Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Redenção

Junto no tráfico, casal vai preso também por roubo de moto em Redenção

Na residência de Randerson e Vanderleia foram encontradas drogas, uma balança de precisão e uma motocicleta roubada
Continua depois da publicidade

A Polícia Militar prendeu na noite desta quinta-feira (14), Randerson dos Santos de Deus e Vanderleia Costa Silva, que estavam de posse de uma motocicleta Honda CG 150 Fan, com placa divergente do chassi.

Segundo o delegado responsável pelo inquérito, a prisão ocorreu na Avenida Belo Horizonte, por volta das 23 horas, no setor Capuava. Os policiais militares fizeram a abordagem depois que perceberam marcas suspeitas na placa da motocicleta.

Após a abordagem, a guarnição pediu para acompanhar o casal até sua residência e, ao chegar à casa, foram encontradas na sala do casal uma quantidade de 10 gramas de crack e uma balança de precisão. Foi dada a ordem de prisão e os suspeitos conduzidos à Delegacia de Polícia Civil.

Ao chegar à Depol, a polícia constatou que a motocicleta era produto de roubo. Vanderleia contestou e disse que havia comprado a moto por R$ 2.500,00, porém não revelou o nome vendedor.

Segundo o delegado, Randerson dos Santos e Vanderleia Costa foram ouvidos e na manhã desta sexta-feira (15), foram conduzidos para o Centro de Recuperação de Redenção (CRR) e vai responder por tráfico de drogas, associação ao tráfico e receptação de veículos.

Ainda de acordo com a polícia, a motocicleta tinha sido roubada no último sábado (9), porém foi recuperada e entregue ao seu proprietário na manhã desta sexta-feira.

Redenção

Polícia prende trio que roubava motos em Redenção

Os veículos tomados dos donos eram vendidos em municípios da região
Continua depois da publicidade

A Polícia Militar apresentou, na tarde de ontem, segunda-feira (11), na delegacia de Polícia Civil, um trio acusado de roubar motos em Redenção. Os acusados são: Thalison da Silva, 19 anos; Fernando Alves de Oliveira, 24; e Regis Ribeiro dos Santos. Todos foram presos em flagrante. De acordo com informações da PM, Regis comandava a parte do assalto, Thalison, se encarregava em conseguir o comprador e Fernando seria o responsável de despachar a mercadoria.

Após uma denúncia anônima realizada na tarde de segunda-feira, a Polícia Militar chegou até o trio. Regis, o primeiro a ser preso, foi flagrado em uma moto roubada, conduzido à delegacia de Polícia Civil e apresentado ao delegado de plantão. Durante interrogatório, ele delatou os outros dois comparsas, que foram capturados na rodoviária de Redenção. O trio confessou que a moto seria encaminhada para de Santana do Araguaia.

Regis havia roubado a moto na noite do último sábado (9) e a proprietária registrou o Boletim de Ocorrência na manhã de domingo (10). A moto, uma C100 Biz, vermelha, placa OBT 6725/ São Felix do Xingu, foi devolvida à dona na tarde de segunda feira.

Redenção vive momentos de terror, no que diz respeito a assaltos, roubos e mortes. Todos os dias se roubam motos em Redenção. Na manhã desta terça-feira (12), a Delegacia de Polícia Civil estava lotada de pessoas que foram registra Boletim de Ocorrência, sendo oito delas referentes a roubos de motocicletas.

Tucuruí

Roubou notebook, anunciou venda no Facebook e pegou 5 anos de cadeia

Ítalo Leonardo foi condenado também por tráfico de drogas, roubo de uma motocicleta e vários objetos
Continua depois da publicidade

A Justiça anda célere em relação a algumas modalidades de crimes praticados em Marabá. Um exemplo disso é o caso do jovem Ítalo Leonardo Sena, que foi preso no dia 6 de janeiro deste ano sob a acusação de roubo de um notebook, motocicleta, tráfico de drogas e sua condenação foi publicada nesta terça-feira, dia 5, pela juíza Renata Guerreiro Milhomem, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Marabá. Entre a prática do crime e a condenação se passaram apenas cinco meses, tempo considerado recorde nas mais de dez varas de Marabá.

A denúncia contra ele foi oferecida pelo Ministério Público Estadual no dia 6 de janeiro deste ano, dando conta que por volta das 11 horas, na Folha 16, Bairro Nova Marabá, Ítalo foi flagrado na posse de aproximadamente 47 petecas da substância popularmente conhecida como crack, além de ter roubado uma motocicleta Honda CG, placa OFT 6926, de propriedade de Raisson Pinheiro dos Santos, com registro de furto na delegacia. Uma guarnição da Polícia Militar foi abordada por cidadão, relatando que seu notebook havia sido furtado e estava sendo anunciado pelo acusado no Facebook, informando, ainda, que o réu vendia drogas em sua residência.

Depois disso, os policiais militares empreenderam diligências e conseguiram identificar e abordar o acusado, oportunidade em que o mesmo os levou até sua casa, tendo sido encontrado no local um recipiente de margarina contendo 47 petecas de crack. Ainda na casa de Ítalo os policiais descobriram que havia uma placa de moto OTA 8365, também com registro de furto, e o notebook acima mencionado.

Perante a autoridade policial, Ítalo confessou a autoria dos crimes, afirmando que vendia cada peteca de crack pelo valor de R$ 10,00 e que havia furtado a motocicleta apreendida e que estava anunciando a venda do notebook em rede social, de fato, porém este pertencia a um amigo.

Na Justiça, Ítalo Sena mudou um pouco seu discurso. Declarou que a droga apreendia nos autos não era sua, porém afirmou ter confessado perante a autoridade policial que a droga lhe pertencia. Disse, ainda, que a substância entorpecente era de um amigo que morava com ele, chamado Bruno, e que este vendia cada peteca pelo valor de R$ 10,00. “A versão apresentada pelo acusado, apesar de estar em consonância com o seu direito constitucional à autodefesa e ao contraditório, não encontra maior credibilidade, uma vez que se trata de elemento isolado e contraditório frente às demais provas presentes nos autos. As versões apresentadas pelas testemunhas policiais militares são coerentes e seguras, pois todos disseram em juízo que foram encontradas com denunciado 47 petecas de Crack, distribuída em pequenos embrulhos confeccionados em plásticos da cor branca, amarrados em suas extremidades, o que evidencia a prática da traficância”, ponderou a magistrada.

A despeito de ter modificado seu depoimento em juízo, o acusado declarou perante a autoridade policial que o entorpecente apreendido lhe pertencia e que comercializava cada peteca por R$ 10,00. Por isso, foi condenado à pena privativa de cinco anos e dois meses de prisão e ao pagamento de 427 dias-multa.

Ulisses Pompeu – de Marabá
Redenção

Dupla é presa por roubar caminhonete de reverendo, receptação e tráfico de drogas

Na abordagem, a PM conseguiu recuperar uma SW4 e uma Ranger, além de vários objetos furtados
Continua depois da publicidade

A Polícia Militar apresentou na noite da última segunda-feira, 28, na Delegacia de Polícia Civil de Redenção, dois indivíduos acusados de receptação.

De acordo com informações, policiais militares faziam ronda ostensiva pelas ruas da cidade, quando se depararam com dois homens em atitude suspeita, que logo foram identificados como Danilo Cavalcante Rodrigues e Adriano Mota da Silva. Ambos estavam na posse de objetos roubados e, ao serem questionados pela PM, os indivíduos não souberam informar a origem de alguns objetos eletrônicos. Mas a Guarnição conseguiu identificar que a caminhonete era roubada.

Foram apreendidos com os acusados um aparelho celular, computador, caixa de som, uma furadeira, televisão, três micro-ondas e vários outros objetivos.

De acordo com a polícia, os acusados foram enquadrados pelo crime de receptação e por estar portando produtos roubados. No local também foi encontrado entorpecente e Danilo Cavalcante Rodrigues foi autuado por tráfico de drogas, uma vez que seria a droga estava em seu poder.

Também foram recuperados dois veículos que tinham sido roubados em Redenção no último final de semana. Trata-se de uma caminhonete SW4 placa PMS 7968, de cor prata, que pertence ao reverendo Adão Santos. No último final de semana, o líder evangélico teve sua residência invadida por elementos e de lá foram subtraídos objetos e o veículo fora levado. A polícia também recuperou uma ranger de placa CGE-1788, de cor prata. Os dois veículos estão no pátio da Delegacia de Polícia Civil de Redenção e deverão ser entregues a seus proprietários.

Marabá

Celular de 700 reais leva dois para a cadeia por cinco anos

A dupla cometeu um assalto em novembro do ano passado, mas não foi muito longe e acabou presa pela Polícia Militar
Continua depois da publicidade

Um celular LG K8, avaliado em cerca de R$ 700,00, custou a Deymison Farias Guimarães a pena de 5 anos e 4 meses de cadeia; e a David Col Debellea Pereira, 5 anos e  9 meses de reclusão. O aparelho foi tomado Cleiciane Batista de Oliveira, por volta das 19h20 de 4 de novembro de 2017, às proximidades da Vila de Brejo do Meio, quando ela e a amiga Raimunda Aparecida da Silva Lopes se dirigiam a um ensaio da igreja que frequentam. Na mesma noite, a dupla foi presa pela Polícia Militar, tendo sido reconhecida pelas duas mulheres e ainda de posse do celular roubado.

No dia e hora do assalto, elas caminhavam em direção à igreja quando, ao lado delas, parou a motocicleta Yamaha/Fazer 250, cor branca, placa PQH 3603/Goiânia-GO, pilotada por David, tendo Deymison, que estava na garupa, descido, com a mão por baixo da camisa, como se estivesse portando uma arma e disse o a malfadada frase “passa o celular”.

Cleiciane, imediatamente, diante da ameaça, entregou o aparelho, enquanto Raimunda, que estava com o dela no bolso, não teve seu celular roubado, ao contrário da amiga que carregava o dela na mão. As duas, entretanto, viram bem as características dos acusados, como roupas e outros detalhes, haja vista que o local em que ocorreu o assalto é iluminado; assim como anotaram as características da moto.

Após os indivíduos terem fugido, Cleiciane de Oliveira procurou o destacamento da Polícia Militar, que repassou a denúncia ao Niop (Núcleo Integrado de Operações) tendo os policiais Diocesano Barbosa Lima e Francisco da Silva Sousa Irmão, saído em busca dos assaltantes, encontrando-os na entrada da vila.

Presos, ambos foram denunciados pelo Ministério Público Estadual, incursos no artigo 157, parágrafo 2°, inciso II do CPB (Código Penal Brasileiro), com a aplicação da regra do concurso formal, prevista no artigo 70. Ou seja, roubo praticado mediante violência ou grave ameaça, impossibilitando a vítima de se defender, o que pode aumentar a pena em um sexto ou até a metade caso haja a colaboração de outra pessoa no cometimento do crime.

Ao jugar o caso, a juíza Renata Guerreiro Milhomem de Souza, titular da 1ª Vara Criminal de Marabá imputou a Deymison Farias Guimarães, por ter confessado espontaneamente o delito e não ter antecedentes criminais, a 5 anos eu 4 meses de cadeia, a serem cumpridos inicialmente em regime semiaberto; e  David Col Debellea Pereira, por já ter antecedentes, a 5 anos e 9 meses, em regime fechado.

Marabá

Roubou celular e vai passar mais de cinco anos “fora de área”

Diego de Oliveira ainda tentou inventar uma história fantasiosa, mas não convenceu à juíza da 1ª Vara Criminal de Marabá
Continua depois da publicidade

Cinco anos e quatro meses é o tempo que Diego Henrique Coelho de Oliveira vai passar na cadeia por causa de um celular roubado no meio da rua, em 31de outubro do ano passado. Era por volta das 18h, quando ele e um comparsa identificado apenas como Mateus, ambos na moto Honda Biz 100 ES, placa QDT-2755, abordaram Sarah Oliveira Costa, no Bairro Cidade Nova, próximo do Hospital Climec e, simulando estar armados, gritaram: “Perdeu, perdeu”, exigindo que ela lhes entregasse o celular o que foi feito imediatamente, diante da ameaça.

O assalto, porém, foi presenciado por várias pessoas que, revoltadas, passaram a perseguir os ladrões e conseguiram derrubar a moto. Diego caiu e com ele foi encontrado o celular roubado minutos antes. Em seguida ele passou a ser agredido pelos populares, enquanto seu parceiro conseguiu fugir.

Chamada a Polícia Militar, os policiais Isaías Rodrigues da Silva e Joellison do Nascimento Souza resgataram Diego, que estava deitado no chão, das mãos dos populares e, segundo eles, naquele instante o rapaz admitiu que havia roubado o celular de Sarah Costa, tendo sido reconhecido por ela na Delegacia de Polícia Civil.

Porém, na Justiça, ele mudou sua versão, identificou seu comparsa pelo prenome de Mateus, disse que não o conhecia muito bem por ser amigo de um amigo dele e que este havia pedido carona para receber uma conta de R$ 100,00, mas, no meio do caminho, gritou para que ele parasse e cometeu o assalto.

A história, porém, não convenceu a juíza Renata Guerreiro Milhomem de Souza, da 1ª Vara Criminal, diante de todas as evidências e testemunhas, levando à condenação, no último dia 2. Quanto à motocicleta, sem documentação, a mesma sentença determina que, caso Diego não comprove, no praz de 90 dias, que o veículo é de propriedade dele, será leiloada e caberá à Justiça dar a destinação que considerar necessária ao dinheiro auferido.

Por Eleuterio Gomes – Correspondente em Marabá     

 

Canaã dos Carajás

Polícia Militar prende assaltante que fez família refém em Canaã dos Carajás

PM também recuperou caminhonete roubada que estava carregada com pertences da família. Outros quatro envolvidos no crime continuam foragidos
Continua depois da publicidade

Por volta das 20 horas deste sábado (24), uma casa, localizada na rua Muracatiara, bairro Novo Horizonte, foi invadida por criminosos. Na ação, os bandidos renderam e prenderam a família em um dos quartos da casa. Logo depois, encheram uma caminhonete Mitsubishi Triton L200, de propriedade da família, com diversos pertences, como TV’s e micro-ondas, e fugiram do local. De acordo com informações, os bandidos seguiram rumo ao município de Parauapebas.

Um vigilante de uma empresa particular da cidade passava pela rua quando tudo aconteceu. Ele conseguiu flagrar o momento em que o carro deixou a residência. Desconfiando do que havia acontecido, ele entrou no local e libertou a família presa. Depois disso, a Polícia Militar foi acionada e as viaturas começaram as buscas pelos criminosos em toda a cidade e nas estradas de saída do município.

A Polícia Militar, que monitorava os bandidos através do GPS de um dos celulares roubados, montou uma barreira na PA-160 a espera dos bandidos. Enquanto isso, outro grupamento ia ao encontro deles orientado pelo GPS.

Por volta das 21:30, a PM conseguiu localizar os criminosos na localidade conhecida por Bom Jardim, no município de Canaã dos Carajás. Segundo as informações da própria polícia, cinco homens estavam na caminhonete. Quando a viatura se aproximou, o carro foi abandonado e cada um dos bandidos fugiu para um lado. A PM conseguiu capturar um deles, recuperar o veículo e todos os objetos frutos do assalto.

Até o fechamento da matéria as buscas pelos outros quatro assaltantes continuavam e a Polícia Militar ainda não tinha novas informações. O assaltante preso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia.

Particxiparam da ocorrência os PM Sargento Azevedo, Sargento A. Silva, Sargento R. Matos, Sargento Magalhães, Cabo Holanda, Cabo Lobo, Cabo Barbosa, Cabo J. Santos, e Cabo Sena, além dos soldados Lázaro e Washington.

Parauapebas

PM prende suspeitos de estarem sondando a cidade para possível assalto a banco

Os dois estão da 20ª Seccional de Polícia Civil, onde serão interrogados e entregues à Justiça
Continua depois da publicidade

Gilson Soares de Souza, 28 anos, e Josynei Saraiva da Silva, 37, foram presos na noite de sábado (17), por uma guarnição da Polícia Militar que atendeu a um chamado de uma mulher, denunciando que ela e o marido – ambos não identificados – haviam sido vítimas de agressão física em um bar do Bairro Copacabana. Quando a PM chegou Gilson Soares de Sousa Júnior, 28 anos, estava tentando fugir no automóvel de placas OGK-3296, de Goiás.

Abordado, na companhia do amigo Josiney Saraiva da Silva, 37, Gilson portava no carro um revólver Taurus, calibre 38, carregado e três munições sobressalentes e um celular, com várias mensagens de WhatsApp, com uma quadrilha de assaltantes de banco que atuam no estado do Pará, Tocantins e Maranhão, com fotos do Banco do Brasil de uma cidade maranhense, segundo relata o sargento Severo, que, com o apoio do soldado Muller, prendeu os suspeitos.

Ainda conforme a suspeita do sargento, Gilson de Sousa, que diz ser recém-chegado a Parauapebas, seria o responsável pela logística da quadrilha e que estaria fazendo levantamento na cidade para possível assalto, com a ajuda de Josney que é de Parauapebas mesmo.

Ambos foram atuados por porte ilegal de arma após entregues à Polícia Civil. Serão interrogados durante o dia de hoje e serão colocados à disposição da Justiça.

Reportagem: Ronaldo Modesto