Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Sebrae

SEBRAE presta consultoria aos moveleiros de Parauapebas

A consultoria serviu para que os cooperados saiam da informalidade

Com o objetivo de instruir os empresários que estão instalados no Polo Moveleiro sobre os meios de formalização dos empreendimentos, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) reuniu com a categoria durante a manhã de quinta-feira (13), na sede da Cooperativa da Indústria Moveleira e Serradores de Parauapebas (Coopmasp).

A gestora de projetos do SEBRAE, Tatiane Fard explicou por meio de gráficos todos os caminhos a serem seguidos para regularização das empresas. “Esse encontro foi bem produtivo, pois todos puderam ver as possibilidades de formalização tanto para o microempreendedor individual, quanto para o microempresa. Esperamos que eles possam sair da informalidade e busquem ampliar o mercado para os consumidores”, disse.

O microempresário Dionatas Sousa ficou atento a cada informação. “Muito bom. Estão nos dando toda a bagagem de conhecimento para que possamos prosseguir e reerguer nossa empresa”, declarou.

De acordo com o presidente da Coopmasp, Sérgio Ferreira, a ideia é que os moveleiros sejam acompanhados sempre que possível. “O SEBRAE se disponibilizou em nos auxiliar na medida em que forem surgindo as demandas. Tudo faz parte do processo para que todos nós possamos trabalhar dentro da legalidade”, afirmou.

Toda a movimentação foi acompanhada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento de Parauapebas (Seden), que possui um coordenador responsável pelo Polo Moveleiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Coopmasp

Leia também Polo Moveleiro

Comércio

Ainda é viável investir em Parauapebas? O Sebrae responde.

É necessário que o empresário se prepare bem para conseguir entregar um produto ou serviço com diferenciação, seja no preço ou na qualidade, diz diretor do Sebrae em Parauapebas

O fluxo de abertura e fechamento de empresas sempre foi intenso em Parauapebas, de acordo com o gerente da agência do Sebrae na cidade, Raimundo Nonato de Oliveira. Mas, parece que com o aumento do desemprego e a escassez de oferta de vagas de trabalho em Parauapebas, tem crescido o movimento de abertura de novos negócios, principalmente no ramo de alimentação e desenvolvidos na informalidade.

O volume de demissões tem só aumentado. Em janeiro desse ano pelo menos 1.531 pessoas foram demitidas contra 1.036 contratações, o que resulta em um saldo negativo de 495 postos de trabalho, conforme os dados do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Ainda assim, até o início deste ano, Parauapebas contava com cerca de 40 mil empregos formais, o que representa um mercado consumidor potencial.

“Há um sentimento claro de que a procura por registro do Microempreendedor Individual (MEI) se intensificou nos últimos anos. Creio que há uma relação direta com o desemprego. São pessoas que pegaram um dinheiro e decidiram investir em um negócio. Também temos observado uma procura considerável por informações a respeito do agronegócio”, afirmou o gerente do Sebrae. Atualmente Parauapebas conta com 5.234 empresas cadastradas como MEI, e de acordo com o site empresômetro são 15.171 empresas formais instaladas no município.

“Antes da crise, o mercado em Parauapebas era predominantemente comprador. Quem teve dinheiro nesse período para investir e produzir teve ótimo lucro. A realidade hoje é bem diferente, temos um equilíbrio na oferta e procura. É necessário que o empresário se prepare bem para conseguir entregar um produto ou serviço com diferenciação, seja no preço ou na qualidade. É preciso também investir em atendimento”, afirma Raimundo Nonato.

Ainda é viável investir no município?

“Claro que sim! Porém, é preciso estar preparado, não dá mais para se lançar no mercado sem o conhecê-lo e sem definir uma boa estratégia. É preciso ter um plano de negócio bem estruturado e trabalhar para ser competitivo”, reforçou Raimundo Nonato, acrescentando que um grupo de empresários antigos da cidade tem reclamado muito diante das dificuldades enfrentadas para vender como antes. Já os empresários de fora, que chegam na cidade, acham que “aqui é o paraíso”.

“O empresário de fora chega com essa referência de competitividade, de tirar leite de pedra, e então consegue enxergar oportunidades de investimentos e negócios. Parauapebas é viável, tem um grande mercado consumidor e com dinheiro. Em alguns segmentos houve um equilíbrio entre oferta e procura, em outros um desequilíbrio, como no caso do setor imobiliário e de materiais de construção, o mercado saturou e quem não estava preparado teve que sair. Quando não se está em crise, o mercado esconde pontos desfavoráveis do negócio, em tempos de crise é preciso ser competitivo”, afirma o gerente do Sebrae.

No segundo semestre de 2016 o Sebrae realizou uma pesquisa nos principais municípios do Pará para identificar os segmentos mais promissores, tendo como base o comportamento dos consumidores, empresários locais e visitantes. De acordo com a pesquisa, os segmentos com maior índice de oportunidade em Parauapebas são: academias de ginástica; agência de turismo e viagens; cyber café; empresa de vigilância; curso de língua estrangeira; curso preparatório para concurso; curso profissionalizante; restaurante; transporte escolar.

No caso das academias de ginástica, por exemplo, de acordo com a pesquisa são 42 empresas na cidade, dividindo o total de habitantes pela quantidade de empresas dá um total de 4.522 pessoas para cada academia. O percentual de consumo desse serviço é bom e mais de 70% dos entrevistados na pesquisa tem interesse nele.

A pesquisa também realizou avaliação de satisfação de serviços, e nesse quesito, as 10 casas lotéricas da cidade foram muito mal avaliadas, pelo menos 32,1% das pessoas atendidas nesses locais reclamam de insatisfação no atendimento. Um dos segmentos que tem grande número de estabelecimentos é o de comércio de água mineral e bebidas, são 311 no total, já curso preparatório para concurso são apenas três na cidade.

Sebrae

Belém sedia a maior feira do empreendedorismo da Amazônia

Feira do Empreendedor, que será realizada pelo Sebrae no Pará entre os dias 16 e 19 de novembro, no Hangar.

Neste mês, Belém torna-se oficialmente a capital do empreendedorismo. De 16 a 19, o Sebrae no Pará realiza a oitava edição da Feira do Empreendedor, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia. A grande novidade deste ano é que o empreendedor, além de ter acesso a estudos inéditos na área de mercado, poderá formalizar a sua empresa. Esse atendimento será prestado no estande Redesimples.

No total de 3.500m2 de área de exposição, a Feira será dividida em três espaços: Atendimento, Oportunidades de Negócios e Modelos de Negócios. Serão montadas Lojas modelo nos segmentos de Beleza, Alimentação Fora do Lar, Moda e Minimercado. Os espaços de modelos de negócios pretendem disponibilizar aos visitantes informações e conhecimentos que direcionem a melhor forma para abrir, melhorar e ampliar negócios em diversos segmentos.

O evento também terá a Arena do Conhecimento, onde empresários paraenses relatarão suas experiências de sucesso. Serão compartilhados cases nos segmentos de alimentação e bebida, economia criativa, empreendedorismo feminino, marketing digital, entre outros temas.

Na parte de tecnologia e inovação, a Feira do Empreendedor linka suas ferramentas a um ambiente totalmente digital. Serão utilizados Beacons – aparelhos de proximidade que emitem informações, por meio da tecnologia bluetooth, diretamente aos smartphones cadastrados. Um visitante que chegar próximo a um determinado estande, por exemplo, se tiver baixado o aplicativo, receberá as informações da programação e de todas as ferramentas que o estande oferece.

Também como destaques, a Feira oferecerá a Cozinha Show, um espaço onde chefs ministrarão aulas sobre massas, panificação, confeitaria, gelados e comestíveis, mostrando as dicas para se ter um produto com qualidade, além de levar informações sobre rendimento, custos, inovação e sustentabilidade.  Entre os temas que serão abordados na Cozinha Show, estão “Lucrando com pães integrais”, “Alimentação Fora do Lar” e a “Arte de criar sobremesas com soluções práticas e criativas”.

E para falar de empreendedorismo de uma forma divertida e interativa, o Sebrae no Pará promoverá o “Cine Sebrae”, com a exibição de filmes que fazem alusão ao comportamento e dia a dia do empresário, entre eles “O homem que mudou o jogo”, “Missão Impossível – Nação secreta”, “Mãos talentosas” e “Zootopia”.

A Feira do Empreendedor disponibilizará, ainda, 15 salas e  quatro auditórios no piso superior do Hangar, que serão dedicados à educação e orientação coletiva, por meio de palestras, seminários, workshops, encontros de negócios, rodadas e oficinas. Serão cerca de 300 eventos de capacitação e momentos para troca de experiências, que irão abordar mais de cem temas diferentes. Mais de 20 mil vagas. Tudo gratuito.

Eventos

Sebrae promove Seminário “Desafios do Crescimento” para empresários de Parauapebas

O Sebrae convida toda a classe empresarial de Parauapebas e região a participar do II Seminário Desafios do Crescimento, a se realizar na quarta-feira 21 de setembro, às 18h00 no Auditório da Câmara Municipal de Parauapebas.

O Evento é exclusivo para Pessoas Jurídicas (empresários e/ou representantes de empresas); e nesta edição será abordado o tema “Vendas: da conquista à fidelização de clientes”. Estará presente Eduardo Peres, um dos mais originais palestrantes motivacionais do Brasil; e Marcelo Ortega, palestrante internacional e um dos 5 treinadores de vendas mais requisitados do país.

As inscrições são gratuitas, limitadas a 01 inscrição para Micro Empreendedores Individuais e 02 inscrições para Micro Empresas e Empresas de Pequeno Porte.

Os representantes das empresas podem se inscrever através do site www.pa.sebrae.com.br ; ou diretamente no Sebrae, localizado na Rua E nº 399, Bairro União, Parauapebas/PA; ou ainda respondendo a este e-mail, informando os dados abaixo:

DADOS DA EMPRESA: Razão social, CNPJ, endereço, telefone.

DADOS DO REPRESENTANTE: Nome completo, CPF, data de nascimento, endereço residencial, telefone.

Mais informações: (94) 3346-1634 ou clique aqui.

Pará

Semana do Microempreendedor Individual será realizada entre 2 e 6 de maio pelo Sebrae

O Sebrae Parauapebas lança nesta segunda-feira, dia 02, a Semana do Microempreendedor Individual (MEI) 2016. O evento será realizado de 2 a 6 de maio em todas as capitais brasileiras e cidades do interior. Todos os eventos serão gratuitos e voltados para capacitação dos microempreendedores individuais. No Pará, as ações vão acontecer em todas as Regionais do Sebrae no Estado.

O objetivo da Semana do MEI é a capacitação dos Micro Empreendedores Individuais com a realização de oficinas práticas e curso que contribuem para a melhoria da gestão da empresa. Num momento de desafios econômicos, a qualificação dos pequenos negócios é um fator de grande diferença no desempenho dessas empresas. O Sebrae Parauapebas fica na Rua E, 299 – Cidade Nova.

Marabá

Parceria entre e Embrapa e Sebrae leva tecnologias ao EEITS em Marabá

Marabá recebe nos dias 21 e 22/10 o Encontro Estadual de Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade (EEITS), promovido nacionalmente pelo Sebrae, por ocasião da 12ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2015. A Embrapa Amazônia Oriental participa ativamente desta programação com nove palestras sobre diversos temas, tendo como foco o desenvolvimento do agronegócio e da agricultura familiar na região sudeste do Pará.

A Embrapa atua em 21 municípios da região, direta e indiretamente, por meio do Núcleo de Apoio a Pesquisa e Transferência de Tecnologias do Sudeste Paraense (NAPT-Sudeste Paraense), localizado em Marabá.

Segundo Daniel Mangas, supervisor do NAPT em Marabá, a proximidade com o Sebrae tem fomentado o agronegócio na região e visa ainda a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares. Ele explicou que desta parceria, aliada às demandas recebidas do setor produtivo local, foram elencados os diversos temas para a participação no EEITS 2015, em Marabá.

Ao todo, nove palestras serão ministradas pela Embrapa, na sede do Senai de Marabá, que abrigará o evento.  No dia 21 os temas serão pimenta-do-reino, bovinocultura, açaí irrigado em terra firme, e ainda valoração e prospecção tecnológica. Já no dia 22 serão duas participações, com palestras sobre o cultivo de cupuaçu resistente à vassoura de bruxa e Sistemas Agroflorestais (SAFs) com uso de fruteiras.

De acordo com o Sebrae, o objetivo da EEITS é levar conhecimentos sobre negócios aos empresários e potenciais empresários e novos empreendedores, além do fomento à cultura da inovação, ao desenvolvimento tecnológico e à inserção das dimensões da sustentabilidade na gestão dos pequenos negócios.

O público alvo da programação é composto por microempreendedor individual; micro empresário; empresário de pequeno porte; produtor rural; acadêmicos; entusiastas de startups; programadores; investidores; empresas incubadas.

Sebrae acompanha visitas técnicas para promover a terceira etapa do Projeto Produtores de Leite e Derivados em Piçarra.

A secretaria municipal de Produção e Desenvolvimento Econômico da prefeitura de Piçarra (Semdec), em parceria com o Sebrae, realizou visitas no último final de semana de julho em diversas áreas/fazendas de produtores de leite. O objetivo foi levantar dados técnicos para dar suporte ao Projeto Produtores de Leite e Derivados, cujo esforço é para que o município de Piçarra possa alavancar ainda mais a economia local, que tem em sua base o leite como um dos principais agentes de geração de renda.

representante do sebrae e produtor rural

As vistas foram coordenadas pelo consultor do Sebrae Uesley Marinho e pelo secretário de Produção e Desenvolvimento Econômico Dernival Gonçalves Barros. Esta terceira etapa consiste em analisar ‘in loco’ a propriedade, a fim de avaliar e escolher a área para implantação do sistema rotacional de pastagem. Na oportunidade foram visitados sete produtores de leite distribuídos em quatro regiões, sendo a vila Anajá, o centro, a área do Armazém Castro e a Vila Oziel Pereira.

Equipe da prefeitura, representante do sebrae e produtores rurais

O projeto é parte integrante de uma iniciativa maior, denominada Balde Cheio, que visa oferecer acompanhamento técnico, da prefeitura em parceria com o Sebrae (de médico veterinário, zootecnista e técnico agropecuário), ao produtor de leite, para que ele consiga produzir a maior quantidade possível, obtendo mais qualidade, utilizando um menor espaço e ainda com quantidade menor de vacas.

Conforme explicou o prefeito Wagne Machado, “o produtor precisa entender que ele tem que melhorar o seu rebanho, e não adquirir mais vacas, se quiser melhorar a sua produção de leite, ou seja, no geral o projeto visa que o produtor tire muito leite, mesmo tendo poucas vacas leiteiras”.

A consultoria do Sebrae tem por objetivo obter informações da atividade leiteira de cada um para que, com essas informações, possa ser traçado o melhor caminho para o desenvolvimento e melhora da produtividade em um menor espaço de tempo, área e rebanho, aumentando a competitividade de preços e proporcionando maior viabilidade econômica na atividade leiteira.

Texto: Glauber Marques – Fotos: Ronaldo Rocha

Vale

Vale e Sebrae apresentam programa de capacitação a fornecedores

O primeiro evento ocorreu em Belém. Os próximos reúnem fornecedores de Marabá, Parauapebas, Ourilândia, Tucumã e Canaã dos Carajás

Representantes de micro e pequenas empresas dos municípios de Belém e Ananindeua conheceram como podem tornar seus empreendimentos mais competitivos no mercado. A iniciativa é fruto de um convênio firmado nacionalmente entre a Vale e o Sebrae, com o objetivo de promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável de fornecedores da cadeia de valor da empresa. Os próximos eventos reúnem, agora em abril, empresários de Marabá, Parauapebas, Ourilândia, Tucumã e Canaã dos Carajás.

Os benefícios, condições de participação e ações do projeto foram apresentados em evento realizado na sede da FIEPA, em Belém, na última terça-feira, 24/3 e contou com a presença de representantes dos parceiros, empresários e consultores envolvidos nas atividades.

“O Sebrae está sempre em busca de alternativas que possam  tornar seus clientes, que são os pequenos negócios, mais competitivos, por meio de diversas ações, como as de capacitação e abertura de mercado”, comentou a gerente adjunta da Unidade de Indústria (UIND) da instituição, Maria de Jesus Afonso.

A gerente de Conteúdo Local de Suprimentos da Vale, Érika Rosa, reforçou a importância da iniciativa para a empresa. “A Vale tem como parte de seus valores e planejamento estratégico o olhar voltado para a sustentabilidade dos territórios onde atua e isso passa necessariamente pela capacitação de sua cadeia de suprimentos na região. Este convênio Vale e Sebrae vai justamente ao encontro disso”, destacou.

Empresarios de Belem conhecem programa de capacitação Credito - Josiele Soeiro

Empresários de Belém conhecem programa de capacitação. Credito: Josiele Soeiro

Segundo ela, a expectativa é elevar o nível de competitividade. “Benefícios que vão ampliar a carteira de clientes deles e criar oportunidade de terem um desenvolvimento perene ao longo do tempo”, frisou Erika, lembrando que cerca de 50% das compras da empresa para as suas atividades no Pará, em 2014, foram locais. 

Dezoito empresários participaram do evento. Entre eles, Lucas Bezerra, dono da empresa Mota Bezerra Ltda. “A proposta é excelente, principalmente na parte de capacitação, para a melhor gestão da empresa e para nos ajudar a ampliar a nossa presença no mercado”, comentou, adiantando que pretende aderir ao projeto.

Diagnóstico

Na ocasião, os empresários preencheram formulário para a elaboração de um diagnóstico dos negócios, com base no Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) – baseado em 13 fundamentos: pensamento sistêmico; atuação em rede; aprendizado organizacional; inovação; agilidade; liderança transformadora; olhar para o futuro; conhecimento sobre clientes e mercados; responsabilidade social; valorização das pessoas e da cultura; decisões fundamentadas; orientação por processos; e geração de valor.

O diagnóstico assegura um raio-x das empresas, que irá direcionar o planejamento e definição das capacitações e consultorias a serem oferecidas, conforme a necessidade do mercado. O programa dispõe de 150 vagas para micro e pequenas empresas da cadeia de mineração da Região Metropolitana de Belém, Canaã dos Carajás, Marabá, Parauapebas, Ourilândia e Tucumã.