Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Parauapebas perde para o Bragantino nos pênaltis pela final da Segundinha do Parazão 2017

Com o vice-campeonato, o PFC vai estrear na elite do Parazão diante do Paysandu Sport Club, o atual bicampeão, na capital Belém

Por Fábio Relvas

Bragantino e Parauapebas fizeram um grande jogo pela final da Segundinha do Parazão 2017. A decisão foi realizada na tarde desta quinta-feira (30/11), no estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança. No tempo normal, a partida terminou empatada em 2 a 2. O Tubarão do Caeté abriu o placar com Alan, em cobrança de falta, aos 27 minutos, com falha do goleiro Cleriston. O Gigante de Aço empatou também em cobrança de falta com Thiago Potiguar, um golaço, aos 43 minutos.

Na etapa final, o PFC foi para cima e virou a partida com o gol marcado pelo lateral-esquerdo Neilson, que disparou um chutaço da entrada da área, em um outro golaço, aos 20 minutos.

Empurrado pela torcida e aproveitando o fato de ter dois jogadores a mais em campo, o Bragantino chegou ao empate com Rafinha, em cobrança de pênalti, aos 36 minutos. Com o empate em 2 a 2 a decisão foi para os pênaltis, melhor para o Bragantino que venceu por 5 a 4 e conquistou pela terceira vez a Segundinha do Parazão. Com o vice-campeonato da Segundinha, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear na elite do futebol paraense em 2018 diante do bicampeão, o Paysandu Sport Club, na capital Belém.

A final: Bragantino 2 x 2 Parauapebas – Tubarão tricampeão nos pênaltis: 5 a 4

A torcida compareceu em massa no estádio Diogão para acompanhar a grande final da Segundinha do Parazão 2017. A partida começou com forte marcação, com muitas faltas sendo assinaladas para as duas equipes. A primeira tentativa real de gol saiu apenas aos 14 minutos
com o meia Flamel, que disparou um chute venenoso, a bola passou perto da meta do Bragantino.

Quem quase abriu o marcador foram os donos da casa. Keoma foi levando, entrou na área e disparou cruzado, a bola passou para fora, levantando a torcida do Tubarão. Mas momentos depois não teve jeito. Alan cobrou falta e o goleiro Cleriston acabou falhando no lance e tomou um frango, aos 27 minutos de jogo, 1 a 0 Bragantino. A torcida cantava nas arquibancadas: “Oh, o Tubarão voltou”.

O técnico Léo Goiano, que entrou apenas com um atacante, no caso o Monga, mudou de ideia, tirou o volante Matheus Moreno e colocou Danúbio, outro homem de frente. A mudança surtiu efeito e o PFC foi para cima. Thiago Potiguar cobrou uma falta com perfeição e marcou
um golaço, na gaveta do goleiro Marcelo Valverde, aos 43 minutos, 1 a 1, calando a torcida no estádio Diogão. O disputado e equilibrado primeiro tempo terminou no empate. A torcida do Bragantino pegou no pé da arbitragem na saída para os vestiários.

O técnico Artur Oliveira do Braga já voltou para a etapa derradeira com duas mudanças. Sacou os dois atacantes: Mauro Praia e Aslen Kevin e colocou Marcelo Maciel e João Leonardo, respectivamente. Ambos também atacantes. Quem chegou com perigo foi o PFC. Flamel acertou um chute de primeira e quase marcou um golaço, a bola passou assustando a meta de Marcelo Valverde. O time da casa deu o troco com Marcelo Maciel, que na velocidade ficou de frente e bateu cruzado, quase marcou o segundo do Tubarão do Caeté.

O vento forte em Bragança atrapalhou as equipes em determinadas jogadas em profundidade. O técnico Léo Goiano voltou a mexer no Pebas, tirando o atacante Monga e colocando EversonBilau no ataque. O jogo deu uma caída, a correria do primeiro tempo não se via mais no segundo tempo. Até que o lateral-esquerdo Neilson chegou na entrada da grande área e soltou o pé, aos 20 minutos, virando o jogo para o Gigante de Aço, 2 a 1.

O time do PFC de boa na partida começou a tocar a bola e fazer o adversário correr atrás dela. O Braga chegou, após cobrança de falta, Marcelo Maciel apareceu como um foguete, mas cabeceou para fora. Em uma rápida jogada, Thiago Potiguar deixou Danúbio na cara, mas o atacante perdeu um gol incrível. No lance seguinte, em um contra-ataque rápido do Bragantino, o zagueiro Cris cometeu pênalti e recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente o cartão vermelho.

O meia Rafinha chamou a responsabilidade e cobrou o pênalti com categoria deixando tudo igual no Diogão, para a explosão da massa do Tubarão, aos 36 minutos, 2 a 2. Após o gol, o meia Thiago Potiguar descontrolado foi expulso de campo e com isso o Gigante de Aço ficou com dois jogadores a menos, se complicando em campo. O árbitro Djonaltan Costa Araújo acrescentou mais quatro minutos. O zagueiro Romário do Bragantino cometeu falta forte em Everson Bilau e recebeu cartão vermelho. Final de jogo: Bragantino 2 x 2 Parauapebas.

A decisão da Segundinha do Parazão foi para os pênaltis.

O Bragantino iniciou a série dos cinco e fez com João Leonardo, Rafinha, Keoma e Marcelo Maciel, enquanto que Paulo de Tarcio chutou para fora. Pelo Parauapebas assinalaram Flamel, Neilson, Felipe Baiano e Bruno Leite, já Wanderlan parou na defesa do goleiro Marcelo Valverde.

Nos pênaltis alternados, Bruninho marcou para o Tubarão e Everson Bilau acertou na trave perdendo para o PFC.

Placar final: Bragantino 5 a 4 nos pênaltis. Bragantino conquistou o tricampeonato da Segundinha do Parazão.

FICHA TÉCNICA

BRAGANTINO: Marcelo Valverde; Diego Macapá, Romário, Rodrigo Reis e Gabriel Lima; Paulo de Tarcio, Rafinha, Keoma e Alan (Bruninho); Mauro Praia (Marcelo Maciel) e Aslen Kevin (João Leonardo). Técnico: Artur Oliveira.

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Matheus Moreno (Danúbio), Gilberto, Felipe Baiano, Flamel e Thiago Potiguar; Monga (Everson Bilau). Técnico: Léo Goiano

Árbitro: Djonaltan Costa Araújo (CBF/PA)

Assistentes: Hélcio Araújo Neves (CBF/PA) e Nayara Lucena Soares

Quarto-árbitro: Joquetam Moreira Guimarães

Quinto-árbitro: Mosenias Machado dos Santos Galvão

Cartões amarelos: Romário (Bragantino); Felipe Baiano, Neilson e Cris (Parauapebas)

Cartões vermelhos: Romário (Bragantino); Cris e Thiago Potiguar (Parauapebas)

Gols: Alan de falta, aos 27 minutos do 1º tempo para o Bragantino; Thiago Potiguar de falta, aos 43 minutos do 1º tempo para o Parauapebas; Neilson aos 20 minutos do 2º tempo para o Parauapebas; Rafinha de pênalti, aos 36 minutos do 2º tempo para o Bragantino

Local: Estádio Olímpico São Benedito, o Diogão, em Bragança.

Futebol

Isael da Silva, assistente de Parauapebas, está na escala da 4ª rodada da Segundinha do Paraense

O profissional escreveu seu nome na história da arbitragem parauapebense sendo o primeiro a ser escalado em mais de 100 anos de competição

Por Fábio Relvas

A Comissão de Arbitragem da Federação Paraense de Futebol (CA/FPF) realizou na tarde desta terça-feira (31/10), o sorteio de escala dos profissionais do apito para os jogos válidos pela 4ª rodada do Campeonato Paraense Seel da 2ª divisão, a Segundinha, tudo sob o comando de
Fernando Sérgio Castro dos Santos, atual presidente da CA/FPF. O encontro foi realizado na própria sede da Federação Paraense de Futebol, na capital Belém.

A cidade de Parauapebas conta com dois representantes, Jânio Balzac como árbitro principal e Isael da Silva como assistente, ambos foram aprovados no FIFA teste e prova teórica da FPF, e entraram no quadro de escalas dos jogos da Segundinha. A dupla atuou junto na partida da 1ª rodada entre Gavião Kykatejê e Paraense, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá. Balzac foi escalado como quarto-árbitro e Isael da Silva foi o assistente da partida que terminou no empate em 1 a 1.

Quem vai voltar a atuar nesta 4ª rodada da Segundinha, é o assistente Isael da Silva, que saiu na escala com os demais profissionais para trabalhar na partida entre Gavião Kykatejê e Santa Rosa, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá, marcada para às 16h, do próximo sábado (04/11). O árbitro principal será Djonaltan Costa Araújo, sendo auxiliado por Robson João dos Reis e Isael da Silva. O quarto-árbitro fica por conta de Antônio Eliude da Silva Costa.

Isael da Silva é natural de Parauapebas, tem 32 anos, 15 de profissão, e escreveu seu nome na história da arbitragem parauapebense, pois foi o primeiro da cidade a ser escalado no Campeonato Paraense, após mais de 100 anos de competição estadual, na ocasião trabalhou na Segundinha do Parazão 2016.“Queria dividir esta imensa alegria que estou passando. Obrigado a todos que acreditaram em mim, a todos que me incentivaram. Obrigado também a todos que disseram que eu não iria conseguir, pois só me deram mais força pra lutar e mostrar que todos são capazes de conseguir seus objetivos, basta querer”, afirmou Isael da Silva, em tom de desabafo.

A rodada segue com mais dois jogos no sábado. Izabelense e Desportiva se enfrentam, às 15h30, no estádio Edilson Abreu, o Abreuzão, em Santa Izabel do Pará. O apito é de Joel Alberto Teixeira Rezende, tendo como assistentes Bárbara Roberta Costa Loiola e Milton Rogério Gama de Souza. Na suplência como quarto-árbitro, Wallace Patrick Correa Pereira. Na partida entre Tapajós e Paraense, às 15h30, no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, quem apita é Melck Muller Soares de Almeida e será auxiliado por Luís Diego Nascimento Lopes e José Maria Pereira Barbosa Júnior, enquanto que Jackeline Ribeiro Portilho será a quarta-árbitra.

A bola volta a rolar no domingo (05/11) para o complemento da rodada. A partida entre Vênus e Tuna Luso está marcada para às 16h, no estádio Humberto Parente, em Abaetetuba. No apito Wasley do Couto Leão, que será auxiliado por Márcio Gleidson Correia Dias e Renato Gomes da Silva. O quarto-árbitro será Raymar Klemer Rezende Ferreira. Parauapebas e Carajás se enfrentam às 16h, no estádio José  Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas. O árbitro principal fica por conta de Olivaldo José Alves Moraes com as assistências de Ivaldo de Oliveira dos Santos e Antônio Alves Teixeira Filho, tendo ainda Elerson Fernandes da Silva como quarto-árbitro.

Futebol

Tiradentes vence a Desportiva no Mamazão pela Chave A2 da Segundinha do Parazão

O gol único foi assinalado pelo atacante Giovanni e deixou o Tigre com chance de classificação

Por Fábio Relvas

A bola rolou pela terceira rodada da Segundinha do Parazão na manhã deste domingo (29/10), no estádio Luiz Omar Pinheiro, o Mamazão, em Outeiro. Desportiva Paraense e Tiradentes se enfrentaram pela Chave A2 da competição. As duas equipes precisavam pontuar para seguir com chance de classificação para a segunda fase. Até os dez minutos da primeira etapa, o jogo seguiu equilibrado com os dois times tentando inaugurar o marcador.

Quem conseguiu abrir o placar foi o Tigre. Depois do lançamento em profundidade, o atacante Giovanni entrou sozinho e fuzilou para o fundo da meta do goleiro Paulo Henrique da equipe de Marituba, 1 a 0 Tiradentes, aos 25 minutos do primeiro tempo. O gol fez com que a Desportiva saísse mais para tentar chegar ao empate no jogo, mas não conseguiu seu objetivo, pelo grande primeiro tempo que fez o Tiradentes.

Na segunda etapa, o Tiradentes seguiu bem no jogo, com destaque para o meia-atacante Marcos Júnior, que estava impossível com a camisa do Tigre. Fazendo grandes jogadas individuais e dando passes precisos para seus companheiros. A Desportiva realizou algumas mudanças no intervalo para tentar equilibrar a partida. O time de Marituba cresceu no jogo, mas não conseguiu furar o bloqueio adversário. Quem levava mais perigo era o Tiradentes em jogadas rápidas e em contra-ataques, mas ninguém marcou e o jogo terminou em 1 a 0 para o Tigre.

Com a vitória, o Tiradentes somou seus três primeiros pontos na Segundinha do Parazão e está na quarta colocação na Chave A2 da competição estadual, tendo apenas um jogo para realizar, mas com chance de classificação. Já a Desportiva segue sem pontuar, perdendo as duas partidas em que realizou. O time de Marituba tem dois jogos para fazer na primeira fase para tentar reagir na competição.

O Parauapebas segue como líder da Chave A2 com sete pontos, seguido pelo Izabelense em segundo lugar somando quatro pontos, o Carajás aparece em terceiro com três pontos, assim como o Tiradentes em quarto com os mesmos três pontos e na lanterna da chave a Desportiva com zero ponto em quinto lugar. Os dois primeiros de cada grupo e mais os dois melhores terceiros avançam para a segunda fase da Segundinha.

Resultados da Segundinha

Chave A1
Bragantino 1 x 1 Sport Belém

Chave A2
Desportiva 0 x 1 Tiradentes

Chave A3
Santa Rosa 1 x 2 Vila Rica

Futebol

Parauapebas vence o Tiradentes no Mangueirão e dispara na liderança da Chave A2 da Segundinha

Com gols de Gilberto e Aleílson, o PFC não teve dificuldades e venceu mais uma partida na competição estadual

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube chegou a sua segunda vitória em dois jogos pela Segundinha do Parazão. O Gigante de Aço derrotou o Tiradentes, por 2 a 0, na tarde deste sábado (21/10), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. Os gols foram assinalados pelo volante Gilberto, aos 36 minutos do 1º tempo e pelo atacante Aleílson, aos 19 minutos do 2º tempo. Com triunfo, o PFC disparou na liderança da Chave A2 da competição com seis pontos e 100% de aproveitamento.

O próximo jogo do time do Parauapebas será contra o Izabelense nesta terça-feira (24/10), às 15h30, no estádio Edilson Abreu, em Santa Izabel .

A partida: Tiradentes 0 x 2 Parauapebas

Apesar de jogar longe de casa, o Parauapebas Futebol Clube (PFC), não sentiu pressão de torcida, já que o público da partida foi muito pequeno no estádio. Além disso, o gramado do Mangueirão ofereceu grandes condições de jogo. A partida começou com o Tiradentes tentando tomar a iniciativa pelo fato de ter perdido na estreia e a necessidade de pontuar. O PFC esperava mais para poder surpreender o adversário em saídas rápidas. O Gigante de Aço perdeu duas chances, com os dois atacantes Monga, que acertou a trave e Aleílson, após duas jogadas trabalhadas. Depois dos lances, as equipes esbarravam nas defesas adversárias. Até que veio uma cobrança de escanteio, o atacante Monga desviou no primeiro pau e o volante Gilberto completou de cabeça para o fundo do gol de Thiago Henrique, aos 36 minutos da primeira etapa, 1 a 0 PFC.

O segundo tempo começou com chegadas mais fortes entre os adversários. O volante Francesco do PFC, que já tinha cartão amarelo, acabou cometendo mais uma falta e levou o segundo cartão e consequentemente o vermelho, sendo expulso logo aos cinco minutos pelo árbitro Andrey da Silva e Silva. Com isso, o técnico Everton Goiano foi obrigado a mudar o time, substituindo o atacante Monga pelo volante Everton Luiz.

Apesar de um jogador a menos, o Parauapebas era muito melhor em campo. O atacante Aleílson recebeu, avançou, invadiu a área e mandou um chutaço, marcando um golaço no Mangueirão, aos 19 minutos do segundo tempo, 2 a 0 PFC. O time do Tigre tentava chegar, mas sem muita força no ataque. O comandante Everton Goiano do Gigante de Aço, colocou em campo o atacante Everson Bilau no posto do meia Thiago Potiguar.

O PFC começou a tocar a bola e fazer o time adversário correr atrás dela. O árbitro Andrey da Silva e Silva acrescentou mais três minutos, e restou ao Gigante de Aço gastar o tempo e esperar o apito final, que aconteceu aos 48 minutos com mais uma boa vitória do PFC. Placar final: Tiradentes 0 x 2 Parauapebas. A vitória deixou o time parauapebense na liderança isolada da Chave A2 com seis pontos.

FICHA TÉCNICA

TIRADENTES: Thiago Henrique; Erison, Augusto, Ronaldo e Lucas; Rodrigo, Remvson, Edvando e Alan; Giovanni e Joni. Técnico: João Paulo Santos

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson, Cris, Wanderlan e Neilson; Francesco, Gilberto, Felipe Baiano e Thiago Potiguar (Everson Bilau); Monga (Everton Luiz) e Aleílson. Técnico: Everton
Goiano

Árbitro: Andrey da Silva e Silva

Assistentes: Luís Diego Nascimento Lopes e Jhonathan Leone Lopes

Quarto árbitro: Fábio Ferreira Amaral

Cartão amarelo: Francesco (Parauapebas)

Cartão vermelho: Francesco (Parauapebas)

Gols: Gilberto aos 36 minutos do 1º tempo e Everton Luiz aos 19 minutos do 2º tempo para o Parauapebas

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Resultados da Segundinha

Chave A1
Bragantino 4 x 1 Vênus

Chave A2
Tiradentes 0 x 2 Parauapebas
Carajás 0 x 2 Izabelense

Chave A3
Vila Rica 0 x 0 Gavião Kyikatejê

Futebol

FPF reuniu com os representantes dos clubes da Chave A1 da Segundinha do Parazão

O encontro ocorreu devido a desistência do time do Pedreira Esporte Clube da Ilha de Mosqueiro
Por Fábio Relvas

A Federação Paraense de Futebol (FPF), reuniu na tarde desta segunda-feira (16/10), com os representantes dos clubes que estão na Chave A1 da Segundinha do Parazão. O encontro ocorreu devido a desistência do time do Pedreira Esporte Clube da Ilha de Mosqueiro. A FPF fez acordo com os outros quatro clubes: Bragantino, Sport Belém, Tuna Luso e Vênus, em relação à tabela de jogos.

Participaram da reunião Aldecio Magalhães Torres, presidente da Federação Paraense de Futebol, Maurício Barata Figueiredo, vice-presidente da FPF e Paulo Cesar da Rocha Romano, diretor de competições da entidade. Ao lado da cúpula da casa do futebol, estavam presentes João Rodrigues (presidente da Tuna Luso), Antônio Gomes (presidente do Sport Belém) Cláudio Soares Cruz (presidente do Bragantino) e José Ricardo Simões (presidente do Vênus), além de outros representantes.

O encontro ocorreu devido a desistência do time do Pedreira Esporte Clube da Ilha de Mosqueiro. O clube não conseguiu pagar a taxa de R$ 12.500,00 para a FPF e teve que ficar de fora da disputa em cima da hora, além de não ter condições financeiras de pagar salários para os jogadores. Segundo informações de representantes do Gigante da Ilha, o time havia prometido o valor de R$ 200 para cada jogador em partidas realizadas pela Segundinha.

“O Pedreira está afastado há vários anos de competições oficiais e com esse afastamento ele deixou de recolher algumas taxas que são anuais, como a taxa de licenciamento da Federação Paraense de Futebol e CBF. Além disso, ele ficou com seu CNPJ inativo e com isso ficamos aguardando para que fosse regularizado. Mandamos o processo de adiantamento para a CBF e para nossa  surpresa, quando foi na semana passada, esse CNPJ voltou de algum problema de ordem contábil e fomos comunicados que eles precisariam de mais de 10 a 15 dias para que fosse regularizado e com isso a gente não tem esse tempo hábil para esperar”, explicou Paulo Romano, diretor de competições da FPF.

O que ficou acertado com as equipes da Chave A1 da competição, é que com a exclusão do Pedreira Esporte Clube, todos os times que enfrentariam o Gigante da Ilha na Segundinha do Parazão, serão considerados vencedores da partida, sendo uma espécie de W.O, com 3 a 0 no placar e três pontos na classificação do campeonato estadual. Todos os representantes foram unânimes em concordar com a situação e de manter a tabela, fazendo apenas alguns ajustes, invertendo a quarta com a quinta rodada.

“Quem jogaria com Pedreira vai ser homologado o placar do jogo em 3 a 0. Válido ressaltar que esse placar no critério de desempate dentro da chave, ele não conta, só mesmo para que tenhamos como seguir na tabela de jogos e temos que homologar os resultados de quem jogaria contra o Pedreira”, finalizou Paulo Romano.

Futebol

Parauapebas goleia a Desportiva no Rosenão na estreia da Segundinha do Parazão

O PFC venceu o time de Marituba, por 3 a 0, e lidera a Chave A2 com três pontos

Por Fábio Relvas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) estreou na Segundinha do Parazão na tarde deste domingo (15/10), no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O PFC não decepcionou a sua torcida e em casa se impôs na partida e derrotou a Desportiva Paraense da cidade de Marituba por 3 a 0. Os gols do Gigante de Aço foram assinalados por Felipe Baiano duas vezes e Aleílson.

O PFC somou os três primeiros pontos na Chave A2 da competição e já lidera devido ao saldo de gol. O PFC volta a campo contra o Tiradentes no próximo sábado (21/10), às 15h30, provavelmente no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

O jogo: 3 a 0 PFC

A partida começou com os times na correria em busca do gol. O Parauapebas tinha mais posse de bola, enquanto que a Desportiva esperava para surpreender em contra-ataque. O PFC chegou primeiro, quando Thiago Potiguar cobrou falta da direita e o atacante Monga cabeceou firme para marcar, a zaga afastou em cima da linha. O time de Marituba quase abriu o marcador em uma jogada rápida, Ivan driblou e tocou para Ronaldo, que acertou a trave e na volta, a bola sobrou e espirrou na zaga voltando para o atacante da Desportiva, que disparou para a defesa de Cleriston.

Quando chegou novamente, o Gigante de Aço teve a chance de marcar. O árbitro Raimundo Gilson Gonçalves de Brito assinalou pênalti, após a bola tocar na mão do zagueiro da Desportiva dentro da área. Monga cobrou forte rasteiro, mas o goleiro Alan defendeu bem e salvou a equipe de Marituba. No lance seguinte não teve jeito. Thiago Potiguar cobrou falta da direita na cabeça de Felipe Baiano, que testou forte para o fundo do gol, festa no Rosenão, 1 a 0 PFC.

A torcida começou a apoiar e o Parauapebas foi no embalo dentro de campo. Em uma boa jogada trabalhada envolvendo toques pelo meio, a bola chegou até o lateral-direito Wanderson, que levantou na medida para o atacante Aleílson, que subiu sozinho no meio da zaga e de cabeça mandou para o fundo do gol adversário para explodir de vez o estádio Rosenão de alegria, 2 a 0, Gigante de Aço.

No segundo tempo, a dinâmica do jogo seguiu como na primeira etapa, com o PFC atacando e a Desportiva se defendendo, mas saindo um pouco mais para o campo de ataque. O Gigante de Aço chegou com Aleílson, que recebeu lançamento, tirou da marcação e bateu em cima do goleiro Alan. Em mais uma grande jogada do time da casa, Thiago Potiguar ganhou na velocidade e cruzou da direita, o goleiro Alan afastou o perigo e na sobra Felipe Baiano acertou um chutaço de primeira marcando um golaço no jogo, 3 a 0 Parauapebas.

Depois do terceiro gol, o PFC começou a tocar a bola e fazer o tempo passar devido a boa vantagem no placar. Quando chegou foi novamente com perigo. Danúbio recebeu livre no meio e mandou um chute forte parando na defesa do goleiro Alan. Os visitantes tentaram diminuir com Andrey, que pegou uma sobra de bola e mandou um chute perigoso passando perto da meta de Cleriston. Na segunda tentativa, Ronaldo mandou um chutaço e a bola caprichosamente explodiu na trave do PFC. Placar final: Parauapebas 3 x 0 Desportiva. “Dentro da proporção e na condição que nos deram, eu acredito que foi bom. É lógico que a equipe deles trabalha junto tem três meses e com um padrão de jogo melhor. Foi bom pelo resultado e vamos ver mais os defeitos que a equipe apresentou para a gente procurar corrigir e para buscar esses pontos agora fora de casa, porque é bom começar ganhando e a gente tem que esquecer isso e trabalhar agora para o jogo de sábado (contra o Tiradentes)”, afirmou Everton Goiano, técnico do Parauapebas.

A Desportiva teve dificuldades para a partida contra o PFC em termo de escalação. A equipe de Marituba atuou com um time mesclado devido à participação em dois campeonatos simultâneos: o Campeonato Paraense sub-20 e a Segundinha do Parazão. Ao mesmo tempo que estava atuando contra o Parauapebas no Rosenão pela a competição estadual, a outra equipe atuou contra o Clube do Remo, valendo pelas quartas de final do sub-20 e acabou perdendo para o Leão Azul, por 3 a 2, em Belém.

“No início tivemos uma jogada que poderíamos ter finalizado e ter feito o gol e depois uma bola na trave, que também poderíamos ter feito o gol, aí o time deles com uma boa qualidade técnica, o individual muito forte foi lá e decidiu em dois lances no primeiro tempo. No segundo tempo 2 a 0 fica um placar praticamente para eles mais confortável, mais tranquilo e em uma bola, em um contra-ataque, eles fizeram um gol também quando a gente tinha que sair um pouco mais. Tivemos que distribuir o time no sub-20 e aqui, e ainda com os jogadores que não caíram no BID. Então para o próximo jogo a tendência que estejamos com um individual forte também”, analisou Walter Lima, técnico da Desportiva.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson, Cris, Wanderlan e Neílson; Francesco (Danúbio), Gilberto (Everton Luís), Felipe Baiano e Thiago Potiguar; Monga (Tozim) e Aleílson. Técnico: Everton Goiano

DESPORTIVA: Alan, Andrey, Douglas, Renan e Felipe; Guilherme, Ivan (Leandro), Juninho e Samuel; Ronaldo e Matheus (Bruno). Técnico: Walter Lima

Árbitro: Raimundo Gilson Gonçalves de Brito
Assistentes: Emanuel Ferreira do Amaral Júnior e Antônio Alves Teixeira Filho
Quarto árbitro: André Michel Petri Galina
Cartões amarelos: Neílson, Francesco, Everton Luís e Aleílson (Parauapebas); Matheus (Desportiva)
Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Resultados da Segundinha

Chave A2
Carajás 1 x 0 Tiradentes
Parauapebas 3 x 0 Desportiva

Chave A3
Gavião Kyikatejê 1 x 1 Paraense

Com a desistência do Pedreira de Mosqueiro, todos os jogos da Chave A1 foram adiados

Futebol

Desportiva Paraense vai mesclar juventude e experiência para surpreender na Segundinha

Walter Lima comanda a equipe de Marituba, que estreia contra o Parauapebas na segundinha, e vai em busca do acesso inédito para a elite do Parazão

Por Fábio Relvas

A Sociedade Desportiva Paraense (SDP) é um clube de empresários da cidade de Marituba e neste ano de 2017, vai para a sua terceira participação no Campeonato Paraense da segunda divisão e  está na Chave A2 ao lado de Parauapebas, Carajás, Tiradentes e Izabelense. Há três meses a equipe iniciou os trabalhos visando duas competições que coincidiram ao mesmo tempo: o sub-20 e a Segundinha.

Como o ideal do clube é garimpar novos talentos, a prioridade está sendo o Campeonato Paraense sub-20, já visando à participação na Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2018, vaga conquista após o vice-campeonato deste ano pelo sub-17, quando perdeu o título estadual da categoria para o Clube do Remo. O técnico da equipe é o experiente Walter Lima, que aposta na garotada e também em alguns jogadores mais experientes que vieram da equipe do São Francisco de Santarém, como o lateral-direito Andrei Lopes, o lateral-esquerdo Andrelino e os meias Juninho e Samuel. Esses atletas foram vice-campeões do Parazão em 2016.

“A Desportiva tem um plantel grande em se tratando das categorias sub-17 e sub-20, então são muitos jogadores e dentro desse quadro de jogadores é que nós dividimos as categorias. Hoje é da Segundinha e do sub-20. A minha ideia é que pudesse conciliar em função do calendário e que não coincidissem os jogos, mas infelizmente vai coincidir. Como a Segundinha é prioridade para dá uma base para a Copa São Paulo, agora são duas equipes para poder alternar e colocar os garotos para jogar e esse é o objetivo maior. Temos que ter sabedoria para conciliar e confiar nos atletas que irão”, afirmou Walter Lima.

O treinador não destaca jogadores dentro do grupo e sim o elenco como todo. A ideia na Segundinha é mesclar a experiência com a juventude da maioria dos atletas que estão a sua disposição para atuar na competição estadual. A melhor campanha da Desportiva na segunda divisão foi em 2015, quando chegou até a semifinal e foi eliminada pelo Águia de Marabá em jogo dramático no estádio Zinho Oliveira. Walter Lima vem acompanhando como pode o PFC, seu primeiro adversário na competição deste ano.

“Eu tenho acompanhando relativamente o time do Parauapebas. Hoje as informações elas viajam em uma velocidade muito rápida e te proporciona a ganhar o conhecimento e se embasar de conteúdo sobre alguma equipe. Tenho acompanhado assim, dessa maneira, nessas circunstâncias. Vejo a nível de escalação a equipe e os jogadores que estão no PFC. São jogadores que já estão acostumados a jogar, são qualificados, é uma boa equipe”, declarou Waltinho.

As principais informações que chegaram ao treinador sobre o Parauapebas Futebol Clube foi em relação aos jogos amistosos realizados pelo Gigante de Aço: um contra a Seleção de Canaã dos Carajás, no estádio Benezão, onde o placar terminou em 2 a 2 e outra partida diante do Gavião Kyikatejê, no estádio Rosenão, também com resultado de empate, desta vez em 0 a 0.
Waltinho sabe bem da qualidade do elenco adversário e aponta o PFC como um dos favorito para o acesso.

“No plano individual eu vejo assim as equipes mais fortes: Parauapebas, Tapajós, Bragantino e Tuna. São a equipes que procuraram pegar a nata dos jogadores que jogam no futebol paraense. Parauapebas até se reforçou com jogadores a mais que vieram de fora. Uma equipe que tem Thiago Potiguar, Flamel, Monga, Aleílson, Bilau e Wanderlan na defesa, é uma equipe super forte. Era uma equipe para disputar a primeira fase do Campeonato Paraense, não seria nem Segundinha. É uma equipe que dá ideia que está credenciada para subir para o Parazão em sua fase de elite. Seria um atropelo se não viesse essa classificação. É uma equipe muito qualificada, vejo assim dessa maneira”, finalizou o técnico.

O time da Desportiva venceu o Cruzeiro, por 4 a 2, no Centro de Treinamento (CT) de Marituba, nesta quinta-feira (12/10), valendo pelas oitavas de final do Campeonato Paraense sub-20. Com isso, a equipe vai enfrentar o Clube do Remo, nas quartas de final da competição, no domingo, dia do jogo contra o PFC pela Segundinha. Sendo assim, Walter Lima vai ter um quebra-cabeça para montar os dois times em ambas competições.

A Desportiva Paraense chega no próximo sábado na capital do minério para a estreia na Segundinha na luta pelo acesso inédito a elite do Parazão. A partida contra o Parauapebas Futebol Clube está marcada para domingo (15/10), às 16h, no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão.

Futebol

Parauapebas Futebol Clube empata sem gols contra o Gavião Kyikatejê em mais um amistoso visando a Segundinha

O PFC não conseguiu vencer em mais um jogo amistoso e agora encara a Desportiva Paraense valendo pela segunda divisão

Por Fábio Relvas –  de Parauapebas

O Parauapebas Futebol Clube (PFC) voltou a campo neste sábado (07/10) para mais uma partida amistosa. Desta vez, o adversário foi o Gavião Kyikatejê no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O Gigante de Aço não saiu de um simples empate sem gols contra o time indígena no segundo teste visando à disputa do Campeonato Paraense da segunda divisão..

A torcida compareceu em um bom número para apoiar o time, que acabou não correspondendo às expectativas dentro de campo. No primeiro tempo, o PFC trocou bons passes, mas pouco levava perigo à meta do goleiro Robson do Gavião. As melhores jogadas saíram nos chutes de fora da área, desferidos pelo volante Matheus Moreno, que por duas vezes mandou dois balaços, um por cima e outro parando no goleiro adversário que espalmou para escanteio.

O lance mais perigoso da primeira etapa foi dos visitantes. O zagueiro Cristiano Conceição do PFC derrubou o atacante Lucão dentro da área e o árbitro José Augusto não titubeou e assinalou pênalti para o Gavião Kyikatejê. Na cobrança, o meio-campo Tafarel chamou a responsabilidade e cobrou, o goleiro Cleriston defendeu e a bola bateu na trave e na sobra o mesmo Tafarel cabeceou para outra grande defesa do arqueiro do Gigante de Aço, que recebeu os aplausos da torcida, salvando o time.

No segundo tempo, os técnicos Everton Goiano e Samuel Cândido, trocaram praticamente todos os titulares pelos reservas, o que praticamente não alterou muita coisa na partida. As duas equipes pouco chegaram às metas adversárias. Quando chegou, o PFC levou perigo com tentativas de Everson Bilau, Monga, Silvio, Danúbio e Flamel, mas todos não conseguiram acertar o alvo. Em relação ao Gavião, pouco deu trabalho ao goleiro Matheus que entrou na etapa derradeira e nem sujou o uniforme.

No final da partida, com o empate sem gols, a torcida do Parauapebas Futebol Clube vaiou e ao mesmo tempo aplaudiu a saída dos jogadores de campo. Esse foi mais um jogo amistoso do gigante de Aço sem vitória. No primeiro teste na semana passada, o time ficou no empate em 2 a 2 diante da Seleção de Canaã dos Carajás fora de casa. O técnico Everton Goiano aprovou o desempenho da equipe.

“Eu acredito que foi excelente. Estamos dando ênfase maior no aspecto físico e a partir de terça-feira, vamos diminuir essa carga e vamos começar a trabalhar mais o aspecto técnico. Amistoso é isso. É logico que entramos para ganhar e tivemos algumas oportunidades, eles também tiveram, mas o que a gente tira do amistoso, mesmo que tivesse ganhado de 5 a 0, não adianta ver as qualidades, tem que ver os defeitos aonde foi que cometeram os maiores erros para poder corrigi-los. Fizemos seis modificações, a equipe ficou um pouco mais agressiva, agrediu um pouco mais no segundo tempo. É logico que perdeu o meio-campo porque a gente estava com três enfiados. Vamos fazendo essas observações para buscar uma nova formação para o jogo de domingo”, afirmou Everton Goiano.

Um imprevisto aconteceu com o time do Gavião Kyikatejê. É que na viagem até Parauapebas, o ônibus que trouxe a delegação acabou quebrando na estrada, atrasando mais a chegada da equipe para o amistoso. Sendo assim, o time visitante chegou, almoçou e foi direto para o estádio Rosenão. Apesar do ocorrido, o técnico Samuel Cândido gostou do que viu de seu time, que também se prepara para a Segundinha do Parazão.

“Foi bastante proveitoso. Tivemos alguns contratempos na nossa vinda pra cá com os jogadores almoçando duas horas da tarde e vindo para o estádio três e quinze, mas o importante que conseguiram suportar o início da partida e a pressão do Parauapebas e conseguimos equilibrar o jogo que ficou bem disputado. Fazer jogos contra equipes profissionais é outra coisa do que ficar fazendo com amador. O amador é sempre o jogo da vida deles e o profissional não, sempre procuram trabalhar dentro de uma organização. Nós ficamos satisfeitos com empenho dos nossos aletas para esta partida, mas precisamos melhorar muito nessa semana que temos de trabalho antes da nossa partida de estreia diante do Paraense para que possamos estrear com vitória”, disse Samuel Cândido.

O Parauapebas Futebol Clube tem estreia marcada na Segundinha para o próximo domingo (15/10), contra a Desportiva Paraense, time da cidade de Marituba, às 16h, no estádio Rosenão.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Cleriston (Matheus); Bruno Leite, Cris (Silvio), Wanderlan e Lucas Pará (Wanderson); Francesco (Gilberto), Matheus Moreno (Danúbio), Felipe Baiano e Thiago Potiguar (Flamel); Tozim (Monga) e Aleílson (Everson Bilau). Técnico Everton Goiano

GAVIÃO KYIKATEJÊ: Robson (Wirias); Serafim (Oscar), Max Melo, Ramon Baiano e Tiago Fonseca (Dawti); Alisson (Kryityi), Wallace, Tafarel (Felipinho) e Kariri (Mikini); Cristiano Tiririca (Vinícius) e Lucão (Enrico). Técnico: Samuel Cândido

Árbitro: José Augusto

Assistentes: Tânia Lopes e Antônio Pires

Quarto árbitro: Isael da Silva

Cartões amarelos: Francesco e Tozim (Parauapebas); Serafim e Lucão (Gavião Kyikatejê)

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

error: Conteúdo protegido contra cópia!