Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Comércio

No Pará, venda de caminhões tem o maior índice de crescimento entre os veículos novos

Os dados foram divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP)

 

O Pará registrou 7.839 emplacamentos de veículos no mês de julho, segundo dados divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP). O balanço divulgado contempla vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros.

O melhor resultado foi verificado na venda de caminhões, que apresenta crescimento no último trimestre. Quando comparado com o mesmo período do ano passado, o segmento registra crescimento de 21,74% neste mês de julho. Já os emplacamentos de automóveis e comerciais leves somaram 3.075 unidades no mês passado, registrando crescimento de 0,16%% em relação a julho do ano passado, quando foram emplacados 3.070 veículos no Pará.

Para o presidente do Sincodiv PA/AP, Leonardo Pontes, os resultados mostram uma previsão positiva para o mercado. “Vamos experimentar um crescimento contínuo. O mercado está crescendo ainda de forma tímida, mas vislumbramos um crescimento melhor para este ano e para os próximos”, pontua.

VENDAS POR CATEGORIA DE VEÍCULOS

– Automóveis: 2.372

– Motos: 4.452

– Caminhões: 112

– Ônibus: 25

– Veículos comerciais leves: 703

– Implementos rodoviários: 25

– Outros: 150

Comércio

Aumento de tributos pode derrubar venda de veículos no Pará, diz Sindicato

Em comunicado, a entidade criticou duramente a decisão do Governo Federal e disse que a alta nos tributos penaliza a população.

A alta no PIS/Cofins dos combustíveis, em vigor após decreto do presidente Michel Temer, deve dificultar ainda mais o crescimento do setor, já combalido pela crise econômica do país. É o que diz a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Em comunicado, a entidade criticou duramente a decisão do Governo Federal e disse que a alta nos tributos penaliza a população. “O atual Governo, lançou mão de mais um açoite tributário ao povo brasileiro, penalizando empresários, consumidores e trabalhadores, que terão, mais uma vez, que arcar com o ônus de investir e tentar sobreviver no Brasil”, diz a nota.

O Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP) manifesta apoio ao posicionamento da Fenabrave e expressa preocupação com a decisão do Governo Federal. Leonardo Pontes, presidente do Sindicato, disse que o decreto pode levar a uma retração nas vendas de automóveis no estado, que registrou alta nos meses de maio e junho. “Ao invés de cortar gastos e tentar diminuir os custos da administração pública, o presidente aumenta impostos e pode, com isso, prejudicar ainda mais o setor”, lamenta Pontes.

O presidente do Sincodiv lembra que o balanço mais recente de vendas de automóveis mostra o estado com crescimento de vendas, portanto na contramão do cenário nacional. O aumento dos impostos pode impactar fortemente os dados do setor. “No mês de junho, as vendas de veículos novos no Pará cresceram 7,25% em relação a maio. Esse resultado é muito bom se comparamos com outros estados, mas com essa decisão do presidente de aumentar os impostos sobre dos combustíveis, pode levar esse cenário mudar”.

Comércio

Setor automobilístico reage e venda de carros cresce no Pará, em março

Parauapebas foi o segundo município na venda de veículos comerciais leves, com 14,27% do mercado

O mercado de carros novos deu sinal de reação em março. Segundo dados divulgados esta semana pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP), o mês passado fechou com venda acima de oito mil unidades. Foram comercializados, exatamente, 8.240 veículos no estado, a grande maioria (7.969) automóveis, comerciais leves e motos.

As vendas totais, representando todos os segmentos, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários, subiram 37,56% em comparação com fevereiro, um mês tradicionalmente muito fraco. No entanto, o mês que passou ainda não conseguiu reverter o saldo negativo de 2017, agora em 21,46% e somando 21.191 veículos comercializados.

As vendas de comerciais leves, que são os carros utilitários, apresentaram 708 veículos emplacados contra 393 em fevereiro, aumento de 80,15%. Houve um expressivo crescimento também no emplacamento de motos, de 37,55% em um mês. Em março, foram vendidas 4.909 motocicletas novas contra 3.569 em fevereiro, mas em comparação com o mesmo período do ano passado, a queda é de 23,60%, já que em 2016 foram emplacadas 6.425 motos novas em março.

Segundo o presidente do sindicato, Leonardo Pontes, “houve uma pequena recuperação nas vendas, mas ainda é preciso esperar para saber como está o mercado, já que janeiro e fevereiro são meses tipicamente fracos nas vendas”. Ele acredita que para este ano a recuperação será gradual.

Dados municipais

Entre os municípios paraenses, Belém se destaca na venda de todos os segmentos, seguida por Ananindeua na venda de automóveis, com 9,44%; Parauapebas em segundo na venda de comerciais leves, com 14,27%; Paragominas em segundo na venda de caminhões, com 10,53%; novamente Parauapebas em segundo na venda de motos, com 6,11%; e Barcarena na vice-liderança na comercialização de ônibus, com 23,08%. 

Nacional

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) prevê uma alta de 4% nos negócios neste ano, com a venda de 2,13 milhões de veículos. Desde janeiro era esperado o início da recuperação, mas só agora as expectativas foram confirmadas.

Comércio

Vendas de veículos no Pará iniciam o ano em queda, afirma Sincodiv

Segundo o Sincodiv, o Pará comercializou/emplacou durante o mês de janeiro 6.961 unidades entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros. Em janeiro de 2016 haviam sido 8.466. Já em dezembro, as vendas somaram 11.169 unidades.

O primeiro mês do ano ainda não apresentou um prenúncio do crescimento esperado para este ano no Pará na venda de veículos novos. Em janeiro, o número de emplacamentos fechou com queda de 17,78% em relação ao mesmo período do ano anterior e de 37,68% na comparação com mês de dezembro de 2016, conforme dados divulgados pelo Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP).

Segundo o sindicato, o Pará comercializou/emplacou durante o mês de janeiro 6.961 unidades entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros. Em janeiro de 2016 haviam sido 8.466. Já em dezembro, as vendas somaram 11.169 unidades.

Para Leonardo Pontes, presidente do Sincodiv, tradicionalmente, janeiro é um mês mais fraco nas vendas de veículos em função da antecipação de compras em dezembro e dos compromissos da população no início do ano. “O início de ano é marcado por muitos compromissos financeiros para as famílias, como IPVA, matrícula e material escolar, entre outros. Com isso, o consumidor se retrai para fazer novos investimentos no primeiro mês do ano, o que não quer dizer que teremos um ano difícil. A expectativa ainda é boa”.

Todos os principais segmentos levantados pelo sindicato – entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários – com exceção de implementos rodoviários, encerraram o primeiro mês de 2017 com retração. O de maior peso no mercado, pela participação no volume de vendas, os automóveis, recuaram 40,60%, ao passarem de 3.813 unidades emplacadas em dezembro de 2016 para 2.265 unidades no mês passado. Se comparado com janeiro do ano passado (2.450 unidades), o resultado aponta queda de 7,55%.

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) acredita que as vendas no mercado nacional vão continuar a crescer, mas o ritmo vai ser bem mais moderado este ano. Antecipa um aumento de apenas 2% este ano, repetindo-se o ritmo de crescimento em 2018.

Entre os veículos pesados, o segmento de caminhões registrou vendas de 45 unidades, ao passo que o segmento de ônibus, registrou a comercialização de oito unidades. As vendas e o licenciamento de ciclomotores, motocicletas e motonetas, a partir de 50 cilindradas, somaram 4.500 unidades. O segmento de implementos rodoviários foi o único que apresentou crescimento de 56,25% em relação ao último mês de 2016.

O município de Castanhal se destacou na venda de caminhões, representando 44,44% do total vendido em janeiro, em comparação com dezembro de 2016. Belém vem em seguida com 20% das vendas. As informações são da Assessoria de imprensa do Sincodiv-PA/AP.

Pará

Vendas de caminhões e ônibus crescem 14,32% em outubro, no Pará

Já o segmento de automóveis e comerciais leves tiveram mais de 4 mil unidades emplacadas no 10º mês do ano.

De acordo com levantamento apresentado pelo Sincodiv PA/ AP – Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá, com base nos emplacamentos de veículos, no mês de outubro, foram realizadas vendas de 12.396 unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte. No entanto, o valor representa uma queda de 2,77% no comparativo com o mês de setembro, quando foram registradas vendas de 12.749 unidades.

Os setores de caminhões e ônibus, juntos, apresentaram crescimento de 14,32%, no comparativo entre setembro e outubro, e alta também de 8,02% na comparação com outubro de 2013. Já no acumulado, a retração foi de 5% para os dois setores somados. Apesar disso, foi o segmento que mais se destacou no período.

Com relação aos segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, apresentaram queda de 2,28% no comparativo entre setembro e outubro, passando de 4.742 unidades para 4.634 veículos. Se o comparativo for realizado com o resultado do acumulado, os segmentos, juntos, apresentaram queda de 3,51%, passando de 46.028 unidades em 2013, para 44.411 este ano.

Segundo o presidente do Sincodiv, Leonardo Pontes, é esperado, até o final do ano, um aquecimento nas vendas, devido à antecipação de compras por conta do fim do benefício do IPI, programado para o dia 31 de dezembro. A medida do Governo Federal objetivou não causar uma queda nas vendas de automóveis ao longo do ano. “A indústria automobilística é muito importante para a economia brasileira. Ela representa 25% da produção industrial. Então, para manter a produção industrial crescendo, é importante que a indústria automobilística continue crescendo”, afirmou Leonardo.

Desempenho municípios
Entre os municípios paraenses, Belém continua tendo a maior participação no volume de vendas. No setor de automóveis, a capital teve participação de 42,1% nas vendas, seguida de Ananindeua, com 9,5% e Marabá, com 7,2%.

No segmento de caminhões, Belém alcançou 16,6% de participação. Marabá e Parauapebas também tiveram bons desempenhos neste segmento, marcando, respectivamente, 8,1% e 6,2% de presença nos emplacamentos.

No segmento de ônibus, a capital alcançou 39,8% de participação, seguida de Marituba, que obteve 17,1% e Parauapebas, que alcançou 13% das vendas.

Ranking de vendas

Automóveis e comerciais leves – foram emplacados 4.634 veículos. Em relação a setembro a retração foi de 2,28%. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior, apresenta queda de 4%.

Caminhões e ônibus – foram vendidos 431 veículos. Os segmentos sofreram alta de 14,32% em relação a setembro, e de 8,02% sobre outubro de 2013.

Motocicletas – Foram emplacadas 7.081 motocicletas. O setor sofreu desaceleração de 3,27% nas vendas, em relação a setembro. Quando comparado ao mesmo período do ano passado, o segmento caiu 16,17%.

Implementos rodoviários – O setor segue em expansão. Foram emplacados 107 veículos, em outubro, com alta de 20,22% sobre setembro e 5,94% sobre outubro de 2013.

Pará

Indústria automotiva paraense registra queda de 11,61% em agosto

Conforme o Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá a queda foi influenciada ao baixo desempenho da economia e baixo crescimento do PIB

grafico-quedaO último balanço do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Pará e Amapá (Sincodiv PA/AP) não trouxe boas notícias para a indústria automotiva paraense. O setor registrou queda de 11,61% nas vendas de veículos, em agosto. No total, foram vendidas 11.966 unidades, em agosto, contra 13.538, em julho. Foram contabilizados no balanço os emplacamentos de todos os segmentos, como automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários.

Na comparação com agosto de 2013, o número de emplacamentos também apresentou retração, com queda de 11,06% nas vendas. No mesmo período do ano passado, foram vendidas 13.454 unidades. O acumulado deste ano (janeiro a agosto) também não foi favorável, apresentando retração de 7,01%, com a venda de 101.307 unidades contra 108.948 em igual período do ano passado.

Os segmentos de automóveis e comerciais leves tiveram queda de 18,91% em relação ao mês de julho. Foram emplacadas 4.246 unidades, em agosto, contra 5.236 no mês anterior. O setor de caminhões, que estava em recuperação nos meses anteriores, também apresentou retração, com redução de 19,23% nas vendas. Outro setor que não teve bom desempenho foi o de motocicletas, com queda de 6,23%.

Segundo o presidente do Sincodiv PA/AP, Leonardo Pontes, o ritmo do setor é ditado pelo desempenho da economia. “Nosso setor é, diretamente, influenciado pelo desempenho da economia e mesmo com todo o esforço do setor em repassar o desconto do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e trazer a taxa de financiamento para juro zero, o setor não cresceu. Acredito que a queda nas vendas, também, estão associadas ao baixo crescimento do PIB. A falta de crédito foi outro fator que influenciou nos resultados de agosto”, analisa.

Leonardo Pontes acredita na recuperação do setor pelos próximos meses. “Temos uma expectativa de crescimento com as novas medidas do governo, que aumenta a disponibilidade de dinheiro para empréstimo”, diz otimista.