Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Merenda Escolar

Justiça vê erro em licitação da Semed e suspende o fornecimento de polpas de frutas à prefeitura de Parauapebas

Em nota, a Prefeitura de Parauapebas informou que está trabalhando para que a comunidade escolar não seja prejudicada.

A merenda escolar que é servida aos alunos da rede pública municipal passa por um melindre da justiça, já que o juiz de direito Manoel Carlos de Jesus Maria, da 3ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Parauapebas, por meio de uma liminar, suspendeu o recebimento e pagamento pelo fornecimento das polpas de frutas à Semed – Secretaria Municipal de Educação -, em Mandado de Segurança impetrado pela Cooperativa dos Produtores Rurais da Região de Carajás contra ato do chefe do Poder Executivo do Município de Parauapebas e do Secretário de Educação, bem como o Presidente da Comissão de Licitação do Município.

É que, segundo o magistrado, em análise aos autos, verificou-se que a Associação de Desenvolvimento Agrícola e Ambiental, vencedora da Chamada Pública, não apresentou a autorização legal para a fabricação de polpas, o que supostamente a impede de comercializar o produto. Em parte da decisão o magistrado afirma que “a regularidade formal e consequentemente a qualidade do produto poderá, por um lado, afetar os cofres públicos e a saúde nos nossos estudantes”

Na decisão, o magistrado autoriza o prosseguimento do contrato no que se refere aos outros produtos diversos (abóbora; abobrinha brasileira; alface lisa; banana prata; batata doce; cheiro verde; couve manteiga; mandioca; melancia; maxixe verde; pepino; pimenta de cheiro; pimentão verde; quiabo verde; vinagreira e mamão papaia) que estão dentro as atividades econômicas previstas no objeto social da Associação vencedora.

Em nota encaminhada ao Blog, a Assessoria de Imprensa de Parauapebas informou que “em relação à suspensão do contrato referente ao fornecimento de polpas e hortifrúti para merenda escolar, a Prefeitura Municipal de Parauapebas deverá se manifestar oficialmente após o prazo estabelecido pela justiça, o que deve ocorrer na segunda quinzena deste mês. Vale ressaltar que, a Prefeitura está trabalhando para que a comunidade escolar não seja prejudicada”.

Ainda segundo a liminar, o descumprimento da decisão acarretará em uma multa diária de R$ 1.000,00 (hum mil reais) às autoridades coatoras (PMP, Semed e Comissão de Licitação), sem prejuízo do bloqueio de contas.

Legislativo

Marabá: vereadora Irismar Melo lança suspeita sobre os processos seletivos da Prefeitura de Marabá

Administração Municipal se defende, diz que não se podem levantar dúvidas sem o amparo legal e cita itens do edital. Líder do governo silencia.

Por Eleutério Gomes – De Marabá

Na sessão desta terça-feira (28), da Câmara Municipal de Marabá, a vereadora Irismar Nascimento Melo (PR) questionou o Executivo Municipal a respeito dos processos seletivos que a prefeitura vem realizando, em várias secretarias, para a contratação de servidores em regime temporário.

Ela lembrou que um grupo de motoristas que dirigiram ônibus escolares da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em outros governos procurou o Ministério Público Estadual para denunciar que, embora acumulassem experiência de muitos anos nesse tipo de condução, foram preteridos, apesar de terem sido inscritos no processo seletivo.

Depois, se referiu à Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp), lembrando que determinada servidora, mesmo tendo dirigido um dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) por vários anos, não foi recontratada, apesar de sua larga experiência. “São muitos os questionamentos”, afirmou Irismar.

Em aparte, o vereador Marcelo Alves dos Santos (PT) disse que havia recebido informações de que na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) “muita gente” já havia sido contratada sem ter passado por qualquer processo seletivo.

Irismar voltou à carga e disse que não se tratava somente de suspeita. “Isso é verdadeiro, posso provar”, afirmou, questionando sobre o assunto o líder do governo, vereador Antônio Márcio Gonçalves (PSDB) – o Márcio do São Félix, que se manteve calado.

O vereador Tiago Batista Koch, líder do PMDB, também se referiu ao assunto, citando como exemplo os processes seletivos do Governo do Estado, nos quais, quem já tem experiência na função desejada, entra com pontuação de vantagem.

Outro lado

Procurada pelo blog, a Prefeitura de Marabá, por meio de sua Ascom (Assessoria de Comunicação) enviou nota na qual diz que os processos seletivos de todas as secretarias seguem as normas a que foram submetidas e estão abertos ao público para quaisquer esclarecimentos. “Colocar em dúvida o processo sem amparo legal não se justifica, porque no próprio edital existe prazo de recursos e contestação que o próprio candidato tem o direito de fazer”, afirma a nota.

Vale lembrar – segue o comunicado – que processo da Semed contou com mais de 11 mil candidatos, o processo seletivo da SDU com mais de 1.900 candidatos e o da Seasp com mais de 3 mil candidatos, “todos com ciência completa do edital por parte do candidato e com pouquíssimos recursos impetrados e devidamente analisados”.

“Quanto à qualificação de cada candidato, a comissão analisou caso a caso, não constando nenhum tipo de anormalidade. Quem foi contratado tem aptidão para o cargo. Quanto ao questionamento da SMS, a assessoria informa que todos os dados sobre contratação emergencial estão à disposição dos vereadores e principalmente da população na secretaria para os devidos esclarecimentos”, finaliza.

Marabá

Marabá tem o triplo de escolas de Parauapebas

Com o triplo de escolas de Parauapebas, Marabá quer aglutinar para frear despesas.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Na ponta da caneta, nos últimos meses a Semed (Secretaria de Educação de Marabá) tinha um déficit na Folha no valor de R$ 4 milhões, isso utilizando todo o recurso do Fundeb e mais os 25% de contrapartida da arrecadação própria do município.

Enquanto Parauapebas – que tem quase a mesma população de Marabá – mantém 68 escolas funcionando, a centenária do sudeste do Pará acumula um total de 210 estabelecimentos de ensino, o que aumenta sobremaneira as despesas com manutenção e pagamento de professores. Embora tenha mais que o triplo de escolas da Prima Rica, Marabá não recebe o mesmo volume de recursos para fazer frente às despesas da educação.

E uma das saídas para esse dilema, segundo o secretário adjunto de Educação, Orlando Moraes, será diminuir o número de escolas (hoje são 210), principalmente na zona rural, onde estão instalados 110 prédios, vários deles abrigando entre 8 a 15 alunos.

O ano letivo na rede municipal de ensino só deve iniciar no dia 13 de fevereiro, mas até lá a nova gestão da Semed tem de fazer contas, analisar os problemas envolvidos no fechamento de cada escola. Orlando Moraes afirma que as medidas que forem adotadas para fazer os ajustes necessários só serão tomadas após o diálogo com a comunidade diretamente interessada, como pais e educadores.

O caso da escola José Mendonça Vergolino representa uma nova realidade na rede municipal. Sobram vagas em algumas turmas porque muitos pais ficaram preocupados com a possibilidade de os filhos perderem o ano letivo em 2016 por causa das greves dos educadores e transferiram os rebentos para escolas particulares. “Soube de casos assim em duas ou três escolas, pelo menos, mas não é regra geral”, avalia Moraes.

Segundo o secretário adjunto, relatos de diretores nos primeiros dias de janeiro revelam um outro fator, que segundo ele também é preocupante. Vários pais tiraram os filhos das escolas públicas locais por causa da greve e acabaram matriculando em outros municípios. Agora, estão voltando e essas crianças não devem fazer parte do censo escolar atual, que é feito com base na matrícula do ano passado.

Acompanhado das diretoras de ensino Urbano, Cristina do Socorro Arcanjo da Silva, e do Campo, Lorena Bogea da Silva, Orlando mostrou à Reportagem uma dura realidade na educação municipal em vários aspectos.

Cristina Arcanjo explica que a aglutinação de escolas não vai acontecer unicamente por causa da racionalização de recursos, mas porque a população de alguns bairros está diminuindo consideravelmente e “há escolas com apenas 65 alunos e a estrutura para mantê-la é muito cara. Como há outras na redondeza que têm vagas, então poderemos transferir os estudantes para lá. Esta é uma questão de responsabilidade social”, explica Orlando.

O secretário adjunto informa que ainda não é possível apontar as escolas que serão, de fato, fechadas, porque o levantamento ainda está sendo feito. Ele ressalva que a pesquisa deveria ter sido realizada no período de transição de governo, mas a secretária de Educação da época não permitiu que a equipe da atual gestão percorresse as escolas para realizar esse trabalho. “A ideia era remanejar antes de abrir para matrícula, só que o pedido foi indeferido e apenas agora estamos fazendo o mapeamento. Mesmo assim, devemos fazer alguns ajustes ainda este início de ano”, avisou.

Por outro lado, Orlando Moraes ressalta que há casos em que se imaginava que determinada escola pudesse ser fechada, mas quando a equipe foi avaliar, há cerca de 250 alunos matriculados, o que descarta a possibilidade de remanejamento. “Acreditamos que até o início de março teremos todo o mapeamento e as medidas necessárias serão tomadas para realizar os ajustes na rede”, ressalta.

Sobre o grande número de rotas escolares no transporte de alunos na zona rural, Orlando Moraes diz que as escolas do campo têm uma dinâmica diferente da cidade. Provavelmente, segundo ele, muitas escolas fecharão na zona rural porque têm entre 7 a 15 alunos.

Um levantamento está sendo feito com apoio do departamento de transportes da Semed para avaliar qual o custo da escola de forma global e qual o valor de uma rota de ônibus para aquela comunidade. “Aquilo que for mais vantajoso para o município vai prevalecer. Então, pode ser que o número de rotas aumente, caso o fechamento desta ou daquela escola seja inevitável. Temos uma meta a cumprir, mas as necessidades da rede é que vão dar o tom da mudança”, pondera, explicando que todas as rotas serão visitadas para analisar quais funcionavam legitimamente.

Perfil

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 4)

Saiba quem são Raimundo Neto (Semed), Cássio Flausino (Semad) e Popó Costa (Secult).

Nesta quarta matéria de perfil dos gestores municipais, o Blog apresenta um pouco mais da história e dos desafios a serem enfrentados pelos ocupantes das secretarias de Educação, Administração e Cultura.

Semed

O professor e advogado Raimundo Oliveira Neto voltou a assumir a Educação, pasta que conduziu durante os primeiros dois mandatos de Darci Lermen. A sua visão estratégica e competência administrativa já agregou bastante ao setor educacional do município e a expectativa é que faça novamente um bom trabalho.

Maranhense, casado, com 52 anos de idade e residente em Parauapebas desde 1991, Raimundo Neto ainda é filiado ao PT e faz parte do grupo de secretários escolhidos diretamente pelo prefeito. Dentre os principais desafios apontados pelo novo gestor da pasta está o de trabalhar com uma demanda maior e com orçamento apertado. O número de alunos e respectivamente de servidores e de unidades educacionais ampliou consideravelmente nos últimos quatro anos.

Outro desafio que Neto aponta na gestão da pasta é a deficiência no transporte escolar por conta de vários veículos da frota adquirida em 2013 que estão com problemas de manutenção. Em decorrência disso, apenas a rota da Zona Rural estará garantida, já que somente para esses alunos o município tem a obrigação de fornecer transporte.

Sobre a construção de novas escolas, o secretário antecipou que neste ano, se houver entrada de recurso, serão construídas as escolas Nelson Mandela, no bairro Tropical, e Dorothy Stang, no Cidade Jardim. Sobre as obras das escolas de educação infantil, que estão paralisadas e que receberam recursos do governo federal para serem concluídas, Neto disse que aguarda posicionamento da Procuradoria, já que os recursos foram todos utilizados. Disponibilizar creches públicas não está nos planos do gestor, por conta do ônus que geram e de não serem de responsabilidade do município.

Semad

O titular da secretaria de administração é presidente municipal do PMDB, partido do prefeito Darci Lermen. Foi um dos braços fortes da campanha. Com 39 anos, casado e pai de dois filhos, Cássio Flausino é natural do Goiás, mas reside em Parauapebas desde os três anos de idade. Envolvido na política desde muito cedo, ele foi candidato nas eleições de 2012 a vereador, conquistou 2.533 votos, porém, não foi diplomado por que faltou uma documentação da sua candidatura junto à justiça eleitoral.

Cássio recebeu uma equipe técnica de servidores efetivos bem estruturada, que já atua no setor há vários anos, o que colabora para que os procedimentos se mantenham organizados. A folha de pagamento desse mês, por exemplo, já está praticamente toda concluída. Em função da grande demanda por empregos na Prefeitura, o gestor da pasta tem auxiliado o chefe de gabinete no atendimento à população diariamente.

De acordo com o secretário, somente servidores para cargos comissionados e de assessoria foram contratados até o presente momento. Nem mesmo para funções como auxiliar de serviços gerais e vigias a Prefeitura está contratando por força de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), com o Ministério Público (MP), firmado no fim do ano passado, que proíbe contratações de servidores temporários por um período de 90 dias. Portanto, somente a partir de março tais contratações poderão ser realizadas. Um dos desafios que o gestor enfrentará será de reduzir a folha, a pedido do prefeito. A meta é que fique entre R$ 20 e R$ 25 milhões mensais.

Quando questionado sobre o processo de negociação de reajuste salarial dos servidores públicos municipais, que tem como data base o mês de janeiro, Cássio afirma que o governo vai trabalhar para manter diálogo e bom relacionamento com os servidores públicos. Inclusive, informou que agendará junto ao prefeito reunião com sindicatos para tratar de pauta relacionada à convocação dos classificados no último concurso, que aguardam ansiosamente pela posse.

Secult

O jornalista de profissão, Wandernilson Santos Costa, mais conhecido como Popó, apelido dado pelo prefeito Darci Lermen, foi o escolhido para cuidar da Cultura do município. Presidente municipal do Rede Sustentabilidade, ele é maranhense, casado, tem um filho e reside em Parauapebas há quase 30 anos.

Popó atuou no processo de criação da Secretaria de Cultura do município e conhece bem toda a política cultural da cidade. Seu primeiro desafio é estruturar administrativamente a pasta, criar rotinas e planejamento dos trabalhos. Além disso, manter o calendário de eventos culturais da cidade e resgatar alguns que já não estavam sendo realizados, como o Festival de Cinema.

O novo gestor da pasta entende que a Cultura pode se consolidar com uma das alternativas econômicas para o município e diz que vai trabalhar neste sentido, assim como o de profissionalizar o setor. Uma das estratégias para alcançar tal objetivo é acabar com a metodologia de trabalho por meio de convênios e implantar a política de editais, assim como retomar as discussões do Sistema de Cultura, que prevê incentivos fiscais para a iniciativa privada se interessar em investir no segmento.

Para o carnaval desse ano, Popó adiantou que já conversou com representantes da Liga de Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos informando que não haverá repasse financeiro. No entanto, a Prefeitura disponibilizará toda a estrutura para a realização do evento, tais como palco, som, segurança, entre outros.

Leia também: 

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 1)

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 2) 

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 3) 

Educação

Comunidade da Palmares II não aceita interferência da vereadora Eliene Soares na indicação de cargos de gestão escolar

Vereadora, que indicou o adjunto da Semed, quer indicar diretores de escolas em Palmares II

Durante a diplomação dos candidatos eleitos nas eleições de 2016 realizada em dezembro do ano passado, a juíza Eline Salgado e o promotor do Ministério Público, Hélio Rubens foram enfáticos: “vereadores não devem indicar ocupantes de cargos no executivo, pois tal ato pode comprometer uma das principais atividades do vereador, a de fiscalizar”.

Porém, mal começou o mandato e a relação de uma legisladora com o executivo pode ser classificada como comprometedora. O secretário adjunto de educação, Antonino Brito, por exemplo, que atuou diretamente na campanha da vereadora Eliene Soares foi o “escolhido” para assumir o referido cargo de gestão no executivo municipal por indicação de Eliene Soares.

De acordo com uma nota de repúdio divulgada na segunda-feira (16) pelos Assentados da Palmares II, a vereadora esteve atuando recentemente na indicação para ocupantes de cargos de gestão escolar na localidade. O problema é que a comunidade da Palmares II tem a cultura de escolher os dirigentes das suas escolas a partir de voto direto, em um processo eleitoral, e não aceita interferências políticas neste processo.

“Não se trata de uma luta por cargos e sim de um direito adquirido. Desde a fundação da Palmares II realizamos esse processo de escolha, de forma democrática e transparente, envolvendo toda a comunidade. Em 2005 foi instituído o voto direto. Portanto é uma conquista nossa e a interferência política implica diretamente na falta de autonomia dos gestores escolares para desenvolverem um bom trabalho. A escolha dos profissionais é pautada na competência técnica de cada um”, informou Clívia Regina da Silva, que faz parte do MST e foi uma das escolhidas pela comunidade.

Depois do posicionamento firme da comunidade da Palmares II, o governo municipal reagiu e decidiu suspender as nomeações já realizadas para os cargos de gestão da Escola de Ensino Fundamental Crescendo na Prática, conforme afirma uma segunda nota, publicada pelos Assentados da Palmares II, nesta terça-feira (17). A comunidade conta com outras duas escolas: Maria Celeste Moreno, de educação infantil, e Oziel Alves Pereira, de ensino fundamental.

O Blog entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura e também com assessores da vereadora Eliene Soares (foto) e ambos informaram que não iriam se pronunciar sobre o assunto.

A última nota divulgada pelos Assentados da Palmares II teve o seguinte título: “Tentativa de golpe na Palmares é suspensa”, e o Blog reproduz logo abaixo o seu conteúdo na íntegra:

“Prefeito marca reunião dia 19, quinta, para escutar representantes da comunidade.

Representantes da Direção do MST, associações, cooperativas, coletivo de mulheres, da juventude, igrejas e outros indicados pela Assembleia da comunidade do Assentamento Palmares, estiveram ontem junto ao Chefe do Gabinete da Prefeitura de Parauapebas e o Secretário de Educação do Município, para além de pedir informações sobre boatos acerca da intervenção nas escolas da comunidade, saber sobre a pauta protocolada ao Prefeito de Parauapebas com demandas nas áreas de serviços e obras públicas.

A reunião começou num clima tenso, pois rumores na comunidade apontavam a Vereadora Eliene e seu pequeno grupo de apoiadores encabeçado pelo Secretário de Agricultura, cujo os quais, na calada da noite da sexta-feira, 13, conspiravam contra as decisões da assembleia da comunidade, que por unanimidade referendou a atual gestão eleita das escolas, cujo mandato se encerra no final deste ano.

O Sr. Bonete, Chefe de Gabinete, disse a comissão, que realmente havia uma portaria para Escola Crescendo Na Prática, retirando, sem nenhum debate com a comunidade, os atuais gestores eleitos e nomeando outros indicados pelo Sr. Eurival Martins (Tôtô) Secretário de Agricultura do Município.

O Prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, que não estava no prédio e se preparava para viajar a Belém, consultado, mandou seu chefe de gabinete SUSPENDER as possíveis nomeações até que ele retorne e reúna pessoalmente, com os representantes para escutar a voz da maioria e posicionar-se sobre o assunto.

O clima de apreensão entre os servidores públicos, estudantes, pais de alunos, pode prejudicar a retomada das aulas. A tensão na comunidade de Palmares, tem seus reflexos em toda Parauapebas: Associações, sindicatos, movimentos e aliados solidarizam-se com a comunidade, que já pensa em buscar o Ministério Público, para garantir seus direitos.

Representantes de Palmares Sul, estiveram presentes na PMP. Embora com métodos de indicação diferente do que em Palmares II, a comunidade local também quer ser consultada sobre a composição da gestão escolar.

Em reunião, representantes da comunidade consideram importante a SUSPENSÃO do golpe, mas pedem a todos da comunidade VIGÍLIA PERMANENTE até quinta-feira, dia 19, quando o Prefeito e representantes dos setores da comunidade indicados pela Assembleia estarão com Darci, para inclusive marcar a data de sua visita à Palmares, para, em Assembleia com todos, responder e pactuar a pauta da comunidade.

– Todos juntos por uma comunidade melhor!

– Aprofundar a Democracia Popular!

– Não a tentativa de Golpe. Manter estado de Vigília Permanente

Parauapebas

Peça infantil “Uma aventura no Rio Negro” estreia em Parauapebas

A empresa RIP Serviços Industriais, em parceria com a Secretaria de Educação de Parauapebas apresenta à comunidade de Parauapebas a peça teatral infantil “Uma aventura no Rio Negro”. Durante o evento, que acontece nos dias 25, 26 e 27 de outubro em alguma escolas de Parauapebas, haverá oficinas e distribuição de cartilhas aos alunos presentes. A produção fica por conta da Renovarte Produções Culturais.

Nas oficinas serão feitas experiências com filtro feito de garrafa PET e areia, propondo aos expectadores que o façam em casa com seus amigos e familiares, estimulando assim a perpetuação do conhecimento e também consciência ecológica. A iniciativa conta com o incentivo do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet.

A peça

Durante uma caminhada, onde reflete sobre os importantes ensinamentos passados pelo peixe mestre Barba, Tuca se perde no redemoinho que surge no meio da correnteza e vai parar num lugar desconhecido (Rio Negro), onde conhece Acaban, um peixe que vive às margens por não aceitar as ordens da grande Traíra, uma peixe dominadora que tem posse de toda a água potável. Numa aventura de volta para casa, Tuca percorre o grande Rio Negro e descobre que parte dele se encontra em alarmante estado de degradação, lembra-se dos ensinamentos do mestre Barba e compartilha com todos, tornando toda essa aventura um grande aprendizado.

SERVIÇO

“Uma aventura no Rio Negro” – Peça teatral infantil, oficinas e distribuição de cartilhas – Gratuito
Patrocinadora: RIP Serviços Industriais
Produção: Renovarte Produções Culturais
Parceria: Secretaria de educação de Parauapebas/PA

25 de outubro
Escola Municipal Dorothy Stang
Avenida B, s/n
Oficina: 8h e 11h40
Teatro: 9h30 e 12h30

26 de outubro
EMEF Paulo Freire
Rua Porto Velho – Vila Palmares Sul
Oficina: 8h e 12h50
Teatro: 9h30 e 13h30

27 de outubro
EMEF Jean Piaget
Endereço: Av. Goiás, S/N – Liberdade
Oficina: 8h30 e 11h40
Teatro: 9h30 e 12h30

Marabá

Professores de Marabá-PA fazem marcha

destaque-355265-educacao-maraba

Os professores da rede pública de ensino, em Marabá, realizaram protesto pela educação do município. Segundo os manifestantes a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) estaria criminalizando os trabalhadores e tirando os direitos e benefícios dos próprios, alegando que existe uma crise na educação do município.

A marcha teve concentração na Praça Duque de Caxias e passou por ruas da cidade. A manifestação fez parte de um calendário de mobilizações aprovado em assembleia pelo Sindicato dos trabalhadores da educação pública no Pará (Sintepp), contra a postura da prefeitura de Marabá.

Segundo o Coordenador do Sintepp, Wendel Bezerra, a educação não passa por uma crise. “Nós já identificamos que não existe crise nenhuma na educação do município de Marabá, o que na realidade está acontecendo é malversação dos recursos da educação por parte do secretário Pedro Sousa”, explica.

No dia 18 de janeiro, dia do retorno das aulas, uma nova marcha será realizada, com expectativa de 2 mil trabalhadores do sul e sudeste paraense envolvidos. A manifestação seguirá até em frente a prefeitura de Marabá.

Fonte: ´Diário do PA

Parauapebas

Pedagoga Leila Lobato é a nova secretária municipal de Educação

Leila Maria Lobato de Araújo - Secretária Semed(1)Com mais de 30 anos de experiência e de serviços prestados à educação do município de Parauapebas, a pedagoga Leila Maria Lobato de Araújo assumiu nesta quinta-feira (10) a gestão da Secretaria Municipal de Educação (Semed), conforme decreto de número 689 assinado pelo prefeito Valmir Queiroz Mariano.

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Leila Lobato também traz na bagagem dois importantes títulos de especialista: Currículo e Avaliação na Educação Básica, pela Universidade do Estado do Pará (Uepa); e Gestão Escolar, pelo Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa).

Leila Lobato acompanhou a dinâmica de crescimento do município onde decidiu viver, na década de 1980, e criar seus dois filhos.

Secretária Adjunta

Francineide Bezerra Monteiro dos Santos - Adjunta Semed(1)A pedagoga Francineide Bezerra Monteiro dos Santos assumiu o cargo de secretária-adjunta de Educação por meio do decreto 640.

Casada, mãe de dois filhos, ela é formada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências Humanas do Sertão Central (Fachusc) de Pernambuco, é especialista em Gestão, Orientação e Supervisão Escolar pelo Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e Extensão (IBPEX) e também especialista em Alfabetização pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC), além de ser mestranda em Educação na área de currículo pela Escola Latino America de Buenos Aires.