito ao pescador que exerce a atividade de forma artesanal, no período de proibição da pesca para determinadas espécies.

A rede criminosa comandada por Luigi permite a dispensa do serviço de diversos Policiais Militares em troca de dinheiro. Durante as investigações, foi apurado que o Aspirante teria acesso a atestados médicos falsos, simulando doença para não trabalhar.
Consta também que o 2ª denunciado Celso da Silva Montelo acobertava uma traficante de entorpecentes, Circe Brito de Almeida, na extensão do comércio e parar acobertar o crime, passava a exigir da referida traficante pagamento de propina.

Celso extorquia também colombianos que atuam na cidade de Belém. Alheio aos crimes que os estrangeiros cometiam e a falta de conhecimento destes no que tange a aplicação das leis, o policial militar exigia um pagamento semanal de propina para acobertar as atividades ilícitas.
Entre os crimes de concussão, prevaricação e corrupção ativa, Cláudio Luciano Costa e Celso da Silva Montelo incorreram no delito de extorsão mediante sequestro. Luigi Barbosa, por violação do dever funcional com o fim de lucro, condescendência criminosa e inobservância de lei, regulamento ou instrução.

Rogério Soares Pereira, Valdenildo Campos Gouveia, Almiro Mesquita da Costa Júnior, Heraldo Vasque Lira incorreram no delito de concussão e prevaricação.

Maria Lídia Borges Ribeiro e Adauto Tavares, por delito de concussão. João Paulo de Souza Rodrigues, concussão e corrupção ativa.

Raimundo Nonato Rodrigues Ferreira, Alcimar Ramos Lobato, Evandro Aires de Azevedo, Eri de Jesus da Silva Corrêa, Marcio Lopes Rosa, Jefferson Raiol de Souza, Wilson Dias Valente, Eric Melo da Paixão, Selma Regina Reis dos Santos e Lucinea Nunes da Luz incorreram no crime de corrupção ativa.

Diante os fatos apurados no inquérito policial militar, o promotor de Justiça Armando Brasil Teixeira requer o recebimento da presente denúncia, citando os acusados para se defenderem sob pena de revelia, designando dia, hora e local para ser interrogado. E a notificação das testemunhas para serem inquiridas. (MPPA)

PM apreende madeira ilegal no valor de R$300 mil em Parauapebas

Durante operação conduzida pelo Tenente-Coronel Queiroz, comandante do Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas que aconteceu na madrugada desta quarta-feira (28) na Zona Rural do município foram apreendidos cinco caminhões que conduziam madeira serrada e um carregado de toras.

DSC_9323A madeira supostamente é de origem ilegal e era oriunda da Vila 4 Bocas, Zona Rural do município de Itupiranga. O destino, segundo o Ten-Cel. Queiroz, eram depósitos de madeira de Parauapebas e Canaã dos Carajás. A madeira é do tipo castanha do Pará, que tem o corte e beneficiamento proibido por Lei.

Seis motoristas foram presos e aguardam para prestar depoimento na Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, para onde foram conduzidos também os caminhões. A Polícia Civil já notificou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que tratará das ilegalidades ambientas, enquanto a Polícia Civil investigará a origem e destinatários da madeira para autuá-los conforme prevê a lei. Segundo o delegado Rodrigo Paggi, há indícios, ainda, de que os caminhões têm sinais identificadores adulterados. Os seis motoristas  flagrados transportando madeira irregular responderão pelo que preconiza o art. 46, parágrafo único da Lei de Crimes Ambientais e por outros que surgirem no decorrer das investigações. Sabe-se, afirma o delegado, que alguns motoristas não estariam habilitados para conduzir veículos pesados, o que também é crime.

DSC_9339Segundo o comandante da PM local, a madeira apreendida está avaliada em aproximadamente R$300 mil e será repassada aos órgãos competentes, no caso ICMBio e IBAMA para que os mesmos procedam com a lavratura dos Autos de Infração e consequentemente se apliquem as multas aos extratores, condutores e receptores da madeira apreendida.

Reportagem e fotos: Ronaldo Modesto