Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Ligação para prevenção do suicídio se tornará gratuita para todo País amanhã

Parceria entre Ministério da Saúde e Centro de Valorização da Vida torna ligação para prevenção do suicídio gratuita nos quatro estados que restavam
Continua depois da publicidade

A partir deste domingo (1º), as ligações para o Centro de Valorização da Vida ( CVV ) que ajuda na prevenção ao suicídio se tornarão gratuitas em todo País. Os únicos quatro estados que ainda não tinham o serviço à disposição gratuitamente eram Bahia, Maranhão, Pará e Paraná, mas eles se juntaram aos demais a partir de agora graças a uma parceria com o Ministério da Saúde.

A parceria começou em 2015. Na ocasião, a assinatura do termo de cooperação técnica entre o CVV e o Ministério da Saúde aconteceu e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou o ato de autorização que estabeleceu que o número 188 seria disponibilizado para a realização da ligação para prevenção ao suicídio.

O serviço gratuito, porém, começou valendo apenas no Rio Grande do Sul. Nessa fase, o número de atendimentos diários realizados por ligação saltaram de 250 para 800. O sucesso do projeto piloto fez com que o número 141 (que cobra pela ligação) fosse sendo substituído gradualmente pelo número 188 (gratuito). A expansão foi feita em etapas. Após o Rio Grande do Sul, Acre, Amapá, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima e Santa Catarina receberam a novidade no dia 30 de setembro de 2017. Depois foi a vez do Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Tocantins e Amazonas também fossem contemplados pela novidade a partir do dia 9 de dezembro de 2017. Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe se juntaram ao grupo no dia 30 de março de 2018. E a partir da amanhã Bahia, Maranhão, Pará e Paraná unificarão o atendimento no País inteiro.

A mudança ainda prevê que ao unificar o atendimento num único número nacionalmente, os usuários poderão ser atendidos por voluntários disponíveis em qualquer estado do Brasil. Antes, como os atendimentos eram locais e variavam de cidade para cidade, se um usuário fizesse uma ligação para prevenção do suicídio e encontrasse uma linha ocupada, ele teria que aguardar até que o atendimento anterior fosse finalizado.

Agora, porém, o atendimento poderá ser realizado por alguém que está até mesmo do outro lado do País. Vale ressaltar que as ligações para o 188 são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular, provenientes de qualquer cidade do estado contemplado, a partir desse domingo.

Apesar da novidade representar um grande avanço no combate ao suicídio no Brasil, ligações não são a única alternativa para o usuário que pensa em suicídio e busca ajuda. O atendimento do CVV é realizado tanto pelo telefone como por e-mail, chat online e até presencialmente numa das 89 unidades de atendimento espalhadas pelo País.

O CVV, que foi fundado em São Paulo em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos reconhecida como de Utilidade Pública Federal desde 1973. O Centro conta com mais de 2 milhões de atendimentos anuais, realizado por aproximadamente 2.400 voluntários que mantém total sigilo e anonimato necessário para quem quer tocar num assunto tão íntimo. Dessa forma, aqueles que desejarem fazer uma ligação para prevenção do suicídio podem ligar para o número 188 a partir de amanhã de qualquer lugar do País e encontrarão uma pessoa treinada para oferecer ajuda com toda a segurança. A expectativa do CVV é atender mais de 2,5 milhões de ligações esse ano.

Proerd

PM: Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência forma quase um mil e cem alunos em Tucuruí

O Proerd é a versão brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistance Education (D.A.R.E), implantado pela Polícia de Los Angeles em 1983, com ações voltadas para a prevenção às drogas.
Continua depois da publicidade

1.070 alunos de diversas escolas do município de Tucuruí se formaram nesta sexta-feira (15) pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). A cerimônia de formatura aconteceu no colégio Gumercindo Gomes e reuniu alunos de escolas como Fernando Guilhon, Assis Rios, Teles de Menezes e Maria Silva.

A solenidade de formatura reuniu ainda familiares dos alunos e autoridades, entre eles, o Prefeito Bena Navegantes, o Tenente coronel André e a secretária de Educação Conceição Bugarim.

O Prefeito destacou que o Proerd tem a missão de prevenir e orientar as crianças e adolescentes, preparando-os para o futuro. “A ideia é que eles se tornem agentes multiplicadores dos conhecimentos adquiridos nas aulas”.

Durante a solenidade, alunos foram homenageados e premiados por terem se destacado ao longo das atividades que foram desenvolvidas nas escolas. Professores, instrutores do Proerd e autoridades também foram homenageadas. As ações do Proerd nas escolas foram desenvolvidas pelo 13ª Batalhão de Polícia Militar de Tucuruí em parceria com a Prefeitura de Tucuruí. Todo o conteúdo do programa é ministrado por policiais treinados.

A proposta do Proerd é orientar e prevenir, por meio atividades educacionais, quanto às consequências que as drogas podem causar na vida das pessoas.

Prevenção – O Proerd é a versão brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistance Education (D.A.R.E), implantado pela Polícia de Los Angeles em 1983, com o objetivo de atuar na prevenção ao uso de drogas por crianças e adolescentes. Atualmente, está presente em 64 países. No Pará, foi iniciado em 2003 e em parceria com o Pro Paz já formou mais de 1.200 crianças, do 5° ao 7° ano, de escolas públicas localizadas na Região Metropolitana de Belém (RMB) e interior do Pará. As novas atividades do programa em Tucuruí e nos outros municípios do Pará iniciam na primeira semana de agosto.

Prevenção

Aeroporto de Belém adere ao Outubro Rosa

A campanha Outubro Rosa foi criada no início da década de 90 com lançamento do laço cor-de-rosa, símbolo da prevenção ao câncer de mama.
Continua depois da publicidade

Durante todo este mês, a fachada do Aeroporto Internacional de Belém, que em 2016 recebeu cerca de 3,3 milhões de passageiros, ficará iluminada na cor rosa como forma de apoio à campanha de prevenção do câncer de mama Outubro Rosa. A campanha também foi incentivada com distribuição de fitinhas cor de rosa para empregados, visitantes e passageiros do terminal.

Na última sexta-feira (13) os usuários foram recebidos apresentação de músicas regionais pelo Coral Timbres, que integra projeto da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), em parceria com a entidade beneficente Amigas do Peito Pará.

A campanha Outubro Rosa foi criada no início da década de 90, época em que o símbolo da prevenção ao câncer de mama, o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA).

Mais comum entre as mulheres, a maioria dos casos de câncer de mama tem sido diagnosticados em estágios avançados. No Brasil, as taxas de mortalidade são elevadas, daí a importância do diagnóstico precoce, que, aliado ao tratamento, possibilita melhores resultados.

Uma das formas detecção do câncer de mama é a mamografia. É recomendado que as mulheres entre 50 e 69 anos realizem o exame a cada dois anos, mesmo que não tenham alterações.

O câncer de mama é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, excluindo-se o câncer de pele. No Brasil, as mulheres devem enfrentar, em 2017, 57.960 casos novos de câncer de mama, de acordo com estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano no País. Em 2015, 15.403 mulheres morreram por conta do câncer de mama no Brasil.

Ministério da Saúde

Departamento de Atenção Básica do MS promove ações de Atenção Básica em Sistema Prisional do Pará

Iniciativa visa garantir os direitos à saúde da população carcerária, afirmou o diretor do DAB João Salame Neto.
Continua depois da publicidade

O Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde – DAB – realizou, nos dias 2, 3 e 4 de outubro, ação de alinhamento técnico e promoção de estratégias de Atenção Básica no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA), em Marabá, no Pará.

A iniciativa é voltada para a atenção à Saúde de 600 pessoas privadas de liberdade e reuniu mais de 32 profissionais da saúde. Eles trabalharam na prevenção de doenças como hipertensão arterial; diabetes; HIV; hepatites, sífilis, tuberculose, hanseníase e escabiose.

Participaram do evento de abertura o Diretor do DAB, João Salame Neto, e os parceiros do departamento na ação. Entre eles, representantes da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá, da Secretaria Estadual de Saúde do Pará e da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará.

“Esse é um projeto piloto que pretendemos expandir para outras Unidades Penitenciárias e visa garantir direitos, além de distensionar o ambiente prisional”, afirmou o diretor.

Prevenção combate problemas trabalhistas em grandes e pequenas empresas

Em tempos de crise e dinheiro mais curto, advogados alertam: prevenir é melhor do que remediar
Continua depois da publicidade

 

O dia a dia de cada empresa costuma ser pra lá de movimentado para estimular a produtividade que mantém empregos, paga contas e gera lucros. Entretanto, como em todas as relações humanas, muitas vezes as relações de patrões e empregados acabam incorrendo em erros. Uns mais sutis outros mais graves, que mais tarde acabam por tornarem-se verdadeiras bolas de neve a serem resolvidas em instâncias judiciais. Processos que, muitas vezes, se arrastam e geram custos com os quais não se pode arcar, sobretudo, em tempos de crise e dinheiro mais curto.

É bem verdade que não há como afirmar que exista um único problema mais frequente entre as empresas, considerando que a atuação de cada uma delas ocorre em segmentos distintos. Porém, para a advogada Vanessa Brasil, do Abdulmassih Advogados, a maior questão, que se revela comum entre todas elas, é a falta de informação. “Por vezes, os empregadores pensam que estão atuando de forma correta, mas sem o auxílio de um profissional habilitado, acabam incorrendo em erros que se convertem em perdas financeiras significativas”. Os especialistas observam, entretanto, que as empresa cometem erros bobos, ainda que não intencionais,  que fazem com que seus funcionários, quando demitidos, ajuízem ações requerendo o pagamento daquilo que, na maioria das vezes, já foi pago, mas que não há comprovação, ou foi pago de forma equivocada, fazendo com que os empresários tenham uma dupla despesa.

No Direito Empresarial, dados revelam que o maior benefício da advocacia preventiva na esfera trabalhista são os êxitos alcançados pelas empresas nas demandas ajuizadas contra elas na Justiça Especializada. Isso porque a empresa bem assessorada sempre consegue demonstrar nos processos que  sua atuação junto a seus empregados é correta.

Dicas preventivas

Ainda segundo a advogada Vanessa Brasil, é muito mais lucrativo prevenir do que remediar, seja em  empresas grandes ou pequenas. Nesse contexto, a dica é: procurar sempre um escritório especializado, demonstrar sua operação e montar uma estratégia que atenda à legislação. Outras dicas que podem ajudar às empresas são: registre sempre o contrato de trabalho do seu funcionário em CTPS;  recolha sempre os valores devidos aos funcionários; mantenha  atualizados os programas de saúde e segurança do trabalhador; todos os pagamentos realizados devem constar em documentos a serem assinados pelos próprios funcionários; providencie para que os registros de jornada estejam sempre anotados de forma fidedigna.

Vanessa complementa: “Fazemos um trabalho preventivo, orientando o RH das empresas antes de alguma conduta ser adotada em situações que possam impactar nas atividades regulares. Além disto, fazemos uma análise e mapeamento das decisões jurídicas desfavoráveis ao cliente a fim de subsidiar possível mudança nos procedimentos adotados pelas empresas e com isto evitar e prevenir prejuízos.”

Foi o que fez o gerente geral de uma escola de idiomas, Wendel Gonçalves, 43, que há mais de 10 anos conta com assessoria jurídica. Segundo ele, o relacionamento entre empresa e funcionários melhorou consideravelmente no aspecto da transparência. “O maior fundamento de tudo é fazer um trabalho de prevenção. Hoje, quando se fala em custos e despesas, concluímos que a assessoria jurídica  nos gera redução de custos. O escritório, sendo nosso parceiro, passa a conhecer profundamente o nosso negócio e a contribuir com ele”.