Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

Polícia Civil não confirma participação de “Paulista” no assassinato do prefeito de Tucuruí e suspeito é liberado

José Elvis Vieira Lima disse ter sido vítima de armação feita por uma garota de programa e afirmou que no dia do crime se encontrava em Anapu

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Após longo interrogatório que entrou pela noite de ontem (26), na Superintendência de Polícia Civil do Lago de Tucuruí, o primeiro suspeito da execução do prefeito Jones Williams, na tarde de terça-feira (25), foi liberado. José Elvis Vieira Lima, conhecido como Paulista, foi preso ontem (26) em Pacajá, 160 km distante do local do crime, pelo sargento Benchymol, da Polícia Militar, após confusão em um bordel, quando teria dito a uma mulher que participou do assassinato do prefeito.

De acordo com Benchymol, Paulista teria inclusive confessado o crime e ainda afirmado que pertencia ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Entretanto, ao ser removido de Pacajá para Tucuruí, negou que tenha confessado. Disse que, devido a desentendimento com uma garota de programa, ela teria se vingado fazendo a falsa acusação contra ele, o denunciando à PM. Paulista afirmou ainda que na hora em que Jones Williams foi executado ele estava bem longe desta região, em Anapu, no sudoeste do Estado. Tudo foi confirmado durante o interrogatório e o suspeito foi liberado. Portanto, as investigações voltaram à estaca zero.

Em Tucuruí, na tarde de ontem (26), o delegado geral de Polícia Civil, Rilmar Firmino garantiu que, “apesar de complexa, a investigação vai chegar aos culpados pelo ‘crime de encomenda’. Assim foi em Goianésia, assim será em Breu Branco e Tucuruí”.

O delegado informou que o prefeito foi morto com oito disparos de pistola (ponto 40); cinco acertaram a cabeça do gestor municipal. “É um crime de difícil elucidação, mas vamos chegar
aos responsáveis. É um crime contra o Estado. Já estão sendo recolhidas câmeras de circuitos internos de residências, estabelecimentos comerciais, e sendo produzido o retrato-falado dos suspeitos. Policiais da Divisão de Homicídios seguem ouvindo várias testemunhas, entre elas os operários que estavam no momento do homicídio”, informou Rilmar.

Polícia

Polícia Militar prende primeiro suspeito de assassinar o prefeito de Tucuruí

O suspeito teria dito à uma garota de programa que participou do assassinato

Informações da Policia Militar do município de Pacajá dão conta que uma guarnição comandada pelos Sargentos Benchimol e Gonçalves, cabo Wagner, soldados Junior, Cardoso e Francisco, efetuaram a prisão do nacional conhecido por Paulista. Ele é suspeito de assassinar o prefeito Jones Willian, de Tucuruí, A prisão se deu por volta das 14h30 no município de Pacajá, distante 160 quilômetros do local do crime.

A PM chegou até o suspeito após uma denúncia anônima. Paulista teria se envolvido em uma confusão com uma garota de programa em Pacajá. Durante a briga, o suspeito teria deixado vazar a informação de que participara da execução do prefeito.

Paulista está detido na delegacia de Policia Civil de Pacajá aguardando a chegada de duas viaturas da Rotam, de Belém,  trazendo o superintendente da Polícia Civil para interrogar Paulista. A Polícia não confirma a participação dele no assassinato, mas não descarta. Segundo fontes ouvidas pelo Blog, pode ser que ele tenha dito isso para intimidar a garota de programa, A Polícia pretende levar o suspeito para Tucuruí para que ele seja reconhecido por testemunhas que presenciaram o crime.

Polícia

Polícias Civil de São Paulo e do Pará prendem acusado de matar crianças e de tentar matar mulher em Curionópolis

Suspeito, que estava com mandado de prisão preventiva decretado, está à disposição da justiça paraense

Uma ação conjunta das Polícias Civil do Pará e de São Paulo resultou na captura de José Carlos Anjos dos Santos, em Monguaguá, cidade da região metropolitana da Baixada Santista, litoral sul do Estado de São Paulo. Ele é acusado de assassinar os enteados de 10 e 12 anos, e de tentar matar a companheira Adriana Matos Alves, 29, e outra enteada de seis anos, no último dia 29 de maio, em Curionópolis. O preso está com mandado de prisão decretado pela juíza Priscila Mamede Mousinho, Juíza de Direito da Comarca de Curionópolis

A provável motivação do crime foi ciúmes por parte do suspeito. Após o crime, que abalou a cidade paraense, José Carlos, que paulista e natural do litoral santista, fugiu inicialmente para Marabá de onde seguiu para o Estado de São Paulo. Segundo o delegado Thiago Carneiro, responsável pelo inquérito do caso, o preso será recambiado ao Pará para responder pelo crime.

As vítimas foram atacadas em casa pelo acusado com pedaços de madeira que foram usados para desferir diversos golpes nas crianças e na mulher. Na casa, havia sinais de luta corporal. Por enquanto, ele vai permanecer na cidade paulista à disposição da Justiça do Pará, para responder pelo duplo homicídio e pelas duas tentativas de homicídio.

As informações, da Polícia Civil do Pará, dão conta que José Carlos foi capturado e vai em desencontro com o que vem sendo divulgado pelas redes sociais, de que o procurado se entregou.