Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Brasileirão: Paysandu é o novo líder da Série B e Remo está fora do G4 da Série C

O Papão venceu o Internacional e o Remo empatou contra o Cuiabá, enquanto a dupla Rai-Fran foi derrotada na Série D

Por Fábio Relvas

O Paysandu venceu o Internacional, por 1 a 0, na tarde deste sábado (27/05), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O jogo foi válido pela 3ª rodada da Série B. O gol único da partida foi assinalado aos 17 minutos da etapa derradeira pelo meia Fernando Gabriel. A vitória deixou o Papão na liderança do Campeonato Brasileiro da Série B com sete pontos em três jogos disputados, enquanto que o Colorado é apenas o nono colocado com quatro pontos. O Paysandu volta a campo diante do América-MG, na próxima sexta-feira (02/06), às 19h15, no estádio Independência, em Belo Horizonte.

Série B – O jogo: Papão é líder!

Paysandu e Internacional entraram em campo fora do G4 do Campeonato Brasileiro da Série B, por isso o objetivo das duas equipes era de vencer para se aproximar do topo da tabela. O time gaúcho estava desfalcado de seu melhor jogador, o argentino D´Alessandro, que foi poupado pelo técnico Antônio Carlos Zago. O Colorado foi para cima e Nico López teve a primeira chance de marcar, quando a bola sobrou para o gringo, que chutou para fora, levando muito perigo à meta de Emerson. O Papão chegou na cobrança de falta de Peri, o goleiro Daniel defendeu bem.

Depois disso, o jogo caiu de rendimento. Os dois times não conseguiam criar no meio campo e ocorreram erros de passes para ambos os lados. O Paysandu tentou chegar em alta velocidade pelo meio, Rodrigo Andrade tocou para Wesley na esquerda, mas a zaga do Inter fez o corte na hora da chegada do lateral bicolor.

O lance acordou o time paraense que teve mais duas chances de marcar. Na primeira delas, após escanteio, o atacante Wellington Júnior cabeceou firme para marcar, Cuesta salvou em cima da pequena área e na sequência Roberson cometeu falta pertinho da grande área. Na cobrança de falta, Fernando Gabriel mandou por cima da meta gaúcha. O time do Internacional sentiu a pressão e quase o zagueiro Léo Ortiz entregou o ouro, quando recuou uma bola na fogueira para o goleiro Daniel, o arqueiro tentou driblar o atacante Marcão e não conseguiu e teve que dá um chutão para fora.

Em outro lance de ataque, a bola foi alçada na área colorada e Wellington Júnior cabeceou para fora. O Inter tentou responder quando Edenílson lançou para William Pottker, o zagueiro Gilvan entrou duro no atacante Colorado, acertando o abdômen do atleta. Com isso o jogador do Paysandu recebeu cartão amarelo. O lateral esquerdo Uendel fez uma boa tabela com Nico López, mas na hora de finalizar a arbitragem paralisou marcando impedimento. Em outro lance dos gaúchos, Felipe Gutiérrez cruzou da esquerda no meio da área para a cabeçada de William Pottker, a bola passou assustando o goleiro Emerson.

O Papão acordou e após erro de passe de Edenílson, Fernando Gabriel puxou contra-ataque e chutou forte de fora da área, o goleiro Daniel defendeu para o Inter. Felipe Gutiérrez, um dos jogadores mais perigosos do Colorado, recebeu pelo meio, limpou a jogada e mandou um chutaço, Emerson espalmou para escanteio.

No segundo tempo, o técnico Antônio Carlos Zago, tirou o volante Edenílson e colocou o atacante Marcelo Cirino. Sendo assim, no papel o Internacional estava com quatro atacantes em campo. Em poucos minutos na partida, Marcelo Cirino quase marcou, quando pegou uma sobra e chutou cruzado pela linha de fundo. O Paysandu chegou na cobrança de falta de Ayrton, o goleiro Daniel mandou de tapinha para escanteio. Em outra jogada do Papão, o zagueiro Gilvan apareceu livre na área e testou para fora.

O Colorado chegou após um escanteio, Felipe Gutiérrez tocou para Cuesta, que levantou na área, Nico López acertou um chutaço de primeira e marcou um golaço, mas a arbitragem assinalou impedimento. Se o gol do Internacional não valeu, o do Paysandu sim. Aos 17 minutos, Marcão recebeu pelo meio fez uma parede para a chegada de Fernando Gabriel, que dominou, driblou e chutou forte, o goleiro Daniel foi e não achou nada: Papão 1 a 0! Para alegria dos mais de 12 mil torcedores no Mangueirão.

O Internacional não sentiu o gol e no lance seguinte quase empatou, quando Roberson tocou para Nico López, o uruguaio chutou e a bola passou ao lado esquerdo do poste defendido pelo guardião Emerson. Só dava Colorado, em outra jogada na área, Felipe Gutiérrez se livrou da marcação e bateu com estilo, o goleiro Emerson realizou uma grande defesa. O Paysandu esperava o Inter, mas sabia sair para o jogo. Em uma descida perigosa, Wellington Júnior tentou por cobertura, Daniel espalmou salvando o Colorado.

Em um lance de bobeira, Felipe Gutiérrez tentou driblar e perdeu a bola para Marcão, o atacante bicolor entrou de cara para marcar o segundo gol, o goleiro Daniel arrancou nos pés do atleta bicolor, tocando pela linha de fundo. No final da partida, o Internacional se atirou no ataque. Após cobrança de escanteio, Brenner subiu com estilo e cabeceou no travessão. Um minuto depois, William Pottker recebeu e lançou para Nico López, o atacante cortou para o meio e chutou, o zagueiro Gilvan se atirou no meio do caminho salvando o Papão. Final do jogo: Paysandu 1 x 0 Internacional.

Série D

O São Raimundo entrou em campo na tarde deste domingo (28/05), pela 2ª rodada do Grupo A2 do Campeonato Brasileiro da Série D. O adversário foi o Fast Clube na Arena da Amazônia, em Manaus. O Pantera perdeu de virada para o Rolo Compressor, por 3 a 2, e ficou com seus três pontos em segundo lugar na classificação. Já o Fast assumiu a liderança com quatro pontos. O Fast abriu o placar com Peninha em cobrança de falta, aos 34 minutos. O São Raimundo virou com Dedeco aos 38 do primeiro tempo e Guilherme aos 20 minutos do segundo tempo. O Fast empatou com Felipe aos 23 e Peninha novamente de falta virou e decretou a vitória aos 35 minutos da etapa final. O São Raimundo volta a campo contra o Baré-RR, no próximo domingo (04/06), às 18h30, no estádio Vila Olímpica, em Boa Vista.

O São Francisco foi outro time paraense a entrar em campo neste domingo (28/05), valendo pela 2ª rodada do Grupo A3 do Campeonato Brasileiro da Série D. O adversário foi o Rio Branco-AC, no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém. Era a estreia do Leão santareno dentro de casa, onde contou com o apoio de sua torcida. Mas quem saiu sorrindo foi o Estrelão do Acre que venceu, por 1 a 0, e disparou na liderança do Grupo com seis pontos, enquanto que o São Francisco ainda não conseguiu vencer na competição e soma apenas um ponto em terceiro lugar. O próximo compromisso do Leão santareno será contra o São Raimundo-RR, no domingo (04/06), às 18h, no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém.

O jogo: Fast Clube 3 x 2 São Raimundo – de virada!

O São Raimundo começou bem o jogo, depois de um lançamento para o atacante Tiago, a arbitragem paralisou o lance marcando impedimento. O Pantera chegou novamente, após cruzamento na área, o goleiro Maycki Douglas do Fast falhou no lance, e a bola passou de todo mundo. O Fast resolveu acordar quando em um escanteio a seu favor, Felipe tentou marcar de letra e a bola sobrou para Peninha que emendou de fora da área acertando o setor defensivo do time paraense. O lance levantou a torcida amazonense.

Em outra jogada do Fast, Robinho tentou um passe e mesmo errando, a bola sobrou para Leonardo que chutou e carimbou o travessão do goleiro Roger Kath. O São Raimundo voltou a atacar e chegou a marcar, quando a bola foi alçada na área e desviada no primeiro pau, Derlan acertou uma linda meia bicicleta e estufou as redes de Maycki Douglas, mas a assistente Anne Kesy Gomes de Sá, cortou o barato e assinalou impedimento.

O Fast Clube não tem nada haver com isso e chegou ao seu gol. Peninha cobrou falta diretamente para o gol, a bola tocou no travessão e morreu dentro da meta de Roger Kath, 1 a 0, aos 34 minutos. Não demorou muito e o Pantera chegou ao empate. A zaga do Fast parou pedindo impedimento, e Dedeco entrou livre para tocar com tranquilidade na saída de Maycki Douglas, tudo igual: 1 a 1, aos 38 minutos. O time da casa não sentiu o gol, Robinho cobrou escanteio e Roger Kath saiu mal da meta e para sorte do goleiro do São Raimundo não apareceu ninguém para completar.

No segundo tempo, o São Raimundo seguiu buscando a vitória. Em uma jogada individual de Denis Pedra, o volante do Pantera apareceu de surpresa pela ponta direita e bateu direto para o gol, a bola tocou na rede, mas pelo lado de fora. Aos 20 minutos, o time paraense chegou lá. Após cobrança de falta, Guilherme subiu mais alto de que todo mundo para testar firme e virar a partida: 2 a 1 São Raimundo.

Na mesma moeda, o Fast chegou ao empate. Cruzamento na área de Wagner Diniz para o cabeceio certeiro de Felipe, que praticamente nem saiu do chão para acertar firme na bola: 2 a 2, aos 23 minutos. O time amazonense cresceu em busca da virada e Werley tentou de fora da área, mas Roger Kath defendeu bem no meio de sua meta. O Pantera resolveu arriscar de fora da área com Valdanes, a bola passou pertinho da meta de Maycki Douglas. Mas o time amazonense tinha o meia Peninha, que em mais uma cobrança de falta com perfeição, virou o jogo para o Rolo Compressor, assim chamado o Fast, 3 a 2, aos 35 minutos, dando números finais a partida.

O jogo: São Francisco 0 x 1 Rio Branco – Leão santareno segue sem vencer

Foi o Estrelão do Acre que começou melhor, após uma boa triangulação, Diogo apareceu livre para marcar o primeiro, mas perdeu a grande chance. O Leão santareno deu o troco em uma jogada rápida, Samuel deixou Balotelli livre, o atacante completou para o fundo do gol e saiu comemorando, mas a arbitragem assinalou impedimento para o desespero dos azulinos. Em outra jogada do time paraense, Samuel recebeu e bateu com estilo, o goleiro Ederson fez uma grande defesa e na sobra Balotelli tentou concluir, mas a zaga afastou o perigo.

A dobradinha Samuel e Balotelli estava dando certo. Em mais um lance da dupla, Samuel deu um belo lançamento para Anderson Balotelli, que emendou um chute cruzado, a bola passou atravessando a área do Rio Branco. Em uma bola parada, Di Maria cobrou falta para o São Francisco e a bola explodiu na barreira, o time acreano saiu em alta velocidade em um contra-ataque, Lukão apareceu na hora para rasgar e aliviar o perigo. Mais um gol foi anulado, desta vez para o Rio Branco. Araújo recebeu passe e estufou as redes do goleiro Labilá, mas a arbitragem marcou impedimento.

No segundo tempo, o Estrelão veio para tentar matar o jogo. Rodolfo lançou na grande área para Araújo que chutou e obrigou Labilá a praticar uma grande defesa. O São Francisco respondeu quando Mael deixou Samuel na boa, o chute passou por cima da meta acreana. Após cobrança de falta, a bola sobrou para Di Maria arriscar um chutaço, passando muito perto da trave. A torcida do Leão Santareno gritou “uh”. Em outra falta, desta vez para o Rio Branco, a bola foi alçada na área para Lucas que cabeceou firme e correu para o abraço, 1 a 0 Estrelão, aos 23 minutos.
Araújo, um dos jogadores mais perigosos do Rio Branco, cometeu falta e recebeu cartão amarelo, na sequência reclamou muito com o árbitro Wales Martins de Souza do Distrito Federal e recebeu o segundo amarelo e consequentemente o cartão vermelho. Isso tudo foi aos 40 minutos da etapa derradeira. O Leão Santareno tentou empatar, mas não conseguiu. Final: São Francisco 0 x 1 Rio Branco.

Série C

O Clube do Remo entrou em campo contra o Cuiabá-MT, na noite deste domingo (28/06), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O Leão precisava vencer para se firmar no G4 do Grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C. Mas a vitória não veio e o Leão Azul só empatou com o Dourado e se complicou na classificação da terceirona. O Remo é apenas o sexto colocado com quatro pontos conquistados, enquanto que o Cuiabá segue na lanterna com apenas dois pontos. Os azulinos voltam a campo contra o Confiança-SE, na próxima sexta-feira (02/06), às 19h, no estádio Batistão, em Sergipe.

O jogo: Remo 1 x 1 Cuiabá – Leão Azul fora do G4

O Cuiabá chegou primeiro, após bola alçada na área, o goleiro Vinícius deu um soco aliviando o perigo. O clima esquentou logo aos dois minutos, quando o atacante Edgar do Remo sofreu falta e empurrão de Léo Salino. Os jogadores se estranharam e o árbitro Carlos Ronne Casas de Paiva do Acre, controlou a situação em campo e acalmou os ânimos. O Leão Azul quase marcou depois que Daniel Damião cruzou para Edgar que pegou de primeira, a bola explodiu na defesa e na sobra, Danilinho soltou o pé da entrada da área, passou tirando a tinta da trave.

O Dourado, como é chamado o Cuiabá, respondeu com Pereira que recebeu passe livre e bateu com força, o goleiro Vinícius conseguiu espalmar salvando os azulinos. O Leão Azul respondeu imediatamente e foi logo marcando. Danilinho na insistência cruzou da direita para Nino Guerreiro, que desviou para marcar, o goleiro Henal rebateu nos pés de Mikael que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol, explodindo o Mangueirão aos 20 minutos, Remo 1 a 0.

O Leão cresceu no jogo, em outro lance de ataque, Edgar recebeu e bateu colocado, a bola passou perto da meta defendida por Henal. A torcida cantava nas arquibancadas e o Remo atacava em campo. Gerson cruzou da esquerda, a zaga afastou o perigo, João Paulo chegou batendo quase do meio campo, mas mandou para longe. O Cuiabá também arriscava, Elias mandou um chute venenoso, o goleiro Vinícius espalmou para o meio da área, a bola caiu para Bruno Moura que mandou um chutaço, mas isolou para sorte dos azulinos.

Afim de pontuar em Belém, o Cuiabá saiu para o jogo na etapa derradeira. Em um contra-ataque rápido, Léo Salino passou para Pereira pelo lado direito, o jogador do Dourado chutou cruzado, Vinícius defendeu em dois tempos. O Remo deu a reposta logo em seguida, quando Nino Guerreiro atacou pela esquerda e deixou para o lateral Gerson, mas na hora de concluir, o atleta azulino saiu com bola e tudo. O atacante Edgar acertou um chute forte de fora da área, o goleiro Henal salvou o Cuiabá e defendeu bem. Quase o segundo do Leão Azul.

Depois do lance azulino, o Dourado começou a pressionar em busca do empate. Bruno Veiga recebeu na esquerda e cruzou para Douglas Mendes que desviou, a bola bateu em Bruno Costa e saiu pela linha de fundo. Em mais um cruzamento na área remista, Elias cabeceou para baixo e o goleiro Vinícius defendeu. O Leão teve uma falta perto da área, mas Tsunami mandou muito forte e longe da meta adversária.

O Dourado chegou ao empate. Elias recebeu pelo meio e na entrada da área deu um toque sutil por cima do goleiro Vinícius, marcando um golaço no Mangueirão e deixando tudo igual, aos 22 minutos, 1 a 1. A virada quase ocorreu minutos depois quando Gedeílson em disparada entrou na área e chutou, mas mandou por cima da meta azulina. O Remo perdeu um gol incrível na sequência. A bola foi alçada na área do Cuiabá, o goleiro e a defesa bateram cabeça e Ronny sozinho com o gol vazio conseguiu fazer o mais difícil, errar o chute. A torcida foi à loucura.

O Leão Azul foi para cima e se atirou completamente ao ataque, dando contra-ataque ao adversário. Com isso a partida ficou emocionante e eletrizante nos momentos finais. A forte chuva que caiu no final da partida, o chamado “toró”, atrapalhou as ações das equipes em campo. O Dourado achou uma brecha quando Pereira cruzou, a zaga não conseguiu afastar, mas Gedeílson não dominou e deixou a bola sair pela linha de fundo.

O Remo tentava chegar mais na vontade do que na técnica. Tsunami arrancou pelo meio e chutou forte de fora da área, o goleiro Henal defendeu sem dá rebote. Em um contra-ataque veloz do Cuiabá, Léo Salino fez tabela e na devolução foi derrubado pelo zagueiro Bruno Costa. A falta foi providencial do zagueiro remista que foi advertido com cartão amarelo. O atacante Bruno Veiga inverteu uma jogada na área do Remo, o lateral esquerdo Gerson tentou recuar de cabeça para o goleiro Vinícius e cometeu uma lambança testando direto para fora, cedendo escanteio para o Dourado. No escanteio cobrado por Pereira, a bola fez uma curva e quase surpreendeu Vinícius que salvou o Remo. Seria um gol olímpico no último lance da partida. Placar final: Remo 1 x 1 Cuiabá.

O Fenômeno Azul, como é chamada a torcida do Clube do Remo, soltou o grito de “burro” para o técnico Josué Teixeira e pediu a demissão do comandante azulino.

Futebol

São Raimundo vence, Paysandu e São Francisco empatam e Remo perde pelo Campeonato Brasileiro

O São Raimundo de Santarém foi o único time do Pará que venceu no final de semana. O Pantera derrotou o Gurupi-TO, por 2 a 0, no estádio Barbalhão

Por Fábio Relvas

Confira como foram as participações das equipes paraenses no Campeonato Brasileiro.

O primeiro a entrar em campo neste final de semana foi o Paysandu Sport Club. O Papão encarou o Paraná na noite de sexta-feira (19/05), no estádio Durival de Britto, a chamada Vila Capanema, em Curitiba. As duas equipes não saíram do empate sem gols em jogo válido pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Apesar do placar em branco, a partida foi bastante movimentada com chances para os dois times, principalmente no segundo tempo. A primeira etapa foi morna, com o time paranista tentando envolver os bicolores, que conseguiram parar o adversário com uma forte marcação. Leandro Vilela tentou marcar de cabeça para os donos da casa, mas o toque saiu descalibrado para fora. O Paysandu respondeu na mesma moeda, depois de uma cobrança de falta, o zagueiro Perema testou firme, mas mandou pela linha de fundo. A melhor chance foi do Paraná com Daniel Morais, que se livrou da marcação e chutou firme, o goleiro Marcão espalmou bonito para escanteio.

No segundo tempo o jogo foi lá e cá. O time paraense teve tudo para marcar com atacante Wellington Junior, que recebeu belo passe e tentou por cobertura, a bola passou pelo goleiro Léo, mas a zaga afastou o perigo. Em outra tentativa do Papão, após um escanteio, o volante Wesley subiu no terceiro andar e testou forte, Léo espalmou de mão trocada. Nos últimos minutos o Paraná quase chegou ao gol da vitória. Primeiro com Leandro Vilela que chutou para a boa defesa de Marcão. No lance seguinte, Robson arriscou e a bola raspou a trave bicolor. A torcida do Paraná acreditava até o fim. No último lance de perigo, Felipe Alves cruzou da direita, a bola passou atravessada na área do Paysandu e Daniel Moraes chegou atrasado na tentativa de marcar de carrinho. Final: Paraná 0 x 0 Paysandu.

O Resultado deixou o Paraná em terceiro lugar com cinco pontos, enquanto que o Paysandu saiu do G4 e ficou na quinta posição com quatro pontos. O Papão volta a campo contra o Internacional no próximo sábado (27/05), às 16h30, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

A segunda equipe do Pará que entrou em campo foi o Clube do Remo. O Leão Azul enfrentou o Asa em Arapiraca, interior alagoano, na tarde deste sábado (20/05), no estádio Coaracy da Mata Fonseca. A partida foi válida pela segunda rodada do Grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C.

O jogo foi equilibrado, o Remo foi melhor no primeiro tempo, enquanto que o Asa dominou as ações no segundo. No inicio da partida os donos da casa tentaram surpreender os azulinos com chutes de longa distância e em um deles, o lateral Léo Campos recebeu e mandou forte, a bola passou por cima da meta do goleiro Vinícius. A partir daí, o Leão Azul começou a mandar no jogo, apesar de ser visitante, foi para cima do adversário. O atacante Nino Guerreiro roubou a bola da defesa, que sobrou para João Paulo, o jogador remista soltou o pé e o goleiro Carlão salvou o alvinegro. Em outra boa chegada do Remo, Nino Guerreiro fez pivô para a chegada de Mikael, que mandou um chute venenoso e a bola passou raspando a trave. O sempre perigoso atacante Edgar aproveitou um vacilo da zaga e chutou forte, o goleiro Carlão deu rebote e a defesa despachou o perigo.

No segundo tempo, o Asa do técnico Maurílio, ex-jogador do Clube do Remo, campeão da Série C em 2005, começou a se impor no gramado. Aos 13 minutos, Everton cruzou da direita, Leandro Kível cabeceou para a grande defesa de Vinícius que deu rebote, Jean Carlos chutou, o goleiro do Leão defendeu novamente, mas a bola sobrou limpa para o atacante Leandro Kível empurrar para o gol, 1 a 0 Asa. O Remo sentiu o gol e se perdeu dentro das quatro linhas. As alterações feitas pelo técnico Josué Teixeira não surtiram efeito e o Fantasma, como é conhecido o Asa, mandou na etapa derradeira. Em uma boa triangulação dentro da defesa remista, Doda ficou livre para marcar o segundo gol, mas demorou a finalizar e o goleiro Vinícius arrancou em seus pés para fica com a bola. Na última chance do jogo, Airton arrancou bem e mandou um chute rasteiro, a bola passou muito perto da trave azulina. Final: Asa 1 x 0 Remo.

Com o resultado positivo, o Asa somou seus três primeiros pontos na competição e está em sétimo lugar do Grupo A da Série C, enquanto que o Clube do Remo conheceu sua primeira derrota e segue no G4 com três pontos em quarto lugar. O Leão Azul paraense volta a campo diante do Cuiabá-MT, no próximo domingo (28/05), às 19h, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

Já pelo Campeonato Brasileiro da Série D, a dupla de Santarém, São Raimundo e São Francisco, fizeram suas estreias neste domingo (21/05). O Pantera entrou em campo primeiro pelo Grupo A2 diante do Gurupi-TO, no estádio Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém. O time paraense venceu, por 2 a 0, e assumiu a liderança do seu grupo com três pontos.

O São Raimundo começou o jogo melhor, com o atacante Tiago perdendo a primeira chance, depois de receber passe chutou forte, a bola explodiu na trave. Só que aos 39 minutos da primeira etapa, Valdanes deu passe açucarado para Tiago, desta vez ele não perdoou e abriu o placar, 1 a 0 São Raimundo. No lance seguinte, Tiago quase ampliou quando chutou e o goleiro defendeu.

No segundo tempo, o Pantera seguiu pressionando o Gurupi, o chamado Camaleão do Tocantins. Wendel recebeu bom passe e finalizou, quase ampliando o marcador. O São Raimundo chegou ao segundo, quando Dedeco lançou, o goleiro Welder defendeu e a bola sobrou limpa para Anderson que completou e correu para o abraço, mas o árbitro assinalou impedimento. Em seguida, não teve jeito. Dedeco recebeu passe em condição legal e estufou o barbante, 2 a 0, aos 32 minutos. Placar final: São Raimundo 2 x 0 Gurupi.

O São Raimundo volta a campo contra o Fast Clube-AM no próximo domingo (28/05), às 17h, no estádio Arena da Amazônia, em Manaus.

O São Francisco atuou fora de casa diante do Genus-RO, no estádio Aluízio Ferreira, em Porto Velho, Rondônia. Apesar de atuar longe de seus domínios, foi o Leão santareno que partiu para cima. Eric Di Maria cobrou falta logo no inicio do jogo e acertou a trave do Genus. O time da casa respondeu com Luciano Mourão, que ficou de frente e mandou um chute forte, o goleiro Labilá atento defendeu bem.  a etapa derradeira, a torcida do Genus acordou e o time começou a atacar. Em um lance crucial, Gabriel ficou de cara para marcar e finalizou forte, o goleiro Labilá realizou um milagre salvando o time paraense. Mas quem marcou mesmo, foi o São Francisco. Eric Di Maria, que tem nome de craque argentino, levantou na área para Charles, que recebeu e marcou, 1 a 0, aos 15 minutos.

O Genus era insistente e quase igualou o placar, depois que Geovane deixou Eduardo Rato na frente do crime para marcar, o jogador chutou e a bola passou raspando a trave do São Francisco. Aos 39 minutos, a bola foi alçada na área e Israel cabeceou firme para deixar tudo igual, 1 a 1, para a festa da torcida do Genus que estremeceu a arquibancada do estádio Aluizão. No lance seguinte, Israel teve tudo para virar o jogo, mas acertou a trave. Placar final: Genus 1 x 1 São Francisco. Com o resultado, Genus e São Francisco somaram um ponto no Grupo A3 da Série D. Ambos estão na segunda colocação. O próximo desafio da Leão santareno será diante do Rio Branco-AC, no próximo domingo (28/05), às 18h, no estádio Colosso do Tapajós, em Santarém.

Futebol

Paysandu e Remo derrotam São Raimundo e Independente, respectivamente, e estão na final do Parazão 2017

Bergson marcou três gols e garantiu o Papão na final. Já o Leão passou sufoco, mas venceu o Galo Elétrico nos pênaltis

Por Fábio Relvas

O Paysandu foi o primeiro finalista do Parazão 2017 ao vencer o São Raimundo, por 3 a 1, na noite do sábado (22/04), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O atacante Bergson foi o nome do jogo marcando os três gols do Papão, aos 13 minutos do 1º tempo e aos 21 e 27 minutos do 2º tempo, enquanto que o meia Alexandre marcou o gol do Pantera aos seis minutos do 2º tempo. O Paysandu chega a duas finais em menos de uma semana, sendo finalista da Copa Verde e do Campeonato Paraense.

A partida: Paysandu 3 x 1 São Raimundo

A chuva que caiu na capital Belém afastou o público do estádio Mangueirão, que foi abaixo do esperado. Como a partida de ida terminou empatada em 0 a 0, em Santarém, ninguém estava com a vantagem para o jogo da volta e um novo empate levaria a decisão da vaga para os pênaltis. Nem bem começou o jogo e quase o São Raimundo chegou ao gol, após cruzamento da esquerda, a zaga do Paysandu não conseguiu cortar e a bola sobrou para Alexandre que sozinho chutou e acertou a trave do goleiro Emerson. Isso aos 20 segundos de partida.

O Papão deu o troco quando Alfredo recebeu lançamento na direita e chutou cruzado, o atacante Bergson chegou atrasado e não conseguiu completar para o gol. Aos 11 minutos, o Pantera reclamou de pênalti, quando a bola foi cruzada rasteira na área do Paysandu, mais uma vez a zaga não cortou e Alexandre foi derrubado dentro da área por Rodrigo Andrade e nada foi marcado. O time bicolor foi para o contra-ataque e chegou ao gol. Após cruzamento de Hayner pela esquerda, a bola caiu nos pés do atacante Bergson, que dominou e fuzilou para o fundo da meta do goleiro Roger Kath, aos 13 minutos, 1 a 0 Paysandu. Foi o sexto gol de Bergson, artilheiro isolado do Parazão.

Um minuto depois, o São Raimundo teve tudo para empatar o jogo, depois de um lance de ataque, a bola sobrou para Tiago que chutou e o zagueiro Perema salvou em cima da linha. O jogo era eletrizante no Mangueirão. Em outro lance do Pantera Santareno, Chaveirinho chutou cruzado da esquerda e Emerson defendeu bem. O Papão respondeu com Ayrton que tentou marcar colocado, mas Roger Kath atento espalmou para escanteio. Em jogada rápida pela direita, Erick Foca recebeu e de frente para o gol bicolor, chutou fraquinho em cima de Emerson. E o movimentado 1º tempo terminou com o a vitória parcial do Papão.

No 2º tempo o São Raimundo não tinha outra alternativa a não ser buscar o ataque para chegar a igualdade no placar. Logo aos seis minutos, Alexandre recebeu lançamento pelo meio e ficou sozinho com o goleiro Emerson, o meia teve calma e mandou para o fundo do gol, tudo igual no Mangueirão: 1 a 1. Festa da pequena torcida mocoronga que foi ao estádio. No lance seguinte, Alexandre teve mais uma chance para virar o jogo em favor do Pantera, mas de frente mandou a bola pela linha de fundo.

O Paysandu tentava reagir, mas não levava tanto perigo à meta adversária. Até que Bergson dominou na área e foi derrubado pelo zagueiro Vanderlan, pênalti para o Papão. O próprio Bergson cobrou no canto de Roger Kath e correu para o abraço, marcando o seu sétimo gol no Campeonato Paraense, aos 21 minutos, 2 a 1. Agora a festa era da Fiel Bicolor. O São Raimundo sentiu o gol e o Paysandu se aproveitou. Em um contra-ataque rápido, o lateral esquerdo Hayner fez um carnaval, driblando dois adversários e sofrendo pênalti de Leandrinho. Mais uma vez Bergson cobrou, o goleiro Roger Kath fez a defesa e na sobra o mesmo Bergson, o homem do jogo, mandou para o fundo da meta santarena, oitavo gol do atacante bicolor no Parazão, aos 27 minutos, 3 a 1.

O São Raimundo tentava chegar em bolas paradas, mas sem sucesso. Em lançamento no ataque bicolor, o goleiro Roger Kath saiu mal do gol e a bola sobrou para Leandro Carvalho, que tentou por cobertura e mandou pertinho da trave, seria o quarto gol do Papão. O Paysandu só administrou a boa vantagem e esperou o apito final para comemorar a vitória e a vaga na final do Parazão 2017. “Vou levar a bola pra casa, foi uma noite mágica pra mim e pela primeira vez como profissional marquei três gols em um jogo”, comemorou o atacante Bergson do Paysandu, artilheiro isolado do Parazão com oito gols marcados.

“Fico feliz em mais uma vez está trabalhando por uma equipe do interior e chegar entre os quatro melhores. O time foi muito melhor que o Paysandu no 1º tempo. No 2º tempo o time chegou ao empate, mas o primeiro pênalti foi um lance normal e o árbitro marcou. Ao nosso favor ele não marcou no 1º tempo um pênalti claro. Como se diz: dois pesos e duas medidas, foi o critério utilizado pelo árbitro”, desabafou o técnico Lecheva do São Raimundo.

O outro duelo da semifinal do Parazão 2017 ocorreu no domingo (23/04), entre Remo x Independente, partida também realizada no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Um jogo cheio de polêmicas pelo lado azulino, devido a uma declaração de Eduardo Ramos, meio campo do Leão, onde afirmou que jogaria até com uma perna e que a comissão técnica foi que não quis escalá-lo. Eduardo não teve sua lesão 100% cicatrizada, que é de grau dois no músculo posterior da coxa direita e segundo a diretoria remista, foi o departamento médico do clube o responsável em vetar o jogador.

Com um público tímido, a desconfiança da torcida do Remo era visível nas arquibancadas do Mangueirão, devido ao placar favorável para o Independente, onde venceu a partida de ida em Tucuruí, por 2 a 0. Antes da bola rolar o Fenômeno Azul gritava :“Eu acredito”. E parecia que estavam pressentindo a classificação, que ficou longe após o gol de Magno Ribeiro, aos 13 minutos, que marcou 1 a 0 para o Independente. O Remo só reagiu aos dois minutos do 2º tempo com o gol do zagueiro Igor João e chegou a virada e a vitória com dois gols relâmpagos, Tsunami aos 40 e João Victor aos 42 minutos do 2º tempo. Na decisão por pênaltis, o Leão Azul venceu, por 10 a 9, com Val Barreto marcando o último pênalti e garantindo o Remo na final do Parazão.

O jogo: Remo 3 x 1 Independente – Nos pênaltis: 10 a 9 Leão Azul

O Remo começou o jogo sufocando o Independente nos primeiros minutos. O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva, mostrou três cartões amarelos em cinco minutos de partida para o time do Galo Elétrico. Mas foi o time de Tucuruí que quase abriu o placar com atacante Magno Ribeiro, quando recebeu na esquerda e chutou cruzado, a bola bateu na trave. Na segunda tentativa, Magno Ribeiro acertou um chutaço de fora da área, no canto do goleiro André Luis, aos 13 minutos de jogo: 1 a 0 Independente. Foi o sexto gol de Magno no Parazão para a festa da torcida do Galo Elétrico.

O gol atordoou o time do Remo dentro de campo. Wellington Cabeça cobrou falta venenosa para o Independente, o goleiro André Luis rebateu e na sobra Magno Ribeiro chutou para a defesa do goleiro remista, que salvou com o pé mandando para escanteio. O técnico Josué Teixeira realizou duas mudanças relâmpagos no Leão Azul, tirando os laterais Jackinha e Léo Rosa, colocando Lucas Vitor e João Victor, respectivamente.

A torcida começou a pegar no pé do time remista, que tentava chegar de qualquer maneira à meta adversária. Em uma das tentativas, a mais clara do Remo no jogo, Jayme cruzou da direita, a bola passou do goleiro Evandro Gigante, mas o atacante João Victor não alcançou na tentativa de marcar de cabeça. Na blitz total azulina no final do primeiro tempo, Tsunami encontrou Gabriel Lima, que na grande área chutou para a defesa de Evandro Gigante, na sobra Edgar mandou um chutaço para mais uma grande defesa do arqueiro do Galo Elétrico.  Na última chance do Remo, Lucas Vitor pegou uma sobra dentro da área e mandou para fora. A reação azulina deu esperança a torcida para o segundo tempo.

O segundo tempo começou igual ao primeiro, com o Remo tomando a iniciativa. No primeiro minuto, Marquinhos cobrou falta perigosa por cima da meta de Evandro Gigante. Logo aos dois minutos, a bola foi alçada na área do Independente, João Victor cabeceou para a pequena área e o zagueiro Igor João também de cabeça mandou para o fundo do gol, tudo igual no Mangueirão: 1 a 1. O Leão Azul seguiu em cima, depois que Igor João cruzou da direita para a cabeçada de João Victor, o goleiro Evandro defendeu.

O Independente respondeu com o sempre perigoso atacante Magno Ribeiro, que após uma boa jogada individual, mandou um balaço para a defesa de André Luis. O técnico Josué Teixeira foi para o tudo ou nada, tirando o meia Marquinhos e colocando o atacante Val Barreto. Com isso, o Remo estava com cinco atacantes em campo. A essa altura, a pressão era total do Leão Azul, que teve a chance da virada com Lucas Vitor, quando ficou de frente para a meta adversária, mas chutou em cima do goleiro.

Sem esquema tático e mais na vontade, o Remo não deixava o Independente passar do meio de campo. O atacante Jayme roubou uma bola na entrada da área, mas na hora de finalizar pegou mal e o goleiro Evandro defendeu com facilidade. O Leão Azul errava muitos passes, o que dificultava sua chegada à meta adversária. As bolas que chegavam na área do Galo Elétrico, não levavam tanto perigo. A não ser após um escanteio cobrado para a cabeçada de Gabriel Lima, o goleiro Evandro defendeu uma bola venenosa.

Mais uma vez Gabriel Lima tentou desempatar o jogo em um chutaço de fora da área, o goleiro Evandro Gigante, muito bem na partida, espalmou para escanteio. Depois do escanteio, Tsunami subiu mais alto e cabeceou firme para virar a partida, 2 a 1 Leão, aos 40 minutos. O Remo ampliou aos 42 minutos, com atacante João Victor, após cruzamento na área apareceu livre e de cabeça mandou para o fundo do gol, 3 a 1, com o Fenômeno Azul enlouquecendo no Mangueirão.

O Leão Azul quase conseguiu a classificação no balaço de Gabriel Lima, o goleiro Evandro fez um verdadeiro milagre espalmando para escanteio. Em outra tentativa dos azulinos, o zagueiro Igor João mandou um chutaço, Evandro defendeu. O árbitro encerrou a partida aos 49 minutos. Como o placar agregado foi de 3 a 3, a decisão da vaga foi para os pênaltis. A torcida do Remo vibrou muito já que confiava no goleiro André Luis, que até então na temporada, havia pegado três pênaltis, de cinco cobrados em cima dele.

O Independente começou cobrando com Anderson Preto, que cobrou bem e abriu o placar: 1 a 0; João Victor bateu para o Remo e telegrafou a cobrança, o goleiro Evandro defendeu; Dudu com muita tranquilidade converteu, 2 a 0 Galo Elétrico; Val Barreto cobrou forte e diminuiu para o Leão Azul, 2 a 1. Martony bateu firme no canto e ampliou, 3 a 1. Gabriel Lima cobrou no alto e marcou o segundo do Leão, 3 a 2; Wellington Cabeça cobrou bem e marcou 4 a 2 Independente; Tsunami mandou um chute forte e diminuiu para 4 a 3; Wesley Bigu teve tudo para classificar o Galo Elétrico, mas chutou por cima; Edgar estava com a esperança azulina e bateu com muita categoria deixando tudo igual, 4 a 4. As cobranças foram para a série alternada e Diego Lira marcou para o Independente, 5 a 4; Lucas Vitor cobrou bem para o Leão e deixou sua marca, 5 a 5; Mocajuba tirou do alcance do goleiro e fez, 6 a 5 Galo Elétrico; Elizeu cobrou para o Remo, o goleiro Evandro tocou na bola, mas ela entrou, 6 a 6; Ezequias cobrou e o goleiro André Luis defendeu para o Leão Azul; A sorte do Remo estava nos pés do zagueiro Henrique, que bateu mal e Evandro Gigante defendeu; Chicão com estilo marcou para o Galo Elétrico, 7 a 6; Jayme apesar do cansaço, mandou um balaço e empatou para o Remo, 7 a 7; Monga bateu e a bola passou embaixo do goleiro, 8 a 7; Igor João cobrou com muita categoria e empatou para os azulinos, 8 a 8; O goleiro Evandro Gigante cobrou para o Galo Elétrico e fez 9 a 8; André Luis também cobrou para o Remo e empatou novamente 9 a 9; Anderson Preto bateu forte e isolou mandando por cima da meta remista; Val Barreto estava com a responsabilidade de garantir a classificação e bateu com estilo, Remo 10 a 9.

Leão classificado para a final do Parazão. “Pra mim significa muito pela minha trajetória dentro do clube marcar o gol da classificação. Todo mundo batalhou e isso foi importante para o grupo e vamos com tudo para conseguir o nosso objetivo”, comemorou o atacante Val Barreto do Clube do Remo. “Nos gostaríamos muito de está na final, mas parabéns ao Clube do Remo que foi muito grande hoje, apesar de seus bastidores conturbados antes do jogo”, declarou Léo Goiano, técnico do Independente.

Remo e Paysandu vão decidir o título do Parazão em dois jogos marcados para o estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, nos dias 30 de abril e 7 de maio. Já São Raimundo e Independente estarão disputando o terceiro lugar do Campeonato Paraense em dois jogos, um em Santarém, e outro em Tucuruí. As datas serão nos dias 29 de abril e 6 de maio.

Parazão 2017

Semifinal: São Raimundo e Paysandu ficam no empate, enquanto que o Independente abriu boa vantagem contra o Remo

Os jogos da volta acontecem no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A situação do Remo é mais complicada.

Por Fábio Relvas

São Raimundo e Paysandu abriram as semifinais do Parazão 2017 na última terça-feira (11/04), no estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém. Apesar do empate sem gols, o jogo de ida entre as duas equipes foi bastante movimentado com chances para os dois lados.  Segundo a crônica esportiva, foi um dos melhores jogos do Campeonato Paraense deste ano. Os dois times voltam a campo no sábado (22/04), às 18h30, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Quem vencer avança para a final, caso de qualquer resultado de empate a vaga será decidida nos pênaltis.

O jogo: São Raimundo 0 x 0 Paysandu

A partida começou com forte marcação, mas com os dois times se lançando ao ataque. O Paysandu foi o primeiro a chegar a meta adversária, depois que Leandro Carvalho arrancou pelo meio, tocou na direita para Bergson, que devolveu com Leandro dentro da área para finalizar, mas acabou chutando em cima da marcação, perdendo uma grande chance.

O São Raimundo tinha mais posse de bola e começou a assustar o Paysandu. Em uma falta ensaiada cobrada por Chaveirinho, a bola foi desviada pela zaga do Papão, passando perto da meta do goleiro Emerson. Logo em seguida, Denis Pedra cruzou da esquerda e o atacante Tiago conseguiu perder um gol feito de frente para o crime.

Os mais de quatro mil torcedores empurraram o Pantera, que cresceu em campo e buscava abrir o placar. Em outra jogada pela esquerda, Tubarão cruzou na medida para a cabeçada do sempre perigoso Chaveirinho, a bola caprichosamente foi na trave bicolor. O Paysandu reagiu depois que Leandro Carvalho fez um carnaval na defesa adversária, mas finalizou em cima do goleiro Roger Kath.

O Pantera respondeu, depois de um chute cruzado, a bola foi desviada e sobrou para Tiago que encheu o pé e o lateral-direito Ayrton tirou quase de cima da linha o que seria o primeiro tento dos donos da casa. O movimentado primeiro tempo terminou sem gols.

Na segunda etapa, os times acabaram se entranhando em algumas jogadas e o clima esquentou com muita confusão no gramado de jogo, mas ninguém foi expulso pelo árbitro Gustavo Ramos Melo. Em uma cobrança de falta de muito longe, o atacante Bergson do Paysandu arriscou, mas parou no goleiro Roger Kath bem posicionado. Anderson do São Raimundo resolveu chutar de fora da área e Emerson segurou para o Papão.

O atacante Leandro Carvalho teve duas chances seguidas de mudar a história do jogo em favor do Paysandu. Na primeira, recebeu passe de Bergson e errou na finalização chutando muito alto. Na segunda tentativa, fez jogada individual, mas chutou fraco para a defesa do goleiro.

Nos acréscimos, o Pantera teve a bola do jogo, em uma jogada na área bicolor o chute saiu fraco e Emerson garantiu o placar de 0 a 0.

Na outra semifinal, Independente e Clube do Remo se enfrentaram no estádio Navegantão,

em Tucuruí, na noite desta quarta-feira (12/04). Com a chuva que caiu momento antes da bola rolar, o estado do gramado foi prejudicado. Melhor para o Galo Elétrico, que venceu o Leão Azul, por 2 a 0, e abriu uma boa vantagem por uma vaga na final. Os gols foram marcados pelo volante Chicão, aos 23 minutos do 1º tempo e pelo atacante Monga, aos quatro minutos do 2º tempo, chegando aos cinco gols no Parazão, sendo um dos artilheiros. A partida de volta está marcada para domingo (23/04), com o Independente jogando pelo empate e podendo perder por até um gol de diferença, já o Remo terá que vencer por três gols para avançar ou dois gols para levar a disputa para os pênaltis.

O jogo: Independente 2 x 0 Remo

Com muita lama e gramado pesado, os jogadores de ambas as equipes começaram a partida escorregando muito. Em uma recuperação de bola, o Remo tentou surpreender no chute de longe de Lucas Vitor, o goleiro Evandro pegou com facilidade. O Independente respondeu um minuto depois, quando Monga lançou para Wegno, que na hora da batida foi travado pela defesa. Rodrigo Siqueira teve outra chance para os donos da casa, quando recebeu na lateral direita, mas chutou muito alto.

A bola parada foi uma alternativa para as equipes. O Leão teve uma falta no meio da rua, Tsunami mandou para longe do estádio. No lance seguinte, a falta foi para o Galo Elétrico, após bola alçada na área, o zagueiro Martony se antecipou ao goleiro André Luis e marcou o gol de cabeça, mas o assistente assinalou impedimento. Aos 23 minutos, não teve jeito. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Henrique furou o corte e o volante Chicão aproveitou para marcar, 1 a 0 Independente.

Dois minutos depois, a zaga do Remo voltou a fazer lambança. Rodrigo Siqueira jogou na área, Henrique se atrapalhou, mas o atacante Monga não conseguiu marcar e a bola ficou com o goleiro André Luis. A primeira chegada perigosa do Leão Azul foi na cobrança de escanteio de Fininho, a bola caiu com Lucas Vitor que emendou, Jackinha tentou aproveitar a sobra, mas a zaga afastou o perigo. Em uma boa triangulação remista, o lateral-esquerdo Jackinha mandou um chutaço cruzado pela linha de fundo.

Na etapa derradeira, os azulinos começaram arriscando com Fininho, a bola subiu demais. Mas quem marcou mesmo foi o Independente. Depois de um lançamento na área, Tsunami escorregou na frente do atacante Monga, que ficou livre e fuzilou para o fundo do gol, 2 a 0 Galo Elétrico, aos quatro minutos. Logo depois, o Remo tentou diminuir quando Léo Rosa cruzou, Edgar tentou e a bola sobrou para Henrique que mandou de cabeça, mas foi pela linha de fundo.

Leão Azul foi para o tudo ou nada, em mais uma bola na área, o goleiro Evandro tirou de soco o perigo. Em uma cobrança de falta frontal, Léo Rosa mandou por cima da meta do Independente. De novo o Remo, após o cruzamento de Jackinha da esquerda, Jayme meteu de cabeça e a bola foi para fora. O atacante Jayme, que entrou no lugar do meia Fininho, queria jogo, desta vez recebeu e tocou para Gabriel, que furou no momento de concluir.

O Independente voltou ao ataque com Magno, que em velocidade tocou com Diego Lira e recebeu na frente, mas o chute saiu fraco em cima do goleiro remista. O Leão Azul começou a arriscar de fora da área, Marquinhos e Elizeu mandaram dois chutaços em lances seguintes. O atacante Edgar recebeu passe e tentou cavar um pênalti ao se atirar dentro da área, o árbitro Joelson Nazareno Ferreira Cardoso, mandou seguir.

Sem muita alternativa no jogo, o Remo continuou tentando. Marquinhos mandou outro balaço de fora da área, a bola passou perto da meta de Evandro. Mais uma bola alçada na grande área do Galo, depois do bate e rebate, o atacante Gabriel Lima tentou diminuir, mas o zagueiro Martony tirou de qualquer maneira. O time azulino seguiu em cima no final da partida, Igor João recebeu cruzamento e meteu de cabeça para uma defesa milagrosa do goleiro Evandro que salvou o time da casa. Na outra tentativa do Leão, Marquinhos cobrou falta no primeiro pau e a zaga cortou. Na última chance dos azulinos, Gabriel Lima cabeceou fraco nas mãos do goleiro. Placar final: Independente 2 x 0 Remo.

Futebol

Paysandu, São Raimundo, Remo e Independente garantem classificação para a semifinal do Parazão 2017

Pinheirense e São Francisco foram rebaixados para a Segundinha do Campeonato Paraense

Por Fábio Relvas   

A última rodada da fase de classificação do Parazão 2017 começou no domingo (02/04) com o clássico Rai x Fran no estádio Colosso do Tapajós, o Barbalhão, em Santarém. O São Raimundo venceu o São Francisco, por 2 a 0, com gols de Erick Foca, aos 31 e Bilau, aos 40  minutos do 2º tempo. O Pantera se garantiu na semifinal do Campeonato Paraense com 17 pontos dentro do Grupo A1, já o Leão Santareno com apenas 7 pontos no Grupo A2, foi rebaixado para a Segundinha.

Para complementar a 10ª rodada, mais quatro jogos foram realizados neste sábado (08/04).

No estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, o Paysandu voltou a receber o Águia de Marabá, sendo a terceira partida consecutiva entre as equipe em uma semana: dois confrontos pela Copa Verde e um pelo Parazão. Com o Papão já classificado para semifinal, o técnico Marcelo Chamusca colocou um time misto em campo. O time bicolor abriu o placar com o atacante Leandro Cearense, aos 18 minutos do 1º tempo. O Azulão não se intimidou e aos 22 minutos da primeira etapa, Erick marcou um belo gol de falta. Com o resultado de 1 a 1, o Paysandu ficou em 1º lugar no Grupo A1 com 20 pontos, enquanto que o Águia chegou aos 15 pontos no Grupo A2 e foi eliminado da competição, mas segue na elite do futebol paraense.

No estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, o Pinheirense recebeu o Castanhal precisando vencer e torcer por outros resultados para se manter na elite. O técnico Júnior Amorim, do General da Vila, colocou o time em cima do Japiim da Estrada. Mas quem marcou foi o time visitante com Augusto, aos 24 minutos do 1º tempo e Willian Sarôa, aos 24 minutos do 2º tempo, decretando o rebaixamento do Pinheirense para à Segundinha, quando somou apenas 5 pontos no Grupo A1. Com a vitória, por 2 a 0, o Castanhal foi a 15 pontos no Grupo A2 e se manteve na 1ª divisão.

Cametá e Independente se enfrentaram no estádio Parque do Bacurau, em Cametá. O Marapá remoso precisava vencer o clássico para escapar do rebaixamento. A torcida teve que esperar um pouco para comemorar, já que os donos da casa só marcaram no 2º tempo com Rodrigo, aos 16 e Rafael Paty, aos 18 minutos. Placar final: 2 a 0. O Cametá foi para 9 pontos no Grupo A1 e se garantiu na elite, enquanto o Independente somou 18 pontos no Grupo A2 e está nas finais do Parazão.

Pressionado após o vexame na Copa Verde, quando foi eliminado para o Santos-AP, o Remo enfrentou o Paragominas, na Arena do Município Verde, em Paragominas. O técnico Josué Teixeira do Leão colocou um time diferente pelo fato de está classificado e por problemas de contusões e suspensões. Já o Jacaré, do técnico e presidente Charles Guerreiro, ameaçado pelo rebaixamento, colocou força máxima para buscar a vitória. O time da casa abriu o marcador com atacante Pimenta, aos 24 minutos do 1º tempo. A equipe alternativa do Clube do Remo teve dificuldades com o gramado de jogo devido às falhas e muita lama. O Leão Azul chegou ao gol de empate com o atacante Gabriel Lima, muito criticado na última partida pela Copa Verde. Após escanteio cobrado por Fininho, o garoto da  base mandou com estilo de cabeça para o fundo da meta adversária, aos 27 minutos do 1º tempo, tudo igual: 1 a 1. O Remo segue como único invicto no Parazão e chega a semifinal com 22 pontos no Grupo A2, enquanto que o Paragominas foi para 8 pontos no Grupo A1 e se livrou do rebaixamento.

Classificação do Parazão

GRUPO A1

1º Paysandu: 20 Pontos

2º São Raimundo: 17 Pontos

3º Cametá: 9 Pontos

4º Paragomeinas: 8 Pontos

5º Pinheirense: 5 Pontos

GRUPO A2

1º Remo: 22 Pontos

2º Independente: 18 Pontos

3º Águia de Marabá: 15 Pontos

4º Castanhal: 15 Pontos

5º São Francisco: 7 Pontos

SEMIFINAL

São Raimundo X Paysandu (Terça-feira – 11/04 – Colosso do Tapajós –  20h30)

Paysandu X São Raimundo  (Sábado –  22/04 – Curuzu – 18h30)

Independente X Remo (Quarta-feira – 12/04 – Navegantão – 20h30)

Remo X Independente (Domingo – 23/04 – Mangueirão – 16 horas)

Futebol

Santos-AP e Paysandu avançam para a semifinal da Copa Verde 2017

Remo e Águia de Marabá foram derrotados no jogo da volta e estão fora da Copa Verde. Paysandu agora é o único representante do Pará

Por Fábio Relvas

O Clube do Remo entrou em campo na noite da última segunda-feira (04/04), no estádio Zerão, em Macapá, sem muita inspiração. Com um time apático, o Leão Azul foi presa fácil para o Santos do Amapá, que sem muitas dificuldades derrotou os paraenses, por 3 a 0, obtendo um placar histórico em seus 43 anos de fundação. Fabinho, Denilson e Batata, foram os autores dos gols da façanha do Peixe da Amazônia, classificado para a semifinal da Copa Verde.

A partida: Santos 3 x 0 Remo

Como havia perdido o primeiro jogo, por 2 a 1, em Belém, o time da casa se atirou para o ataque, apesar da torcida ser praticamente toda do Remo. A pressão do Peixe da Amazônia surtiu efeito logo aos 13 minutos, quando o paraense Balão Marabá deu belo passe para o atacante Fabinho, que por cobertura, matou o goleiro André Luis e marcou o primeiro, 1 a 0 Santos. Com o gol sofrido, o Leão teria que pelo menos tentar empatar para buscar a classificação, mas perdeu algumas chances com o atacante Gabriel Lima e o com o lateral-esquerdo Jackinha.

No segundo tempo, o técnico Josué Teixeira colocou o time do Remo em cima do adversário. Gabriel Lima teve tudo para marcar, após a lambança do goleiro Axel, que em um tiro de meta mal cobrado, jogou a bola nos pés do atacante remista, mas o chute do atleta azulino foi para fora. A bola do Remo insistia em não querer entrar. Com o Leão totalmente apático e perdido em campo, o Santos foi para cima. Em um contra-ataque fulminante, Fabinho em alta velocidade cruzou da direita para Denilson, que na grande área fuzilou para o fundo da meta azulina, aos 30 minutos, 2 a 0 Peixe da Amazônia.

Com o resultado adverso de 2 a 0, o Remo precisava marcar pelo menos um para decidir a vaga nos pênaltis. A coisa só piorou quando o zagueiro Igor João foi expulso de campo.Atordoado e sem forças, o Leão tentou surpreender em bola parada. Léo Rosa cobrou uma  falta venenosa, a bola passou pertinho da meta amapaense. O time do Santos também teve uma falta, mas não desperdiçou. Batata cobrou com categoria e decretou a façanha, aos 40 minutos, festa no estádio Zerão: Santos 3 x 0 Remo.

Já no confronto paraense das quartas de final da Copa Verde, o Paysandu voltou a vencer o Águia de Marabá, desta vez, por 1 a 0, na noite de terça-feira (04/04), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O gol único do jogo foi marcado logo aos nove minutos do 1º tempo pelo zagueiro Fernando Lombardi. O Paysandu encara o Santos-AP na semifinal da competição marcada para os dias 16 e 19 de abril. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vai realizar o sorteio dos mandos de campo na próxima quinta-feira (06/04).

O jogo: Papão 1 x 0 Águia de Marabá

Empurrado pela Fiel Bicolor que compareceu em um bom número no Mangueirão, o Paysandu iniciou a partida em cima do adversário, apesar de ter vencido o jogo de ida por 2 a 1, em Marabá. O volante Rodrigo Andrade quase abriu o placar em uma arrancada fulminante, mas na hora da finalização foi travado pelo adversário. Na outra tentativa, o Papão abriu o marcador. Após escanteio da direita, o zagueiro Gilvan meteu o soco na bola, o árbitro deixou seguir o lance e o zagueiro Fernando Lombardi, mesmo caído, mandou para o fundo da meta aguiana, 1 a 0, aos nove minutos.

Tímido no jogo, o Azulão tentou empatar com o volante Mael, mas o chute carimbou a zaga bicolor. O atacante Tiago Mandi arriscou de fora da área e o goleiro Emerson fez a defesa para o Paysandu. Em outro lance do Águia, o atacante Eric dividiu com o lateral-direito Ayrton dos donos da casa e caiu na área, a turma da equipe do sudeste do Pará pediu pênalti, nada foi marcado. Outro lance questionado pelos visitantes foi quando atacante Vinícius recebeu na área, arrancou na velocidade e disparou para o fundo da meta bicolor, mas a arbitragem parou sinalizando impedimento.

No segundo tempo, o técnico João Galvão foi para o tudo ou nada. Precisando marcar gols, mandou o Águia para o ataque. Em duas oportunidades, Tiago Mandi quase marcou. Na primeira cobrou falta perigosa, a bola passou perto. Na segunda tentativa, invadiu a área e bateu colocado, mandando pela linha de fundo. Tinhoso, o Azulão queria o gol de empate, desta vez foi o meia Kaíque que chutou forte da entrada da área, o goleiro Emerson espalmou e na sobra Ayrton tirou antes da chegada do ataque marabaense.

O Paysandu tentava sair rápido no contra-ataque e em um deles Daniel Sobralense deixou Wilkerson na boa dentro da área, o atleta bicolor foi derrubado e mais uma vez o árbitro mandou seguir. A resposta do Águia veio depois de um cruzamento da direita para Vinícius que testou no meio de dois marcadores para fora. Com um jogo aberto, o Papão encontrou brecha para atacar. Augusto Recife tocou para Aslen na área e na hora de finalizar foi travado pela zaga marabaense. Na última chance real de gol, Daniel Sobralense cobrou escanteio para o cabeceio do zagueiro Gilvan, que mandou para fora. Final de jogo: Paysandu 1 x 0 Águia. O Paysandu é o único time paraense que permanece na Copa Verde.

Futebol

Remo e Paysandu largam na frente por uma vaga nas semifinais da Copa Verde

O campeão da Copa Verde tem vaga assegurada nas oitavas de final da Copa do Brasil

Por Fábio Relvas

O Remo foi o primeiro time paraense a entrar em campo pelas quartas de final da Copa Verde 2017. O Leão Azul recebeu o time do Santos de Macapá no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, na noite da última quinta-feira (30/03).

Empurrado pelo Fenômeno Azul, o Remo tentou encurralar o adversário, mas não foi isso que aconteceu. O time do Peixe da Amazônia deu trabalho para os donos da casa, esperando o adversário e saindo no contra-ataque. Em um deles, o Santos abriu o marcador, após uma jogada rápida, o lateral-esquerdo Batata cruzou na medida na cabeça do atacante Luciano, que de frente com o goleiro André Luis, não perdoou e mandou para o fundo da meta azulina, 1 a 0, aos 31 minutos do 1º tempo. O fato curioso, é que o autor do gol macapaense, é filho do presidente do clube, Luciano Marba, que nesta partida estava como técnico interino, já que o treinador do peixe, Élcio do Rosário, cumpria suspensão, após expulsão diante do Fast-AM, na fase anterior da competição.

O jogo estava encardido para o Remo, que começou a receber pressão da torcida, com vaias em jogadas que não davam certo. O atacante Edgar, que foi perdoado pela diretoria, após o episódio de alcoolismo nas vésperas do Re x Pa, apareceu no jogo e foi fundamental para o gol de empate, que saiu de seus pés. Depois de uma boa arrancada pela esquerda, Edgar cruzou rasteiro para a chegada de Val Barreto, que com um leve toque tirou do goleiro Axel e correu para o abraço, aos 43 minutos, tudo igual: 1 a 1.

No segundo tempo, o técnico Josué Teixeira deu um puxão de orelha em seus atletas e colocou o Leão Azul mais ofensivo para mudar a história da partida. Com duas chances claras de virar o resultado do duelo, uma com o atacante Edgar e outra com o meia Eduardo Ramos, quem conseguiu marcar o gol da vitória foi o zagueiro Henrique, que recebeu passe de Edgar e dentro da área só fez escorar para o fundo da meta do Peixe da Amazônia, 2 a 1 Leão, aos 43 minutos. Com a vitória o Remo joga pelo empate no jogo da volta marcado para a próxima segunda-feira (03/04), às 20h15, no estádio Olímpico Zerão, em Macapá.

Já Águia e Paysandu fizeram o duelo de times paraenses pelas quartas de final da Copa Verde. A partida aconteceu nesta sexta-feira (31/03), no estádio Zinho Oliveira, em Marabá. Devido a forte chuva que caiu na cidade durante o dia inteiro, o gramado ficou quase que impraticável, com muita lama, dificultando a vida das duas equipes.

O Águia começou a partida arriscando contra a meta bicolor, mas o goleiro Emerson atento tranquilizava com boas defesas. O Paysandu conseguiu abrir o placar depois da arrancada do atacante Alfredo, que deixou o marcador para trás e chutou para a chegada de Wilkerson, completando para o fundo do gol, aos 33 minutos, 1 a 0 Papão.

Na etapa derradeira, o Águia sufocou os visitantes e teve chance de marcar por duas vezes, uma com o zagueiro Fernando Lombardi do próprio Paysandu, que quase marcou contra e outra com Bernardo que na hora de concluir furou na pequena área. O Azulão empatou em um pênalti marcado, quando Hayner derrubou Tiago Mandi. O lateral esquerdo Edinaldo cobrou e deixou tudo igual, aos 29 minutos, 1 a 1.

O Papão não sentiu o gol do adversário e voltou a sair para o jogo. Ayrton arrancou pela direita, fez uma linda tabela com Daniel Sobralense, que devolveu de calcanhar para a chegada do próprio Ayrton que fuzilou para a meta do goleiro Maycki Douglas, aos 38 minutos, decretando a vitória do Paysandu, por 2 a 1.

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira (04/04), às 19h15, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

Com gol de Eduardo Ramos no final do jogo, Remo empata com o Paysandu e segue como o único invicto no Parazão 2017

O Re x Pa de número 739 válido pela 9ª rodada do Parazão 2017 já começou apimentado antes mesmo da bola rolar.

Por Fábio Relvas

O Paysandu viveu uma semana cheia de cobranças em cima do clássico e o técnico Marcelo Chamusca fechou os portões em dois treinos, seguindo de mistério com a equipe titular. A cobrança da diretoria e da torcida bicolor foi justamente pela derrota no jogo de ida para o rival, por 2 a 1, ainda não engolida pelas bandas do Papão. Os bicolores pediram exame antidoping para o clássico.

Pelo la do do Remo, o atacante Edgar foi cortado do jogo devido a um ato de indisciplina na véspera do clássico. Segundo informações de bastidores, o artilheiro do Leão no Parazão, com cinco gols marcados, saiu para a noitada e não compareceu ao treino recreativo.

O clássico Paysandu e Remo deste domingo (26/03), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, teve atraso de meia hora, devido a forte chuva que caiu na capital Belém, mas nada que tirasse o bom público da partida. Foram mais de 25 mil torcedores empurrando seus times nas arquibancadas.

O Papão saiu na frente com o gol do atacante Bergson logo aos 11 minutos de jogo. O Leão chegou ao empate somente aos 44 minutos do segundo tempo, com o meia Eduardo Ramos. O clássico mais disputado do mundo teve algumas polêmicas, tanto para o lado do Remo, como para o lado do Paysandu. A arbitragem do jogo foi do conceituado Dewson Fernando Freitas da Silva, árbitro paraense da FIFA.

O clássico: tudo igual 1 a 1

Com três atacantes em campo, o Paysandu foi para cima do Remo. O meia Diogo Oliveira arriscou de fora da área, a bola passou a direita da meta azulina. No lance seguinte, Bergson soltou um foguete em cobrança de falta, o goleiro André Luis espalmou para escanteio. O Remo deu troco depois que Gabriel Lima foi lançado, o atacante deu um toque por cima, mas Emerson saiu no abafa. Melhor no jogo, o Papão abriu o placar. Diogo Oliveira lançou na direita Ayrton, que chutou cruzado para a chegada do atacante Bergson, que não perdoou, 1 a 0, aos 11 minutos.

O Remo não se intimidou e tentou chegar ao empate com Jayme, que recebeu na entrada da área, mas chutou por cima. Eduardo Ramos tentou avançar em jogada individual e recebeu um carrinho mais forte de Ricardo Capanema, o volante bicolor recebeu cartão amarelo. Tsunami cobrou falta, a bola passou perto da meta de Emerson. A blitz do Leão seguiu com Jayme, que cruzou rasteiro no meio da área, a zaga do Paysandu rasgou antes da chegada do ataque remista. Lance polêmico aconteceu aos 22 minutos, quando Ricardo Capanema voltou a fazer falta em cima de Eduardo Ramos e recebeu o segundo cartão amarelo, consequentemente o cartão vermelho. O tempo fechou para cima do árbitro da FIFA Dewson Fernando Freitas da Silva.

Com um a menos, o técnico Marcelo Chamusca tirou o meia Diogo Oliveira e colocou o volante Rodrigo Andrade em campo. No primeiro lance de Rodrigo no jogo, o atleta bicolor foi advertido com cartão amarelo após falta em Eduardo Ramos. Com um a mais o Remo tinha espaço para atacar. Jayme é lançado e derrubado pelo zagueiro Fernando Lombardi, por um centímetro seria pênalti para o Leão Azul. O Paysandu tentava segurar mais a bola e sair aos poucos para o ataque. Em duas invertidas, Tsunami e Léo Rosa foram advertidos com cartões amarelos. Em um escanteio da direita, o zagueiro Gilvan cabeceou livre e quase ampliou para o Papão.

O técnico Josué Teixeira do Remo tirou o volante Tsunami e colocou o atacante Val Barreto. No Paysandu, o atacante Bergson, autor do gol, saiu machucado e deu lugar a Hayner. O Papão saiu em contra-ataque, Leandro Carvalho em disparada, deixou o zagueiro Igor João na saudade e foi derrubado pelo defensor azulino, que recebeu cartão amarelo. O Remo deu o troco, após cobrança de escanteio da direita, Val Barreto cabeceou firme, a bola passou tirando a tinta da trave bicolor. Quase o empate do Leão. Final de primeiro tempo: 1 a 0 Papão!

Na etapa derradeira, o técnico Josué Teixeira colocou o Remo em cima do rival. Após lançamento na área, Léo Rosa ajeitou de cabeça para Val Barreto, que também de cabeça mandou a bola para fora. Em nova tentativa de cabeceio de Val Barreto, o goleiro Emerson teve dificuldade para fazer a defesa e foi buscar em dois tempos. O Paysandu acordou com Leandro Carvalho, que pegou uma sobra de bola e mandou um chutaço de fora da área e quase surpreende o goleio André Luis. O atacante Jayme do Leão parou a jogada bicolor com falta e recebeu cartão amarelo. Na sequência, o meia Flamel do Remo meteu a mão na bola e foi amarelado.

Com um jogo, ataque do Remo contra a defesa do Paysandu, o Leão quase empatou, após escanteio, Igor João cabeceou e em cima da linha o lateral Ayrton salvou o time do Papão. No lance, o lateral-esquerdo Jackinha do Remo se machucou e ficou desacordado em campo e foi substituído por Felipe. Em mais um escanteio para os azulinos, Val Barreto cabeceou e a bola tocou na rede pelo lado de fora, a torcida do Leão chegou a gritar gol. O técnico Marcelo Chamusca fez a última mudança no time do Papão, trocando Wilkerson pelo Aslen Kevin. Pelo lado azulino, Josué Teixeira foi para o tudo ou nada, tirando o meia Flamel, colocando David, sendo mais um homem de ataque. Na altura do jogo, o Leão com quatro atacantes.

Aos 33 minutos, o atacante Val Barreto foi derrubado dentro da área pelo zagueiro Fernando Lombardi, a torcida e jogadores do Remo pediram o pênalti, mas o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva mandou seguir. O Leão seguiu na pressão, desta vez Eduardo Ramos cruzou para a área e antes da chegada de Gabriel Lima, o goleiro Emerson fez a defesa salvando o Paysandu. No lance seguinte, o árbitro mostrou cartão amarelo para Eduardo Ramos por reclamação após falta marcada contra o Leão.

Depois de insistir na sequência de escanteios, em um deles, a bola foi alçada na área bicolor, após uma defesa sensacional de Emerson, o meia Eduardo Ramos pegou a sobra e mandou para o fundo do gol, aos 44 minutos. Deixando tudo igual no Mangueirão, 1 a 1, enlouquecendo a torcida do Leão. No final o Remo tentou a virada, mas o placar terminou empatado e o Leão Azul segue como o único invicto no Parazão 2017.

No final do jogo o técnico do Clube do Remo, Josué Teixeira, desabafou em relação ao caso do atacante Edgar. “O diretor Sérgio Dias, o mesmo que me trouxe para cá, queria me mandar embora e deixar o Edgar. Se alguém não gosta de mim, que fale. Mas eu estou aqui para defender o Remo. Amanhã acontece uma reunião para definir toda essa situação”, disse Josué.

Ficha Técnica

Paysandu: Emerson; Ayrton, Gilvan, Fernando Lombardi e Wilkerson (Aslen Kevin); Ricardo Capanema, Wesley e Diogo Oliveira (Rodrigo Andrade); Leandro Carvalho, Bergson (Hayner) e Leandro Cearense. Técnico: Marcelo Chamusca

Remo: André Luis; Léo Rosa, Henrique, Igor João e Jackinha (Felipe); Elizeu, Tsunami (Val Barreto), Eduardo Ramos e Flamel (David); Jayme e Gabriel Lima. Técnico: Josué Teixeira

Cartões amarelos: Ricardo Capanema e Rodrigo Andrade (Paysandu); Tsunami, Léo Rosa, Igor João, Jayme, Flamel e Eduardo Ramos (Remo)

Cartão vermelho: Ricardo Capanema (Paysandu)

Gols: Bergson (Paysandu) 11 minutos do 1º tempo; Eduardo Ramos (Remo) 44 minutos do 2º tempo

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (FIFA/PA)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves e Barbara Roberta Costa Loiola

4º e 5º Árbitros: Andrey da Silva e Silva e Olivaldo José Alves Moraes

Assessor de Arbitragem: Fernando Sérgio Castro dos Santos

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Público e renda

Renda: R$ 707.576 mil

Pagantes: 22.421 torcedores

Credenciados: 2.955

Total: 25.376 pessoas

Outros resultados da 9ª rodada do Parazão 2017

Independente 2 x 2 São Raimundo (Estádio Navegantão) – (Gols: Tiago Capim aos 22 minutos e Tubarão aos 40 minutos para o São Raimundo / Magno aos 42 minutos e Dudu aos 49 minutos do 2º tempo para o Independente)

Pinheirense 0 x 2 Águia (Estádio da Curuzu) – (Gols: Vinícius aos 18 minutos e Kaique aos 20 minutos do 2º tempo)

Castanhal 1 x 0 Paragominas (Estádio Maximino Porpino) – (Gol: Willian Sarôa aos 19 minutos do 1º tempo)

São Francisco 2 x 1 Cametá (Estádio Barbalhão) – (Gols: Charles aos 14 minutos do 1º tempo para o São Francisco, Negueba aos 6 minutos do 2º tempo para o Cametá e Danúbio aos 41 minutos do 2º tempo para o São Francisco)

Classificação do Parazão 2017

Grupo A1

1º Paysandu: 19 pontos

2º São Raimundo: 14 pontos

3º Paragominas: 7 pontos

4º Cametá: 6 pontos

5º Pinheirense: 5 pontos

Grupo A2

1º Remo: 21 pontos

2º Independente: 18 pontos

3º Águia: 14 pontos

4º Castanhal: 12 pontos

5º São Francisco: 7 pontos

(Obs: O São Francisco já está rebaixado para a Segundinha do Parazão)

error: Conteúdo protegido contra cópia!