Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Religião

37º Círio de Nazaré em Marabá teve 4 horas e 20 minutos de duração

Fora o atropelamento de um agente de trânsito por motociclista embriagado, antes da procissão, tudo transcorreu com tranquilidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Sem alterações e dentro do que foi planejado. Foi assim que Mauro de Souza, um dos diretores do 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá, definiu a grande romaria de 2017. Foram 4 horas e 20 minutos de caminhada entre a Praça Duque de Caxias, onde a procissão começou pontualmente às 7h a fazer o percurso de 7,3 km até chegar ao Santuário da Folha 16, na Nova Marabá,
às 11h20.

Durante o segundo Círio do Pará em número de fiéis, a santa padroeira recebeu várias homenagens, com fogos, cânticos e muita devoção. Na corda dos promesseiros, este ano com 400 metros de comprimento, cada centímetro foi disputado silenciosamente por mãos que agradeciam por alguma graça alcançada.

Até o clima colaborou para que o Círio deste ano em Marabá transcorresse com tranquilidade. Ao contrário de dias anteriores quando a temperatura estava muito alta, neste domingo o calor se mostrou suportável, sem romeiros passando mal ou desmaiando com insolação.

Segundo a Polícia Militar, que atuou com 128 homens na segurança da procissão, o número da ocorrência de pequenos furtos diminuiu bastante este ano, com 10 pessoas sendo detidas como suspeitas. Porém, como nada foi encontrado com elas, acabaram liberadas.

Agente atropelado
Homens do DMTU, Bombeiros e Guarda Municipal também atuaram na romaria e um único incidente foi registrado no trânsito, quando o motociclista Fernando da Silva Cruz, por volta das 6h30, pilotando embriagado, conforme constatado pelo teste do etilômetro (bafômetro), atropelou o agente de trânsito Carpegiani.

Conforme o diretor do DMTU, Jocenilson Silva Souza, o atropelamento se deu na Avenida Antônio Maia, fechada para o trânsito de veículos desde as 5 horas. Fernando chegou a furar o bloqueio e foi advertido por Carpegiani que desse meia volta. A princípio ele pareceu ter seguido a orientação, mas, logo em seguida, acelerou em frente batendo no agente. Fernando acabou preso na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, para onde foi levado, e Carpegiani, com o dos braços deslocado, removido ao Hospital Municipal, onde foi atendido. Liberado em seguida, o agente se encontra em casa, se recuperando.

Agradecimento
Ao final da procissão, na missa campal na praça em frente ao Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16, o bispo dom Vital Corbellini disse estar emocionado com a participação de todos no Círio 2017, os sacerdotes, os colaboradores, os voluntários, profissionais de Comunicação, que propagaram amplamente a grande festa religiosa, e aos fiéis. Depois pediu as bênçãos e a proteção de Nossa Senhora de Nazaré às famílias, reforçou a fé e a esperança em Maria e desejou que todos vivam em comunhão com Deus, por meio da padroeira. “Saímos daqui, do Círio, irmãos e irmãs, mais fortalecidos, pedindo bênçãos à nossa cidade de Marabá, pedindo água, pedindo bênçãos aos homens e mulheres, aos nossos filhos. Clamaremos a ela e ela vai levar tudo a Jesus”, disse Dom Vital.

Indagado sobre o número de fiéis que acompanhou a 37ª romaria, Mauro de Souza disse ainda não ter a informação oficial, mas estima que havia mais romeiros que em 2016, quando, segundo a Polícia Militar, cerca de 240 mil pessoas seguiram na procissão. Contatado pelo Blog, o comando do 4º BPM disse que os cálculos ainda estão sendo feitos e devem ser divulgados em breve.

Religião

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré será recebida na Câmara Municipal de Marabá nesta terça-feira

A diretoria da festa religiosa afirma estar com tudo pronto para a grande romaria de domingo, dia 15.

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Passado o Círio de Nazaré em Belém, no último domingo (8), a diretoria do 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá está com tudo pronto para a procissão local, que acontece no próximo domingo (15), quando a imagem da santa padroeira do Pará sai do palco da Catedral de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Núcleo Pioneiro e, após romaria num percurso de 7 mil e 300 metros, chega ao Santuário da Folha 16, na Nova Marabá.

Este ano a novidade é a nova corda dos promesseiros, tecida em sisal e adquirida em Conceição do Coité, na Bahia, com 400 metros de comprimento, 80 metros a mais que a antiga, que estava em uso desde 2013. A corda, já com as despesas de transporte, custou R$ 7 mil.

Segundo os diretores Mauro de Souza, Ederaldo Souza, Marciomar Sirqueira e Juan Mateus de Souza, assim como no ano passado, não haverá a trasladação pelo Rio Tocantins, pelo fato de as águas estarem muito abaixo do nível, o que poderia causar acidentes com as embarcações.

Dessa maneira, a imagem, ao sair do Santuário da Folha 16, na tarde de sábado (14), será levada à margem do rio, no Balneário Mangueiras, onde o bispo Dom Vital Corbellini ministrará uma bênção especial a dezenas de barqueiros e rabeteiros.

Em seguida, a romaria rodoviária segue pela mesma via à Velha Marabá. Enquanto isso, os donos das embarcações, devotos da santa, fazem sua romaria na parte onde o rio está mais profundo, mas sem a imagem, diferentemente do que acontecia até 2015.

Amanhã, terça-feira (10), às 9h, a imagem será recebida por vereadores e servidores da Câmara Municipal de Marabá; em seguida visita uma empresa de Informática na Nova Marabá e, no final da tarde, será levada às dependências de um grupo de comunicação da cidade com matriz em Belém.

Ouvido pelo Blog, Dom Vital Corbellini se disse muito satisfeito com a organização, muito feliz por estar vivenciando mais Círio em Marabá e ressaltou que a procissão deve reunir o mesmo número de fiéis do ano passado, cerca de 240 mil, segundo a Polícia Militar.

III Círio Musical

Este ano, o Círio Musical, em sua terceira edição, terá como destaque o padre Reginaldo Manzotti, cantores de Belém e artistas locais. Veja, a seguir, programação:

Dia 14/10

Palco da Catedral. Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Marabá Pioneira

– 17h30 Show com artistas paraenses Madalena Aliverti e Eriko Neles, acompanhados pelo maestro Tynnoko Costa

– 19h – Missa. Campal celebrada presidida pelo bispo diocesano Dom Vital Corbellini.

– 20h – Retorno musical com Madalena Aliverti.

– 20h20 – Show de Evangelização com o padre Reginaldo Manzzoti.

Dia 15/10

Palco da Catedral. Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Marabá Pioneira

– 5h30 – apresentação musical com a cantora Paraense Lucinha

Bastos.

– 6h – Missa Campal celebrada pelo bispo diocesano Dom Vital Corbellini.

– 7h – retorno musical com Lucinha Bastos.

Palco da Prefeitura Municipal – AV. VP-8 – Nova Marabá

– A partir das 8h30

 – Apresentação musical com artistas locais: Nilva Burjack, Nilma de Amorim Júnior, Dedê Alves, Sara Maria Peixoto, Caio e Tynan, Banda Municipal de Marabá eTony dos Anjos.

– Apresentações musicais com artistas convidados: Madalena Aliverti, Eriko Neles, maestro Tynnoko Costa, Lucinha Bastos, Gerson Araújo e lsmaelino Figueiredo.

– Homenagem especial: Apresentação Musical: padre Reginaldo Manzotti.

Política e religião

A um ano da eleição, todos os caminhos levam a Belém

Nesta semana, a capital do Pará transformou-se em cenário de peregrinações: uma com milhares de católicos durante a passagem de Nossa Senhora do Nazaré, e outra, de políticos em busca de mais popularidade.

Nesta semana, a capital do Pará transformou-se em cenário de peregrinações: uma com milhares de católicos durante a passagem de Nossa Senhora de Nazaré, e outra, de políticos em busca de mais popularidade. Não fosse pela primeira romaria, a segunda provavelmente não aconteceria.

O Círio de Nazaré é um dos maiores eventos religiosos do mundo – estimativas oficiais falam em 2 milhões de devotos nas ruas de Belém. Por sua vez, os políticos querem surfar nessa onda, mostrar agendas positivas, tirar selfies com populares e aproveitar que a atenção dos católicos está voltada para a cidade.

Apareceram três nomes: o presidente Michel Temer (PMDB), o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) – os dois últimos são pré-candidatos à Presidência da República. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também cogitou uma visita, mas acabou desistindo.

Temer foi o primeiro a pisar na capital e deu um agrado aos devotos de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do Estado. Em evento no centro de Belém, o peemedebista anunciou a doação de um terreno da União à Igreja Católica. A área, de cerca de 10 mil m², pertencia ao Exército e era um antigo pleito da arquidiocese paraense – que foi dona do imóvel até 1849.

Desde 2010, congressistas do Pará criam emendas parlamentares para beneficiar a troca de dono do terreno. Segundo Dom Alberto Taveira Corrêa, arcebispo de Belém, o dinheiro era entregue diretamente para o Exército, sem participação da Igreja – foram R$ 43 milhões. Faltava ainda a assinatura do presidente.

Temer classificou a cessão do terreno como “um ato religioso, e não administrativo”. Ressaltou também a rapidez com que o processo foi resolvido: foram sete dias para que todas as questões burocráticas – há anos paradas nos escaninhos do Planalto – fossem resolvidas e ele pudesse anunciar a doação às vésperas do Círio.

“Vejam, esse ato foi consolidado em sete dias desde que caiu na minha mão. Nosso governo é um governo rápido. Toda vez que você pratica um ato dessa natureza, você está fazendo uma religação espiritual”, disse Temer, em evento ocupado por líderes religiosos e políticos locais, como Jader Barbalho, ex-governador do Pará, e seu filho Helder, hoje ministro da Integração Nacional.

A agenda positiva, em semana de Círio, buscava melhorar a imagem do presidente na região Norte. Pesquisa Datafolha de setembro apontou que 93% dos moradores da área avaliam o governo Temer como regular, ruim ou péssimo. Apenas 4% acham a gestão boa ou ótima.

Críticas da Igreja

Também foi um agrado à Igreja Católica, que vem reiteradamente criticando Temer por meio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em agosto, por exemplo, a Igreja repudiou o decreto presidencial que liberou a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca), no Pará. Disse que ação “cedia aos grandes empresários da mineração” e que não houve consulta aos povos indígenas.

Nesta sexta, a CNBB se voltou novamente contra Temer e divulgou relatório com críticas à forma como seu governo vem tratando a violência contra indígenas. “No governo de Michel Temer”, diz o relatório, “há um processo em curso de ofensiva, articulado com a bancada ruralista do Congresso Nacional, que busca retirar direitos já conquistados (por povos indígenas) na Constituição de 1988”.

Essa foi apenas a segunda visita de Temer a um Estado da região Norte desde que assumiu o governo, em 12 de maio do ano passado, quando herdou o cargo de Dilma Rousseff (PT), destituída por impeachment. Ele não respondeu a perguntas da imprensa.

Para Edir Veiga, doutor em ciências políticas e professor da Universidade Federal do Pará, o aceno de Temer à Igreja, na semana do Círio de Nazaré, “quis mostrar uma agenda positiva, alegrar a Igreja nesse momento de homenagem a padroeira do Estado. É uma aposta que faz para tentar melhorar sua popularidade, que pode ter um salto caso a economia volte a crescer”.

Já Hilton Cesario Fernandes, cientista político e professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, acredita que a doação tenha mais efeito de consolidar alianças locais do que melhorar a imagem de Temer na região. “Ele só quer sobreviver politicamente e precisa se segurar para não perder poder depois do mandato. Ele precisa fortalecer essas lideranças locais. É um movimento que vai se repetir, para que depois do mandato ele não fique abandonado. A popularidade não dá mais para recuperar”.

Bolsonaro corre sozinho

Outro que buscou a multidão de Belém nesta semana foi o deputado Jair Bolsonaro, pré-candidato da direita conservadora.

No aeroporto, ele foi recebido por milhares de pessoas, como um “popstar”. Em suas falas, Bolsonaro voltou a temas recorrentes em seus discursos: pediu a prisão de Lula, prometeu o fim restrição ao porte de armas no país, fez elogios à ditadura e críticas à imprensa. Evangélico, o parlamentar falou que, caso eleito, vai respeitar todas as religiões e que admira “essa festa tão bonita que é o Círio de Nazaré”.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta semana mostrou Bolsonaro na segunda posição em intenções de voto para presidente, com 16%. Lula vem em primeiro (36% ) e Marina Silva em terceiro (14%).

Bolsonaro não se encontrou com políticos importantes da região, como os da família Barbalho, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, ou o governador do Pará, Simão Jatene – ambos PSDB. O deputado foi recebido por seu colega Éder Mauro (PSD), ex-delegado no Pará, que foi quem bancou a visita.

O parlamentar conservador deu uma palestra na cidade – o evento acabou em confusão. Foram distribuídos 8 mil ingressos, mas o espaço só comportava mil pessoas. Do lado de fora, o público era formado principalmente por jovens e adolescentes.

Para o cientista político Edir Veiga, Bolsonaro tem grande potencial de votos entre os jovens da região Norte, “porque ele tem respostas simples para problemas complexos, como a violência. Ele acha que a melhor forma de combatê-la é matando bandido ou tornando o rito jurídico mais simples, por exemplo. A juventude alienada, que não discute politica de forma profunda, encontra nele um referencial, um super-herói”.

Já Hilton Cesario Fernandes acredita que Bolsonaro, quando viaja pelo país, está correndo praticamente sozinho nessa pré-campanha, por conta da indefinição de quais serão seus concorrentes em 2018. “Não se sabe se Lula será candidato (por conta de sua condenação por corrupção, ainda sem decisão da segunda instância). O PSDB não se definiu entre Geraldo Alckmin ou Doria. Marina Silva não está fazendo pré-campanha. Com isso, Bolsonaro está competindo sozinho e, onde ele vai, suas falas polêmicas repercutem”, diz o professor.

João Doria e os empresários

O prefeito de São Paulo, João Doria, desembarcou em Belém nesta sexta, sem a recepção calorosa de Bolsonaro. Foi recebido por empresários e ganhou o título de cidadão da capital paraense. Esse tipo de homenagem tem sido usado pelo tucano para justificar viagens país afora. Em São Paulo, há quem critique o método, dizendo que o político se ausenta da administração da cidade para compromissos não relacionados ao seu cargo de prefeito.

Doria afirma que não é “ainda” pré-candidato à Presidência. Um de seus concorrentes para ser o protagonista no PSDB é o governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político. O prefeito defende que o nome da sigla na disputa seja escolhido por meio de prévias, no início de 2018.

Em evento com empresários, Doria fez suas tradicionais críticas ao PT e também elogios ao Pará e ao Círio de Nazaré. “Contem comigo para levantar a bandeira do Pará e do Brasil”, afirmou. Depois pediu para que os presentes cantassem o Hino Nacional e o hino do Estado. Neste sábado, o tucano participou do Círio de Nazaré em um barco da cantora Fafá de Belém, uma das maiores celebridades paraenses.

Para Hilton Cesario Fernandes, o tucano está “testando” sua imagem durante suas viagens. “Ele está tentando se colocar como uma alternativa, como um plano B caso Alckmin não seja candidato por algum motivo. O PT está fazendo a mesma coisa com o (ex-prefeito de São Paulo) Fernando Haddad”.

A visibilidade do Círio

Em 2014, a região Norte correspondeu a apenas 8% do total do colégio eleitoral brasileiro – 10,8 milhões de votos. O Sudeste ficou com a maior fatia e representou 44% (ou 62 milhões); e o Nordeste, 27% (38,3 milhões de votos).

Por conta dessa importância menor em número de votos, os postulantes à Presidência não devem priorizar a região em suas viagens de campanha. “Os candidatos costumam ir às grandes cidades dessa área, até por uma questão de logística e porque, para eles, não vale a pena chegar em cidades menores”, diz Cesario Fernandes.

Segundo ele, o Círio de Nazaré é um dos eventos que mais reúnem pessoas no país – daí sua relevância política. “É o momento de aproveitar a visibilidade do Círio, que é importante nacionalmente e localmente. A mídia está voltada para a cidade. É comum politico aparecer para tirar foto, que depois vai mostrar em propaganda, em vídeo na internet. É como aquela foto com o papa que político gosta de mostrar. Ele não tem contato efetivo nenhum com o papa nem com a cúpula católica, mas a foto representa que ele é importante”, diz o professor.

Por outro lado, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, afirmou que as presenças de Temer, Bolsonaro e Doria não têm relação com a religião. “Não dá para misturar o Círio de Nazaré com política, né? Eu não faço essa ligação. O que houve foi uma bela coincidência”, disse.

Turismo religioso

Aeroporto Val-de-Cans abre receptivo aos turistas do Círio 2017

A expectativa da Infraero para esta edição do Círio é que cerca de 110 mil pessoas utilizem o Val-de-Cans entre os dias 2 e 13 de outubro, um aumento de 5% em relação ao ano anterior

Na próxima terça-feira, a partir das onze horas, o Aeroporto Internacional de Belém iniciará o receptivo aos turistas que vão à capital para participar do Círio de Nazaré.

A expectativa da Infraero para esta edição do Círio é que cerca de 110 mil pessoas utilizem o Val-de-Cans entre os dias 2 e 13 de outubro. É um aumento de aproximadamente 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

E para atender essa grande movimentação, que conta com 45 voos extras, o superintendente do aeroporto, Fábio Rodrigues, explica que a Infraero está preparada para atender aos passageiros que utilizarem o terminal.

“Para ter uma fluidez, foi solicitado reforço das forças policiais que atuam aqui e para o bom atendimento do passageiro, nós fizemos uma parceria com a Estácio de Sá. Alunos do curso de comunicação social, foram treinados pela nossa equipe de operações e vão estar agregados a nossa equipe operacional atuando na recepção e na prestação das informações para os passageiros do aeroporto”.

O superintendente reforça que o turista que chegar à capital pelo Val-de-Cans será envolvido no espírito de uma das maiores celebrações religiosas do mundo e terá muitos motivos para voltar a cidade.

“Vai ser uma forma acolhedora, mais próxima, mais quente de recepção. E isso vai se somar com toda a programação cultural com a exposição dos cabeçudos de São Caetano de Olivelas, vários grupos folclóricos vão estar se apresentando no desembarque, mostrando a cultura paraense na chegada das pessoas. Temos flash mobs também ao longo do dia. E nós vamos ter o nosso grande momento com a visita da imagem peregrina, no dia 3 pela manhã, que vai inaugurar o Círio. Vai ser feita uma grande missa. E nessa data as aeronaves que estiverem pousando aqui vão receber aquele famoso arco com as águas do carro de combate a incêndio, só que dessa vez vai ser com água benta. Então, nós vamos estar abençoando os primeiros voos que vão estar chegando aqui em Belém nessa data do dia três”.

Essas ações são realizadas em parceria com a Secretaria de Turismo do Pará, a Belemtur e a Prefeitura de São Caetano de Odivelas.

Religião

Por 6 votos a 5, STF autoriza que aulas de religião em escolas públicas sigam um único credo

O Supremo tomou a decisão ao julgar uma ação de inconstitucionalidade movida pela Procuradoria-Geral da República, que queria que as aulas de religião oferecessem uma visão plural sobre as diferentes religiões.

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quarta-feira (27) por 6 votos a 5 que o ensino religioso em escolas públicas pode ter caráter confessional, ou seja, que as aulas podem seguir os ensinamentos de uma religião específica.

O Supremo tomou a decisão ao julgar uma ação de inconstitucionalidade movida pela Procuradoria-Geral da República, que queria que as aulas de religião oferecessem uma visão plural sobre as diferentes religiões.

Votaram contra o pedido da Procuradoria, e a favor do ensino confessional, os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, Cármen Lúcia. Os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello concordaram com a ação da Procuradoria e entenderam que as aulas em escolas públicas não poderiam ter conteúdo de apenas uma religião.

O STF analisou uma ação de inconstitucionalidade proposta pela Procuradoria-Geral da República contra o acordo entre o Brasil e o Vaticano e dispositivos da LDB (Lei de Diretrizes e Bases) da Educação, que preveem o ensino religioso nas escolas públicas. O acordo com o Vaticano e o artigo 33 da LDB afirmam que o ensino religioso “constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas”.

Enquanto a LDB proíbe “quaisquer formas de proselitismo [doutrinação]”, o acordo com o Vaticano proíbe “qualquer forma de discriminação” e diz garantir “o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil”.

A Procuradoria defendia que o ensino de religião nas escolas públicas deve contemplar informações sobre a história e doutrina das diferentes religiões, sem tomar partido entre uma delas. O ensino religioso é previsto na Constituição Federal, que diz que “o ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental”.

Em seu voto, contrário ao pedido da ação, o ministro Dias Toffoli afirmou que a própria Constituição autoriza que o ensino religioso seja confessional. “Ocorreu, portanto, uma autorização expressa e consciente do constituinte de que o modelo de educação religiosa em sala de aula fosse sim o confessional”, afirmou. “O Estado brasileiro não é inimigo da fé. A separação entre Estado brasileiro e a igreja não é uma separação absoluta. A neutralidade diante das religiões encontra ressalvas”, disse Toffoli.

Gilmar Mendes ironiza Estado laico Ao votar a favor da possibilidade do ensino confessional, o ministro Gilmar Mendes lembrou que a religião está presente na cultura nacional. “Aqui me ocorre uma dúvida interessante: será que precisaremos em algum momento chegar ao ponto de discutir a retirada da estátua do Cristo Redentor do Morro do Corcovado [no Rio de Janeiro], por simbolizar a influência cristã em nosso país”, perguntou o ministro.

“Ou a extinção do feriado nacional da padroeira Nossa Senhora Aparecida? A alteração do nome dos Estados? São Paulo passaria a se chamar Paulo? Santa Catarina passaria a se chamar Catarina? Espírito Santo poderia se pensar em Espírito de Porco ou qualquer outra coisa”, disse Gilmar. Relator, Barroso defendeu o Estado laico.

O julgamento começou na sessão de 30 de agosto, com o voto do ministro Luís Roberto Barroso, relator do processo, contra a possibilidade de que as aulas tenham caráter confessional, ou seja, sejam ministradas com caráter de doutrinação religiosa, como nas aulas da catequese católica, por exemplo. Isso quer dizer, segundo o voto de Barroso, que os professores não poderiam atuar em sala de aula como representantes de uma determinada religião. Barroso afirmou que, apesar de o ensino religioso estar previsto na Constituição, seria preciso interpretar a questão a partir do princípio de que o Estado é laico.

“O ensino religioso convencional viola a laicidade [do Estado] por que identifica Estado e igreja, o que é vedado pela Constituição”, disse.

“Uma religião não pode pretender apropriar-se do espaço público para propagar a sua fé. Isso seria uma recaída no velho patrimonialismo brasileiro de apropriação privada do espaço público”, afirmou Barroso, que teve seu voto derrotado pela maioria.

Primeiro a divergir do voto de Barroso, o ministro Alexandre de Moraes afirmou que, ao prever o ensino religioso, a Constituição quis que as aulas apresentassem a visão de mundo religiosa e não uma espécie de história das diferentes religiões.

“O Estado, substituindo os dogmas da fé por algo pasteurizado, algo histórico, algo neutro, na verdade ele está impondo o que ele acha que é ensino religioso, contra o que todas as religiões entendem ser ensino religioso, que são os dogmas da fé”, disse Moraes. “A ação pretende criar de forma ficta, de forma artificial, uma doutrina religiosa do Estado”

Legislativo

Falta de acessibilidade em espaços públicos e privados de Parauapebas é a maior dificuldade de pessoas com deficiência

Esse foi um dos assuntos debatidos durante a sessão desta terça-feira na Câmara Municipal de Parauapebas

O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoas com Deficiência de Parauapebas realiza a 9º semana de luta pelos direitos do deficiente. Como parte das atividades de sensibilização, representantes do conselho participaram da sessão da câmara de vereadores, nesta terça-feira, 19, para falar da luta pela inclusão social.

O Conselho foi criado em 21 de março de 2012, mas só em 2013 foi efetivado e hoje conta com 12 conselheiros da sociedade civil e do poder público. Segundo o presidente do Conselho, Edivaldo Lima, não existe um censo que aponta quantas pessoas com deficiência vivem em Parauapebas, mas a estimativa é de cerca de 3 mil. A criação do Conselho trouxe algumas melhorias. “Ao longo dos 4 anos, conseguimos implantar no município a reabilitação para crianças com deficiência, que é feita na Policlínica, e antes era realizada pela Apae, mas o Conselho conseguiu fazer com que o município assumisse essa responsabilidade. Outra conquista foi a criação e execução da lei do passe livre municipal, que dá direito à gratuidade no transporte público, não só para o deficiente, mas como também para o acompanhante”, enfatizou Edivaldo.

Falta de acessibilidade

Mas o maior problema enfrentado pelas pessoas com deficiência, ainda é a falta de acessibilidade nas ruas de Parauapebas. “A maior dificuldade são os espaços públicos do executivo e até do legislativo que não garante acessibilidade, como também os espaços privados, as ruas não são padronizadas e muitos comerciantes acham que as calçadas são extensão de suas lojas, dos seus estabelecimentos e lanchonetes, colocando mesas, cadeiras em cima das calçadas. As pessoas também estacionam sobre a calçadas, não respeitando o direito de ir e vir do deficiente”, relatou Edivaldo Lima.

A carta feita pelo Conselho dos Direitos das Pessoas com Deficiência expondo as dificuldades enfrentadas no cotidiano foi lida pelo vereador Luiz Castilho (PROS). “Eu me sinto honrado em ser um agente do poder executivo, de passar a mensagem do Conselho. Existem, de fato, muitas leis que os contemplam, mas, se não houve sensibilidade das pessoas, do poder público, comerciantes e da sociedade de uma forma geral, a gente não consegue fazer a tão sonhada inclusão social”, destacou o vereador.

Aprovada lei que cria a semana da cultura evangélica

Durante a sessão de ontem foi apresentado o Projeto de Lei de autoria do vereador José Marcelo, o Parcerinho (PSC), que instituía a semana de Cultura Evangélica na cidade. Segundo o vereador, em Parauapebas 30% da população é de evangélicos. “O objetivo é que Parauapebas se torne a capital do evangelho, promovendo a cidade como polo turístico, como já acontece em outras cidades do país”. O projeto de lei foi analisado pela Comissão de Justiça e Redação e aprovado por todos os vereadores presentes.

Sinalização Inteligente

O vereador Zacarias Marques (PSDB), apresentou o indicativo para que o Departamento Municipal de Transito e Transporte (DMTT), instale nas ruas de Parauapebas, semáforos inteligentes, que são os semáforos acionados pelo pedestre quando precisa atravessar a faixa. “A gente sabe que hoje existe o trabalho educativo como o pé na faixa, mas não é suficiente para evitar os acidentes no trânsito, como o que aconteceu ontem, em frente ao hospital municipal. A sinalização inteligente vem tanto proteger o motorista como também o pedestre”, conclui Zacarias.

O pedido é para que a nova sinalização seja feita na rodovia Faruk Salmen, próximo do Hospital Geral de Parauapebas, nas ruas do bairro Cidade Nova, onde há concentração de agências bancárias.

Igreja

Missa da quarta-feira (13) dá início às celebrações do 37º Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Marabá

A romaria, que segundo o bispo diocesano, já leva 240 mil fiéis aos 6 km de percurso, acontece em 15 de outubro próximo

 

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Missa na próxima quarta-feira (13), a partir das 19h30, no Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16, Nova Marabá, marca o início oficial das celebrações do 37º Círio de Nazaré marabaense. Este ano, o tema da grande romaria de 6 km, que acontece no terceiro domingo de outubro é “Ó Maria ajudai-nos a viver a fé, esperança e caridade”. De acordo com o bispo diocesano de Marabá, Dom Vital Corbellini, 57 anos, quase cinco dos quais na Diocese local, o tema está relacionado ao Ano Mariano, pelos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, considerada a Rainha do Brasil.

Ele diz que, além de colocar a importância da vivência das virtudes teologais cristãs católicas, que vêm da tradição, e evangélicas, porque se refere à fé, todos pedem a Maria que lhes dê a graça da fé, que aumente essa fé. “Depois, vem a esperança. Maria foi uma pessoa de esperança, acreditava na vinda do Messias. Então, que sejamos pessoas de esperança neste mundo, muitas vezes desacreditado, com problemas sociais, mas em que devemos colocar o valor da esperança”, explica o bispo.

Por último – continua Dom Vital – vem a caridade que, coroa todas as virtudes, é o amor a Deus, o amor ao próximo e o amor a si mesmo. “ Então, pedimos a Maria que nos dê essas graças e que nos leve a Jesus por meio dessas virtudes e assim também testemunhando Jesus no mundo de hoje, no qual Maria também é uma força na caminhada”.

Indagado acerca de como estão os preparativos para o 13º Círio, o bispo diocesano informa que, na semana passada, aconteceu uma das últimas reuniões, de toda a equipe das diretorias e os trabalhos estão bem encaminhadas. “Já temos os cartazes e os livrinhos logo estarão nas paróquias, nas comunidades. Na quarta-feira, 13, daremos abertura, com a missa no Santuário. Depois, nos dias seguintes, a imagem percorrerá a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré”, detalha o religioso.

Em seguida, ainda segundo ele, a imagem de Nossa Senhora vai ao interior e, na volta, passa por todas as paróquias da cidade.

Dom Vital lembra que este ano, acontece pela terceira vez consecutiva o Círio Missionário, criado por ele. “A imagem vai estar junto e vamos fazer missão. Este ano ela se alonga a outras paróquias da cidade. Até 2016 era mais nas paróquias de Nossa Senhora da Conceição, Sagrada Família e São Francisco. Agora não, teremos então Círio Missionário em Nossa Senhora de Fátima, Sagrado Coração, Nossa Senhora de Nazaré, Bom Pastor e São José Operário”, afirma.

Para isso, conforme o bispo, aconteceu a formação dos novos missionários leigos, seminaristas, postulantes e sacerdotes. “Eu também, na medida do possível, vou acompanhar esse Círio Missionário, que ajuda a pessoa a ter a referência para os dias 14 e 15 de outubro”, explica.

Sobre a participação do povo católico no Círio de Marabá, Dom Vital Corbellini afirma que é sempre crescente, “com o povo de Deus indo para as ruas, louvando Nossa Senhora, louvando a Cristo”. “Então é uma participação bem popular, a alegria de ter esse Círio porque dá um novo fervor, uma nova alegria ao povo. Afinal de contas é uma manifestação pública na fé cristã católica na imagem de Nossa Senhora”, descreve ele, acrescentando que hoje cerca de 240 mil pessoas acompanham a romaria.

“Nós não adoramos Nossa Senhora, mas, por meio dela, queremos chegar mais perto de Jesus. É uma participação sempre melhor e maior no sentido de que as pessoas participam sempre vivenciam a fé”, afirma o bispo, que tem sob sua responsabilidade 29 paróquias e 600 comunidades de 16 municípios que totalizam cerca de 700 mil habitantes.

Religião

Círio de Carajás, em Parauapebas, reúne cerca de 1.500 pessoas

Católicos homenagearam Nossa Senhora de Nazaré com orações e cânticos pelas ruas do Núcleo Urbano.

Foram quase quatro horas de devoção e fé à padroeira dos paraenses, a Nossa Senhora de Nazaré, durante a realização da sexta edição do Círio de Carajás, a 25 km de Parauapebas  no último domingo, 3.

As homenagens começaram, às 17 horas, durante a missa na Concha Acústica celebrada pelo Bispo Diocesano, Dom Vital Coberlini e pelo pároco da igreja matriz, Allison Lima de Castro. Os fiéis puderam ver de perto os cinco mantos usados pela imagem da Santa, nas edições anteriores do Círio, que foram colocados em exposição.

Cerca de 1.500 fiéis, entre crianças, adultos, idosos e doentes, lotaram a área destinada aos romeiros. No fim da missa, a imagem foi levada por Dom Coberlini até a Berlinda, que estava ornamentada com cerca de seis mil flores. Muitas pessoas aproveitaram para registrar o momento, em que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada dentro da Berlinda por um dos 31 guardas do Círio que organizaram o início da procissão.

No começo da romaria estavam os coroinhas vestidos de branco, enfileirados. Em seguida, vinha o carro das crianças vestidas de anjinhos e na frente da Berlinda, mais de cem pessoas puxavam a corda dos “promesseiros”. Muitos pedidos se repetiam entre os fiéis: a saúde de parentes, a busca pelo emprego, a casa própria. Também havia aqueles que agradeciam pela graça alcançada. “Nossa senhora nos abençoou com a recuperação da minha filha que estava doente”, falou a dona de casa, Maria da Guia que mora em Parauapebas, mas sempre vem à Serra para acompanhar o Círio.

Durante todo o trajeto as músicas em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré eram intercaladas com a oração do terço. Nas portas das casas, a imagem da Santa foi colocada pelos moradores que aguardavam a passagem da Berlinda. Os fogos de artifício anunciavam a chegada da Imagem de Maria que recebia muitos aplausos. “São 224 anos de celebração do Círio de Nazaré na capital paraense e nós temos a alegria de celebramos, aqui em Carajás, o sexto ano do Círio de Nazaré. Maria também nos escolheu para testemunharmos a nossa fé, àquela que foi escolhida por Deus, para ser a mãe do Salvador. Maria é a nossa advogada. Obrigada Jesus, por nos ter dado a nossa mãe porque sem ela, a cruz que todos os dias carregamos, seria mais pesada”, falou emocionado, o pároco.

Depois de 4 quilômetros percorridos, a procissão retornou a Concha Acústica, onde foi dada a bênção final da Virgem Maria, a todos que participaram do Círio de Carajás.

error: Content is protected !!