Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Saaep informa interrupção do fornecimento de água, na terça-feira (26)

O motivo da pausa é a limpeza do reservatório Bela Vista. Confira a relação de bairros atingidos
Continua depois da publicidade

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) vai interromper o fornecimento de água entre as 14h desta terça-feira (26) e as 2h de quarta-feira (27) nos bairros Rio Verde, Liberdade I, Da Paz, Guanabara, Nova Vida, Beira Rio, Paraíso, Cidade Nova, União, Primavera, Maranhão e Chácaras da Lua, do Sol e das Estrelas, para realizar manutenção de rotina no reservatório Bela Vista.

O Saaep pede que os moradores das localidades citadas fiquem atentos e reservem água durante o tempo necessário para o restabelecimento do sistema.

Parauapebas

Equipes do Saaep trabalham para reparar rompimento de adutora

O fato se deu na manhã deste sábado, 14, no cruzamento das ruas Tancredo Neves e Perpétuo Socorro, bairro Rio Verde.
Continua depois da publicidade

A Prefeitura de Parauapebas informa que uma adutora rompeu na manhã deste sábado, 14, no cruzamento das ruas Tancredo Neves e Perpétuo Socorro, bairro Rio Verde.

Equipes do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) já estão no local trabalhando para reparar o problema o mais breve possível e restabelecer o fornecimento de água para os bairros afetados em razão do rompimento.

O Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) já foi acionado para coordenar o trânsito no local, este que precisou ser interditado enquanto os trabalhos são realizados.

A Prefeitura de Parauapebas agradece a compreensão e assegura que todas as medidas cabíveis já foram tomadas a fim de evitar maiores transtornos à população.

 Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Parauapebas

Juiz determina execução de TAC e dá 30 dias para Prefeitura chamar 110 concursados do SAAEP

Magistrado também determinou realização de novo certame no Serviço de Água e Esgoto
Continua depois da publicidade

O juiz Manuel Carlos de Jesus Maria, da 3ª Vara Civil e Empresarial de Parauapebas, acatou o pedido do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e determinou a imediata execução do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), celebrado entre a 4ª Promotoria de Justiça de Combate à Improbidade Administrativa de Parauapebas, por meio do promotor Hélio Rubens Pereira, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto do município (Saaep).

O pedido foi feito pelo MPPA ao juízo do município, através de uma Ação de Execução de Título Extrajudicial ajuizada pela promotoria, contra o Serviço de Água e Esgoto do município; a ex-diretora do Serviço, Claudenir Rocha, e o atual diretor do Saaep, Sérgio Balduíno de Carvalho, após o descumprimento do TAC que havia sido assinado pela diretoria do órgão.

O Termo de Ajustamento exigia a realização de concurso público e a demissão dos temporários que vinham ocupando cargos públicos no órgão. A data final para o cumprimento do TAC expirou no último dia 29 de janeiro de 2018, sem que as cláusulas fossem cumpridas pela diretoria do Serviço.

Na decisão, o juiz determina que o Saaep providencie, no prazo de 60 dias, a contratação da banca organizadora para a realização de concurso público para o órgão, e publique, no mesmo prazo, edital para a realização do certame para o preenchimento de 109 vagas para os cargos de agente de saneamento; desenhista; educador ambiental; fiscal leiturista; mestre de obras, operador de bombas, operador de ETA; operador de ETE; pedreiro; químico; técnico administrativo e supervisor de campo, conforme itens descritos no TAC.

O juiz também determinou que, após a homologação do resultado, o Serviço nomeie e providencie a posse dos aprovados, dentro do número de vagas previstas no edital, e providencie a demissão imediata dos servidores temporários que atualmente ocupam cargos no órgão.

Também deverão ser nomeados, no prazo de 30 dias, cento e dez candidatos aprovados no último concurso do Serviço (nº 01/2016-SAAEP), bem como deve ser realizada os distratos de todos os servidores temporários, conforme previsão dos itens no TAC.

Segundo a sentença, o Saaep também está impedido de efetuar novas contratações de servidores temporários até que cumpra os termos do TAC. Além do mais, a diretora do Serviço, Claudenir Rocha será intimada a pagar, no prazo de cinco dias, o valor de cento e cinquenta e um reais, referentes às penalidades aplicadas em razão do descumprimento do TAC, sob pena de penhora de seus bens. Em caso de descumprimento das determinações da sentença, os executados ficam obrigados ao pagamento de multa diária de R$ 1.000, por dia, limitado a 300 dias.

A decisão determina ainda a citação do atual diretor do Saaep, Sérgio Balduíno de Carvalho, para tomar ciência de que passa a ser responsável pelo pagamento da cláusula penal prevista no TAC, da multa diária fixada por condenação judicial.

Entenda

Após várias denúncias dos aprovados no último concurso da Saaep, o Ministério Público apurou que a companhia possui em seu quadro pessoal um total de 418 servidores, dos quais 310 são temporários e apenas 79 são efetivos. Diante da desigualdade, a 4º promotoria do município expediu inicialmente uma recomendação (nº 002/2017-MP/4ªPJP), para que a Saaep efetuasse os distratos dos servidores temporários e priorizasse a nomeação dos aprovados no concurso nº 01/2016.

Porém, a diretoria da companhia não cumpriu a recomendação, o que gerou a necessidade da elaboração de um TAC por parte da promotoria, com o mesmo objetivo. Entretanto, o termo assinado pela então diretora do Saaep, Claudenir Rocha, foi descumprido parcialmente, já que o Serviço apenas demitiu os servidores temporários, mas não nomeou todos os concursados. Além do mais, a Saaep publicou, nos dias 08 e 14 de fevereiro, no Diário Oficial do Estado do Pará (DOE/PA), a contratação de centenas de servidores temporários, fazendo com o que o MPPA argumentasse a violação do disposto no artigo 11 da Lei 8.429/92.

Paraauepebas

Sergio Balduíno, vice-prefeito de Parauapebas, assume amanhã o SAAEP

Atendendo um pedido pessoal do prefeito Darci, vice vai encarar o difícil problema de levar água às torneiras de Parauapebas
Continua depois da publicidade

Um problema que há anos aflige a população de Parauapebas, em especial a dos bairros periféricos voltou a ser notícia já no final da gestão anterior: a falta de água tratada nas torneiras de Parauapebas.

O atual governo, capitaneado por Darci Lermen fez várias investidas no Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas – SAAEP -, todavia, o problema vem persistindo a ponto de já incomodar a popularidade do governo.

Pensando em resolver de forma rápida e eficiente esse problema, Darci Lermen convidou o vice-prefeito, Sergio Balduíno, para assumir a pasta. O convite foi feito na semana passada e hoje, depois de voltar de uma viagem à Brasília, Sergio Balduíno se reuniu com o prefeito para dizer que aceita a difícil missão de acumular os cargos de gestor do SAAEP e de vice-prefeito .

A posse do novo gestor do SAAEP acontece nesta terça-feira no gabinete do prefeito em horário ainda não confirmado.

Sergio Balduíno é figura conhecida dos parauapebenses, principalmente dos que ajudaram a fundar esse município. Chegou aqui muito jovem, em 1982, para instalar a Anagráfica, a primeira gráfica de Parauapebas, e em pouco tempo se tornou um empresário respeitado. De pensamento e ações empreendedoras, Sergio fez daquela pequena gráfica uma das melhores do Estado do Pará.

Conheço o Sergio há 34 anos, e posso afirmar que no SAAEP estará uma pessoa comprometida com o que faz e, acima de tudo, conhecedor dos problemas. Cabe a ele cercar-se de pessoas competentes e, tal qual o futuro gestor, comprometidas com a causa de levar água de qualidade e em abundância às torneiras de Parauapebas.

Boa sorte, Sergio, meu conterrâneo!

água

Moradores do Residencial Alto Bonito culpam Saaep e Qualyfast por falta de água

Serviço autônomo e empresa se defendem e dizem que moradores mexeram no que não conheciam e cometeram vandalismo
Continua depois da publicidade
Por Eleutério Gomes

Cerca de 4 mil pessoas que moram nos 1.008 apartamentos do Residencial Alto Bonito estão revoltados com a falta de água nas torneiras e procuraram a Reportagem do Blog na manhã desta sexta-feira (12) para denunciar a situação. Dizem que a Celpa cortou a energia devido um débito de R$ 6.200,00 e que, para não ficar sem o líquido, eles fizeram um “gato” – ligação clandestina -, mas a concessionária de energia foi lá e levou os fios. Os moradores responsabilizam o Saaep (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas) pela situação e também culpam a Qualyfast, empresa de engenharia responsável pelo conjunto de prédios.

Ouvidas pelo Blog, Saaep e Qualyfast se defendem das acusações. O órgão municipal afirma que houve um defeito técnico na parte elétrica do sistema de abastecimento e os, moradores resolveram consertar por conta própria, piorando a situação. Já a empresa de engenharia diz que alguns moradores cometeram atos de vandalismo, quebrando grades e danificando equipamentos importantes. Por fim, o Saaep emitiu nota garantindo que até às 20 horas de hoje, a água deve voltar a jorrar nas torneiras dos mais de mil apartamentos do Alto Bonito.

Caixas cheias e torneiras secas

Logo pela manhã, dizendo-se representante do Residencial Alto Bonito, o morador Kennedy Modesto denunciou ao Blog que há 15 dias a energia foi cortada pela Celpa, devido um débito de R$ 6.200,00 da Saaep para com concessionária, e, sem ter como conseguir água, um “gato” foi feito para que as bombas funcionassem, já que as caixas estavam cheias, mas o líquido não descia para os apartamentos. Entretanto, a Celpa esteve no local logo cedo e levou também os fios.

“Cada um dos 1.008 apartamentos paga religiosamente R$ 45,00 de taxa de água e quase R$ 200,00 de energia e o Saaep deixa de pagar uma conta de R$ 6.200”, desabafou Kennedy. Segundo ele, a Qualyfast também foi procurada, mas disse que o problema era do Saaep. “Eles ficam nos empurrando de um lado para outro. São mais de 3 mil moradores sem água e nós vamos ter de conversar com o Saaep. Acho que eles querem jogar esse débito nas nossas costas”, completou.

Lata d’água na cabeça    

Outro morador, Luiz Carlos Costa de Melo Júnior, também diz que a Saaep não pagou a conta e agora todos estão sem água, mas a entrega da fatura de R$ 45,00 não falha todos os meses. “É a terceira vez que acontece isso e a culpa não é nossa. Temos de carregar água do Rio Parauapebas quase todos os dias porque aqui não tem água. O negócio tá meio bagunçado”, vociferou.

Invasão e vandalismo

Ouvido pelo Blog, o engenheiro Roberto César Nani, responsável pela Qualyfast em Parauapebas, disse que, em verdade, alguns moradores cometeram atos de vandalismo que prejudicaram o abastecimento: “Quebraram a grade, entraram lá, mexeram nas bombas e queimaram os quadros de comando e o manômetro [equipamento que meda a pressão da água]. Estão fazendo algumas coisas que, não sei se é para chamar atenção ou se é de propósito”, reclamou Nani.

Ele afirma que, embora não fosse obrigação da Qualyfast, a empresa, para resolver o problema dos próprios moradores, mandou consertar tudo o que foi danificado. Roberto explicou também que não é necessário que a bomba esteja funcionando para que a água chegue às torneiras já que existem três caixas reservas e uma cheia. “Pela manhã estive reunido com o pessoal do Saaep e já está tudo sendo resolvido. Inclusive eles afirmaram que não existe débito algum para com a Celpa”, disse ele.

Mexeram no que não conheciam

Também ouvida pelo Blog, a gestora da Saaep, Cláudia Rocha, disse que esteve no local acompanhando os trabalhos e contou o que aconteceu: “O que houve lá foi um problema técnico, uma falha elétrica que queimou um dispositivo que faz o processo de redistribuição automatizada. E os moradores, em vez de chamar a Qualyfast ou o próprio Saaep, tentaram fazer o conserto por conta própria, o que danificou mais ainda o sistema”.

Ela afirma que foi o próprio Saaep que solicitou à Celpa o desligamento da energia para que a manutenção pudesse ser feita, o que está ocorrendo durante todo o dia de hoje. Quanto ao débito de R$ 6.200,00 Cláudia diz que essa dívida não existe. “Os moradores não queriam entender nem queriam aguardar uma posição do Saaep e quebraram vários equipamentos. Tudo está sendo refeito e após às 18 horas o abastecimento voltará ao normal”, concluiu.

Em nota enviada à Imprensa, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Parauapebas avisa: “O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) informa que já está tomando todas as providências para normalizar o trecho do sistema elétrico ligado aos reservatórios do Residencial Alto Bonito, com previsão para concluir os trabalhos até às 20h desta sexta-feira, 12. O Saaep informa também que o fornecimento de água para as unidades habitacionais do residencial não está prejudicado”.

ENERGIA

Celpa retira fios de ligação clandestina feita pela empresa de saneamento de Parauapebas

SAAEP tem dívida de R$ 3 milhões com a Celpa
Continua depois da publicidade

Por Dayse Gomes

Quem trabalha no Polo Moveleiro de Parauapebas foi surpreendido nesta quinta-feira, dia 5, com a retirada dos fios de energia, pela Rede Celpa, do transformador que bombeia a água do poço artesiano e abastece o setor onde trabalham 80 moveleiros. A concessionária informou que os fios foram ligados à rede de alta tensão, consumindo energia de forma clandestina.

O Executivo de Relacionamento com o cliente da rede Celpa, Ezion Silva, disse que a empresa SAAEP- Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas – responsável pelo abastecimento de água na cidade fez a ligação de forma irregular. “A ligação estava à revelia da concessionária. Para regularizar, a empresa Saaep tem que solicitar à Rede Celpa uma visita técnica para avaliar se há viabilidade. Se caso for aprovado, a gente encaminha o contrato, que depois de assinado, a empresa apresenta o projeto e só então é feita a ligação pela Rede Celpa”. Ezion também destacou que muitos bairros de Parauapebas usam o transformador nos poços artesianos para receber água e por isso, consumo de energia é alto. “O Saaep tem uma dívida com a Celpa de R$ 3 milhões de reais. E também há dívida deixada pela gestão anterior”, enfatizou Ezion.

A diretora geral do Saaep, Claudenir Rocha, disse que não tinha conhecimento que a ligação do poço artesiano do polo madeireiro estava funcionando de forma irregular, mas explicou que já encaminhou os documentos à Rede Celpa para verificar as condições dos poços artesianos e regularizá-las. “Se foi detectada irregularidade, a gente quer que a situação seja resolvida, por isso pedimos apoio à Celpa”, informou Claudenir Rocha.

Com a retirada dos fios, faltou água no polo moveleiro. O presidente da cooperativa dos moveleiros, Sergio Ferreira Barbosa, disse que o setor já estava sendo prejudicado com a falta de regularidade no abastecimento. “A água que a empresa Saeep manda para cá é muito pouca. Um dia tem, outro não”, reclamou Sergio que disse ainda que o problema começou quando o poço artesiano passou a atender outros bairros. “Quando o polo moveleiro foi criado em 2007, foi feito um poço artesiano para atender apenas os moveleiros, nesse local de 250 mil metros quadrados, mas com a chegada das casas populares, a Saaep resolveu estender o abastecimento desse poço para outros bairros, como a dos Minérios”, destacou Sergio.

O Saeep informou que já foi regularizada a situação do poço artesiano do Polo Moveleiro, que é de baixa tensão, normalizando o abastecimento de água. Sobre as dívidas com a Rede Celpa, Claudenir Rocha falou que a nova diretoria ao assumir a gestão da empresa, esse ano, iniciou a negociação para o pagamento parcelado da dívida. Sobre o débito de R$ 3 milhões, a diretora já solicitou a isenção do ICMS, beneficiado pelo decreto municipal, para abater no valor da dívida. A diretora também explicou que não existe ligação do poço artesiano do polo moveleiro para outros bairros. “O bairro dos Minérios tem o seu próprio poço artesiano. O problema da falta de água é que a cada ano, o uso do poço vai sendo comprometido. O polo moveleiro tem mais gente consumindo água do que nos anos anteriores e a vasão do poço diminui”. A diretora informou que existe um projeto para o ano que vem, de readequação da rede para interligar as áreas mais isoladas da cidade e que vai ampliar a capacidade do abastecimento de água nos bairros, inclusive no polo moveleiro.

Atualização

O Saaep (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas) informa que houve uma inconformidade entre o registro realizado pela concessionária de energia elétrica e a unidade consumidora onde fica localizada a bomba do poço, havendo a correção imediatamente.

O Saaep informa ainda que novas adequações já estão sendo implantadas, visando garantir a normalização do abastecimento o mais breve possível, e que entre os poços do polo moveleiro e do bairro dos Minérios há um projeto de interligação.

Por fim, o Saaep vem elaborando ainda, estudos para ampliar o fornecimento de água no local, podendo ser implantado conforme as condições de operação.

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

MINISTÉRIO PÚBLICO

Nepotismo é pauta de recomendação do MP à Prefeitura de Parauapebas, Câmara e Saaep

A Recomendação foi expedida pela 4º Promotoria de Justiça de Direitos Constitucionais, Combate à Improbidade Administrativa e Defesa do Patrimônio Público de Parauapebas, por intermédio dos promotores Fabiano Oliveira Gomes Fernandes e Adonis Tenório Cavalcante.
Continua depois da publicidade

Depois da repercussão do caso da filha da vereadora Eliene Soares, que foi contratada como Assessora Especial IV na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa),com salário de R$4 mil/mês,  o Ministério Público fez uma recomendação direcionada à Prefeitura de Parauapebas, Câmara Municipal de Vereadores e Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep).

Dentre as considerações feitas pelo MP e que embasaram a Recomendação nº 008/2017, destaca-se o trecho “considerando que a nomeação de parentes para o exercício de cargos públicos em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada, constitui uma prática nociva à Administração Pública, denominado nepotismo”.

A Recomendação foi expedida pela 4º Promotoria de Justiça de Direitos Constitucionais, Combate à Improbidade Administrativa e Defesa do Patrimônio Público de Parauapebas, por intermédio dos promotores Fabiano Oliveira Gomes Fernandes e Adonis Tenório Cavalcante.

De acordo com o documento, os responsáveis pela gestão dos poderes Executivo e Legislativo municipal e também pela Autarquia, Saaep, devem exonerar, no prazo de 30 dias contados a partir do recebimento da Recomendação, “todos os ocupantes de cargos comissionados ou funções gratificadas que sejam cônjuges, companheiros ou que detenham relação de parentesco consanguíneo, em linha reta ou colateral, ou por afinidade, até o terceiro grau, com o prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, procuradores do município, chefe de gabinete, presidentes ou dirigentes de autarquia…vereadores, bem como com todos os demais ocupantes de cargos de direção, chefia, assessoramento, tanto da administração pública municipal direta, quanto indireta”.

A Recomendação restringe também novas contratações de pessoas com esses vínculos de parentesco, tanto para cargos comissionados como para aqueles “por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público”. A contratação de empresas também foi alvo do MP que recomenda a não fechar contrato com empresas que tenham em seu quadro de empregados parentes de agentes públicos do Executivo, Legislativa e Autarquias, tal informação deve ser colocada nos editais de licitação.

O MP recomenda também que a gestão cobre, na posse de cada servidor contratado ou comissionado, uma declaração por escrito da não relação familiar ou de parentesco com agentes públicos, e finaliza o documento solicitando o envio de cópias dos atos de exoneração e rescisões contratuais relacionadas às hipóteses referidas nas alíneas anteriores.

Saaep

Comunicado Saaep

O fornecimento de água está interrompido em vários bairros do município.
Continua depois da publicidade

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) informa à população que devido ao rompimento do registro de água localizado na rua Rio de Janeiro, bairro Rio Verde, na manhã desta terça-feira, 8, o fornecimento de água está interrompido nos bairros Rio Verde, Da Paz, Guanabara, Beira Rio, Liberdade I, Cidade Nova, União, Primavera, Nova Vida, Maranhão, São José, Bambuí e Chácaras do Sol, Lua e Estrela.

O Saaep já tem uma equipe técnica no local e o abastecimento será normalizado em até 24 horas. Recomenda-se aos moradores dos bairros citados que economizem água enquanto é trabalhada a normalização do sistema.

Agradecemos a compreensão de todos.

Assessoria de Comunicação – Ascom/Saaep/PMP