Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

Sebrae Itinerante chega a Tucuruí

Durante dois dias, especialistas e empreendedores poderão discutir inovação, gestão e empreendedorismo para fomentar e gerir negócios futuros no município.
Continua depois da publicidade

Nos dias 19 e 20 de junho, Tucuruí receberá atividades do Sebrae Itinerante, evento que vai proporcionar aos empreendedores do município capacitação por meio de palestras, seminários, oficinas de orientação, além de ideias de negócios e atendimento individual.

Durante dois dias, especialistas e empreendedores poderão discutir sobre inovação, gestão e empreendedorismo para que possam fomentar e gerir negócios futuros com foco na produtividade, qualidade e competitividade.

Michele Van Der Lan, diretora e Turismo da Prefeitura de Tucuruí, o Sebrae Itinerante é uma atividade direcionada aos pequenos negócios que estão distantes das cidades-polo. A intenção é proporcionar acesso aos produtos e serviços do Sebrae em um único espaço de atendimento. “Com o apoio e a parceria de prefeituras municipais, associações empresariais, salas do empreendedor, agentes financeiros e entidades de classe, o Sebrae promove gratuitamente o empreendedorismo e fomento à formalização dos empreendedores individuais por meio de palestras, oficinas, cursos, ideias de negócios e atendimento individual”, explica a diretora.

Durante dois dias, serão realizados atendimentos, horas de consultoria e palestras no auditório da Associação Comercial e Industrial de Tucuruí (Acit) levando conteúdo de inovação, gestão e empreendedorismo com foco em ganhos de produtividade, qualidade e competitividade.

Com atendimento gratuito, o Sebrae Itinerante oferecerá atendimento em áreas como finanças, comunicação, recursos humanos, compra e vendas, gestão, dentre outros temas de interesse dos empresários. Também são esperados os Microempreendedores Individuais (MEIs), assim como as pessoas interessadas em formalizar suas atividades ou iniciar um negócio.

Quem passar pela unidade móvel, receberá ainda publicações com orientações preparadas especialmente para os micro e pequenos negócios.

Eventos

Sebrae realiza seminário Desafios do Crescimento em Canaã nesta quarta (13)

Município recebe o evento promovido pela instituição em várias regiões do estado
Continua depois da publicidade

Os empresários de Canaã dos Carajás terão uma ótima oportunidade de conhecer alguns caminhos para o aumento nas vendas e como desenvolver os seus negócios. O tema será debatido durante o Seminário Desafios do Crescimento, promovido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae – no Pará, com o apoio da Câmara Municipal de Canaã. O evento será nesta quarta-feira, dia 13 de junho, a partir das 18h30, na Câmara Municipal do município (Rua Tancredo Neves, 546 – Centro, Canaã dos Carajás).

Stand-Up Empresarial – Vendas e a retomada do crescimento: você está preparado? é o tema da palestra, que será ministrada por Fred Alecrim e Gustavo Becker.

As inscrições podem ser feitas, gratuitamente, na sala do Empreendedor da cidade, até às 14h, também por meio do e-mail carajas2@pa.sebrae.com.br, ou na Câmara Municipal de Canaã.  Informações (94) 3346-1634 / 3346-1632.

Debates

O seminário é uma solução diferenciada dos programas nacionais Sebrae Mais e Na Medida, criada para apresentar novos temas e tendências em gestão para pequenas empresas. “O evento tem por objetivo gerar um debate entre empresários, para que entendam a importância de uma gestão fortalecida em tempos de crise.

Trata-se de um evento de oportunidades para os pequenos negócios, que continuam crescendo e se desenvolvendo, apesar do cenário atual”, ressalta Fabrizio Guaglianone, diretor-superintendente do Sebrae no Pará. A proposta é promover o debate entre empresários para o aprimoramento da gestão, com vistas ao desenvolvimento e à expansão dos negócios.

De 2015 até o início deste ano, mais 12 mil empresários do estado participaram do evento que promove debates de temas relacionados à gestão dos pequenos negócios. Neste ano, a programação seguirá pelos municípios de Tucumã (14.06) e Capanema (24.08).

Parauapebas

Vale e empresários participam do 2º encontro de negócios promovido pela ACIP

O presidente da Acip, Humberto Costa comemorou os resultados da segunda edição
Continua depois da publicidade

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Parauapebas (Acip) realizou hoje, 22/5, o 2º Encontro de Negócios. O evento, que conta com a participação da Vale, teve a presença de 10 empresas, que apresentaram seu portfólio de serviços e produtos e conversaram diretamente com os profissionais de suprimentos da empresa. O gerente do Sebrae, Raimundo Nonato, também parceiro da iniciativa, dá dicas aos empreendedores para ampliar seu potencial de fornecedor.

O presidente da Acip, Humberto Costa comemorou os resultados da segunda edição. “Hoje nós fomos prestigiados por mais empresas, o objetivo está no caminho de ser alcançado e essa aproximação será contínua, nós sempre vamos procurar aproximar quem vende de quem compra. Estamos muito felizes, vamos continuar trabalhando e preparar a terceira edição”. O próximo evento deve ocorrer em agosto, reunindo os setores de engenharia e obras civis.

Com 10 anos de atuação em Parauapebas no mercado de peças para tratores e área de solda, o empresário Anderson Luiz de Sousa, destacou a importância dos associados participarem dessas iniciativas. “Digo para os associados: – venham, porque é muito positivo! É através destas iniciativas que a empresa fica sabendo de nossa capacidade de atendimento. O diálogo com a Vale foi muito bom, produtivo e esclarecedor”.

Abaixo, confira dicas gerais do gerente do Sebrae, Raimundo Nonato de Oliveira, para ampliar o potencial do empresário em ser fornecedor.
1) Prepare-se com foco nas necessidades do cliente: informe-se sobre o mercado; exigências legais, segurança no trabalho e meio ambiente;
2) Tenha uma organização mínima financeira e conhecimento total sobre seu escopo de atuação, capacidade de atendimento e de formar preço;
3) Valorize oportunidades como as rodadas, em que se fica frente a frente com o cliente;
4) Mantenha sua documentação atualizada e
5) Tenha um portfólio atualizado sobre seu potencial de fornecimento

Pará

Sebrae Pará realiza 10ª Semana do Microempreendedor até o dia 30 de maio

O evento acontece em Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás. Confira a programação
Continua depois da publicidade
O Sebrae no Pará vai realizar até o dia 30 de maio a 10ª Semana do MEI em Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás. Uma oportunidade única para os microempreendedores individuais fazerem a declaração anual de faturamentos, cujo o prazo de entrega vai até o dia 31 de maio. O Mei que acumula 02 anos sem declarar tem seu CNPJ cancelado.
A 10ª Semana do Microempreendedor Individual – MEI – começou nesta segunda-feira, 21, e  segue até o dia 30 de maio e nela os microempreendedores poderão participar das capacitações do Sebrae, por meio de palestras e oficinas sobre gestão e controle de finanças. Realizada pelo Sebrae no Pará, em todo o estado, a programação de atendimentos será na sede do Sebrae do município de Marabá.
Segundo a Receita Federal, existem atualmente 149.739 Meis em atividade no Pará. O número caiu em relação ao ano passado: 186 mil registrados, já que cerca de 46 mil Mei’s perderam seu registro este ano, por não cumprir com suas obrigações junto à Receita. Entre elas, a entrega da declaração. A inadimplência, no Pará, é considerada alta: quase 60%.

Apesar da baixa no número de registros Mei pela Receita no atual exercício e da alta inadimplência, o número de novos Meis vem crescendo. Só na semana anterior à 10ª Semana do Mei (entre os dias 07 e 14 de maio) foram abertos 521 novos registros de Mei.

A Semana do Mei conta ainda com capacitações, a maioria voltada para melhorar a gestão e finanças. A partir de quarta-feira, 23, serão realizadas palestras sobre formalização, controle financeiro, formação de preços, entre outros temas.
Mei

A Lei Complementar nº 128/2008 criou a figura do Microempreendedor Individual – MEI, modificando partes da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/2006). O Mei é uma forma de registro de uma empresa com certas peculiaridades que a diferenciam da micro e da pequena empresa. A primeira delas é que nem todas as atividades podem ser registradas como Mei: apenas 491 ocupações ( lista completa em www.portaldoempreendedor.gov.br ). As atividades de cunho intelectual, como advogado, médico etc, por exemplo, não podem ser formalizadas como Mei.

Outra diferença é o faturamento anual, limitado a R$ 81 mil para Mei; R$ 360 mil para micro; e R$ 4,8 milhões. Além disso, o Mei só pode ter até 01 funcionário e nenhuma filial, enquanto para as demais não há limites.
Estão aptas a se tornarem Mei pessoas físicas que pretendem ter uma atividade econômica com faturamento de até R$ 81 mil por ano, que não tenha registrado em seu nome outro CNPJ. Para se tornar Mei, o interessado pode começar indo ao Sebrae no Pará, que realiza palestras semanais regulares, ao longo de todo o ano, sobre “Como se tornar Mei”. Nessas palestras, são fornecidas todas as informações sobre o que é o Mei, suas obrigações e direitos.
Parauapebas

Primeiro café de negócios da ACIP reúne Vale e fornecedores locais

Fornecedores locais tiveram oportunidade de conversar com a equipe de suprimentos da Vale
Continua depois da publicidade

A Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (Acip), em parceria com o Sebrae, promoveu nesta terça-feira, a primeira edição do “Café de Negócios”. Durante o encontro, equipe de Suprimentos da Vale e fornecedores falaram sobre demandas e serviços oferecidos. Uma agenda de encontros, neste formato, deve continuar a acontecer ao longo do ano com diferentes setores.

Para o presidente da associação, Humberto Costa, esse tipo de encontro, reunindo compradores e fornecedores locais, é muito importante. “Essa atividade faz parte de um programa maior que a ACIP tem, outros cafés como este serão realizados e nós esperamos uma participação cada vez maior do empresariado local. Nós agradecemos a participação da Vale e esperamos que ela esteja sempre com a gente”.

De acordo com o Gerente de Relações Institucionais, Luiz Veloso, a contratação de fornecedores locais faz parte da estratégia da Vale para contribuir com o desenvolvimento econômico da região. “Estamos juntos participando dessa ação da ACIP e o Sebrae, com a equipe de Suprimentos da Vale, para que os fornecedores locais possam esclarecer dúvidas em relação às demandas e processos da Vale e também oferecer seus serviços. Assim, nós criamos um ambiente de prospecção para possíveis parcerias e ampliação de nosso quadro de fornecedores”, explica.

A ACIP deve seguir uma agenda de encontros em parceria com Sebrae. “Começamos e começamos bem. Conseguimos trazer empresas e daqui para frente é fazer melhor”, comenta o gerente de Sebrae, Raimundo Nonato de Oliveira.

Pará

Abertas as inscrições para 9ª Feira do Empreendedor do Pará

O evento organizado pelo Sebrae-PA espera este ano a presença de 30 mil visitantes e a realização de negócios na ordem de R$ 38 milhões
Continua depois da publicidade

Estão abertas no endereço www.feiradoempreendedorpa.com.br as inscrições para a 9ª Feira do Empreendedor organizada pelo Sebrae Pará e que terá espaços voltados para geração de negócios, um mix de expositores mais diversificado e uma agenda extensa de capacitações como oficinas, palestras, workshops, painéis, encontros e rodadas de negócios. Além do atendimento realizado por parceiros e por analistas técnicos do Sebrae para orientar a respeito de temas que fazem parte do dia a dia do empreendedor, como marketing, finanças, tendências, inovação, legislação, exportação, acesso a crédito entre outros. A entrada e todas as atividades são gratuitas.

A Feira do Empreendedor acontece de 16 a 19 de maio próximo, no Hangar Centro de Feiras e Convenções da Amazônia, em Belém, e a expectativa é de que 30 mil visitantes passem pelo local nos quatro dias de evento. Ocupará um espaço de mais de 8 mil metros quadrados para receber confortavelmente o público e comportar toda a estrutura com mais de 130 oportunidades de negócios ofertadas para aqueles que querem empreender ou melhorar os negócios que já desenvolvem, além de espaços reservados para patrocinadores e instituições parceiras que prestarão serviços de orientação aos empreendedores sobre débitos tributários, registro e legalização de pessoas jurídicas.

Alguns dos principais atrativos da edição 2018 da Feira serão os espaços de modelos de negócios. Nesses locais, os visitantes poderão conhecer, na prática, como funciona a operação de negócios de diferentes ramos. Esses estandes temáticos serão divididos entre os seguintes segmentos: Oficina Modelo (Reparação Veicular), Minimercado
(Varejo Alimentar), Experiência Gastronômica (Alimentação fora do Lar) e Loja de Moda Virtual (Varejo de Moda).

Os Microempreendedores individuais (MEIs) continuarão a ter atenção especial, assim como aqueles visitantes que procurarem o atendimento do Sebrae Pará, que contará com um time de consultores especializados para fazer um atendimento personalizado.

Algumas novidades da Feira este ano

Arena e-commerce
Experiência interativa que os visitantes terão com marketplaces e outras instituições mostrando todos os aspectos para montar e gerir uma loja virtual, desde a composição de custo até o atendimento remoto.

Terruá amazônico
Espaço destinado à exposição de produtos de 32 empresas dos segmentos da agroindústria e artesanato apoiados pelo AI Invest. Esse espaço foi concebido com base em um conceito de produtos oriundos da terra.

Clinica Empresarial
Espaço em que os empresários terão a oportunidade de receber um diagnóstico rápido do seu negócio com a identificação de dificuldades e pontos de melhoria, conhecer produtos ofertados pelo Sebrae.

Inteligência de Mercado
Espaço destinado à disponibilização de boletins, estudos, pesquisas de mercado de forma interativa.

Sebrae Lab
Espaço colaborativo e multifuncional destinado à inovação, criatividade, coworkíng, mentoria para startups, pitches, pequenos negócios e troca de experiências para apoiar negócios voltados ao mercado digital e de base tecnológica, a partir do desenvolvimento de ideias inovadoras e remodelagem de negócios.

MODELOS EM DESTAQUE

Oficina Modelo (Reparação Veicular)
Os visitantes que passarem pelo local conhecerão o formato ideal para montar uma oficina mecânica, com equipamentos básicos, novidades tecnológicas, formatos de interação e relacionamento com cliente, aplicação de normas técnicas, parcerias importantes.

Loja de Moda Virtual

Partindo de uma experiência interativa, os visitantes conhecerão cada detalhe de uma loja modelo do ramo por meio de óculos de realidade virtual 3D. A proposta do espaço será apresentar as técnicas de visual merchandising, ou seja, a disposição adequada de materiais para atrair o consumidor e concretizar vendas.

Minimercado (Varejo Alimentar)

Espaço em que os visitantes conhecerão um mercado de vizinhança e receberão um plano de negócios que apresentará desde o investimento inicial para implantação, passando por equipamentos necessários e conhecendo aspectos como gestão de estoque produtos, categorias, atendimento e mix de produtos.

Experiência Gastronômica
Espaço destinado a mostrar aos visitantes interessados em empreender com o segmento de Alimentação Fora do Lar a proposta baseada no Food Trends 2020 com foco nos eixos temáticos: Sensorialidade e Prazer, Saudabilidade e Bem-Estar, Confiabilidade e Qualidade, Sustentabilidade e Ética, Experiência Gastronômica.

Capacitações: Negócios Digitais, Empreendedorismo e Educação Empreendedora, Estratégia e Gestão, Inovação e Sustentabilidade e Tendências e Oportunidades de Negócios.

Marabá
De acordo com o diretor Regional do Sebrae, Marcelo Araújo, qualquer empreendedor pode participar do evento que, em 2017, contou com 25.507 visitantes, 22.433 dos quais participaram dos cursos e oficinas de capacitação oferecidos gratuitamente durante o evento, e rendeu R$ 33.754.000 em negócios. Este ano, além de esperar a presença de 30 mil visitantes o Sebrae Pará estima que R$ 38 milhões em negócios serão realizados.

Em Marabá, o Sebrae atende a micro e pequenos empresários e MEIs de 17 municípios da região, que diariamente buscam consultoria, capacitação e orientações com os técnicos da instituição. “Estamos sempre de portas abertas e prontos a auxiliar esse importante segmento da economia”, afirma Marcelo.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá, com informações do Sebrae

Marabá

Sebrae convoca coletiva para esclarecer sobre o e-Social em Marabá

Novo sistema de coleta de dados do governo federal começou a ser implantado em janeiro deste ano e vai simplificar a forma de informações relativas aos trabalhadores
Continua depois da publicidade

Em janeiro deste ano, o governo federal começou a implantar em todo o País o e-Social Empresas, um novo sistema de registro elaborado para facilitar a administração de informações relativas aos trabalhadores, de forma padronizada e simplificada. Todas as informações coletadas comprão um banco de dados único que alcançará mais de 40 milhões de trabalhadores e contará com a participação de 8 milhões de empresas e mais de 80 mil escritórios de contabilidade.

Preocupado com os prazos estabelecidos pelo governo federal, o Sebrae (Sistema Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) – Marabá vem promovendo iniciativas para manter informados os micro, pequenos, os MEIs (microempresários individuais) e demais empresários.

Uma dessas ações aconteceu na manhã desta terça-feira (6), quando o órgão promoveu uma coletiva com a presença do gerente regional Marcelo Araújo; Daniel Reis, auditor fiscal da Receita Federal em Marabá; Hulda Barros, chefe da Seção de Administração de Informações de Segurados da Gerência Executiva do INSS local; Fernanda Melo, auditora fiscal do Trabalho; e Joel Monteiro da Silva, delegado do Conselho Regional de Contabilidade.

Marcelo Araújo explicou que o Sebrae montou uma agenda para auxiliar não só com o MEI, mas outros empresários para que não tenham problemas mais adiante: “É interessante porque esse movimento envolve várias entidades, como Conselho Regional de Contabilidade, Ministério do Trabalho, INSS e Caixa, com o objetivo de informar”, destacou ele.

O emprego do e-Social será obrigatório, não se pode fugir dele, por isso, segundo Marcelo, o empresário deve passar a atentar para isso, “a fim de que não tenha surpresa desagradável”.

Daniel Reis auditor fiscal da Receita Federal, afirma que o e-Social é uma ferramenta que vem buscar a inovação e a simplificação das obrigações acessórias das empresas.

“Então, o nosso objetivo é que a empresa deixe de enviar até 15 obrigações acessórias com a Receita Federal, Ministério do Trabalho e INSS e passe a enviar apenas uma informação, centralizada, consistente. Isso vai fazer com que o empresário ganhe tempo e possa aumentar sua produtividade”, argumentou ele

O e-Social, ainda de acordo com o auditor fiscal, vai trazer facilidade na emissão de guias de recolhimento de FGTS e para contribuição previdenciária e outros tributos administrados pela Receita Federal. Daniel Reis lembra que hoje o contribuinte tem de enviar as informações de cada estabelecimento e muitas vezes emitir uma guia de FGTS, uma guia da Contribuição Previdenciária e outros tributos para cada estabelecimento, mas, a partir do e-Social, vai passar a emitir uma só guia do FGTS e uma guia da contribuição previdenciária e outros tributos para todos os CNPJ, “independentemente se ele tem um, cem ou mil estabelecimentos”.

O cronograma começou em janeiro último, para empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões, 19 delas no sul e sudeste do Pará, que enviaram as primeiras informações até 28 de fevereiro.

As demais empresas, micro, pequenos e os MEI devem começar a enviar as informações a partir de julho. E os entes públicos, entidades da administração direta e indireta, fundações e autarquias dos governos municipal, estadual e federal, a partir de janeiro de 2019.

Para o presidente da Acim (Associação Comercial e Industrial de Marabá), Ítalo Ipojucan Costa, também convidado para coletiva, a ação é muito pertinente. “São mudanças relativamente fortes e necessitam que todo o empresariado tenha pleno conhecimento do domínio da tecnologia que vai ser disponibilizada para trabalhar essas novas informações, para o governo federal”, disse.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá
Cursos

Parauapebas: Empreendedores de Palmares Sul avançam na capacidade de gerir pequenos negócios

Iniciativa conta com o apoio da Vale e do Sebrae
Continua depois da publicidade

Cooperar, gerenciar e empreender. Essas são algumas das principais dificuldades encontradas para a manutenção ou expansão de projetos sociais capitaneados por associações comunitárias. Para desenvolver a capacidade de gerir pequenos negócios, a  Associação de Moradores de Palmares Sul promoveu um curso de empreendedorismo e cooperativismo. O apoio veio por meio de uma parceria entre a Vale, a associação de moradores e do e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O treinamento é um dos 29 projetos com investimento da Vale este ano em Parauapebas. O objetivo é apoiar o município quanto a diversificação econômica. Os projetos são indicados pela própria comunidade dentro de plano do relacionamento realizado em localidades próximas a operação da empresa envolvendo visitas, reuniões e a construção conjunta de projetos sociais.

Para o presidente da associação, Evaldo Fideles, essa capacitação vai  contribuir com a cooperativa de costureiras da comunidade. “Nossa região não tem a cultura do cooperativismo e todo curso que vem para fazer esse trabalho de formação e capacitar as pessoas para que elas entendam como ele funciona e sobre a importância de engajamento para o mercado de trabalho é de suma importância. Esse trabalho vem para somar e fazer com que a cooperativa crie mais corpo para enfrentar o mercado de trabalho”, destaca.

A consultora do Sebrae, Tatiane Faro Noronha, destaca que a gestão pode ser o diferencial de sucesso para pequenos empreendimentos.  “A gente sabe que um dos gargalos da maioria dos pequenos negócios é a gestão. O empreendedor acaba misturando as despesas pessoais com a do negócio. E a associação, por mais que seja um trabalho coletivo, não foge dessa temática, porque o negócio vai gerar renda para o grupo”.

O curso, que já foi ministrado nas comunidades de Sansão e Paulo Fonteles, trouxe informações sobre empreendedorismo, marketing, finanças e visão de mercado. “Nossa expectativa é que este grupo se aproprie desses conhecimentos e comece a aplicá-los nos seus negócios, principalmente incentivando a proatividade na busca pelo cliente”, ressalta Tatiane.

Nos próximos meses, o Sebrae segue com consultoria direta junto à cooperativa das costureiras de Palmares Sul nas áreas de marketing, avaliação de mercado e também de vendas.