Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Isac marca de pênalti e Remo vence Globo-RN no Mangueirão pela Série C

Foi a primeira vitória azulina na competição nacional na estreia do Leão dentro de casa

O Clube do Remo venceu o Globo-RN, por 1 a 0, na tarde deste sábado (21), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Foi à estreia do Leão Azul dentro de casa no Campeonato Brasileiro da Série C. A partida foi válida pela 2ª rodada do Grupo A da competição nacional.

O Leão Azul chegou ao gol da vitória, quando Elielton entrou na área e foi derrubado pelo goleiro Welligton, pênalti assinalado pelo árbitro Célio Amorim, de Santa  Catarina. O atacante Isac, chamou a responsabilidade e cobrou forte no canto esquerdo e saiu para o abraço, aos 28 minutos do 1° tempo.

Com a vitória, o Clube do Remo somou seus três primeiros pontos na Série C e alcançou o terceiro lugar do Grupo A da competição. O próximo compromisso dos azulinos será diante do Juazeirense-BA, no próximo domingo (29),às 19h, no Estádio Adauto Moraes, o Adautão, na cidade de Juazeiro da Bahia. A partida será válida pela 3ª rodada.

O jogo: Leão 1 x 0 Águia – Primeira vitória azulina na Série C

O Clube do Remo entrou em campo pressionado pela derrota na estreia da Série C e partiu para cima do Globo-RN. O meia Adenilson cobrou falta na área e o zagueiro Moisés estreante, subiu de cabeça, a bola passou perto da meta potiguar. Em outra bola parada, que foi um escanteio cobrado por Adenilson, Isac cabeceou por cima da trave do goleiro Welligton, deixando a torcida remista no “uh”.

Em uma jogada individual de Elielton, o atacante azulino arrancou dentro da área e foi derrubado pelo goleiro Welligton, pênalti assinalado pelo árbitro Célio Amorim de Santa Catarina. O atacante Isac cobrou no canto esquerdo de Welligton que foi e não achou nada, abrindo o placar no Mangueirão, aos 28 minutos. O Globo conseguiu chegar em um escanteio cobrado por Érick, Victor desviou e a bola passou perto da meta do goleiro Vinícius.

O Remo voltou a atacar e após uma boa troca de passes, Esquerdinha ficou de cara para o gol, mas chutou muito forte e a bola passou por cima. Na segunda etapa, o time potiguar resolveu sair mais para o jogo e levou perigo em algumas investidas. Após passes envolvendo a zaga azulina, Reinaldo chutou e a bola explodiu no zagueiro Moisés. O Leão deu o troco com Felipe Marques, que cruzou para Isac, o atacante com um desvio quase ampliou o marcador.

Em outra descida perigosa da equipe paraense, o cruzamento saiu da direita na cabeça de Felipe Marques, que mandou para fora perdendo uma grande oportunidade. O Globo chegou em um escanteio cobrado por Geovane, Victor subiu no meio da zaga e cabeceou para uma defesa espetacular do goleiro Vinícius, que espalmou de mão trocada para fora. O jogo era lá e cá, desta vez Esquerdinha cruzou e Isac desviou, a bola bateu na zaga potiguar e se perdeu pela linha de fundo.

O Globo tentou arrisca nos contra-ataques e em um deles, Romarinho apareceu livre, mas a arbitragem assinalou impedimento. Geovane tentou o empate em cobrança de falta, mas mandou longe da meta remista. O Leão esperava o adversário para dá o bote, mas em uma jogada de ataque, Elielton apareceu impedido na frente. A zaga potiguar se complicou na saída de bola e Isac tentou por cobertura, o goleiro Welligton espalmou para fora.

Nos minutos finais, Isac tocou para Elielton que disparou para a boa defesa de Welligton, que evitou mais uma vez o segundo gol do Leão. Após uma lambança da zaga, a bola ficou com Felipe Marques que acabou se atrapalhando e perdeu a chance de ampliar no Mangueirão.

Placar final: Remo 1 x 0 Globo. O Leão Azul conquistou seus três primeiros pontos no Campeonato Brasileiro da Série C.

Ficha técnica

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Moisés, Mimica e Esquerdinha; Dudu, Fernandes (Leandro Brasília) e Adenilson (Everton); Elielton, Felipe Marques e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

GLOBO-RN: Welligton; Geovane, Victor, Alexandre e Diego; Galiardo, Vanger, Reinaldo e Érick (Jean Natal); Mateus (Alex Sandro) e Romarinho (Negueba). Técnico: Fernando Tonet

Árbitro: Célio Amorim-SC

Assistentes: Johnny Barros de Oliveira e Eder Alexandre, ambos de Santa Catarina

Cartões amarelos: Moisés, Levy, Esquerdinha e Leandro Brasília (Remo); Alexandre e Galiardo (Globo)

Gol: Isac, de pênalti, aos 28 minutos do 1° tempo para o Clube do Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 140.310,00 – Pagantes: 6.542 – Nação Azul: 2.022  – Credenciados: 1.670 – Total: 8.212

Por Fabio Relvas – Foto: Samara Miranda / Ascom Remo

Pará

Clube do Remo perde para Atlético Acreano na estreia do Brasileiro da Série C

O Leão Azul pecou nas finalizações e acabou derrotado pelo Galo Carijó na Arena da Floresta

O jogo: Galo Carijó 1 x 0 Leão Azul

Na primeira tentativa do Clube do Remo, o atacante Elielton entrou livre, mas a arbitragem assinalou impedimento. Em outra jogada do campeão paraense, o Isac também foi flagrado em posição irregular. Adenilson cobrou escanteio e o zagueiro Mimina cabeceou para o chão e a bola foi para fora. O time azulino tentava chegar de qualquer maneira e o atacante Isac apareceu impedido outra vez.

Adenilson entrou pela esquerda e cruzou para o meio, a bola passou na frente de todo mundo e o Remo perdeu uma boa chance de abrir o placar. Felipe Marques arriscou um chute de longe, o goleiro Ruan defendeu em dois tempos. Em um contra-ataque do time da casa, o meia Polaco deixou Neto na boa para marcar, o atacante do Atlético-AC chutou rasteiro, a bola passou assustando o goleiro Vinícius.

As duas equipes erravam demais em campo com um nível técnico muito fraco. Quando tudo parecia que iria terminar empatado no primeiro tempo, o Galo Carijó conseguiu abrir o marcador. Após jogada de Polaco, o meia tocou para Neto, o volante Dudu do Remo cortou mal e deu nos pés de Eduardo, que sozinho só teve o trabalho de empurrar para o fundo da meta azulina, 1 a 0, aos 41 minutos.

Na segunda etapa, o Clube do Remo melhorou e foi em busca do gol de empate. O atacante Felipe Marques recebeu passe e na hora da finalização foi travado pela defesa adversária. Em outra tentativa do Leão Azul, Adenilson cobrou escanteio e Elielton sozinho cabeceou para fora. Pressão azulina, agora Felipe Marques recebeu lançamento e chutou para a boa defesa do goleiro Ruan.

Blitz total do Remo, desta vez a bola sobrou na entrada da área para o atacante Jayme, que mandou para fora. Após um chutão da zaga remista, o zagueiro Diego furou feio e a bola caiu nos pés de Felipe Marques, o atacante azulino encheu o pé e parou no paredão chamado Ruan, que salvou a pátria acreana. Na última chance remista na partida, Jefferson Recife chutou cruzado, o atacante Jayme sozinho desviou para fora. Placar final: Atlético-AC 1 x 0 Remo.

Ficha Técnica

Atlético – AC: Ruan; Matheus, Diego, João Marcus e Jeferson; Leandro (Wilson), Kássio e Polaco (Ancelmo); Eduardo, Rafael Barros e Neto (Araújo Jordão). Técnico: Álvaro Miguéis

Remo: Vinícius; Levy, Mimica, Martony e Esquerdinha; Dudu, Fernandes (Rodriguinho) e Adenílson (Jefferson Recife); Elielton (Jayme), Felipe Marques e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

Árbitro: Ivan da Silva Guimarães Júnior (AM)

Assistentes: Uesclei Regison Pereira dos Santos e Anne Kesy Gomes de Sá, ambos do Amazonas

Cartão amarelo: Elielton (Remo)

Gol: Eduardo, aos 41 minutos do 1° tempo para o Atlético-AC

Local: Arena da Floresta, em Rio Branco, no Acre

Renda: R$ 17.580,00 – Pagantes: 862

Por Fábio Relvas

Pará

Remo vence o Paysandu e conquista o título do Campeonato Paraense de 2018

Isac marcou de pênalti e garantiu, pela 4ª vez seguida, o triunfo do Leão diante do Papão

O Clube do Remo venceu pela quarta vez seguida o seu maior rival, o Paysandu Sport Club, e conquistou o título do Campeonato Paraense de 2018. O atacante Isac, de pênalti, deu a vitória aos azulinos, aos 26 minutos do 1° tempo, explodindo o Fenômeno Azul nas arquibancadas do Estádio Olímpico, Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida foi realizada na tarde deste domingo (8), com o Leão Azul conquistando seu 45ª título estadual de sua história.

Outra marca que impressiona, é a do técnico Givanildo Oliveira, que nunca perdeu para o rival bicolor. Foram nove jogos, sendo sete vitórias e dois empates. Esse é o segundo título paraense conquistado pelo técnico a frente do Leão, em 1993, faturou em cima do próprio Paysandu, iniciando a saga do tabu de 33 jogos sem perder para o rival.

O Clube do Remo foi disparado o melhor time do Parazão 2018: em 14 jogos somou 31 pontos, sendo 10 vitórias, um empate e três derrotas. O Leão Azul agora é o soberano do estado do Pará.

O jogo: Leão 1 x 0 Papão – Mais que merecido, Clube do Remo campeão paraense de 2018

Precisando reverter a vantagem o Paysandu chegou primeiro: na jogada rápida, o atacante Walter disparou de fora da área, a bola passou assustando o goleiro Vinícius. Em boa troca de passes do Papão, Pedro Carmona disparou da intermediária e o goleiro Vinícius fez uma ponte para ficar com a bola. O Remo perdeu a bola na frente, o Paysandu saiu em contra-ataque com Mateus Muller, que tocou para Cassiano, o atacante bicolor disparou cruzado para a defesa de Vinícius.

Quando foi para o ataque o Leão Azul foi fatal. Felipe Marques recebeu lançamento e foi derrubado pelo goleiro Marcão, pênalti assinalado pelo árbitro Anderson  Daronco-RS, da FIFA. Isac pediu a preferência e cobrou com muita categoria, deslocando o goleiro Marcão, aos 26 minutos, 1 a 0 Leão, para a explosão do Fenômeno Azul no Mangueirão.

Em mais um lance perigoso dos azulinos, Levy tabelou com Elielton e deixou o atacante de frente para ampliar, mas preferiu lançar e a bola ficou com Marcão.

Fernando Torres/Paysandu

Para o segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti alterou sua equipe: sacando Matheus Silva e Willyam, colocando Moisés e Danilo Pires, respectivamente. Na primeira chegada de ataque do Paysandu, Moisés desviou de cabeça para o atacante Walter, que disparou cruzado para fora. O Papão começou a se expor e o Leão aproveitou os espaços. Adenilson recebeu passe e ficou sozinho para cruzar, mas preferiu chutar e mandou pela linha de fundo.

Minutos depois, Adenilson chutou de fora da área, a bola passou assustando o goleiro Marcão. O Papão tentou pressionar, Moisés chutou cruzado, Vinícius defendeu e na sobra, o zagueiro Mimica despachou para fora. O técnico Givanildo Oliveira colocou o atacante Jayme no lugar de Elielton. Após cruzamento na área, Isac cabeceou por cima da bicolor. Outra vez o Leão, Felipe Marques cruzou, o goleiro Marcão saiu mal e a bola chegou para Adenilson, que sozinho cabeceou em cima do arqueiro bicolor.

O Paysandu respondeu com Walter, que cruzou e Moisés sozinho cabeceou para fora. Após escanteio para o time bicolor, Diego Ivo cabeceou e o goleiro Vinícius espalmou sensacional. Felipe Recife sentiu e o time azulino teve que mudar, entrando Fernandes. Na última mudança do Papão, saiu Mike e entrou Peu. Em uma falta de muito longe, Esquerdinha cobrou forte por cima da meta bicolor.

O time do Paysandu sem muita força conseguia chegar. Moisés em uma boa jogada individual passou de dois marcadores e disparou forte, o goleiro Vinícius salvou espetacular. Em contra-ataque bicolor, Peu disparou de longe por cima da meta remista. Mais uma bola na área do Remo, Moisés cabeceou sozinho para fora. Givanildo Oliveira mexeu pela terceira vez, sacando Felipe Marques e colocando Rodriguinho.

O time bicolor foi para o tudo ou nada. Cassiano cruzou para a cabeça de Diego Ivo, o nome do jogo, o goleiro Vinícius fez a defesa. No contra ataque-azulino, Isac recebeu na esquerda e chutou cruzado para fora. Outra vez o Remo, Levy deixou Jayme sozinho para ampliar, mas o atacante azulino conseguiu perder. Walter pegou uma sobra dentro da área, mas acabou chutando por cima. O árbitro Anderson Daronco levou até aos 51 minutos. Placar final: Remo 1 x 0 Paysandu. Clube do Remo campeão paraense de 2018.

Imagem TV Cultura

“Complicado falar agora alguma coisa nesse momento. Hoje criamos, buscamos e o gol não saiu e eles venceram o clássico. A gente estava trabalhando a bola e a equipe lutou até o final. No segundo tempo nos dedicamos, mas infelizmente tomamos um gol no primeiro tempo que acabou atrapalhando. A nossa equipe sentiu um pouco no primeiro tempo. O Remo foi o campeão e agora é dá os parabéns para eles”, afirmou Cassiano, atacante do Paysandu.

“Fico feliz de ter participado deste grupo campeão, estão todos de parabéns. Fico feliz, mas toda a honra e a glória ao senhor Jesus e a Deus por me capacitar e me dá força para treinar, trabalhar e com saúde. Trabalhamos muito duro. Acho que o mérito não é só meu, é do preparador de goleiro Juninho, que treina a gente muito duro e forte. A comissão técnica e os companheiros. Estou muito feliz e era um título que eu almejava muito”, disse Vinícius, goleiro do Clube do Remo.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy, Bruno Maia, Mimica e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Fernandes) e Adenilson (Rodriguinho); Elielton (Jayme), Felipe Marques (Rodriguinho) e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

PAYSANDU: Marcão; Matheus Silva (Moisés), Diego Ivo, Edimar e Mateus Muller; Nando Carandina, Willyam (Danilo Pires) e Pedro Carmona; Walter, Mike (Peu) e Cassiano. Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Anderson Daronco-RS (FIFA)

Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos-BA (FIFA) e Guilherme Dias Camilo-MG (FIFA)

Quarto-árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva-PA (FIFA)

Quinto-árbitro: Joquetan Moreira Guimarães-PA

Sexto-árbitro: Rafael Ferreira Vieira-PA (CBF)

Cartões amarelos: Esquerdinha e Adenilson (Remo); Matheus Silva, Mateus Muller e Nando Carandina (Paysandu)

Gol: Isac, de pênalti, aos 26 minutos do 1º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 1.092.010,00 – Pagantes: 25.879 – Não pagantes: 3.000 Total: 28.879

Por Fábio Relvas

Pará

Remo vence o São Raimundo no Mangueirão e está na final do Campeonato Paraense de 2018

Os atacantes Isac e Felipe Marques marcaram os gols que levaram o Leão Azul a mais uma final de Parazão

O Clube do Remo garantiu vaga na final do Campeonato Paraense de 2018, ao derrotar o São Raimundo de Santarém, por 2 a 0, na tarde deste domingo (25), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O atacante Isac abriu o placar, aos 45 minutos do 1º tempo e outro atacante Felipe Marques, aos 20 minutos do 2º tempo, garantiu o Leão Azul em mais uma final de Parazão.

Os jogos das finais do Parazão entre Clube do Remo e Paysandu, estão marcados para os próximos domingos, dias (01/04) e (08/04), ambos às 16h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

A disputa do terceiro lugar, que vai valer vaga na Copa do Brasil de 2018, será entre São Raimundo e Bragantino, com primeiro jogo marcado para o próximo sábado (31/03) para o Estádio Barbalhão, em Santarém e o segundo para o dia (07/03) para o Estádio Diogão, em Bragança.

O jogo: Leão 2 x 0 Pantera – Clube do Remo na grande final – Vai ter Re x Pa!

Os dois times entraram em campo em um verdadeiro “toró”, muita chuva pela capital Belém. O time de Santarém chegou: após lançamento, Jeová dominou e chutou a esquerda de Vinícius. O Leão respondeu, quando Esquerdinha cruzou e na hora que a bola iria chegar em Isac, a zaga cortou para escanteio. Adenílson cobrou escanteio e Mimica cabeceou, a bola tocou na zaga e bateu na rede pelo lado de fora.

A chuva atrapalhou as descidas das equipes. Felipe Marques tocou por cima para Esquerdinha, mas a bola parou na poça de água. Em um contra-ataque do São Raimundo, Felipe recebeu lançamento e chutou cruzado, ninguém apareceu e zaga remista aliviou o perigo. O Remo deu o troco com Dudu, que recebeu lançamento de lateral, driblou a marcação e chutou por cima da meta de Jader.

O time santareno levava perigo em lançamentos: Jeová deixou Wendel na boa para marcar, mas a arbitragem assinalou impedimento. Na sequência, Jeová disparou de fora da área, Vinícius espalmou para o lado evitando o primeiro gol do jogo. Os azulinos chegaram quando Felipe Marques recebeu e lançou para Esquerdinha, que bateu por cima da meta do Pantera. Adenílson cobrou escanteio e Isac cabeceou firme, a bola passou perto assustando o goleiro Jader.

Mais uma a bola foi jogada na área, o zagueiro Mimica dominou estilo atacante e bateu colocado, a bola passou muito perto, a torcida remista ficou no “uh”. O zagueiro Mimica lançou na área, Isac dominou para marcar, mas a arbitragem paralisou e marcou impedimento do atacante do Remo. Mais um lançamento para Isac e outra vez a arbitragem assinalou impedimento. A vez do São Raimundo atacar através de lançamento, Felipe meteu para Wendel, e o jogo foi paralisado com mais um impedimento.
Em uma cobrança de falta, Leonardo recebeu e chutou sem direção para a sorte dos azulinos. Isac recebeu uma bola e mandou um chute de fora da área, muito longe da meta de Jader. O atacante remista recebeu muitas vaias das arquibancadas do Estádio Mangueirão. No lance seguinte, Levy cobrou falta e Isac subiu no meio da zaga e meteu a cabeça na bola, balançando as redes, aos 45 minutos, 1 a 0 Remo. Todos os jogadores do Leão foram abraçar o atacante muito vaiado pelo Fenômeno Azul.

No segundo tempo, o São Raimundo adiantou a marcação. Em descida perigosa, Jeová driblou Dudu e recebeu falta. Na cobrança, Bruno Limão bateu no canto e o goleiro Vinícius fez a defesa com tranquilidade. O Remo chegou pela esquerda, após cruzamento, a bola passou por Elielton e Isac furou na pequena área. Outra bola remista na área, após o bate rebate, Dudu pegou a sobra e chutou por cima, perdendo uma chance incrível.

Na outra tentativa do Remo, não teve jeito. Levy pela direita tocou no meio para Elielton, que cruzou rasteiro no meio da área, a bola passou pela zaga e Felipe Marques com muita categoria mandou para o fundo do gol, aos 20 minutos, 2 a 0 Leão Azul, explodindo o Mangueirão. No lance seguinte, o Remo quase marcou o terceiro em um chute de fora da área, o goleiro Jader defendeu no susto. Em um lance mais forte, Tetê deu carrinho em Elielton e o árbitro Andrey da Silva e Silva mostrou o cartão vermelho para o meio campo do Pantera, aos 31 minutos.

O São Raimundo teve a chance com João Victor, que cruzou da esquerda e a bola passou na frente de Hebert Chocolate, assustando Vinícius. Felipe Marques fez um carnaval na defesa do São Raimundo e tocou para trás, Elielton chutou, o goleiro Jader defendeu e na sobra, a arbitragem marcou impedimento do atacante Isac. M<ais a frente, Isac lançou para Felipe Marques, que passou da marcação, driblou o goleiro Jader, mas acabou perdendo o que seria o terceiro gol azulino. Bruno Limão agarrou Esquerdinha e também recebeu cartão vermelho, aos 47 minutos, o São Raimundo ficou com nove jogadores em campo. O árbitro Andrey da Silva e Silva levou até aos 51 minutos. Placar final: Remo 2 x 0 São Raimundo. Leão na final do Parazão 2018.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy (Gustavo), Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Geandro) e Adenílson (Rodriguinho); Elielton, Felipe Marques e Isac. Técnico Givanildo Oliveira.

SÃO RAIMUNDO: Jader; Bruno Limão, Lucas, Sandro e João Victor; Tetê, Jeová, Leonardo (Romário) e Wendel (Hebert Chocolate); Felipe e Lima (Jefferson Monte Alegre). Técnico Vladimir de Jesus.

Árbitro: Andrey da Silva e Silva-CBF

Assistentes: Heronildo Sebastião Freitas da Silva-CBF e Luís Diego Nascimento Lopes-CBF

Quarto-árbitro: Joelson Nazareno Ferreira Cardoso-CBF

Quinto-árbitro: Rafael Rodrigues da Silva

Cartões amarelos: Esquerdinha, Felipe Recife, Levy e Dudu (Remo); Jeová, Moisés, Leonardo e Sandro (São Raimundo)

Cartões vermelhos: Tetê e Bruno Limão (São Raimundo)

Gols: Isac, aos 45 minutos do 1º tempo para o Remo; Felipe Marques, aos 20 minutos do 2º tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 217.660,00

Pagantes: 7.249

Sócio-Torcedor: 1.757

Não pagantes: 1.550

Total: 10.556

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will / Remo

esporte

Remo esmaga o Águia, que agora luta para não cair

Cada time teve um tempo de jogo a seu favor, mas o Azulão de Marabá não aproveitou o seu. Agora terá de vencer o Parauapebas no próximo sábado para evitar vexame maior no campeonato.

Com projeto de alcançar voos mais altos para 2022, o Águia de Marabá pode ter de retroceder em 2018 e amargar a Série B do Campeonato Paraense, a famosa Segundinha. A equipe dirigida por João Galvão caiu neste domingo, dia 4, diante de um Remo imponente no primeiro tempo, mas condescendente no segundo.

O jogo aconteceu no estádio Zinho Oliveira, com início às 17 horas e com casa lotada. Logos nos cinco primeiros minutos parecia que os donos da casa ditariam o ritmo do jogo, mas aos oito o atacante Isac aproveitou rebote do goleiro do Azulão Marabaense e fez um a zero (placar que seguiria até o fim).

Depois disso, o Águia se perdeu em campo, não conseguia acertar passes e o Remo seguia impetuoso ao ataque, mas sem aproveitar as chances que criava. Aos 30 minutos, o atacante Samuel, do Azulão, ainda deu uma cabeçada, mas a bola ficou fácil para o goleiro Vinícius.

No segundo tempo, mesmo desorganizado em campo, o time de Marabá teve alguns lampejos de ataque, mas na primeira Guga chutou e Vinícius defendeu, e na segunda o jovem Di Maria mandou para longe do gol adversário. Aliás, Di Maria correu muito, mas pouco produziu.

Pelo time do treinador Givanildo Oliveira, que caiu de produção, a melhor chance do segundo tempo esteve nos pés de Felipe Marques, que ficou sozinho com o gol e chutou na trave.

A entrada de Felipinho, muito pedida pela torcida do Águia, não trouxe nenhum ânimo ao time. Pelo contrário. Nervoso, o jovem meia errou muitos passes e até chute no gol.

No final do jogo, Di Maria ainda teve uma clara chance de gol, recebeu com açúcar, mas acabou chutando para fora, para ira da torcida que foi prestigiar o time numa tarde de sol.

O Águia disputa com o Cametá para saber quem não vai cair para a Segundinha. Se o Mapará perder uma, já estará rebaixado, enquanto o Águia tem de vencer fora e ainda o último jogo desta temporada contra o São Raimundo, no Zinho Oliveira para não depender de ninguém.

O técnico João Galvão reconheceu que a equipe não foi feliz no toque final. “Ainda há esperança. Os outros empataram em casa. Esta equipe é o Águia do futuro e acredito nos jogadores”, sentenciou.

Givanildo, pelo Clube do Remo, foi mais cauteloso ao avaliar a vitória em Marabá. Ele criticou o gramado do Zinho Oliveira e disse que sua equipe pecou em vários momentos, principalmente no segundo tempo. “Estrear com vitória é muito bom, mas a sequência é mais importante”.

Giva disse que pediu à Diretoria do Leão Azul um zagueiro, um meia e um atacante em caráter de urgência. Outras posições serão repensadas posteriormente.

Na próxima rodada, o Águia vai a Parauapebas enfrentar o time da casa, enquanto o Remo vai encarar o Paysandu no clássico das multidões da Amazônia, no Mangueirão, domingo.

Por: Ulisses Pompeu
Futebol

Clube do Remo perde de virada para o Internacional no Mangueirão e está eliminado da Copa do Brasil

O Leão Azul até que saiu na frente com um belo gol do atacante Felipe Marques, mas em dois erros de marcação, deixou o Colorado virar a partida

Por Fábio Relvas

O Clube do Remo encerrou a participação dos times paraenses na atual edição da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira (21), o Leão Azul perdeu de virada para o Internacional-RS, por, 2 a 1, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O atacante Felipe Marques marcou um belo gol para os remistas, aos 18 minutos do 1º tempo. Mas após duas falhas de marcação, o Colorado chegou à virada ainda na primeira etapa, com gols de Leandro Damião, aos 24 e Edenilson, aos 29 minutos.

A partida foi válida pela 2ª fase da Copa do Brasil. O resultado eliminou o Clube do Remo da competição, enquanto que o Internacional avançou para a 3ª fase da competição, onde vai encarar o Cianorte-PR, que passou pelo Criciúma-SC nos pênaltis, no estádio Heriberto Hülse, em Santa Cantarina. Após empate no tempo normal em 1 a 1, os paranaenses venceram, por 5 a 4, nas penalidades máximas. Internacional e Cianorte vão se enfrentar em jogos de ida e volta.

A partida: Remo 1 x 2 Internacional – deu Colorado, de virada!

O jogo começou em uma grande correria por parte das duas equipes. O Remo arriscou o primeiro chute com Fernandes, o goleiro Marcelo Lomba defendeu em dois tempos. O Internacional respondeu com o craque D’Alessandro, que cruzou na área, mas o goleiro Vinícius ficou com a bola. O Leão tentava sufocar e em uma dividida entre Jefferson Recife e Cuesta, os azulinos pediram falta perto da área, mas a arbitragem ignorou o lance e mandou seguir.

O argentino D’Alessandro cobrou falta de muito longe, obrigando Vinícius a espalmar para escanteio. No lance seguinte, o Leão deu o troco com Felipe Marques, que se livrou da marcação e disparou, a bola passou perto da meta de Marcelo Lomba. Esquerdinha cruzou na área, o zagueiro Bruno Maia desviou de cabeça, mas a arbitragem marcou impedimento no lance. Aos 18 minutos, o Mangueirão explodiu de alegria pelo Fenômeno Azul. Felipe Marques recebeu na esquerda, entrou na área e bateu colocado, a bola desviou na zaga e matou o goleiro Marcelo Lomba, 1 a 0, Remo.

O atacante uruguaio Nico López invadiu a área, tentou driblar Vinícius, mas foi desarmado pelo goleiro remista. O Leão voltou a atacar com Esquerdinha, que cruzou na área, mas Marcelo Lomba afastou de soco e a arbitragem paralisou marcando outro impedimento. Em um vacilo geral da zaga do Remo, D’Alessandro cobrou rapidamente uma falta da esquerda, veio o cruzamento rasteiro para a chegada de Leandro Damião, que livre só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol, 1 a 1, aos 24 minutos.

O time paraense sentiu o gol adversário e o Colorado aproveitou para atacar. Nico López avançou pelo meio e tocou para Leandro Damião, que sozinho pegou fraco na bola e facilitou a defesa de Vinícius. D’Alessandro lançou para Nico López dentro da área, o atacante se jogou e o árbitro não foi na corda e mandou o jogo seguir. Após um bate rebate dentro da área remista, a bola sobrou limpa para Edenilson, que sozinho fuzilou para dentro da meta de Vinícius, virada do Inter, aos 29 minutos, 2 a 1, para a festa da pequena torcida gaúcha no Mangueirão.

O Remo se perdeu em campo e deixou muitos espaços para o adversário trabalhar a bola. Em outra descida perigosa, Iago entrou na área e chutou, mas foi travado por Felipe Recife. Nico López tentou surpreender de longe, mas Vinícius defendeu. Leandro Damião também tentou da mesma forma e parou na defesa do goleiro azulino. D’Alessandro cobrou falta da esquerda e Cuesta desviou para o fundo do gol, mas a arbitragem assinalou falta de ataque do Colorado.  A pressão seguia, quando Leandro Damião tentou marcar de bicicleta e acertou o jogador Felipe Recife, mas uma falta de ataque foi marcada.

O segundo tempo começou com mais pressão do Internacional. D’lessandro cruzou na área e a bola venenosa passou na frente de Klaus, que não alcançou, perdendo a chance do terceiro.

O meia Adenilson do Clube do Remo entrou no lugar do lateral-direito Levy, que não estava bem na partida. Na primeira bola, Adenilson chegou batendo para o gol, mas mandou para longe. Cuesta deu uma arrancada com a bola e mandou um chute de fora da área, mas mandou longe da meta azulina. Como todo mundo estava arriscando de longe, com Jefferson Recife do Remo não foi diferente, mas o chute passou muito distante. Edenilson tabelou pelo meio, se livrou da marcação e bateu, a bola passou pertinho da trave dos remistas. O atacante Isac recebeu uma bola pelo meio e foi logo disparando forte, mandando para fora da meta do Colorado.

O tempo passava e começava a bater o desespero nos jogadores do Remo, que chutavam de todo o jeito. Em mais uma tentativa de Jefferson Recife, o meia azulino mandou para longe. Em uma bola alçada na área, Isac ajeitou para Fernandes, que foi tentar pegar de primeira e acabou furando o chute, perdendo uma grande chance de empatar o jogo. O atacante Elielton fez um carnaval na zaga do Internacional, passando por quatro adversários e chutando para fora.

Nico López tabelou com Uendel, invadiu a área para marcar, mas foi travado pela zaga remista. O Remo teve outra chance de empatar em cobrança de falta quase que frontal, mas Esquerdinha não pegou bem na bola e mandou para fora. O Leão foi para o tudo ou nada. Felipe Marques cruzou na área para Elielton, que desviou para a defesa do goleiro Marcelo Lomba.

O Inter teve tudo para marcar o terceiro em um contra-ataque fulminante, mas o chute de Rodrigo Dourado foi desviado na zaga e a bola ficou com o goleiro Vinícius. O árbitro paulista, Marcelo Aparecido de Souza, levou o jogo até os 50 minutos e ainda deu tempo do atacante Nico López ser expulso, após cometer falta no meio de campo e receber o segundo cartão amarelo e  consequentemente o cartão vermelho.

Placar final: Remo 1 x 2 Internacional. Festa Colorada no Mangueirão!

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Levy (Adenilson), Bruno Maia, Mimica e Esquerdinha; Felipe Recife, Geandro (Dudu), Fernandes e Jefferson Recife (Eliélton); Felipe Marques e Isac. Técnico: Ney da Matta

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Dudu (Gabriel Dias), Klaus, Víctor Cuesta e Iago (Uendel); Edenílson, Rodrigo Dourado, Nico López, D’Alessandro e Patrick; Leandro Damião. Técnico:
Odair Hellmann

Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza-SP

Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Bruno Salgado Rizo, ambos de São Paulo

Cartões amarelos: Felipe Recife, Geandro e Mimica (Remo); Edenilson, Klaus, Patrick e Nico López (Internacional)

Cartão vermelho: Nico López (Internacional)

Gols: Felipe Marques, aos 18 minutos do 1º tempo para o Remo; Leandro Damião, aos 24 e Edenilson, aos 29 minutos do 1º tempo para o Internacional

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 358.070,00

Despesas: R$ 135.631.05

Líquido: R$ 222.438.95

Saldo Remo (40%): R$ 88.975.58

Saldo Internacional (60%): R$ 133.463.37

Pagantes: 13.626

Sócio-torcedor Nação Azul: 2.166

Credenciados: 1.705

Total: 15.331

Futebol

Clube do Remo vence o Atlético-ES e avança para a segunda fase da Copa do Brasil 2018

Os atacantes Isac e Felipe Marques foram os autores dos gols que levaram o Leão para a próxima etapa da competição nacional
Por Fábio Relvas

O Clube do Remo foi o único time do estado do Pará que avançou na Copa do Brasil. Na tarde desta quarta-feira (07), o Leão Azul venceu Atlético-ES, por 2 a 0, e está classificado para a segunda fase da competição nacional. Os gols azulinos foram marcados por Isac, aos 39 minutos do 1º tempo, e Felipe Marques, aos 36 do 2º tempo. A partida foi realizada no estádio José Olívio Soares, em Itapemirim, no Sul do Espírito Santo e válida pela primeira fase da competição.

Com o isso, o Clube do Remo encara o Internacional-RS, em jogo único, pela segunda fase da competição. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ainda não definiu a data do duelo, que poderá ocorrer no dia 20 ou 21 de março, mas o local será no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Segundo o regulamento, quem vencer avança para a terceira fase e caso de empate, a decisão vai para as cobranças de pênaltis.

A partida: Atlético-ES 0 x 2 Remo – Leão Azul é Pará na Copa do Brasil!

Como jogava pelo empate, o Clube do Remo esperou um pouco mais a iniciativa de jogo pelo adversário. E na primeira investida do Atlético de Itapemirim, Felipe Foca cruzou da direita para Eraldo, que se antecipou a zaga remista e disparou na trave e na sobra, Mimica aliviou o perigo que estava rondando a meta de Vinícius. Em uma falta cobrada na área, Pikachu levantou e o goleiro Vinícius afastou de soco.

O Clube do Remo resolveu sair para o jogo. Esquerdinha cruzou na área e o atacante Isac cabeceou, a bola tocou na rede pelo lado de fora, levando a torcida remista que foi até o Espírito Santo. O Atlético tentou marcar quando Eraldo ajeitou de peito para o chute de Fabiano, que mandou longe da meta azulina. Outra vez os donos da casa chegaram, na pancada de fora da área desferida por Marcos Felipe a bola passou muito perto assustando Vinícius.

Aos 39 minutos de jogo, o Leão Azul chegou lá. Rodriguinho cobrou escanteio, a defesa não cortou e o atacante Isac mandou de perna direita para o fundo do barbante, 1 a 0, Remo. Mais uma vez o time paraense chegou com Rodriguinho, que cruzou para o toque de cabeça do zagueiro Mimica, o goleiro Bambu ficou com a bola. No início do segundo tempo, Eraldo tocou  para o volante Araruama do Galo, que se livrou da marcação e mandou um chute forte, a bola passou perto.

O time da casa ganhou fôlego e quase chegou ao empate com Felipe Foca, que avançou livre pela direita e mandou um chutaço, o goleiro Vinícius salvou o Remo. Pikachu pegou uma sobra de bola e tentou surpreender o goleiro remista, mas mandou por cima da meta. O Leão reagiu quando Geandro cruzou da esquerda, o goleiro Bambu saiu mal de sua meta e zaga conseguiu afastar o perigo. O Galo atacou novamente e após receber sozinho dentro da área, Kaio chutou em cima de Vinícius.

Após alguns sustos, o Leão acordou para o jogo. Lançamento chegou para Isac, que percebeu a saída do goleiro Bambu e tentou por cobertura, a bola passou por cima da meta. Em mais uma descida dos azulinos para o ataque, Levy arrancou e tocou para Felipe Marques, que com muita tranquilidade tirou do goleiro Bambu e correu para o abraço, aos 36 minutos, 2 a 0, Remo. Os donos da casa queriam pelo menos diminuir o placar e quase chegaram ao gol, depois do escanteio cobrado, Vinícius afastou de soco e na sobra, Kaio mandou um chute na trave azulina.

O Clube do Remo começou a cadenciar o jogo. Ainda deu tempo do Galo assustar pela última vez, sempre com o perigoso Kaio, que saiu da marcação e chutou para a boa defesa de Vinícius. Placar final: Atlético-ES 0 x 2 Remo.

Com a classificação garantida para a segunda fase da Copa do Brasil, o Leão Azul vai receber uma premiação no valor R$ 600.000,00. O time azulino já tinha  recebido da Confederação Brasileira de Futebol, a quantia de R$ 500.000,00, cota de participação na primeira fase. Sendo assim, o time paraense já arrecadou R$ 1.100.000,00.

esporte

Independente perdeu para o Sampaio Corrêa e foi eliminado da Copa do Brasil, enquanto que o Remo foi derrotado pelo Manaus na Copa Verde

O Galo Elétrico perdeu dentro do Navegantão, por 1 a 0, e se despediu da Copa do Brasil. O Leão Azul caiu para o Manaus pelo placar de 2 a 0 pelo jogo de ida da Copa Verde
Por Fábio Relvas

Dois times do estado do Pará entraram em campo na noite desta quarta-feira (31/01) em duas competições distintas. O Independe Tucuruí encarou o Sampaio Corrêa-MA no estádio Navegantão, pela primeira fase da Copa do Brasil. O Galo Elétrico acabou perdendo, por 1 a 0, e foi eliminado da competição. O gol único do jogo foi assinalado por Marlon, aos 47 minutos do 1º tempo.

 Já o Clube do Remo visitou o Manaus-AM, valendo pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Verde. Atuando na Arena da Amazônia, o Leão Azul acabou caindo pelo placar de 2 a 0. Os gols do Gavião do Norte foram marcados por Hamilton, aos 38 minutos do 1º tempo e Rossini, aos oito do 2º tempo. As duas equipes voltam a campo no dia (21/02), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. O Remo vai ter que vencer por três gols de diferença para avançar na Copa Verde.

Independente 0 x 1 Sampaio Corrêa – 1ª fase da Copa do Brasil

Com o novo regulamento da Copa do Brasil, a primeira e segunda fase é de um jogo apenas, sendo que os donos da casa tem a obrigação de vencer para avançar, enquanto que os visitantes podem classificar com um simples empate. Precisando do resultado o técnico Júnior Amorim colocou o Independente em cima do Sampaio. Logo no início, Chaveirinho se livrou da marcação e bateu forte para a grande defesa do goleiro Andrey, quase abrindo o placar para o Galo Elétrico.

O Tubarão maranhense respondeu com James, que se livrou da marcação e mandou um chute forte, o goleiro Dida fez boa defesa. O Independente voltou para o ataque, quando Leandrinho deixou Chaveirinho livre para marcar, mas a arbitragem paralisou o lance assinalando impedimento. O atacante Chaveirinho era o jogador mais perigoso do Galo Elétrico e em outra jogada, driblou a defesa adversária, mas mandou por cima da meta de Andrey.

O Sampaio Corrêa reagiu na partida. Marlon deu belo lançamento para Bruno Moura, que bateu colocado e a bola explodiu na trave. No último lance do primeiro tempo, Uillian mandou um chute venenoso, o goleiro Dida rebateu e na sobra Marlon mandou para o funda da meta, aos 47 minutos, 1 a 0 para a Bolívia maranhense.

No segundo tempo, o jogo caiu de rendimento e as duas equipes pouco chegaram. A chance mais clara foi do Sampaio com Wellington Rato, que deu uma caneta sensacional no zagueiro Charles e tentou marcar por cobertura, mas a bola passou por cima da meta do goleiro Dida. Placar final: Independente 0 x 1 Sampaio Corrêa. O time paraense foi eliminado ainda na primeira fase da Copa do Brasil 2018.

Manaus 2 x 0 Remo – jogo de ida das oitavas de final da Copa Verde

A partida começou atrasada devido à falta de ambulância no estádio Arena da Amazônia. Após 17 minutos de espera finalmente a bola rolou. No primeiro lance do Remo, Esquerdinha recebeu na frente, mas foi marcado impedimento do ataque remista. Em uma falta para a equipe do Manaus, Panda cobrou muito longe da meta de Vinícius. Mais uma jogada do Gavião do Norte, Hamilton arriscou e também isolou para a sorte do Remo.

O Leão arriscou algumas jogadas. Levy recebeu na direita e chutou cruzado, a bola passou perto. Mais uma vez Levy, agora cruzou na medida para o atacante Isac, que sozinho cabeceou para fora, quase o primeiro dos azulinos em Manaus. O atacante Isac recebeu na boa, mas a arbitragem marcou outro impedimento do ataque remista. Os donos da casa responderam quando Panda cruzou para Nena, que na hora de finalizar, acabou se atrapalhando e furando no arremate. Mais uma vez Panda, agora se livrou da marcação e da intermediária , mandou um chutaço, a bola explodiu no travessão da meta de Vinícius.

Panda, o nome do primeiro tempo, tinha muito espaço para jogar e seguiu tentando, em outro chute arriscou, mas dessa fez saiu fraco. Panda, com passagem pelo Clube do Remo, estava doido para marcar contra o seu ex-clube. Em outra tentativa, chutou com efeito para a boa defesa de Vinícius. O Manaus conseguiu seu gol através de Hamilton, que ganhou na dividida dentro da área azulina, cortou o zagueiro Bruno Maia e marcou um belo gol, 1 a 0, aos 38 minutos.

Na etapa final, o Manaus começou melhor e querendo ampliar o marcador. Cleitinho cruzou, a zaga cortou parcialmente e na sobra Granja chutou para a boa defesa de Vinícius. Os azulinos responderam com Levy que cruzou para Isac, o atacante remista não alcançou, perdendo uma boa chance. O Clube do Remo saiu jogando errado, Nena roubou e tocou para Rossini, o meia chutou rasteiro no canto de Vinícius, a bola ainda tocou na trave e foi morrer dentro do barbante do time paraense, 2 a 0, aos oito minutos.

O Remo acordou para o jogo. Jefferson Recife deu passe para o atacante Jayme, que mandou um balaço de fora da área, e o goleiro Jonathan salvou de mão trocada, o que seria o primeiro gol azulino. Felipe Recife também quis experimentar o goleiro adversário e mandou um chute forte, Jonathan mostrou serviço outra vez. Os azulinos tentaram no escanteio e no rebote, Geandro bateu de primeira, a bola tocou na rede pelo lado de fora. A torcida do Leão presente no estádio chegou a gritar gol.

O Gavião do Norte começou a cadenciar o jogo e segurar mais a bola. Rossini fez cruzamento para Nena que cabeceou, mas mandou para fora. Nena outra vez levando perigo e cruzando para a chegada de Romarinho, o atacante não alcançou. No último ataque perigoso da partida, uma triangulação quase que perfeita, Nena, Rossini e por último Romarinho, que mandou rasteiro e a bola passou raspando o poste direito de Vinícius. Placar final: Manaus 2 x 0 Remo.