Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Educação

Aulão do Enem será oferecido de graça em Parauapebas

As inscrições devem ser feitas pelo site da Fundação Pro Paz Cidadania, onde, também, se baixa as apostilas.

As provas do Enem 2017 serão realizadas nos dias 5 e 12 de novembro. Faltando dois meses para o exame nacional, a Fundação Pro Paz Cidadania, entidade que atende comunidades carentes nos municípios paraenses, com a parceria da Secretaria de Estado de Educação realizará neste fim de semana um aulão gratuito para os estudantes das escolas públicas de Parauapebas que buscam uma vaga nas universidades do país.

A cidade é um dos 13 municípios escolhidos para receber os professores de Belém, da Seduc e da Pro Paz, que através de um intensivão de oito horas, buscam preparar os estudantes com os principais temas do conteúdo programático do Enem, além de tirar dúvidas e dar dicas. O projeto, que teve início em junho, é de iniciativa do Governo do Estado e já beneficiou mais de 20 mil alunos nos últimos dois anos.

Além das aulas presenciais, a partir desse mês de setembro, um programa semanal será exibido pela TV Cultura.

Intensivão

Em Parauapebas, o Aulão do Enem vai ser realizado neste sábado, 9, no auditório da Câmara de Vereadores, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Mas, apesar de não pagar nada, o estudante precisa fazer a inscrição pelo site da Fundação Pro Paz Cidadania: www.propaz.pa.gov.br. No site, o estudante também poderá fazer download das apostilas usadas como material suplementar.

Educação

Seduc irá descontar pagamento de professores grevistas de Parauapebas

Seduc diz que já atendeu 19 das 20 reivindicações da categoria, envolvendo infraestrutura escolar, remuneração dos professores e questões pedagógicas - alegação que é desmentida pelo Sintepp.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) anunciou nesta sexta-feira (7) que vai descontar dias em greve do salário de professores da rede estadual em Parauapebas, no sudeste do Pará. A greve começou no dia 28 de março. O coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), professor Rosemiro Laredo, alegou que nenhum dos 20 itens da pauta de reivindicações foi atendido. Uma nota, divulgada pela Seduc nesta sexta (7), informa que um requerimento para o retorno das aulas foi protocolado junto ao Ministério Público do município.

A coordenadoria do Sintepp aponta desvios na merenda escolar, o não pagamento do piso salarial e a condição das escolas, sendo três delas com laudo de precariedade. O sindicato alega, também, que algumas escolas tinham aula somente até o intervalo, com turmas superlotadas. Os manifestantes ainda garantem que não estão impedindo os alunos e funcionários de entrarem nas unidades.

Ainda de acordo com o Sintepp, uma proposta de reposição das aulas deve ser apresentada para o Governo do Estado, quando a greve for encerrada.

De acordo com a Seduc, os manifestantes estariam impedindo o acesso às escolas. Em nota, a secretaria informou que mais da metade dos professores não concordam com a atitude.

A secretária Ana Claudia Hage afirmou que “respeita o movimento grevista e entende como legítimas a grande maioria das reivindicações, mas vê com desapontamento a coação praticada contra alunos e professores não grevistas”.

Em nota, a Seduc informou que já atendeu 19 das 20 reivindicações da categoria, envolvendo infraestrutura escolar, remuneração dos professores e questões pedagógicas – alegação que é desmentida pelo Sintepp.

Educação

Pré-matrícula na rede estadual de ensino segue até primeiro de janeiro de 2017

Matrícula dos alunos que já estudam nas escolas estaduais será renovada automaticamente

Todos os novos alunos que entrarão na rede estadual de ensino do Pará, em 2017, sejam oriundos de escola pública ou particular, devem fazer o cadastro para reserva de vaga por meio da pré-matrícula, procedimento disponibilizado pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc) desde 14 de novembro e que encerrará dia primeiro de janeiro do ano que vem.

A pré-matrícula é exclusiva para quem vai entrar na rede a partir de 2017 e pode ser realizada no endereço eletrônico www.seduc.pa.gov.br, disponível 24 horas por dia, ou por meio da Central de Atendimento (08002800078, que funcionada das 8 às 18 horas, de segunda a sexta).

A matrícula dos alunos que já estudam nas escolas estaduais será renovada automaticamente, após o resultado do ano letivo de 2016, destes, quem precisar solicitar transferência para outra unidade de ensino, também da rede, não poderá acessar a pré-matrícula e sim, deverá procurar a secretaria da escola para fazer a referida solicitação.

A Seduc informa em seu site que as pré-matrículas não são garantia de vaga, apenas uma reserva. O aluno ou responsável deverá comparecer entre os dias 2 e 4 de janeiro de 2017, à escola na qual se inscreveu, na data e horário definido, para levar a documentação de habilitação da matrícula. No caso de aluno com deficiência, a confirmação da vaga deve ser realizada dia 02, mediante apresentação de documentos que comprovem a deficiência do estudante.

Os seguintes documentos deverão ser apresentados para habilitação da matrícula dos novos alunos:

  • Certidão de Nascimento ou de Casamento (original e cópia);
  • Histórico Escolar ou ressalva (original);
  • comprovante de residência (cópia);
  • duas fotos 3×4 (idênticas e recentes);
  • Certificado (original e cópia) ou atestado de conclusão do Ensino Fundamental (original e cópia) para os alunos que cursarão o Ensino Médio; comprovante de trabalho para o aluno do período noturno.

Segundo a Seduc, cerca de 250 mil vagas são ofertadas para todo o Estado, em Parauapebas, as vagas são para o ensino médio e também para Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Pará

Vencedores do concurso de redação da mineração serão conhecidos na quarta-feira (08)

O Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral) e a Secretaria de Educação do Estado do Pará (Seduc) premiam na próxima quarta-feira, 08, os estudantes vencedores da 5ª edição do Concurso de Redação da Mineração. O evento acontece às 9h30, no Teatro da Estação Gasômetro.

Estudantes do ensino médio e fundamental, vencedores dos cinco primeiros lugares, receberão diversos prêmios, assim como os professores-orientadores dos estudantes e as escolas que conquistarem o primeiro lugar.

O concurso teve o objetivo de contribuir para ampliação do conhecimento dos alunos sobre a indústria da mineração, no Pará, e o aprimoramento da ação da escrita e da leitura. Com o tema “Conhecimento e Mineração: forças que transformam o mundo”, professores de todo o estado trabalharam em sala de aula, incentivando a pesquisa de materiais do setor mineral e a produção de textos sobre o segmento. Foram 1.033 inscrições, com 10 redações premiadas.

O presidente do Simineral, José Fernando Gomes Júnior, comemora o sucesso do concurso em todas as suas edições. Na primeira edição, cerca de mil estudantes foram inscritos e, no total de inscrições nas quatro edições anteriores (2012, 2013, 2014 e 2015), já são 12 mil estudantes participando de todo o Estado. “Isso nos orgulha e mostra que a mineração vem despertando o interesse nos estudantes. Esse, aliás, é o nosso propósito: dar oportunidade para que os nossos jovens conheçam mais sobre mineração, percebendo o quanto ela influencia no desenvolvimento econômico e social da região. Quem sabe não sairá daí futuros profissionais do setor mineral”, avalia o executivo.

A lista com os vencedores do concurso estará disponível no site da Seduc – http://www.seduc.pa.gov.br.

Educação

Seduc disponibiliza 7.620 vagas nas Escolas de Educação Tecnológica do Pará

As inscrições para os Processos Seletivos 2016 para ingresso nos cursos técnicos de Nível Médio (integrado a educação profissional, Proeja e Subsequente) iniciam nesta  segunda-feira (25), para escolas de Ensino Técnico do estado do Pará. As inscrições ocorrem pelo site da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o www.seduc.pa.gov.br, até o dia 10 de fevereiro.

As seleções visam o preenchimento de 3.780 vagas ofertadas em 95 cursos técnicos, na modalidade Ensino Médio Integrado e Educação Profissional (EMI); 920 vagas em 23 cursos para Educação Profissional de Jovens e Adultos (Proeja), e 2.920 em 73 cursos na modalidade Subsequente. A divulgação dos classificados será no portal da Seduc, no dia 12 de fevereiro.

De acordo com o edital, serão ofertadas vagas nas cidades de Belém, Marituba, Benevides, Cametá, Tailândia, Monte Alegre, Oriximiná, Santa Izabel do Pará, Vigia de Nazaré, Itaituba, Paragominas e Salvaterra. Entre as áreas disponíveis, destacam-se os cursos de Técnico em Edificações, Técnico em Eletrônica, Técnico em Eletrotécnica, Técnico em Informática, Técnico em Mecânica e Técnico em Segurança do Trabalho. As aulas estão previstas para iniciarem no dia 28 de março.

Educação

Seduc prepara técnicos para aplicar provas do Sistema Paraense de Avaliação Educacional – Sispae – a 1 milhão de alunos

Cerca de um milhão de estudantes das escolas públicas estaduais e municipais em Belém e no interior do Estado farão a prova do Sistema Paraense de Avaliação Educacional (Sispae), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Para aplicar o exame, o Sispae está capacitando técnicos de referência, um por município e um por unidade gestora estadual, das unidades Seduc na Escola (USE) e Regional de Educação (URE).

Segundo a diretora de Ensino Fundamental da Seduc, Marizete Martins, a secretaria está intensificando o processo de mobilização de pessoal e treinamento, que é de fundamental importância para o sucesso da avaliação. “Ao longo do ano, a Seduc vem desenvolvendo vários projetos para este momento de avaliação na proficiência de português e matemática dos nossos alunos para alcançarmos o objetivo principal do Pacto pela Educação, que é a elevação do Ideb em 30%”, destaca.

Farão a prova estudantes matriculados no 4º e 5º anos do ensino fundamental de nove anos, de 7ª e 8ª séries do ensino fundamental de oito anos, 1º, 2º e 3º anos do ensino médio, da 2ª e 4ª séries do ensino médio integrado, do Sistema de Organização Modular de Ensino (Some) e das Casas Familiares Rurais (ensinos fundamental e médio).

A capacitação é feita pela Seduc em parceria com a Universidade Estadual Paulista (Vunesp), instituição contratada para a elaboração dos itens, logística de aplicação, processamento de dados, elaboração de boletins e relatórios pedagógicos. A técnica em gestão da Vunesp Rosa Maria Coudini explica que este é um treinamento inicial para os técnicos de referência que implementam os trabalhos nas Unidades da Seduc e nos municípios. “Agora estes técnicos vão para seus locais de trabalho trabalhar com os supervisores, que são os profissionais que vão distribuir o material das provas para os aplicadores”, explica.

O Sispae avalia o desempenho de estudantes nas disciplinas de língua portuguesa e matemática, considerando fatores que incidem no processo ensino-aprendizagem. A avaliação é feita anualmente desde 2013, reunindo informações detalhadas sobre a proficiência dos alunos das escolas públicas do Estado e dos municípios, para fundamentar o planejamento de ações da Seduc e prefeituras municipais, além de auxiliar os estudantes na assimilação e reforço de conteúdos.

Os técnicos de referência serão responsáveis pelo treinamento de supervisores, na sede de cada um dos quatro polos, com carga mínima de oito horas. A relação dos polos de treinamento do Sispae e dos respectivos municípios está disponível no site da Seduc (www.seduc.pa.gov.br), no qual também pode ser consultado o manual de orientações. Mais informações pelo telefone (91) 3201-5035. (APN)

Vale

Pacto pela Educação reforça parcerias em Canaã dos Carajás-PA

Resize

A integração da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Prefeitura Municipal, a Fundação Vale e o Instituto Synergos sinaliza com novas  ações e investimentos estruturais no município de Canaã dos Carajás, na região Sudeste do Estado, como parte do Pacto pela Educação do Pará, conjunto de ações do Governo do Estado, prefeituras, instituições e empresas parceiras para elevar a educação no Estado em cinco anos. Uma dessas novas ações é a elaboração de um projeto de construção, em breve, de duas escolas estaduais públicas – uma de Ensino Médio e outra de educação profissional – no município, por meio da parceria entre esses quatro setores.

Esse projeto começou a ser formatado nesta quarta-feira (7), na sede da Seduc, onde a secretária de Estado de Educação, Ana Cláudia Hage, participou de reunião com o prefeito Jeová Andrade e dirigentes da Fundação Vale e do Instituto Synergos. Os gestores apresentaram ações concretizadas no setor educacional do município e também demandas, as quais tiveram seu atendimento já encaminhado pela Secretaria de Educação.

“A proposta do Pacto pela Educação do Pará é a de fazer a educação melhorar sempre. Por isso, buscamos parceiros como se verificou, por exemplo, na Escola Genenal Gurjão, em Belém, que acaba de ter uma programação de revitalização do ambiente escolar concluída com parceiros do Pacto. Somente com parcerias, a educação pode avançar”, afirmou a secretária Ana Cláudia Hage, ladeada pela diretora do Instituto Synergos, Wanda Engel, e pela secretária municipal de Educação, Jacqueline Moura.

O município de Canaã dos Carajás integra o grupo de 19 municípios-piloto do Pacto pela Educação. “Somos parceiros do Estado, estamos à disposição para trabalhar neste Pacto, não só em Canaã, mas no Estado todo”, observou o prefeito. Em Canaã dos Carajás funcionam 18 escolas municipais e duas estaduais. São quase 16 mil estudantes matriculados.

A educação pública em Canaã dos Carajás tem recebido ações como a formação de professores e outros profissionais de Educação; organização de líderes de turma; implantação do Dia da Família na Escola; reuniões com lideranças comunitárias visando ações no Pacto; adoção de novas metodologias de ensino; assessoramento pedagógico; reestruturação de refeitórios, inclusive, com adoção de sistema self-service para estudantes; informatização nas escolas; reconstrução e construção de unidades escolares e instalação do comitê gestor.

Educação

Com professores em greve, Seduc contrata temporários e inicia retomada de aulas na capital e no interior do Estado

“Essa volta está mais nos bairros da periferia do que no próprio centro de Belém, e aí nós já estamos encaminhando para onde não há retorno de professores os contratados para efetivarmos as nossas aulas”, explicou a secretária adjunta de ensino, Ana Cláudia Hage (foto).
FOTO: RAI PONTES / ARQUIVO ASCOM SEDUC
DATA: 27.04.2015
BELÉM - PARÁComeçou nesta segunda-feira, 27, a retomada de aulas na rede pública estadual de ensino. Por conta da greve dos professores, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), contratou professores temporários para que o ano letivo de 200 dias de atividades não seja comprometido. “Essa volta está mais nos bairros da periferia do que no próprio centro de Belém, e aí nós já estamos encaminhando para onde não há retorno de professores os contratados para efetivarmos as nossas aulas”, explicou a secretária adjunta de ensino, Ana Cláudia Hage (foto).

Junto com a contratação de professores temporários, a Seduc irá descontar as faltas dos profissionais que permanecerem em estado de greve. A reposição das aulas ocorrerá em sintonia com o calendário letivo de cada escola. “Temos escolas que paralisaram totalmente, escolas que paralisaram parcialmente e escolas que não paralisaram as atividades. Então vamos ter três modelos de calendário. Cada escola vai reunir o seu Conselho Escolar, que é a instância na escola que tem a representação de pais de alunos, de professores e servidores, para montar seu calendário e encaminhar para ser consolidado dentro da Secretaria, contanto que os dias parados, que já ultrapassam 20 dias, sejam todos cumpridos na íntegra dentro do calendário de cada escola”, completou.

A última proposta apresentada pelo governo do Estado ao sindicato dos professores contava com uma jornada de 220 horas, já concedendo suplementação de 70 horas a mais que na primeira negociação. Com isso, cada professor receberia por 284 horas mensais, já contando as horas-atividade, deixando o salário em início de carreira em R$ 5.525,54. Esse valor, no entanto, pode chegar a R$ 8.840,10, quando acrescido de vantagens pessoais. Isso representa entre 10 e 12 horas de trabalho por dia – limite, no entendimento da Seduc, que não compromete a qualidade do ensino em sala de aula.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação