Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Saúde

Tucuruí: SAMU inicia Projeto Samuzinho 2018

Projeto investe na conscientização dos alunos da rede pública de ensino quanto aos serviços de urgência e emergência

Na próxima sexta-feira (23), o SAMU 192 dará início às atividades do Projeto “Samuzinho” em 2018. O projeto tem, por meio de atividades educativas de orientação, ajudado a conscientizar os alunos da rede pública de ensino quanto aos serviços de urgência e emergência feitos pelo município de Tucuruí.

A solenidade de lançamento da edição do projeto, que está em seu segundo ano, acontece no auditório da Associação Comercial e Industrial de Tucuruí (Acit), às 19h30. A presença de autoridades, lideranças comunitárias e representantes do 23° Esquadrão de Cavalaria de Selva e do 8º Grupamento de Bombeiros Militar são aguardadas na solenidade e a parceria para este ano já está firmada. O projeto é coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde, através da coordenação do SAMU.

Rondinele Pires, coordenador do SAMU, explica que a proposta do projeto é sensibilizar as crianças por meio de atividades que envolvem exibição de vídeos, pinturas, desenhos, colagens, palestras, além de repassar informações sobre os serviços de urgência e emergência, assim como a importância de não praticar trotes. O projeto também visa orientar sobre as funções do SAMU, como agir em situações de risco e quando acionar o 192. Os alunos envolvidos receberão ainda noções de primeiros socorros aos adultos.

O número de trotes por mês chega a assustar, de acordo com o enfermeiro Moraes: mais de 1500 ligações com informações falsas são feitas todos os meses, totalizando em média 18 mil trotes por ano. Em Tucuruí, a meta é reduzir em 50% a incidência de trote, número considerado muito alto registrado pelo serviço no município.

Para o secretário de Saúde, Weber Galvão, o treinamento de primeiros socorros para os estudantes é de suma importância visto que pode salvar uma vida. “Assim, a comunidade saberá chamar os socorristas e também o que se fazer em uma situação de emergência, até que os socorristas cheguem no local. Isso faz a diferença e pode salvar muitas vidas”, avalia o secretário.

Para melhor atender o projeto, uma equipe de voluntários recebeu treinamento e, a partir de agora, estes profissionais começam a atuar nas escolas e em alguns pontos da cidade, orientando e repassando informações essências.

Em Tucuruí, o Projeto Samuzinho teve início em 2017 e surtiu um efeito muito positivo. Por este motivo, a equipe do SAMU 192 dará continuidade e pretende abranger mais pessoas, para que tenham consciência dos danos das falsas chamadas.

saúde

Jacundá: Uma ambulância para 56 mil moradores

A saúde pública não pode ter esse tipo de situação. Deparando-nos com vários problemas e daqui pra frente vamos procurar resolver o mais rápido possível

No dia 10 de fevereiro, nove dias após reassumir a prefeitura de Jacundá por ordem judicial o prefeito Ismael Barbosa visitou o Hospital Municipal Maria Cecília de Oliveira. Naquela manhã de sábado ele estava em companhia da recém-nomeada secretária de Saúde, Yara Soraya Taborda, de um vereador e alguns funcionários.

Ismael e trupe encontraram três ambulâncias funcionando, entre elas uma do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Abismado com a situação da frota de veículos, o gestor demonstrou irritação ao afirmar que “a saúde pública não pode ter esse tipo de situação. Deparando-nos com vários problemas e daqui pra frente vamos procurar resolver o mais rápido possível”, garantiu.

Na manhã de ontem, segunda-feira, a Reportagem esteve no Hospital Municipal e encontrou a situação bem pior. “Agora só uma ambulância está funcionando”, disse um servidor. O veículo pertence à rede municipal. E a única ambulância do Samu em operação, agora está na garagem do sistema e fora de atividade. Outra ambulância estacionada no pátio com uma caminhonete do programa de Endemias continua no mesmo lugar.

“Como te falei naquele dia por lei temos que ter 3 orçamentos. Estamos aguardando os outros dois, infelizmente hoje quando você diz que é para prefeitura seja de qualquer município eles não mostram muito interesse. Vontade e necessidade de pôr para rodar é muito grande. Com fé em Deus logo Jacundá voltará a ser uma cidade digna de se morar”, explicou a secretária de Saúde quando procurada para falar sobre a situação dos veículos.

Dez dias depois da visita do prefeito, a população de 56 mil habitantes tem apenas uma ambulância para atender aos casos de locomoção de pacientes. Lembrando que a rede pública de saúde tem seis ambulâncias, entre elas duas do Samu.

saúde

Saúde de Jacundá está doente, reconhecem gestores

Das seis ambulâncias disponíveis em Jacundá, a metade se encontra fora de circulação. Uma do SAMU está parada por falta de manutenção e outras duas do HM também segue no mesmo estado

“Destacamos com pesar o atendimento precário no Hospital Municipal de Jacundá onde nos deparamos com a falta de medicamentos, materiais simples e insumos (tesouras cirúrgicas, seringas, luvas, agulhas, bisturi, esparadrapo, canetas, papeis, dentre outros)”. Essa é a situação apontada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública do Estado do Pará (Sintesp).

Para certificar-se dos problemas existentes no sistema de saúde pública de Jacundá, notadamente no Hospital Municipal, o prefeito Ismael Barbosa, a secretária de Saúde, Yara Soarya Taborda, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ildo Matos, e do vereador Daniel Siqueira Neves, visitaram na manhã de sábado, 10, as instalações da unidade pública de saúde.

E encontraram uma unidade de saúde em estado doentio. “A princípio estamos resolvendo o pagamento dos salários que sofreram um atraso em decorrência de atualização de senhas bancárias. Situação que estará solucionado nesta semana”, garantiu Yara Soraya. “A partir de agora vamos partir para o trabalho”.

Das seis ambulâncias disponíveis em Jacundá, a metade se encontra fora de circulação. Uma do SAMU está parada por falta de manutenção e outras duas do HM também segue no mesmo estado. Yara reconhece que os problemas vão além das ambulâncias. “Falta agulhas e seringas, falta muita coisa. Mas estamos tomando as providências necessárias, pois o compromisso que Ismael fez comigo é pra fazer a saúde melhorar e avançar. A nossa saúde está doente”, garantiu.

Alista de problemas inclui falta de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para os profissionais da área de saúde, ausência de manutenção de equipamentos, prédios públicos da saúde estão em situação precária de conservação, houve redução no abastecimento de carros para transporte de pacientes, atraso no pagamento de diárias dos servidores que se deslocam acompanhando ou conduzindo pacientes e no pagamento de fornecedores.

“Para avaliar todos esses problemas já determinamos uma avaliação técnica, pois sabemos que a nossa população não pode esperar. E estamos visitando todas as secretarias, iniciando pela Saúde porque ela apresenta situações que necessitam de decisões urgentes. E percebemos um verdadeiro descaso. A saúde pública não pode ter esse tipo de situação. Deparando-nos com vários problemas e daqui pra frente vamos procurar resolver o mais rápido possível”, garantiu o prefeito.

Saúde

Profissionais da educação de Parauapebas participam de curso de reanimação de parada cardiorrespiratória

O curso foi ministrado por profissionais do SAMU de Parauapebas, nesta quarta-feira, 27, como pauta da Semana do Coração, que vai até o dia 29.

Os primeiros procedimentos feitos na pessoa que tem uma parada cardiorrespiratória são determinantes, e podem salvá-la. Por isso, os profissionais do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência  –  de Parauapebas participaram nesta quarta-feira, 27, da Semana do Coração, realizada no auditório do Centro Universitário de Parauapebas (CEUP). Eles orientaram os professores de educação física, coordenadores e diretores de escolas da rede municipal de ensino como fazer uma reanimação cardíaca e que medidas devem ser tomadas na hora de atender uma vítima de infarto.

A parada cardiorrespiratória é uma doença crônica em que o coração não bombeia o sangue como deveria. A morte súbita cardíaca afeta uma a cada 100 mil pessoas no Brasil e as doenças cardiovasculares levaram a morte de 350 mil pessoas, em 2016. Os principais sintomas de uma parada cardiorrespiratória são dor no peito, falta de ar e desmaio.

O Ministério da Saúde orienta que a prevenção das doenças cardiovasculares está ligada a hábitos saudáveis como a alimentação rica em frutas e verduras, diminuição do consumo de sal, prática de exercícios físicos regulares, evitar  o cigarro e a bebida alcoólica e controlar o peso.

Para a enfermeira e coordenadora da rede de atenção da pessoa com doenças crônicas, Silvana Manito, a doença do coração muitas vezes é assintomática. “O ideal é que a pessoa procure uma unidade de saúde e verifique regularmente a pressão arterial ou que vá pelo menos, uma vez ao ano, ao médico para fazer um exame geral. No caso do infarto, são poucas as pessoas que conseguem identificar, mas uma vez identificado, chame imediatamente o SAMU pelo 192”, enfatiza Silvana.

A coordenadora também explica que hoje não há necessidade do paciente ir para fora da cidade. “Temos cardiologista e nossa equipe de saúde está organizada para dar suporte aqui mesmo no município. Temos UTI, SAMU, UPA e a Policlínica com atendimento especializado”.

O enfermeiro e assistencialista do esporte avançado do SAMU, Manoel Wilson, explicou que o tempo de atendimento do paciente pode fazer toda diferença na hora de salvá-lo. “ A central de regulamentação tem o médico regulador que faz as orientações do que deve ser feito no local e já vai liberando de imediato da ambulância. Por mais que a pessoa seja leiga, a gente explica o passo a passo, até o momento em que a equipe chegue ao local. Por isso a importância de ligar imediatamente para o SAMU, assim que identificar uma parada cardiorrespiratória”, destaca Manoel.

O SAMU de Parauapebas conta com dois suportes, sendo um básico com técnico de enfermagem e um avançado, com o médico, uma enfermeira e um condutor. Durante a palestra, foi feita a demonstração do Desfibrilador Externo Automático (DEA) que é um equipamento de patente internacional, que foi criado para ser utilizado por leigos. É autoexplicativo e informa as etapas da
reanimação de uma pessoa que está tendo o infarto. A semana do Coração encerra no dia 29 de setembro.

Marabá

Marabá: Samu divulga balanço de atendimentos realizados em 2015

6.134 atendimentos de emergência realizados em 2015. Esse é o número de ocorrências registradas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu – 192), do município de Marabá. O levantamento foi feito pela diretoria do órgão e divulgado nesta quarta-feira (20).

Quando da divulgação dos dados, o coordenador administrativo do Samu, Luís Antônio Grafulha Monteiro, alertou para o fato de que muitos chamados não são para situações de urgência e emergência, mas para situações que fogem do objetivo do serviço, como, por exemplo, para transportar alguém a uma Unidade de Saúde.

Ao ligar para o número 192, a solicitação é avaliada a partir das informações fornecidas por quem pede socorro. Por conta disso, é necessário responder alguns questionamentos para garantir o encaminhamento mais adequado e que permita ao médico regulador prestar as primeiras recomendações sobre o socorro, ainda pelo telefone, enquanto a pessoa aguarda a chegada da ambulância.

Caso a situação não se caracterize como urgência, o cidadão é orientado de como deverá proceder sobre tal situação.

Samu, 10 anos

Conforme os dados divulgados, de outubro de 2005, quando o serviço começou a operar em Marabá, até o último mês, o Samu contabilizava 71.445 atendimentos, o que corresponde a aproximadamente 27,3% da população de Marabá, segundo estimativa do IBGE, que é de 262.085 habitantes.

Diante disso, nesses mais de 10 anos, foram contabilizados 11.548 atendimentos a vítimas de acidentes de trânsito e mais de 13,6 mil ocorrências clínicas de adultos. Entre outros 15 tipos de ocorrências atendidas, as quedas também foram significativas, despontando na estatística do Samu – 192 com mais 1.890 atendimentos.

Foto: Helder Messiahs

 

Parauapebas

SAMU: acidentes são a maioria dos motivos de chamadas em Parauapebas

Dados fornecidos pelo SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – em Parauapebas, que está em atividade desde o início do ano no município, mostram que o número de acidentes com vítimas são cada dia mais preocupantes. Em conversa com o Blog, nesta quarta-feira, 7, o diretor do órgão, Manoel Ilson Pereira Carvalho, apresentou relatórios de atendimentos que confirmam essa informação e provam que o nosso trânsito está cada dia mais violento.

SAMU

Segundo o diretor, de todos os chamados recebidos pelo SAMU, cerca de 50% são por motivos de acidentes automobilísticos, dentre os quais os usuários de motocicletas estão em maioria absoluta, o que preocupa os profissionais de segurança e saúde de nossa cidade. Só de janeiro a agosto de 2015, segundo o relatório de atendimentos, foram cerca de 700 acidentes com chamadas para o SAMU, número que quase dobra se considerarmos os ocorridos de menor gravidade onde os órgãos de segurança e saúde não são acionados.

SAMU

O SAMU é um serviço gratuito que funciona 24 horas e realiza atendimento pré-hospitalar visando conectar as vítimas aos recursos de saúde necessários com a maior brevidade possível, realizando atendimentos em qualquer parte do município, inclusive na Zona Rural. O objetivo é chegar precocemente até vítimas que estejam em qualquer situação de urgência, seja traumática, cirúrgica, clinica, obstétrica, psiquiátrica ou pediátrica, entre outras. O órgão está em funcionamento no município deste o início deste ano e vem prestando relevantes serviços à comunidade.

O atendimento do SAMU inicia a partir do chamado pelo número 192. Daí em diante um técnico, ao atender o chamado, orienta a pessoa que está ao lado da vítima à realizar os primeiros socorros, enquanto isso uma viatura com equipe preparada para o devido atendimento se desloca para o local. Manoel Ilson informou que a equipe deslocada para o atendimento é montada à partir das informações prestadas no pedido de socorro. Quando se trata de situação de auto risco vai uma equipe com médico, enfermeiro e técnico. Já se o atendimento for de menor complexidade, uma viatura contendo profissionais como técnicos e auxiliares são deslocados. Ressaltando que só é possível fazer o atendimento prévio se a pessoa que acionar o serviço estiver no local do ocorrido com acesso as vítimas para informar da situação real.

No SAMU de Parauapebas há uma equipe devidamente qualificada que passa semanalmente por capacitação e atua diuturnamente no atendimento à população. O diretor nos informou ainda que a capacitação tem sido uma rotina afim de melhorar, a cada dia, o atendimento à comunidade. “Nós presamos pelo bom atendimento e temos como melhorar os resultados e possibilizar o salvamento de vidas, por isso o treinamento e a capacitação são prioridade pra toda a nossa equipe”, relatou

No município o órgão conta com uma viatura de atendimento e outra de reserva, que poderá ser usada a qualquer momento, se necessário. O SAMU é uma parceria entre federação, estado e município, sendo que 50% dos recursos são repassados pela União e a outra metade dividida em partes iguais entre o Estado e o município.

Marabá

Marabá: prefeito entrega quatro ambulâncias para o SAMU nesta sexta-feira

Com o objetivo de melhorar a qualidade no atendimento da rede pública de Saúde, a Prefeitura de Marabá entrega quatro ambulâncias para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O evento acontece às 8h30 da manhã desta sexta-feira, no pátio do SAMU, anexo à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), localizada no Núcleo Cidade Nova.

O SAMU de Marabá, que atua com três equipes e já tinha cinco ambulâncias, passa a ter nove, sendo todas em perfeito estado e em boa condição de uso.

Desde o início da atual gestão, já foram reformadas duas ambulâncias e o município também já adquiriu sete novas ambulâncias, modelo Fiorino, para servir comunidades da zona rural, e mandou consertar outras 11, que estavam paradas por falta de manutenção.

Além do prefeito João Salame, participarão da entrega das quatro ambulâncias o secretário de Saúde, Nagib Mutran, e servidores lotados no SAMU.

Parauapebas

Reuniões definem organização para simulado de desastres em Parauapebas

Parauapebas conta hoje com 15 áreas de alto risco, identificadas pelo governo federal, através dos Serviços Geológicos do Brasil. Por conta da possibilidade de ocorrência de grandes desastres, com destaque ao deslizamento e deslocamento de massas, devido a ocupação desordenadas dos morros, a Defesa Civil Municipal solicitou apoio da Estadual e Nacional para realização de um simulado de deslizamento.

IMG_5914 (1)

Estarão envolvidos nesse simulado diversos órgãos públicos e privados, como as secretarias municipais de Obras (Semob), de Assistência Social (Semas), de Saúde (Semsa) e de Meio Ambiente (Semma); polícias Militar e Civil, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros Militar, Instituto de Medicina Legal (IML), Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e empresa Vale. O evento tem como objetivo preparar esses órgãos para enfrentar as situações decorrentes de um risco iminente de acidentes.

“O simulado faz parte das ações de preparação da Defesa Civil. Há possibilidade de uma situação como essa ocorrer aqui em Parauapebas. Precisamos preparar a comunidade da área e entorno, assim como o poder público, para enfrentar essas possíveis situações”, relata a major Alessandra Pinheiro, da Defesa Civil do Estado do Pará.

A preparação é realizada pela equipe da Defesa Civil do Estado do Pará, a pedido da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), que é vinculada à Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi).

Os representantes das instituições envolvidas devem participar de três encontros, sendo que o primeiro foi realizado no mês passado, o segundo ocorreu nesta segunda-feira (20) e o terceiro está programado para o dia 24 de novembro.

Durante o primeiro encontro foi apresentada a proposta de realizar uma simulação de desastres, em um dos pontos de área de risco localizado no Bairro Liberdade II, assim como a importância dessa ação preventiva de preparação dos agentes públicos para lidar em situações nesse contexto.

Já no encontro realizado na última segunda-feira (20), cada órgão teve a oportunidade de entender sua participação no processo. Além de representantes de todos esses órgãos, alguns moradores, representando o Núcleo de Defesa Civil na Comunidade (Nudecs), também foram convidados a participar das reuniões de preparação do evento.

Marcado para o dia 29 de novembro, a simulação de desastre vai contar com a mobilização de todos os órgãos envolvidos e com a participação de atores que encenarão situações enfrentadas por possíveis vítimas.

error: Conteúdo protegido contra cópia!