Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Urbanismo

Mais segurança à comunidade: Rodovia Faruk Salmen recebe atenção do poder público

Quem passa pela via já começa a sentir as mudanças. Agora, o local está mais iluminado. O que representa mais segurança.

Mais iluminada, a Rodovia Faruk Salmen começará a chamar atenção de quem transita pelo local. A dona de casa Alairce Barbosa, que estava acompanhada do esposo e seguia durante a noite desta terça-feira (05) para um supermercado na localidade afirmou que se sentirá mais segura ao passar pela área, já que a prefeitura de Parauapebas vem colocando postes e e lâmpadas, e em breve a iluminação naquela área será restabelecida.

O trabalho está sendo feito após a indicação do vereador Elias da Construforte, presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, que pediu ao governo municipal, que fosse feita a instalação de iluminação pública no perímetro que compreende a 20ª Seccional de Polícia Civil até a entrada da Palmares Sul.

“Iluminação pública de qualidade é um direito que temos que lutar sempre para garanti-lo à comunidade. Com os serviços implantados, os motoristas, pedestres e os que realizam caminhadas no perímetro serão beneficiados”, frisou o vereador, que reconheceu a dedicação da prefeitura em acatar a solicitação.

A empresa responsável pelo serviço de instalação do sistema elétrico afirmou que será usada fiação subterrânea, além 288 postes circulares com 14 metros de altura, e duas lâmpadas cada.

O vereador acredita que após a conclusão dos serviços de instalação da iluminação muitos roubos e acidentes deverão ser evitados na rodovia.

Para o delegado da Polícia Civil, Fabrício Andrade existe uma relação entre a iluminação pública e a criminalidade. “As características ambientais do local do delito têm influencia no aumento ou na diminuição das infrações penais, porque as áreas urbanas que melhoram a iluminação podem aumentar a percepção de segurança e contribuir para a diminuição dos índices de criminalidade”, destacou.

Depois de cobrar serviços públicos, comunidade do Garimpo das Pedras é atendida pela Semurb

Além da limpeza e manutenção da iluminação pública, a prefeitura está fazendo reparos na estrada que dá acesso ao ponto turístico.

Há uma semana o Blog produziu uma matéria sobre a denúncia da comunidade que reside no Garimpo das Pedras relacionada ao excesso de lixo e sujeira deixado por pessoas que vão visitar o local, um dos pontos turísticos de Parauapebas que tem atraído público considerável em função das águas termais de uma linda piscina natural. Depois da repercussão da matéria publicada pelo Blog a comunidade foi atendida em suas reivindicações.

“Dê à César o que é de César. Queremos agradecer à Prefeitura por ter enviado seu pessoal lá na nossa Vila e por ter feito a limpeza das nossas ruas e por ter colocado a iluminação que tanto precisávamos”, relatou em entrevista ao Blog, Edilson Pereira da Silva, presidente da Associação de Moradores e Extrativista do Alto Bonito II (conhecido como Garimpo das Pedras).

Além dos serviços de limpeza urbana e iluminação pública, a comunidade também tem sido beneficiada com a melhoria da estrada que dá acesso ao ponto turístico. “Tem umas máquinas da Secretaria de Obras trabalhando lá nas estradas. Acredito que logo logo o serviço será concluído, o que vai melhorar o acesso. Somos agradecidos ao governo municipal pela atenção”, afirmou Edison Pereira.

Antes de procurar a imprensa, o representante da comunidade diz ter protocolado documentos de solicitações desses serviços e também da necessidade de disponibilização de uma ambulância para a comunidade, que fica distante do centro da cidade, reivindicação que ainda não foi atendida. “Acredito que a partir de agosto também seremos atendidos nesse pedido, inclusive, solicitamos que a contratação do motorista para a ambulância seja feita com de profissional aqui da comunidade”, afirmou Edilson Pereira.

Cerca de mil pessoas residem no Garimpo das Pedras, conforme a presidência da Associação, e a Vila conta com um postinho básico de saúde, escola e campo de futebol.

Turismo

Rota turística de Parauapebas, Garimpo das Pedras corre ameaça de fechar por causa do lixo acumulado

Há nove anos aberta ao público, o Garimpo das Pedras atrai turistas de todos os cantos pela paisagem do local, além da piscina de água termal.

Localizado em território do município de Marabá, a 60 quilômetros do centro de Parauapebas, o Garimpo das Pedras foi descoberto há 33 anos por garimpeiros da região. De lá para cá, as jazidas têm produzido e comercializado milhares e milhares de toneladas de pedras de ametista para o Brasil e o mundo, tornando-se a segunda maior jazida do mundo, em termo de quantidade de reserva.

Paralela à produção mineral, em área do entorno da cava, existe um paraíso de águas termais com boa estrutura e aberto ao público em 2008 que vem recebendo cerca de dois mil visitantes por mês para descansar e desfrutar da natureza amazônica. Mas, um inconveniente vem  afetando o ecossistema da região e preocupando o presidente da Associação dos Moradores do Alto Bonito 2 (Garimpo das Pedras), Edilson Pereira. Trata-se da grande quantidade de lixo produzido pelos visitantes, fato que pode prejudicar a piscina termal.

Em recente entrevista ao Blog, Edmilson informou que está em campanha para que a atual administração do município retorne com a limpeza da comunidade, que deixou de ser realizada periodicamente desde o início de 2017.

“Parauapebas está desenvolvendo um projeto de turismo para a região, mas, para que tudo funcione a contento é necessário que seja feita a manutenção das luzes dos postes públicos, pois várias ruas da comunidade estão em total escuridão, prejudicando moradores e turistas e colocando em risco a segurança de todos. Sabemos que o lixo é responsabilidade da pessoa que produz, mas é da prefeitura a responsabilidade pelo armazenamento do mesmo nos lixões municipais. O que não pode acontecer é que o resto jogado pelas visitantes prejudique uma comunidade que oferece atrações turísticos naturais e gratuitas”.

Segundo recente informe da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb) os moradores de Parauapebas e entorno produzem atualmente mais de 4 mil toneladas de lixo doméstico por mês. Toda essa quantidade de lixo e outros tipos de entulhos são recolhidos diariamente dos bairros da cidade e levado para o lixão municipal. O Blog não conseguiu contato com a Semurb para que esta informasse os motivos da descontinuidade dos serviços no local e se é de responsabilidade dela o recolhimento do lixo e a manutenção na iluminação pública na região do garimpo.

Parauapebas

Serviços urbanos em Parauapebas: avanços e desafios.

A Semurb é uma das secretarias da gestão Darci Lermen que vem apresentando trabalho satisfatório à população

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb) de Parauapebas é uma das pastas que têm se destacado na atual gestão por conta da busca contínua de melhoria nos serviços prestados à população, principalmente no que tange à iluminação pública. Em função das dificuldades iniciais do governo, tanto com relação à contratação de mão de obra quanto à questões de contrato de fornecedores, apenas em março os serviços relacionadas à iluminação pública começaram de fato a serem executados, e desde então já foram trocados 2.220 pontos de luz, em toda a cidade.

Os bairros mais atendidos foram: Liberdade, Primavera, Chácaras, Cidade-Nova, Rio Verde, União, Bela Vista e Cidade Jardim. De acordo com o gestor da pasta, o engenheiro Edmar Cruz Lima, as equipes de manutenção da iluminação pública se dividem para atender as demandas emergenciais que chegam à secretaria de diversas formas, e também as demandas programadas pelo planejamento do setor. Segundo Edmar Cruz, Parauapebas tem hoje mais de 30 mil pontos de iluminação pública espalhados pelos 88 bairros

Solicitações de serviços de iluminação pública podem ser feitas via WhatsApp, pelo número 98808-0295, ou pelo telefone fixo da secretaria, que é o 3356-1023. Muitas demandas têm chegado por meio da Ouvidoria Geral do município, de acordo com o secretário. “Temos tentado priorizar as mais urgentes, como os pontos escuros em proximidades de escolas”, destacou o secretário, informando que a gestão tem enfrentado sérios problemas com o furto de cabos de cobre, utilizados para interligar a energia de um poste ao outro.

“Como o cobre tem um grande valor de mercado, os bandidos roubam mesmo. Já foram mais de 20 mil metros do início do ano até então. Por isso que avenidas como a PA-2775 ficam às escuras por um bom período”, explicou o secretário. Outra ação que merece destaque é o acompanhamento e respectivo mapeamento da utilização de boxes nas feiras e mercados municipais cedidos pela Prefeituras, assim como dos quiosques em áreas públicas.

Ao todo são 63 quiosques, sendo que alguns não estão sendo utilizados ou estão com uso indevido. Nesse mapeamento foi identificado que 99 boxes localizados no CAP, Mercado Municipal e Feirinha da Rua B estão fechados ou com funcionamento irregular. “Fizemos um apanhado geral e estamos em diálogo contínuo com os feirantes em busca de melhorias. Já disponibilizamos, inclusive, pessoal para cuidar da limpeza geral desses locais e da vigilância”, informou o secretário.

A coleta de lixo em Parauapebas continua sendo realizada pelo consórcio Parakanã. Porém, a nova gestão da Semurb tem cobrado mais eficiência na realização do serviço, que coleta lixo doméstico e patológico na zona urbana e rural da cidade. Mutirões de limpeza também têm sido realizado em diversos bairros da cidade e o serviço de campina e roçagem alcançou as principais avenidas, tais como a PA -275 e a Faruk Salmen, e também as praças públicas. “Agora que concluímos o serviço de limpeza nas avenidas, vamos reiniciar o ciclo nelas e começar a atuar também dentro dos bairros”, informou o titular da Semurb.

Desocupação de áreas públicas

Uma das atribuições da Semurb é zelar pelos espaços públicos e pela aplicação do Código de Postura do município. Neste sentido, foi realizada a retirada dos ambulantes que voltaram a ocupar a área do “pé inchado”, que havia sido desocupada na gestão passada. “Desde o dia 15 de janeiro a gente vinha conversando com eles, informando previamente que faríamos a retirada. Infelizmente, alguns não acreditaram, mas cumprimos com o nosso dever. Aqueles que fecharam acordo com a gente recebeu todo o apoio logístico. Muitos foram para o CAP e estão bem satisfeitos”, reforçou Edmar Cruz.

Duas grandes invasões na área rural da cidade foram desarticuladas com ações da Semurb, que contou com apoio de órgão de segurança. Mais de 200 pessoas que invadiram a área do Distrito Industrial foram removidas, assim como os ocupantes da área em que será construído o Campus da UEPA, em Parauapebas.

Desafios

Dentre os desafios da pasta apontados pelo gestor, que tem um visão ampla e de longo prazo sobre as principais necessidades dos serviços urbanos em Parauapebas, estão: melhoria contínua do sistema de iluminação pública, inclusive já existe um plano específico para alcançar esse objetivo; desenvolvimento do aterro sanitário; aquisição de área para novo cemitério; identificação dos logradouros; manutenção eficiente das praças públicas.

No caso do cemitério, se o índice de mortalidade seguir no ritmo atual, a expectativa de vida útil é de apenas um ano e meio, e, como o processo de licenciamento é demorado e complexo, a gestão da Semurb já tem um plano para trabalhar com sepulturas verticais, o que vai render pelo menos mais dois anos de vida útil para o atual cemitério

Parauapebas

Apesar da boa estrutura, feirinha do Shopping do bairro Cidade Nova não apresenta viabilidade para feirantes

Implantada há 24 anos, a feirinha parece ter caído no esquecimento dos clientes e do poder público

A chamada Feirinha do Shopping do bairro Cidade Nova, localizada entre as ruas A e B, implantada há 24 anos, parece ter caído no esquecimento, não apenas dos clientes, que não mais visitam o local, mas também do poder público, que literalmente não tem gerenciado o espaço. De acordo com as informações colhidas pelo Blog, até existe uma sala reservada para a administração do local, porém, há muito tempo ninguém a ocupa.

“Estamos esquecidos aqui. A maioria do pessoal desistiu porque não consegue vender. Se fosse para depender só daqui eu passava fome. Hoje, por exemplo, só consegui dez reais com a venda de um pouco de farinha. O que me salva é o meu aposento”, disse Edite Vieira, de 66 anos, que atua na Feirinha há 18 anos vendendo secos e molhados, frutas, legumes e verduras.

A também aposentada Cesária dos Santos, de 65 anos, trabalha há 15 anos na Feirinha e diz que nos últimos anos a situação tem piorado. “Antes eu até conseguia vender um pouco mais e conseguia uma rendinha, mas, do ano passado para cá, parece que os clientes sumiram”.

Antes a Feirinha era toda de madeira. No final do seu segundo mandato Darci Lermen reconstruiu o local e, no início da gestão Valmir Mariano o prédio foi entregue aos feirantes, que na época atuavam no local. Porém, nunca foi inaugurado.

Atualmente a Feirinha conta com uma estrutura de qualidade e bem organizada, no entanto, isso não tem sido o suficiente para atrair os clientes, já que o prédio ficou totalmente escondido após a construção de várias obras residenciais e comerciais em sua volta. São 25 boxes e apenas oito estão realmente ocupados.

Além de ter ficado escondida, falta uma fachada e até mesmo um nome para melhor identificar a Feirinha. De acordo com os feirantes que ainda permaneceram no prédio, desde o ano passado todas as lâmpadas estão queimadas e não tem mais profissionais para cuidar da limpeza. “Ainda bem que deixaram pelo menos os vigias por aqui, para nos ajudar, mas a limpeza somos nós mesmos que estamos fazendo”, disse uma das feirantes.

Sobre a situação da Feira, o titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb), Edmar Lima, informou que ainda não foi possível se reunir com os feirantes que atuam no local, porém, já tem uma agenda marcada para a segunda quinzena de março, em que tratará das melhorias para o local. “A intenção é revitalizar e redistribuir as unidades de comercialização da Feirinha, assim como no CAP e Mercado Municipal”, acrescentou o secretário.

Perfil

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 5)

Saiba quem são Edmar Cruz (Semurb), Maria Silvana (Semob), Michael Jackson (Semsi) e Evaldo Cantanhede (Cooter).

Nesta quinta matéria de apresentação dos perfis dos gestores municipais, o Blog leva ao leitor um pouco mais de informações sobre os titulares da Semurb, Semob, Semsi e Coordenadoria de Terras.

Semurb

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb) está sob a condução do experiente engenheiro civil e gestor ambiental, Edmar Cruz Lima, que atua no serviço público há 22 anos. Casado, pai de dois filhos, 46 anos, natural de Colinas, no Maranhão, o novo titular da Semurb reside há 31 anos em Parauapebas.

Em seu currículo constam passagens pela própria secretaria de urbanismo, na época do prefeito Chico das Cortinas, Saaep, durante a gestão da Bel Mesquita, além de atuações nas secretarias de planejamento e de obras. Edmar Cruz participou diretamente da formatação do processo de coleta de lixo que substituiu as carroças, meio de transporte utilizado na década de 90 no município para coleta de lixo doméstico, por caminhões compactadores.

A coleta de lixo doméstico e sua correta destinação integram as principais atividades de responsabilidade da Semurb, assim como manutenção da iluminação pública, aplicação do código de postura do município, gerenciamento do CAP e Mercado Municipal. Destas principais atividades o novo gestor aponta a iluminação pública como o seu maior desafio à frente da pasta já que a demanda pelos serviços é enorme, são muitas ruas escuras na cidade.

Edmar Cruz informou que as equipes de manutenção da iluminação pública já estão nas ruas, atendendo as principais demandas, e que está levantando a situação relacionada ao repasse da Celpa referente aos valores da taxa de iluminação pública, paga pelo cidadão na conta de Luz. Sobre o retorno da ocupação de imediações na Praça dos Metais, o secretário foi enfático ao dizer que os ambulantes não permanecerão lá, e que o governo não vai permitir retrocesso com ocupações irregulares naquela localidade. Com relação à coleta de lixo, continua sendo realizada pelo consórcio Paracanãs.

Semob

A mineira Maria Silvana de Faria Sousa é uma das pioneiras de Parauapebas, chegou à cidade há 34 anos para trabalhar com um comércio na Mina de N5, em Carajás. Casada, mãe de três filhos e avó de dois netos, com 59 anos, ela assume o que considera o maior desafio da sua vida, gerir a Secretaria Municipal de Obras (Semob), pasta estratégica em qualquer governo. Ela é a primeira mulher a assumir esta secretaria na história do município.

Formada em Técnico em Administração, a nova gestora da Semob aposta em sua experiência de gestão, acumulada durante vários anos de atividades empreendedoras e ao longo do período em que atuou como diretora técnica da antiga Fasc – Fundação de Assistência Social. Para encarar o desafio de fazer obras de relevância para o município, Maria Silvana diz que contará com a excelente equipe técnica de servidores efetivos da Semob.

Filiada ao PROS, Maria Silvana teve o seu nome ventilado como candidata ao cargo de vice-prefeita. Trabalhou firme na campanha e acredita que o maior peso para a escolha do seu nome foi a confiança que o prefeito Darci Lermen tem em sua pessoa. Com um dos orçamentos mais gordos da Prefeitura para 2017, R$ 202 milhões, Maria Silvana terá o desafio de fazer obras com qualidade, iguais ou superiores às realizadas na gestão passada, que teve como sua principal marca de governo o grande volume de obras com estruturas de qualidade.

Semsi

Michael Jackson Correa Gomes, de 32 anos, foi o escolhido para assumir a Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi). Natural de Monção, no Maranhão, é solteiro, tem dois filhos e reside em Parauapebas há 18 anos. Formado em Teologia, o novo gestor da Semsi tem pós-graduação em gestão de segurança pública.

Na área pública, Michael Jackson já atuou nas secretarias de Produção Rural e Educação, porém nunca trabalhou diretamente na gestão de uma pasta. Já no setor privado, teve experiência no segmento de segurança patrimonial. Ele acredita que o maior desafio da Semsi é contribuir para melhorar o sentimento de segurança da sociedade.

Dentre as principais ações já realizadas neste início de governo, está a retomada do funcionamento das 55 câmeras de videomonitoramento, de um total de 83, e as conversas com representantes de órgãos de segurança, o que gerou como encaminhamento a retomada do GGIM – Gabinete de Gestão Integrada Municipal, a partir de fevereiro.

O aparelhamento da Guarda Municipal, tanto no aspecto logístico quanto de armamento, para melhor contribuição na segurança pública do município, também é apontado pelo gestor como um dos grandes desafios à frente da pasta.

Cooter

O professor de ciências Evaldo Melo Catanhede, do PCdoB, foi o escolhido para assumir da Coordenadoria Municipal de Terras (Cooter). Maranhense, divorciado, sem filhos, o novo titular do setor tem 40 anos e também é presidente da Associação de Produtores Rurais do Assentamento Santa Maria do Itacaiúnas (ASTSAMI).

A regularização fundiária é o maior desafio do setor, que é vinculado à Semob. Para ajudar a gestão municipal a avançar nesta área, um projeto de georreferenciamento da cidade deverá ser contratado. As conversas para o seu financiamento já foram iniciadas junto à Caixa Econômica de Marabá.

Na Cooter são emitidas Certidões de Uso de Solo, Laudo de Alinhamento (para conferir tamanho real da área) e Título Definitivo de lotes. De acordo com Evaldo Catanhede, algumas ações para regularização fundiária já foram iniciadas e o bairro Novo Brasil deverá ser o primeiro a ser contemplado com a entrega de títulos definitivos dos lotes.

Leia também:

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 1)

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 2)

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 3)

Conheça quem são os gestores de Parauapebas (parte 4)

Parauapebas

Semurb e Celpa apresentam versões diferentes sobre corte de energia da decoração natalina

Ao contrário do que foi divulgado em alguns sites de Parauapebas não houve ligação clandestina de energia para a decoração natalina. Foi o que informou ao nosso blog o secretário Augusto Neto, titular da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb), garantindo que a partir do dia primeiro de dezembro tudo estará pronto.

“Todo ano a equipe instala os ornamentos natalinos, depois realiza os testes, para só então encaminhar para a rede Celpa a solicitação de liberação da energia e proceder com o respectivo pagamento”, informou o secretário.

De acordo com o coordenador de iluminação pública da Semurb, Jardel dos Santos, esses testes são necessários para avaliar a carga que será utilizada. “Principalmente neste ano, que estamos utilizando material reaproveitado. Precisamos avaliar com muita precisão a questão da energia que será utilizada na decoração natalina”, informou Jardel dos Santos. Sobre a retirada dos ramais que interligam a iluminação natalina aos postes de energia feita pela equipe da Celpa nesta terça-feira (22) ele acrescentou: “após realizarmos os testes, nós informamos à empresa o quadro de carga instalada. Agora, estamos no aguardo do envio de fatura. Depois disso eles terão que instalar novamente os ramais”, explicou o coordenador de iluminação pública.

De acordo com a Semurb, serão decoradas quatro árvores de natal. Elas estão localizadas na rotatória da Rua 14, rotatória próxima ao Quartel de Polícia Militar, rotatória perto do Partage Shopping e outra em frente do prédio da Prefeitura, que também será decorado. Além disso, as árvores da PA-275, nos trechos entre Rua 14 e Quartel, também serão iluminadas.

A decoração de natal ficará instalada até o dia seis de janeiro.

O outro lado

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Celpa, a empresa ainda aguarda a solicitação da Prefeitura de Parauapebas para realizar as ligações provisórias da decoração de Natal da cidade.  A empresa reforça que esse tipo de solicitação deve ser feita com até quinze dias de antecedência, em uma agência de atendimento da concessionária. O procedimento gera uma fatura que deve ser quitada antes da ligação a ser executada.

Parauapebas

Prefeitura divulga próxima fase da licitação referente à limpeza pública de Parauapebas

Na próxima segunda-feira, 21, serão abertos os envelopes com as propostas comerciais das empresas participantes da licitação referente aos serviços de limpeza pública de Parauapebas. A sessão pública será realizada às 9h, na sala de sessões da comissão de licitação, localizada no Centro Administrativo da Prefeitura Municipal de Parauapebas, no Morro dos Ventos, s/n.º, Beira Rio II.

A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 18, e assinada pelo presidente da Comissão Permanente de Licitações da prefeitura, Rodrigo Gonçalves Ribeiro.

No final de novembro, a prefeitura declarou a habilitação de duas empresas para continuar na disputa pelo contrato de limpeza pública do município, que também inclui a coleta de lixo patológico. O Consórcio Paracanãs (formado pelas empresas Terraplena LTDA e Sanepav – Saneamento Ambiental LTDA) e a Terracom Construções LTDA foram habilitados para continuar na disputa. À época, as empresas Ecopav Construção e Soluções Urbanas LTDA e Quebec Construções e Tecnologia Ambiental foram declaradas inabilitadas por não se enquadrarem no exigido pelo edital.

A Concorrência N.º 3/2015-01 Semurb foi divulgada pela Prefeitura no final de setembro e começou no dia 03 de novembro. A empresa que cumprir todas as exigências e apresentar a proposta com o menor preço será considerada a vencedora. Em janeiro de 2014, a prefeitura rescindiu o contrato com a empresa Clean Service por problemas na qualidade do serviço ofertado. Desde então, o município enfrenta dificuldades para manter a regularidade do serviço.

error: Conteúdo protegido contra cópia!