Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
manifestação

Movimento popular contra cenário político de Jacundá

O movimento é apolítico e apartidário, e o que queremos é uma solução para essa indefinição política, pois ela está comprometendo a saúde, educação, infraestrutura, a economia e toda a nossa sociedade
Continua depois da publicidade

Desde julho do ano passado a população de 56 mil habitantes do município de Jacundá não sabe quem ficará definitivamente na cadeira de prefeito. Uma briga de poder iniciada pela Câmara de Vereadores vem causando a maior instabilidade política e o troca-troca de prefeitos está afetando a vida dos moradores. E insatisfeitos com essa situação criaram a “Frente popular por amor à Jacundá”, que ganhou às ruas da cidade no final da tarde desta segunda-feira, 19, com mais de mil pessoas.

Com faixas, cartazes, panelas e apitos nas mãos os manifestantes se concentraram em frente à Câmara Municipal, Prefeitura e Poder Judiciário. Ailton Lima, um dos organizadores, explicou que “o movimento é apolítico e apartidário, e o que queremos é uma solução para essa indefinição política, pois ela está comprometendo a saúde, educação, infraestrutura, a economia e toda a nossa sociedade”.

Entre os exemplos de como a alternância de prefeito está diretamente deixando as ações mais lentas, é citado atraso no pagamento da folha salarial dos servidores da secretaria de Saúde, falta de pagamento à empresa fornecedora de merenda escolar e ausência de ações nas áreas de infraestrutura, desenvolvimento econômico e social. “É um verdadeiro caos em nossa cidade”, aponta Gessynael Reis.

A “Frente popular por Amor à Jacundá” teve a adesão da Igreja Católica, Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará), Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde Pública do Estado do Pará), associações de moradores, dentre outros organismos populares.

Da Praça dos Três Poderes, o movimento saiu pela Avenida JK e entrou na Avenida Cristo Rei. Centenas de pessoas a pé e outros de motos e carros percorreram a principal avenida da cidade numa manifestação que durou mais de 2 horas. Ao final do evento, os organizadores elaboraram um documento a ser entregue para o Ministério Público do Estado.

A crise no cenário político de Jacundá teve origem em meados de junho do ano passado, após a Câmara de Vereadores abrir uma Comissão Processante para investigar atos do prefeito José Martins de Melo Filho, o Zé Martins, e o afastando do cargo. De lá pra cá a alternância de poder já se repetiu por várias vezes. A última vez aconteceu no dia 1º de fevereiro quando a Justiça determinou o afastamento do gestor e em seu lugar assumiu o vice-prefeito Ismael Barbosa. A cada mudança de prefeito, a equipe de governo também muda.