Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tarifa social

Mais de 52 mil famílias paraenses podem ter perdido o desconto na conta de luz, no mês de abril

É necessário atualizar os dados do cadastro social a cada dois anos para não perder o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica

Somente no mês de abril, cerca de 52 mil famílias em todo o Pará podem ter perdido o benefício da Tarifa social de Energia Elétrica, que concede descontos de até 65% na conta de luz. O dado foi obtido a partir da análise da quantidade de cidadãos que possuem o CadÚnico (cadastro social) e não atualizaram os dados sociais em um intervalo de dois anos. Em Belém, mais de sete mil usuários perderam os descontos, seguido de Ananindeua, com mais de três mil; Marabá e Castanhal com cerca de duas mil perdas, cada um. Já em Santarém, esse número alcança mais de 2.700 usuários e em Parauapebas, mais de 1.500.

Em janeiro, a previsão do Ministério do Desenvolvimento Social e da Celpa era de que até o final de 2017, mais de 244 mil famílias em todo o estado do Pará poderiam perder o benefício em função da não atualização dessas informações. O alerta é para que os dados sejam repassados o mais rápido possível, para que as famílias voltem a fazer parte do Programa.

O executivo da área de Relacionamento com o Cliente da Celpa Ezion Geber, explica como os consumidores devem proceder. “Importante destacar que os dados sociais devem ser atualizados junto aos Centros de Referência e Assistência Social, os CRAS, a cada dois anos. Para os clientes verificarem se precisam fazer a atualização do cadastro, deve ser feito o contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003”, orienta o executivo.

De acordo com um estudo feito pela concessionária de energia, o benefício pode assegurar uma economia em cerca de R$ 500 durante o ano. Em uma conta de energia na qual o consumo é de 230 kW, por exemplo, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Por ano, isso chega a R$ 514,20. Na situação em que uma família consome 123 kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, isso poderá significar uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

Requisitos

Para fazer parte da Tarifa Social, é necessário possuir o NIS (Número de Inscrição Social) ou BPC (Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social), ter renda familiar mensal de até meio salário mínimo por pessoa, e que a data de última atualização cadastral dos dados sociais junto ao CRAS seja inferior a dois anos. O usuário deve receber o benefício da Tarifa Social em apenas uma conta contrato (antiga unidade consumidora) e o endereço de cadastro do beneficiário do CadÚnico estar localizado em um dos municípios do Pará.

O BPC é um benefício destinado às famílias com renda mensal (por pessoa) inferior a um quarto de salário mínimo. Para acessá-lo, não é necessário ter contribuído com a Previdência Social. O BPC assegura a transferência de um salário mínimo por mês a idosos, com 65 anos ou mais, e pessoas com deficiência de qualquer idade.

Famílias com renda mensal de até três salários mínimos, podem ser beneficiadas, desde que tenham entre os membros da família pessoa em tratamento de saúde domiciliar que precise uso contínuo de equipamentos hospitalares, que consumam energia elétrica. Para este caso, é necessário apresentar laudo médico certificando a situação de saúde e a previsão do período de uso do aparelho. O laudo médico deve ser homologado por médico do Sistema Único de Saúde (SUS).

SERVIÇO – Para (re)cadastrar os dados sociais e reaver o benefício, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel: comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Pará

Celpa faz novo alerta sobre a Tarifa Social de Energia Elétrica

Mais de 88 mil famílias devem perder o benefício até o final do ano, caso não façam a atualização dos seus dados sociais

De acordo com a Celpa, até o final do ano, mais de 88 mil famílias em todo o Pará podem deixar de fazer parte do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica, que concede descontos de 10% a 65% na conta de energia. A perda do benefício ocorrerá caso os usuários não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). Esses dados devem ser atualizados a cada dois anos pelos beneficiários, até para que continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.

Para verificar se precisam fazer a atualização do Cadastro Único, os cidadãos devem entrar em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003. Caso os dados não estejam atualizados, devem procurar o CRAS. Após a atualização, é só entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. E se o cliente ainda não for beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ligar para a central de atendimento da empresa ou ir até uma agência de atendimento da Celpa inscrever-se no Programa Tarifa Social.

Segundo dados da concessionária, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

Atualmente, o Pará possui cerca de 614 mil famílias beneficiadas pelo Tarifa Social. Segundo o executivo de Relacionamento com o Cliente da Celpa, Alexandro Freitas, a economia obtida em função do programa é capaz de proporcionar melhorias estruturais. “A quantia que é economizada durante o ano por essas famílias pode ser muito bem direcionada a educação, saúde e outras ações que, com certeza, estimulam a qualidade de vida”, avalia o executivo.

Importante
Em todo o Pará, cerca de 18 mil famílias já perderam o benefício da Tarifa Social por não terem atualizado os dados juntos ao CRAS, Para estes casos, a Celpa alerta que o benefício pode ser reativado a qualquer tempo. Estes usuários podem procurar o CRAS mais próximo de sua residência para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar. É importante lembrar que o benefício virá no ciclo seguinte do cadastro ou da atualização.

SERVIÇO

Requisitos para fazer parte do Programa:

– Possuir o NIS (Número de Inscrição Social);

– Ter renda familiar mensal menor que meio salário mínimo por pessoa;

– Data de última atualização cadastral junto ao CRAS deve ser inferior a dois anos;

– Receber o benefício da Tarifa Social em apenas uma conta contrato (antiga unidade consumidora);

– O endereço de cadastro do beneficiário do CadÚnico deve estar localizado em um dos municípios do estado do Pará.

Para atualizar os dados e se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel:

Comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Pará

Celpa alerta que 53 mil famílias podem perder descontos na conta de energia no Pará

Beneficiários do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica devem atualizar os dados sociais até o final de junho, para não perder o benefício

Cerca de 53 mil famílias em todo o Pará podem deixar de fazer parte do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica no final deste mês de junho. O Tarifa Social concede descontos de 10% a 65% na conta de energia e a perda do benefício ocorrerá caso os usuários não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). De acordo com a Celpa, esses dados devem ser atualizados a cada dois anos pelos beneficiários, até para que continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.

Conforme explica a gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, os cidadãos devem verificar se precisam fazer a atualização do Cadastro Único.  “Eles podem fazer isso entrando em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003. Caso os dados não estejam atualizados, devem procurar o CRAS. Após a atualização, é só entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. E se o cliente ainda não for beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ligar para a central de atendimento da empresa ou ir até uma agência de atendimento da Celpa inscrever-se no Programa Tarifa Social”, orienta.

A Celpa alerta ainda às famílias que já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, que elas podem recuperá-lo a qualquer tempo. Estes usuários podem procurar o CRAS mais próximo de sua residência para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar. É importante lembrar que o benefício virá no ciclo seguinte do cadastro ou da atualização.

A dona de casa Rita Morais, moradora do bairro do Coqueiro, em Ananindeua, é beneficiária do Programa há cinco anos e conta o quanto já foi possível economizar. “Eu lembro que a minha conta de energia vinha muito alta e desde que eu comecei a fazer a parte da Tarifa Social consegui economizar bastante nos gastos aqui de casa. Consigo ter uma economia de uns 30% na minha conta e esse dinheiro dá para usar com outras coisas”, diz Rita.

Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

Requisitos para fazer parte do Programa:

  • Possuir o NIS (Número de Inscrição Social);
  • Ter renda familiar mensal menor que meio salário mínimo por pessoa;
  • Data de última atualização cadastral junto ao CRAS deve ser inferior a dois anos;
  • Receber o benefício da Tarifa Social em apenas uma conta contrato (antiga unidade consumidora);
  • O endereço de cadastro do beneficiário do CadÚnico deve estar localizado em um dos municípios do estado do Pará.

Para atualizar os dados e se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel:

  • Comprovante de residência;
  • RG;
  • CPF;
  • e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Confira, por município, o número de famílias que podem perder o benefício até o final deste mês: Belém (9.340), Ananindeua (3539), Marabá (2.786), Castanhal (2.059), Santarém (1.320), Itaituba (1.254), Parauapebas (978), Paragominas (862), Abaetetuba (856), Altamira (542), Canaã dos Carajás (183).

 

Mais de 57 mil famílias no Pará podem deixar de ter descontos na conta de luz

Os usuários da Tarifa Social devem fazer a atualização dos dados sociais para continuar recebendo o benefício

Até o final do mês de junho, mais de 57 mil famílias em todo o estado do Pará podem perder o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica, caso não atualizem os dados sociais do Cadastro Único (CadÚnico) junto aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS). O cadastro deve ser atualizado a cada dois anos pelos beneficiários do programa, que concede descontos de 10% a 65% na conta de energia elétrica. A ação deve ser realizada também para que os usuários continuem usufruindo de outros programas sociais oferecidos à população de baixa renda.

Em Belém o número de famílias que pode perder o benefício, até o fim do primeiro semestre, chega a mais de 9.800, seguido de Ananindeua, com cerca de 3.700, Marabá com mais de 2.900 e Santarém com cerca de 1.400 famílias.

Para os cidadãos verificarem se precisam fazer a atualização do Cadastro Único, a Celpa orienta que entrem em contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003 e informem-se. Após os dados estarem atualizados, o cliente deve entrar em contato com a Celpa por meio do 0800 091 0196 e informar. Caso o cliente ainda não seja beneficiário e possua o NIS (Número de Identificação Social), ele pode ir até uma agência de atendimento da Celpa ou ligar para a central de teleatendimento da empresa e inscrever-se no Programa Tarifa Social.

Além de estar com os dados atualizados no CadÚnico, é necessário também ter uma renda familiar mensal de até meio salário mínimo (R$ 440,00) por pessoa para receber os descontos da Tarifa Social. Idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência de qualquer idade também têm direito ao benefício, via BPC – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.

Famílias com renda mensal de até três salários mínimos, também podem ser beneficiadas, desde que tenham entre os membros da família pessoa em tratamento de saúde domiciliar que requeira uso contínuo de equipamentos hospitalares, os quais consumam energia elétrica. Para este caso, é necessário apresentar laudo médico certificando a situação de saúde e a previsão do período de uso do aparelho. Laudo médico homologado por médico do Sistema Único de Saúde (SUS).

A gestora do processo na Celpa, Ana Paula Barbosa, alerta ainda que as famílias que se encaixam no perfil e já perderam o benefício, por não terem atualizado seus dados junto ao CRAS, podem recuperá-lo a qualquer tempo. “É importante destacar que estas famílias ainda podem procurar o CRAS mais próximo de suas residências para efetivar a atualização cadastral, assim o benefício poderá retornar”, esclarece Ana Paula.

ECONOMIA – Segundo dados da Celpa, o benefício da Tarifa Social é capaz de alavancar uma economia de mais de R$ 400 durante o ano. Em uma conta de energia cujo consumo contabilizado seja de 230 kW, a economia chega a ser de R$ 42,85 por mês. Anualmente, isso chega a R$ 514,20. Já em uma família que o consumo é de 123 kW, a economia mensal será de R$40,15. No final de 12 meses, é uma enxugada de R$481,80 no orçamento familiar.

SERVIÇO – Para se (re)cadastrar, os beneficiários devem procurar o CRAS do seu município ou bairro, munidos dos documentos de todas as pessoas que residem no imóvel: comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos beneficiados e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

Confira, por município, o número de famílias que podem perder o benefício até o final do mês de junho:

Belém

9.851

Ananindeua

3.783

Castanhal

2.160

Marabá

2.920

Santarém

1.462

Abaetetuba

907

Paragominas

1.086

Itaituba

1.376

Parauapebas

1.139

Altamira

620

Famílias de baixa renda precisam se recadastrar para manter a tarifa social de energia elétrica

As famílias de baixa renda beneficiárias da tarifa social têm até o fim de abril para atualizar os seus dados no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e continuar recebendo os descontos na conta de luz. Pelo menos 124 mil famílias estão nessa situação. Os beneficiários da tarifa social que já completaram dois anos de cadastrados estão recebendo a chamada no extrato bancário enviado pelo MDS. Além disso, a Celpa também envia cartas aos beneficiários da tarifa social, orientando a atualizarem os dados.

Atualmente, 589.921 famílias estão incluídas no programa no estado do Pará. Se você é um dos beneficiados com a tarifa social, fique atento, pois o recadastro precisa ser feito a cada dois anos, segundo Resolução 572/2013 da Agência Nacional de Energia Elétrica. O benefício é destinado a famílias com renda de até meio salário mínimo por integrante.

O recadastro pode ser feito em um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município ou na Secretaria Municipal de Assistência Social. Os descontos podem chegar até 65% do valor da conta. A família de baixa renda que ainda não está inscrita no programa, precisa procurar o CRAS ou a Secretaria Municipal de Assistência Social para se inscrever no Número de Identificação Social (NIS) e solicitar o cadastro da tarifa social na concessionária de energia elétrica, seja por meio da Central de Atendimento (0800 091 0196) ou nas agências de atendimento.

Documentos necessários para apresentar no recadastramento (comprovante de residência, RG, CPF, certidão de nascimento dos filhos beneficiados e Carteira de Vacinação das crianças menores de 5 anos)

  • O recadastramento é realizado nos CRAs ou nas Secretarias Municipais de Assistência Social;

  • 589.921 mil Famílias são beneficiadas com a Tarifa Social no Pará;

  • 24 mil famílias podem perder a tarifa social se não se recadastrarem no CadÚnico;

  • As famílias com cadastramento de mais de 2 anos precisam atualizar os dados até o final de abril;

  • Os beneficiados com a Tarifa Social recebem descontos na conta de luz entre 10% a 60% do valor da conta.

Celpa alerta cliente para Tarifa Social de Energia Elétrica

Pelo menos 300 mil famílias consideradas pelo Governo Federal como baixa renda, tem até dezembro deste ano para atualizar seus dados e evitar perder o desconto na conta de energia. Esta atualização deverá ser realizada no Centro de Referência e Assistência Social (CRas) e/ou prefeituras municipais. Por meio destes órgãos, é que o cliente poderá atualizar seus dados no sistema de Cadastro Único do Governo Federal e manter o benefício – procedimento é regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Conforme explica o diretor Comercial da Celpa, Augusto Dantas, as famílias de baixa renda encontram-se em três situações. “Temos casos em que a família não tem NIS e para isso precisa procurar o CRAS ou a secretária de assistência social de seu município para se inscrever no CadÚnico. Ou a família tem o NIS mas ainda não recebe o benefício da Tarifa Social, e neste caso é importante que o cliente procure a Celpa e solicite seu cadastrado na tarifa social para receber o desconto; por último, o cliente que já possui Tarifa Social e precisa apenas manter seu cadastro atualizado a cada dois anos junto ao CRAS ou a secretária de assistência social”, explicou.

Para os clientes que não tem certeza se já estão inscritos no CadÚnico ou se precisam fazer a atualização, a Celpa orienta que liguem para a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003 e informem-se. Caso o cliente já tenha o NIS, poderá ir até uma agência de atendimento da Celpa ou ligar para a central de teleatendimento da empresa, pelo número 0800 091 01 96, e inscrever-se.

Ana Paula Barbosa, gestora deste processo na Celpa, enumerou as atividades realizadas pela empresa para reforçar esta campanha. “Estamos reforçando a Tarifa Social junto às comunidades para que os clientes que já participam continuem no programa e para que os potenciais clientes também possam recebê-lo. Palestras, anúncios nas faturas, testemunhais em rádios, na capital e interior, reunião com lideranças comunitárias e campanhas de cadastramento porta-a-porta, são realizadas para chamar atenção destes públicos”, ressalta.

Quando cadastrados na Tarifa Social, os clientes têm descontos na conta de luz que variam de 65% a 10%, dependendo do consumo de cada residência. Podem se cadastrar e receber o benefício, as famílias inscritas no CADÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal) com renda mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional e os beneficiados pelo BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Hoje, no Pará, mais de 665 mil clientes já estão cadastrados e recebem desconto na fatura de energia elétrica. No entanto, desse quantitativo, 317 mil clientes ainda não atualizaram seus dados cadastrais e podem perder o benefício, a partir de Janeiro de 2015. A Celpa, além de reforçar a importância da atualização cadastral, pretende aumentar a base de clientes beneficiados pela Tarifa Social para 1 milhão, portanto, pretende beneficiar até dezembro de 2015 mais 335 mil famílias.

Veja como o desconto é aplicado por faixa de consumo:

image001

error: Conteúdo protegido contra cópia!