Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Gestão

Os 15 maiores desafios para Tião e Toni em Marabá

Listamos algumas dificuldades iminentes que a nova gestão terá que confrontar

Passada a conturbada posse, agora é hora de focar nos desafios e escolher quais deles serão prioridades. Com o relatório da Comissão de Transição em mãos, a dupla Tião Miranda (prefeito) e Toni Cunha (vice) ganha logo na primeira semana uma avalanche de problemas para solucionar.

Listamos quinze desses problemas para que o leitor tenha ideia do tamanho do abacaxi que a dupla TT precisa descascar no início de 2017:

  1. Desarmar a bomba relógio chamada PCCR da Educação;
  2. Pagar salários atrasados de servidores;
  3. Pagar vale alimentação atrasados há cinco meses;
  4. Pagar os atrasados do convênio com a Unimed, que foram descontados dos servidores e não repassados à cooperativa médica;
  5. Retirar Marabá do Cauc (Cadastro Único de Convênios), devendo pagar débitos superiores a R$ 8 milhões;
  6. Resolver o problema da coleta de lixo, que passa por situação crônica;
  7. Limpar centenas de grotas e valas nos quatro cantos da cidade para evitar alagamentos de imóveis com as chuvas;
  8. Pagar dívida com fornecedores e limpar o nome da Prefeitura;
  9. Cortar gastos na Prefeitura, diminuindo número de portarias para comissionados temporários e secretarias;
  10. Operação tapa-buracos nas ruas asfaltadas e terraplanagem em ruas sem asfalto e que estão críticas;
  11. Melhorar a iluminação pública, definindo se vai submeter o parque de iluminação da cidade a uma PPP (Parceria Público Privada);
  12. Pagamento da dívida consolidada do município, empréstimos, precatórios judiciais, que ultrapassam mais de um exercício e diminuem a capacidade de investimento do governo municipal;
  13. Obter capacidade de investimento do poder público em tempos de vacas magras;
  14. Organizar os loteamentos que eclodiram na área urbana nos últimos oito anos;
  15. Pagar a dívida milionária que a Prefeitura tem com o Ipasemar, algumas delas parceladas nas últimas gestões.
Direito de resposta

Dr. Veloso, segundo colocado na eleição para prefeito de Marabá, rebate alfinetada de Toni Cunha

"O interesse do povo de Marabá não pode estar à mercê do humor e do estado emocional do Tião".

O médico Manoel Veloso, alfinetado pelo vice-prefeito de Marabá, Toni Cunha, sob a alegação de que usou as redes sociais para tripudiar do sofrimento do Tião, “em uma atitude vil e descompromissada com Marabá”, encaminhou resposta ao Blog comentando a fala de Cunha.

Disse Veloso, que foi o segundo colocado na eleição de outubro passado em Marabá:

“A referência à nossa opinião dos fatos, feita pelo vice-prefeito Toni Cunha, em seu discurso de posse, vem valorizar a nossa atuação como oposição. Ela (a oposição) é fundamental para o sucesso de um governo. Acho que já começamos bem, fazendo o prefeito eleito refletir  e se apresentar para trabalhar.

O interesse do povo de Marabá não pode estar à mercê do humor e do estado emocional do Tião.

Como médico sei que uma depressão tem tratamento e bem cuidada responde entre 6 a 12 semanas, com normalização dos sintomas. Claro que existem oscilações e recaídas que realmente podem ser incapacitantes, mas, não se tem noticia de pedido de licença médica para afastar-se da Assembleia Legislativa durante estes últimos meses. Em sua própria carta renúncia, diz-se apto ao trabalho como parlamentar.

Ele (Tião) tem a responsabilidade, que assumiu perante todos, de tirar a cidade desse buraco.

Como oposição crítica e construtiva, estarei vigilante na defesa dos marabaenses!”

Manoel Veloso

Marabá

Tião Mianda assume, vai trabalhar e deve decretar Situação de Emergência no lixo

Novo prefeito de Marabá assume pela primeira vez a depressão em público.

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Conforme divulgado em primeira mão aqui no blog, o prefeito eleito de Marabá “rasgou” a Carta de Renúncia que havia entregue na sexta-feira, 30, e decidiu assumir o cargo neste domingo, 1º de janeiro de 2017. A cerimônia de posse durou 3h50 e foi marcada por muitas expressões de encorajamento a Miranda, que pela primeira vez assumiu publicamente sofrer de depressão.

Junto com Tião Miranda, seu vice Antônio Carlos Cunha Sá, delegado licenciado da Polícia Federal, assumiu garantindo que vai estar ao lado do titular da pasta para, juntos, resgatarem o passivo financeiro e a imagem do município, que “anda muito desgastada há oito anos”.

Questionado se vai mesmo decretar situação de emergência, o prefeito Tião Miranda disse que isso deve acontecer especificamente em relação ao lixo. Afirmou que não vai manter a empresa que realizava o serviço no município e que a Prefeitura deverá assumir a gestão da coleta. Enquanto não adquire caminhões compactadores, Tião deve decretar ainda esta semana Situação de Emergência para contratação de máquinas para efetuar essa tarefa o mais rápido possível.

Sobre a lista dos nomes dos novos secretários, Tião confessou que a indefinição se ele assumiria ou não a prefeitura nos últimos dias impediu que terminasse de compor seu grupo de trabalho no primeiro escalão do governo, o que deve acontecer ainda esta semana. Secretarias como Cultura, Finanças e Assistência Social ainda estão sem titulares.

O vice Toni Cunha reconheceu à Reportagem que a depressão quase impediu Tião de assumir a Prefeitura, e revelou que foi preciso ele e outras pessoas o convencerem da necessidade de irem à cerimônia de posse. “Até 3 horas da tarde de domingo ele ainda não estava 100% seguro. Fui à casa do Tião e disse a ele que vestisse o paletó porque eu só iria à posse ao seu lado. Ele ficou animado e viemos”, confessou.

Em relação à depressão, Tião disse que o momento em que vive é difícil. “Quem tem essa doença não comanda sua cabeça e mesmo nos momentos mais difíceis o Toni esteve ao meu lado.  Senti uma corrente de oração muito positiva. Quero ver uma Marabá melhor para as pessoas viverem. Vou fazer o melhor para a minha cidade. Nossa equipe de funcionários e secretários é preparada. Tenho o interesse de fechar minha biografia política de uma forma positiva”.

Alfinetada

Toni Cunha usou a tribuna para, indiretamente, dar umas alfinetadas no segundo colocado nas eleições municipais, Manoel Veloso, dizendo que este usou as redes sociais para tripudiar do sofrimento do Tião, “em uma atitude vil e descompromissada com Marabá”.

Composição da Mesa Diretora da CMM

Os vereadores entraram em consenso para apresentar apenas uma chapa para concorrer à Mesa Diretora da Câmara, que ficou definida com Pedro Correa Lima como presidente; Irismar Araújo Melo vice-presidente; Paulo Sérgio do Rosário Varela segundo vice-presidente; Cristina Mutran como primeira secretária; Alecio Stringari como segundo secretário; e Edinaldo Machado como terceiro secretário.