Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
saúde

Ministério da Saúde destina R$ 85 milhões para construção de UBS Fluviais em estados da Amazônia Legal

Verba é destinada a 46 municípios e servirá para ampliar o acesso da população ribeirinha a procedimentos, como consultas médicas e atendimentos de saúde bucal

O Ministério da Saúde destinou R$ 85 milhões para construção de 45 Unidades Básicas de Saúde Fluviais (UBSF) para melhorar a assistência à população ribeirinha. A verba é destinada a cinco estados: Acre (3), Amazonas (21), Amapá (1), Pará (19) e Tocantins (1). Cada unidade custa cerca de R$ 1,88 milhão. As propostas foram aprovadas no mês de dezembro e a liberação dos recursos já foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) no mesmo mês.

As UBSF são embarcações que comportam Equipes de Saúde da Família Fluviais (eSFF), providas com a ambiência, mobiliário e equipamentos necessários para atender à população ribeirinha da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão) e Pantanal Sul Mato-Grossense. As unidades buscam responder às especificidades dessas regiões, garantindo o cuidado às suas populações como previsto na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB).

Para as comunidades distantes da UBS de referência, as eSFF adotam circuito de deslocamento, por meio de embarcações, o que assegura às comunidades assistidas a execução das ações da Atenção Básica. As equipes são compostas, minimamente, por um médico, um enfermeiro, um técnico de saúde bucal e um bioquímico ou técnico de laboratório.

Em julho de 2016, o Ministério da Saúde liberou R$ 420 mil para custear a habilitação de eSFF nos municípios de Borba, Manaus e Manicoré, no Amazonas; Santarém, no Pará; e Cruzeiro do Sul, no Acre. As equipes intensificaram o trabalho realizado pelas UBSF, que hoje já atende cerca de 40 mil ribeirinhos nos estados do Pará, Acre e Amazonas. Neste último estado, os recursos foram aplicados na Atenção Básica da região para fortalecer o cuidado de 5.500 ribeirinhos que vivem em 18 comunidades na capital amazonense. Entre 2011 e 2016, foram contempladas 64 propostas para construção de UBSF na Amazônia Legal, sendo 26 para o estado do Amazonas.

Distribuição por Estado

UF Quantidade
AC 3
AM 21
AP 1
PA 19
TO 1

Distribuição por município

UF Município Componente Recurso Valor Total da Porposta
AC Cruzeiro do Sul UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AC Feijó UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AC Marechal Thaumaturgo UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Amatura UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Anori UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Boca do Acre UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Caapiranga UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Canutama UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Codajas UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Eirunepe UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Guajara UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Ipixuna UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Itapiranga UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Japura UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Jurua UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Manaquiri UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Maraa UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Nova Olinda do Norte UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Santa Isabel do Rio Negro UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
Am São Sebastião do Uatuma UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Silves UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
Am Tapua UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Urucara UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AM Urucurituba UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
AP Mazagao UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Acará UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Afuá UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Alenquer UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Almeirim UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Anajás UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Bagre UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Belém UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Cametá UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Curuá UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Faro UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Gurupá UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Itaituba UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Jacareacanga UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Juruti UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Abidos UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Oeiras do Pará UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Ponta de Pedras UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA São Domingos do Capim UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
PA Tucuruí UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00
TO Araguatins UBS Fluvial Programa R$ 1.889.450,00

*Agência Saúde

Amazônia Independente: movimento propõe a emancipação da Região Norte

Um dos líderes do movimento propõe a criação do país Amazônia, agregando todos os Estados da Região Norte

No último domingo (1), a região da Catalunha, na Espanha, realizou referendo para saber se há viabilidade de emancipação e se tornar um novo país. Após a consulta, em que 42% da população foram às urnas, cerca de 90% dos eleitores se declararam favoráveis à divisão.

Embalados pela votação espanhola, o movimento O Sul é Meu País promoverá no próximo sábado (7), um plebiscito informal para saber se os eleitores do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul aprovam também a possibilidade de se tornarem um novo país.

Aqui na Amazônia, há movimentos que se articulam e propõem uma ruptura  do Norte com o restante do país, e um deles é o Movimento Amazônia Independente. Um dos líderes do movimento, Axel Julyan, propõe a criação do país Amazônia, agregando todos os Estados da Região Norte.

“Nosso movimento surgiu com a união de um grupo amazonense e um grupo paraense há cerca de um ano atrás, tínhamos o mesmo ideal emancipacionista. Mas o movimento ainda está em processo de formação e consolidação, ou seja, tem funcionado de forma improvisada”.

Segundo Julyan, o grupo formado, em sua maioria, por pessoas dos Estados do Amazonas e Pará, pretende articular não apenas a ação de emancipação, mas também atividades e outras discussões.

“Pretendemos fazer sua legalização como associação cultural no próximo ano, para desenvolvermos inúmeras atividades, não somente de cunho separatista. Hoje nós temos um grupo com cerca de 50 integrantes, com pessoas de todos os estados da região norte, embora a maioria seja do Pará e Amazonas. Nós estamos buscando a adesão de mais pessoas nos demais estados. De vez em quando aparece nas redes sociais alguma página que promove o separatismo de algum estado, mas nós apenas ignoramos, pois não se tratam de movimentos sérios,” disse.

Ainda questionado sobre a viabilidade do movimento e a projeção caso a separação aconteça, Julyan afirma que é preciso combater mitos sobre a criação do amazônida e da Amazônia.

“Mitos como os que dizem que a Amazônia é desabitada, que é dependente e incapaz de se sustentar – o que legitima o domínio brasileiro sobre nós. Somente com o que temos hoje, nós seríamos maiores que 70% dos países do mundo em relação à economia e população. Além disso, sem as amarras do estado brasileiro, com uma verdadeira emancipação, nós poderíamos partir para um verdadeiro desenvolvimento econômico com a construção de uma indústria nacional amazônida, e etc. Nós temos um potencial enorme pra nos desenvolver de forma humana e sustentável, mas na situação em que estamos, nós desperdiçamos todas essas oportunidades e aceitamos resignados situações absurdas promovidas tanto pelo Brasil quanto por outros países. Se nações menores podem, por que nós não podemos?” concluiu.

O que diz a Constituição?

Para o cientista político Helso Ribeiro, é inviável a emancipação da Amazônia e a criação de um novo país. Ele explica que qualquer proposta neste sentido é inconstitucional.

“Existe em nossa constituição uma cláusula pétrea que não pode ser superada, nem mesmo através de consulta popular. Com isso é inconstitucional qualquer divisão do território brasileiro. Ainda que tenham as divergências e as diferenças regionais, o país é uma nação, tem uma língua unificada, é miscigenado, diferente, por exemplo, da Catalunha, que busca consolidar sua divisão, mas é uma região com identidade e idiomas próprios,” disse. (Portal Amazônia)

infraestrutura

Presidente Michel Temer assina amanhã Ordem de Serviço para construção de ponte ligando o Pará ao Tocantins

Ele desembarca em Marabá e segue de helicóptero para Xambioá (TO), onde assina a OS às 11h. Às 14h a cerimônia se repete em São Geraldo, no Pará

Eleutério Gomes – de Marabá

O presidente Michel Temer (PMDB), segundo previsão do Cerimonial da Presidência da República, desembarca amanhã, quinta-feira (14), às 8h40 no Aeroporto “João Correia da Rocha”, em Marabá, e da pista de pouso mesmo, embarca em helicóptero que o levará a Xambioá, no Tocantins. Ali, às 11 horas, assina a Ordem de Serviço para a construção da ponte que liga aquele Estado ao Pará, com 1.721 de extensão, orçada em R$ 160 milhões. Do lado do Pará, em São Geraldo do Araguaia, a cerimônia se repete às 14 horas. A ponte ligará dois trechos da rodovia federal BR-153, separados pelo Rio Araguaia, cuja travessia atualmente é feita de balsa.
A assinatura terá a presença dos ministros Helder Barbalho (Integração Nacional) e Maurício Quintella (Transportes), que farão parte da comitiva que vem de Brasília, desembarca em Araguaína (TO) e segue para Xambioá. Já a comitiva de Belém desembarca em Marabá e segue para São Geraldo.
A construção da ponte, há muito esperada tanto pelo Pará quanto pelo Tocantins é resultado da união de esforços das bancadas federais paraense e tocantinense para que a obra fosse incluída no PAC (Plano de Aceleração do Crescimento). Amanhã, no ato da assinatura da Ordem de Serviço é que será anunciada a data do início das obras.

PRF

Assaltante da Prosegur em Marabá é preso – de novo – quando fugia para Goiânia

"Bin Laden" carregava R$ 160 mil em espécie, portava CNH falsa e tentou fugir de agentes da PRF. Ele era foragido do presido de Belém após rebelião no início deste ano.

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Conhecido no mundo do crime como “Bin Laden”, Antônio Rangel Duarte Lima é useiro e vezeiro em fugir de presídios. Em setembro do ano passado ele foi preso pela Polícia Civil do Pará em Dom Eliseu com dois fuzis, uma pistola ponto 40, R$ 300 mil em dinheiro, 120 tabletes de maconha e 5 coletes à prova de balas. Foi levado para um presídio de Belém, mas no início deste não conseguiu fugir.

Neste domingo, dia 5, mais uma vez, “Bin Laden” caiu nas mãos da polícia. Ele trafegava em um veículo pela rodovia Belém Brasília (BR-153), quando o carro foi abordado por agentes da Polícia Rodoviária Federal no município de Campinorte-GO. Ele viajava como carona e outro homem, de 29 anos, conduzia o veículo. Ambos apresentaram documentos falsos e se complicaram.

Ao realizarem a verificação, os policiais perceberam que a CNH apresentada pelo passageiro era falsa e que o condutor possuía antecedentes criminais.

Neste momento, os policiais iniciaram uma busca mais minuciosa no veículo, quando “Bin Laden”, que havia apresentado CNH falsa, empreendeu fuga pelo mato. Dois dos policiais seguiram o fugitivo e, a outra equipe, permaneceu com o condutor, algemando-o. Após alguns minutos, o fugitivo tropeçou e caiu, quando foi alcançado e algemado pelos policiais.

O homem que havia fugido relatou aos policiais que seu nome não era aquele apresentado na CNH e que ele era foragido da Justiça do Estado do Pará. Em seguida, informou que estava com alta quantia de dinheiro dentro do carro, proveniente de assalto à empresa Prosegur em Marabá, ocorrido em agosto de 2016. Ao fiscalizar o veículo, a polícia verificou que havia a quantia de R$ 149.207,00. Junto com os homens haviam ainda R$ 7.119,00, totalizando uma quantia de mais de R$ 156 mil reais. A PRF depois descobriu que o fugitivo era um criminoso conhecido no Pará por “Bin Laden”, mas cujo nome verdadeiro é Antônio Rangel Duarte Lima.

  Parte do dinheiro oriundo do assalto à empresa Prossegur e armas apreendidas em Dom Eliseu  

O assaltante preso alegava que viajava de Araguaína-TO para Goiânia, onde passaria a residir, e que, o outro homem, condutor do veículo, teria sido contratado por R$ 2 mil para fazer o traslado. A PRF posteriormente descobriu que o motorista já havia cumprido pena por tráfico de drogas em Anápolis. Quando da abordagem ele estava com pequena quantidade de cocaína e ainda conseguiu “resetar” o celular, para dificultar o encontro de informações por parte da polícia.

No celular de “Bin Laden’ foram verificadas várias fotos de pilhas de dinheiro e diversos comprovantes de depósito, pois no assalto à transportadora foram roubados milhões de reais. Quanto à CNH falsa, ele alega que a comprou em Goiânia por R$ 500,00, há dois meses. “Bin Laden” possuía contra si dois mandados de prisão em aberto, um por latrocínio e outro por roubo qualificado e também já fugiu duas vezes do presídio. Ambos foram presos e levados para a Polícia Federal de Goiânia. (Com informações do site diariodegoiania.com.br)

Pará

Edital para construção da ponte sobre o Rio Araguaia, na divisa entre Tocantins e Pará, será aberto dia 17 de novembro

O Cadastro de Licitações da Superintendência Regional do Estado do Tocantins do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes fará, no dia 17 de novembro de 2016, às 9 horas, a abertura do edital de licitação para a Contratação Integrada de Empresa para a Elaboração dos Projetos Básico/Executivo e Execução das Obras da Ponte Rodoviária sobre o Rio Araguaia, na rodovia BR-153, na divisa dos Estados do Pará e Tocantins.

A obra sobre o Rio Araguaia, em Xambioá, que faz divisa com São Geraldo, no Pará, está contemplada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e tem custo total estimado em R$ 160 milhões, sendo de R$ 100 milhões já garantidos no orçamento 2016 por meio de emenda da bancada federal do Estado do Tocantins, de caráter impositivo.

A ponte, com 1.721 metros de extensão, será construída no trecho da BR-­153 que interliga as malhas viárias dos Estados do Tocantins e Pará. Atualmente, a travessia no trecho é realizada por meio de balsas, gerando transtornos à logística de escoamento da produção local e regional.

Uma antiga reivindicação da população, tanto do Estado do Tocantins como do Estado do Pará, a rodovia BR-­153 é considerada o principal eixo de escoamento da produção agropecuária das regiões de produção do Tocantins e do Pará, onde, a construção da Ponte e seus acessos irão otimizar os custos com transportes dos veículos que trafegam com destino às regiões Sul, Sudeste, Centro-­Oeste e Norte do país. Além de ser um importante eixo de ligação entre as regiões norte e do centro do país, a rodovia BR-­153 permite a integração multimodal entre a ferrovia Norte-­Sul e a hidrovia Tocantins/Araguaia.

Pará

Pará impõe restrição ao comércio de aves

frangoNão convidem para tomar chimarrão na mesma cuia o médico veterinário Luciano Guedes, diretor da Agência de Defesa Agropecuária do Pará – Adepará -, e Humberto Camelo, diretor da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec).

É que, alegando segurança sanitária, a portaria nº 961, de 27 de março de 2015, da Adepará, restringiu o trânsito interestadual de aves vivas adultas, tipo frango de corte, para o abate em estabelecimento sob inspeção oficial (SIM e SIE) de outros estados.

A portaria, alega Camelo, causa um grande impacto econômico no Tocantins, já que o Estado é um grande exportador de aves para o Pará.

Pará

Expedição busca restos mortais de militantes da Guerrilha do Araguaia

Guerrilha do AraguaiaUma equipe de peritos das áreas de geologia, arqueologia e antropologia forense começou, nessa segunda-feira (8), a primeira expedição do ano para busca de restos mortais de militantes políticos da Guerrilha do Araguaia.

De acordo com informações da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a expedição acontece em São Geraldo do Araguaia, no Pará; e Xambioá, no Tocantins – cidades que sediaram bases e acampamentos montados pelo Exército no período do movimento. Segundo relatos de testemunhas, guerrilheiros teriam sido enterrados em diversos pontos da região.

No município paraense, uma das áreas de atuação é o antigo cemitério de São Geraldo. A equipe vai retomar as investigações iniciadas em 2012 e 2013, com o objetivo de identificar covas em que possam estar enterrados desaparecidos políticos.

Também vai ser feito um levantamento de possíveis cavernas e fendas usadas para a ocultação de restos mortais no desfiladeiro do Morro do Urutu, situado na Serra das Andorinhas.

Em Xambioá, no Tocantins, os peritos pretendem dar continuidade às escavações no local que sediou a base militar de Xambioá, utilizada para atos de tortura contra camponeses e militantes políticos.

A equipe trabalha ainda para recuperar artefatos deixados pelos militares na tentativa de promover o resgate histórico sobre o funcionamento da base de Xambioá, conhecida como um dos locais mais cruéis de tortura na região.

As buscas nessas duas cidades seguem até 19 de junho. Outras duas expedições devem acontecer entre agosto e outubro deste ano.

Por Sâmia Mendes – EBC

Pará

STI realiza visita técnica ao Regional de Tocantins com o intuito de aprimorar a tecnologia para as Eleições 2016

A Secretaria de Tecnologia da Informação do TRE-PA participa de encontro com Gestores e profissionais de vinte e dois Tribunais Eleitorais que compõem o Grupo de Trabalho JE Connect – solução tecnológica, que agiliza o processo de apuração dos votos.

tre-tp

A equipe composta pelos servidores Felipe Houat de Brito, Reinaldo Gil Lima de Carvalho e Emerson Dias se reúne desde a última segunda feira (04/05), no Anexo I do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), em Palmas, das 9h às 19h, para discutir, apresentar e iniciar o desenvolvimento de melhorias à ferramenta, para as eleições de 2016. Os técnicos atuarão durante cinco dias, para a realização das tarefas. Nos dois primeiros dias de encontro ocorreu a participação dos gestores dos Tribunais Eleitorais que utilizam o sistema com o intuito de troca de experiências e proposição de novos requisitos.

Dentre as melhorias previstas para a solução estão principalmente uma maior integração aos sistemas eleitorais existentes, além da facilidade para a geração de kits de forma descentralizada, visando garantir maior liberdade às Zonas Eleitorais para instalação de uma maior quantidade de Pontos de Transmissão.

A STI do TRE-PA pretende expandir a utilização dos sistemas em 2016, chegando a mais de 500 pontos de transmissão, destes, além dos satelitais (BGANS),  até 300 com a tecnologia JE Connect. A ideia principal é encerrar a próxima eleição em período ainda menor que o recorde alcançado em 2014, que foi ás 21h27.

Fonte: TRE/PA – STI

error: Conteúdo protegido contra cópia!