Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Desenvolvimento

Marabá recebe investimentos do Governo do Estado em diversas áreas

Entre as obras que estão em andamento em Marabá está o Centro de Internação de Adolescente Masculino (Ciam)
Por Lidiane Sousa – Secom

A forte vocação mineral e agrícola de Marabá faz do município, com mais de 270 mil habitantes – a quarta maior população do Estado -, o principal centro socioeconômico do sudeste paraense. E, assim como em outras regiões, mesmo em um período em que a economia nacional anda a passos lentos, o Governo do Estado investe em obras que contribuem para o desenvolvimento e asseguram melhores condições de vida para a população.

E para fomentar ainda mais o lado empreendedor e de negócios na região, até o final deste ano a cidade vai receber um grande Centro de Convenções e Eventos. As obras já estão na fase de acabamento e finalização de urbanização e paisagismo da área externa do empreendimento, localizado na rodovia Transamazônica, no bairro Nova Marabá.

“Estamos com cerca de 95% da obra pronta. Tivemos um prolongamento nos prazos em função de algumas melhorias no projeto, para dar mais conforto e reforçar a capacidade de receber diversos tipos de eventos. Este será o segundo maior do Estado, ficando atrás somente do Hangar, em Belém. Já estamos com toda a estrutura e instalações de esgoto e elétricas finalizadas. Muito em breve o espaço será entregue à população”, afirmou Flávio Bentes, engenheiro da obra.

Ao todo, são 13 mil m² de área construída em um terreno de mais de 33 mil m². O Centro de Convenções vai abrigar quatro grandes espaços, entre eles um para feiras, com 4.800 m² e capacidade para abrigar mais de 10 mil pessoas em pé. Possui palco fixo de 200 m², dois camarins, copa, banheiros e toda a estrutura necessária para abrigar grandes eventos. Já o segundo bloco abriga a área administrativa do espaço, no andar superior, e no térreo, a praça de alimentação, restaurante e lanchonete climatizados.

O terceiro prédio contempla um teatro com mil lugares e uma sala multiuso de mil metros quadrados com capacidade para 400 pessoas que pode ser subdividida em dez espaços menores, com 40 poltronas cada. Já o quarto espaço é dedicado a um auditório com capacidade para 520 pessoas, sendo que este poderá subdividir-se em cinco células de 104 lugares cada, com divisórias removíveis, isolamento acústico, além de palco e área de circulação, além de um amplo estacionamento.

“Cerca de 12 mil pessoas poderão usufruir dos espaços, já que todos poderão ser utilizados de forma simultânea”, explicou Flávio Bentes. “É um empreendimento que vai mexer com a economia local, uma obra que traz grandes novidades para a região até então nunca vistos”, acrescentou o engenheiro.

Marabá é o maior município da região Araguaia-Tocantins. Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, a cidade possui uma localização estratégica em todos os modais – rodoviário, ferroviário e hidroviário – e está localizada em uma região com grande potencial nas áreas mineral e agronegócio, que podem ser potencializadas com o novo empreendimento.

“O Centro de Convenções vai induzir o turismo de negócios e eventos, assim como o Hangar, em Belém. E nós sabemos o que isso impactou positivamente na geração de empregos e serviços na área de hotelaria e de alimentação. Marabá vai ter essa oportunidade, inclusive com a expectativa de melhoria da oferta de voos que, com a crise, foram reduzidos pelas companhias aéreas em todo o Brasil. Mas, havendo grande demanda, e aí o Centro de Convenções vai ajudar nesse sentido, com certeza voos novos serão criados”, avaliou o titular da Sedeme.

Educação

Além da área de infraestrutura e negócios, a educação no município também ganha atenção especial. O bloco de saúde do campus da Universidade Estadual do Pará (Uepa) também está com as obras em fase de finalização.

Para a coordenadora do Campus VIII, Danielle Monteiro da Costa, este é um sonho que se torna realidade para toda a comunidade acadêmica. “Com o novo bloco vamos praticamente duplicar o nosso espaço físico, que vai beneficiar aproximadamente 250 alunos de oito turmas dos cursos de medicina, biomedicina e engenharia florestal”, comemorou.

O prédio de três pavimentos foi construído em um terreno de 1.600 m² e possui 12 salas de aulas gerais e mais seis para tutoria, além de espaço para as coordenações dos cursos de graduação; professores, reunião, informática; laboratórios, uma piscina, entre outros. O local também possui elevador e estrutura adaptada para pessoas com deficiência física.

Segundo a coordenadora, com o novo espaço será possível aumentar o número de vagas no curso de medicina. “Estamos aguardando ansiosamente o espaço para que possamos acomodar as turmas que já existem e aumentar o número de ofertas de vagas em medicina, de 20 alunos atualmente para 40, como prevê o Projeto Pedagógico do Curso”, afirmou Danielle Costa.

No Campus funcionam 30 turmas de graduação e uma de pós-graduação, que juntas contabilizam mais de 900 alunos divididos nos turnos da manhã, tarde e noite. O novo prédio vai criar um cenário favorável para a ampliação da oferta de cursos no Campus. “O espaço foi projetado inclusive para ofertar cursos como fisioterapia e enfermagem. Estamos também com o concurso para docente em andamento, então a gente tem grandes expectativas que em breve a UEPA Campus Marabá vai ofertar novos cursos na área da saúde”, pontuou.

O Concurso Público para o cargo de professor efetivo da instituição foi aberto no mês de agosto e destina-se ao preenchimento de 45 vagas para o Magistério Superior, na categoria de professor auxiliar.

Atendimento ao Adolescente

Outra obra que está em andamento é a do Centro de Internação do Adolescente Masculino (Ciam), da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa). O espaço terá a sua capacidade de atendimento ampliada com a reforma e construção de alojamentos mais espaçosos e arejados e uma quadra de esportes coberta que já foram finalizados, tudo seguindo as normativas do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). Com cerca de 85% das modificações finalizadas, o próximo passo é a revitalização da área administrativa para dar mais conforto e comodidade para os usuários.

Hoje a Unidade atende a demanda de 36 municípios da região do Carajás e do Lago de Tucuruí. Com a revitalização do prédio, a unidade irá melhorar o acolhimento de adolescentes que cometeram ato infracional. “Antes o espaço para provisórios atendia 18 meninos e agora vai passar a colher de forma adequada 36. Dos sentenciados que estão em Belém, atendíamos uma demanda de 20 e agora vamos poder receber 42. Tudo dentro do que é previsto no Sinase, contemplando um espaço mais humano que atenda adequadamente as necessidades para se cumprir uma medida de privação de liberdade”, afirmou Luciléia Cardoso Cavalcante, diretora do Ciam.

Na unidade são desenvolvidas várias atividades esportivas e pedagógicas, com oferta de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e ensino médio por meio da parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Os internos também participam de cursos de artesanato e profissionalizantes oferecidos pela Fasepa, além de oficinas de teatro, música, percussão e artes em geral.

“Tudo isso faz parte de um atendimento psico-sócio-pedagógico. Dentro da privação de liberdade o adolescente precisa estar mais tempo fora do seu alojamento em atividade, para que eles realmente ressignifiquem os caminhos e possam visualizar outra vivência fora da unidade, fora do ato infracional”, destacou Luciléia Cavalcante.

Com o trabalho desenvolvido no local o número de reincidentes é mínimo. “Quanto mais você garante atividades, mais você dá oportunidade para que eles não retornem ao ato infracional. Os poucos que temos geralmente são aqueles que não possuem retaguarda familiar. Trabalhamos com uma equipe multidisciplinar com psicólogos, assistentes sociais, pedagogos, professores de várias áreas, entre outros para dar o suporte que precisam”, finalizou Luciléia Cavalcante.

Saneamento básico

O município recebeu, ainda, importantes obras que garantem saúde e qualidade de vida para a população. A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) finalizou recentemente a construção da Estação de Tratamento de Esgoto Sanitário (ETE), um moderno sistema de saneamento básico com capacidade para atender de 86.000 habitantes.

O sistema consiste na coleta e tratamento, por meio de filtragens, dos dejetos da rede de esgotamento sanitário de residências. Ao final do processo, a água retorna à natureza livre de impurezas. A Companhia está na fase de implantação das ligações intradomiciliares.

“Estamos conscientizando a população da importância de se integrar ao sistema para garantirmos o tratamento adequado desses resíduos e assim garantirmos mais saúde a todos”, destacou Paulo Barbosa, gerente regional da Cosanpa. Entre os bairros beneficiados estão o Amapá, Novo Horizonte e todo o núcleo da Nova Marabá.

A primeira etapa da Estação representa um investimento de mais de R$ 117 milhões, parte com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), através de empréstimo junto ao FGTS no valor de R$ 78,20 milhões, e mais R$ 38,97 milhões do Tesouro do Estado.

Legislativo

Vereador Elias da Construforte cobra implantação da UEPA em Parauapebas

"O município tem um convênio na ordem de R$20 milhões assinado com a Vale desde 2012 para a implantação de um Campus Universitário, mas este ainda não saiu do papel", disse Elias.

Na sessão ordinária desta terça-feira (19), da Câmara Municipal de Parauapebas (CMP), o presidente, vereador, Elias da Construforte (PSB) cobrou empenho do governo municipal para a implantação do campus 21 da Universidade Estadual do Pará (UEPA) no município. De acordo com o parlamentar, o diretor administrativo da CMP, Edson Martins e ele, se reuniram com diretores da mineradora Vale em busca de maiores informações sobre os convênios com a cidade.

Na ocasião foram informados de que existem R$20 milhões liberados desde 2012 para a implantação de um campus universitário, faltando apenas que a UEPA disponibilize o projeto e a prefeitura entre com a contrapartida da doação de um terreno em metragem pré-definida.

“Em um momento em que vivemos a maior crise da nossa história é inadmissível que esse recurso permaneça parado e se desvalorizando, enquanto poderia gerar centenas de postos de trabalho, aquecer nossa economia e beneficiar muitos estudantes”, disse Elias, explicando que já conversou com o secretário Municipal de Planejamento, João Corrêa, e que ele afirmou que a UEPA já disponibilizou o projeto.

Em tom de desabafo, o vereador cobrou que o Executivo Municipal se empenhe para cumprir com sua parte antes que haja uma nova reformulação estratégica da universidade e Parauapebas perca o campus 21 para outra cidade por falta de comprometimento político.

Educação

UEPA divulga resultado do PSE 2017 para cursos à distância

Ao todo, foram ofertadas 800 vagas nos cursos de licenciatura em Letras, Matemática, Pedagogia e Ciências Naturais com habilitação em Biologia, Química ou Física, para 13 municípios do Pará

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou ontem, 4, o resultado final do Processo Seletivo Especial/2017 para cursos de graduação na Modalidade a Distância (Edital nº 41/2017-Uepa). Os candidatos que se inscreveram pleiteando uma vaga para cursos de graduação nesta modalidade já podem conferir o resultado da seleção, disponibilizado na página www3.uepa.br/uab

Foram ofertadas 80 vagas para o município de Parauapebas, para os cursos de Licenciatura em Pedagogia (40) e Matemática (40). Os aprovados deverão ficar atentos aos prazos para a efetivação da matrícula: pré-matrícula on-line 14 a 18 deste mês, confirmação de matrícula e entrega de documentos no polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) em Parauapebas, de 19 a 21 deste mês.

O polo UAB do município funciona dentro do Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), localizado na rua A, Quadra Especial, bairro Cidade Nova. Por meio de parceria firmada com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), as aulas devem ocorrer no próprio Ceup. Mais informações podem ser obtidas no polo ou pelos telefones (94) 3346-2612 e 98124-1109.

Os cursos funcionarão na modalidade a distância, em períodos regulares, contando com 20% de sua carga horária na modalidade presencial, preenchido por meio de atividades curriculares e procedimentos avaliativos aos finais de semana.

Total de Vagas

Ao todo, foram ofertadas 800 vagas nos cursos de licenciatura em Letras, Matemática, Pedagogia e Ciências Naturais com habilitação em Biologia, Química ou Física, para 13 municípios do Pará: Altamira, Marabá, Paragominas, Igarapé-Miri, Jacundá, Cametá, Cachoeira do Arari, Breves, Barcarena, São Sebastião da Boa Vista, Redenção, Dom Eliseu e Parauapebas.

Em Parauapebas, fazendeiros utilizam área pública da prefeitura para pastagem de animais

Inconformados, membros da Fetraf invadiram a área e foram retirados pela PM. Revoltados, interditaram a PA-160

Uma área de 126 hectares, localizada na PA 160, adquirida em 2014 pela gestão Valmir Mariano destinada à construção de um polo universitário, incluindo o Campus da UEPA, que seria construído em parceria com a Vale está sendo utilizada por fazendeiros para pastagem de animais. Nem o polo universitário foi implantado até então e nem a obra da UEPA foi construída.

A área foi ocupada semana passada por um grupo liderado pela Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (FETRAF) e formado por cerca de 200 trabalhadores rurais.

Na manhã desta quarta-feira (15) a área foi desocupada, depois de uma ação que contou com integrantes da Polícia Militar, Guarda Municipal e Secretaria de Serviços Urbanos (Semurb).

O estranho é que a ação foi realizada sem apresentação de um mandado de reintegração de posse. Ainda assim, os ocupantes saíram de forma pacífica do local. Porém, prometem retornar. “Quem disse pra gente vir pra cá foi o Darci. Vamos nos organizar para fechar alguns pontos principais da cidade, inclusive o acesso à Prefeitura. Essa vai ser a nossa forma de manifestar”, afirmou um dos integrantes da Fetraf.

“Aqui tem um monte de gente desempregada, que tem procurado na terra um meio de sobrevivência. São pais e mães de família que têm filhos para sustentar. É injusto uma área dessas ser ocupada por fazendeiros e nós, que somos trabalhadores, que não temos condições, termos que sair daqui com a polícia nos ameaçando. Nós só queremos um pedaço de chão para trabalhar”, disse um dos ocupantes.

O Blog entrou em contato com o advogado que representa a entidade para esclarecer alguns pontos, e ele questionou a ação de desocupação sem o respaldo da justiça. “As relações de posse só podem e devem ser provadas por meio de ação judicial”, informou o advogado Antônio Araújo de Oliveira, mais conhecido como Tony.

“Qualquer um pode ir lá e constatar que tem gado pastando na área que deveria ser direcionada para cultivo. O que o movimento não entende é isso, pois há um desvio de finalidade, o que inclusive implica em improbidade administrativa por parte da gestão. A área está sendo utilizada para uma finalidade totalmente distinta da qual foi criada, beneficiando terceiros. Quando o nosso pessoal foi realizar a ocupação, os fazendeiros vizinhos, inclusive, resistiram por que já se sentem proprietários da área. O movimento não concorda é que áreas públicas sejam destinadas para atender necessidades de fazendeiros. Isso nós não aceitamos. Isso é imoral, e ilegal. A gente discorda veementemente da atitude de um governo que se diz ser do povo utilizar-se dessas situações a mando e desmando da polícia, para efetuar reintegração de posse de forma arbitrária e sem mandado judicial”, acrescentou o advogado.

Com relação ao assunto, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, enviou a seguinte nota:

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb), esclarece que realizou a desocupação de uma área pública localizada na zona rural, entre os municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás, na manhã desta quarta-feira, 15, de forma pacífica.

A Semurb esclarece ainda que a referida área, além de ser pública, já possui destinação específica. As equipes da Semurb já haviam notificado os populares no local, orientando os mesmos a respeito da irregularidade na ocupação.

Portanto, após o esclarecimento, equipes da Semurb, juntamente com a Polícia Militar (PM) e Guarda Municipal (GMP), novamente dialogaram com os populares, que por sua vez não apresentaram qualquer resistência.

Por fim, os populares concordaram em liberar o espaço de forma ordeira e respeitosa, levando consigo seus pertences, inclusive seus veículos.

No local havia abrigos provisórios, que foram retirados do espaço. A Semurb ressalta a importância em dialogar com os populares, garantindo a segurança de todo cidadão, no cumprimento da lei, em conformidade com a administração pública.

Interdição

Logo que deixaram a área da prefeitura de Parauapebas, revoltados com a situação, os ocupantes interditaram a PA-160 na altura da entrada da VS-10, na Zona Rural do município de Parauapebas, provocando um grande congestionamento. A PM esteve no local para negociar a desobstrução da pista, que liga os municípios de Canaã dos Carajás e Parauapebas e dá acesso ao Projeto S11-D, mas até o fechamento dessa matéria a PA continuava interditada.

Os animais de particulares continuam na área. Agora sem serem incomodados pelo grupo da Fetraf.

O Blog consultou o conceituado advogado Wellington Valente para esclarecer se a retirada dos ocupantes foi de forma arbitrária, já que não havia uma ordem judicial de desocupação. Ele, que já ocupou o cargo de Procurador Geral do município na gestão da então prefeita Bel Mesquita, respondeu que a ação foi absolutamente legal. Para tanto citou o artigo 1210 do Código Civil, que diz:

Art. 1.210. O possuidor tem direito a ser mantido na posse em caso de turbação, restituído no de esbulho, e segurado de violência iminente, se tiver justo receio de ser molestado.

§ 1o O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá manter-se ou restituir-se por sua própria força, contanto que o faça logo; os atos de defesa, ou de desforço, não podem ir além do indispensável à manutenção, ou restituição da posse.

§ 2o Não obsta à manutenção ou reintegração na posse a alegação de propriedade, ou de outro direito sobre a coisa.

Para o advogado o uso da PM na ação também foi legal, já que a Polícia Militar fez a garantia da ordem pública.

Vestibular

Uepa divulga lista de repescagem. Mais 50 candidatos de Marabá foram convocados

Os estudantes têm até terça-feira, dia 14, para efetivarem a matrícula. Caso contrário, perdem a vaga na Universidade

A lista dos classificados na repescagem dos Processos Seletivos de 2017 está no endereço http://zip.net/bmtFRw. O resultado foi divulgado há pouco, em Belém, pela Uepa (Universidade do Estado do Pará) e é a terceira relação de candidatos convocados.

A matrícula acontece no início da semana que vem, segunda-feira (13) e terça-feira (14), quando os estudantes convocados devem comparecer à coordenação do campus para o qual foi aprovado, nos horários de 8h ao meio-dia e de 14h às 18h, com a documentação exigida para realizar a matrícula. Em Marabá a Uepa fica na Avenida Hileia, Agrópolis do Incra – Cidade Nova.

Caso o estudante não compareça no período e horário especificados ou não apresente a documentação obrigatória, perde o direto ao ingresso na Universidade.

Na ocasião, devem levar os originais (para confirmação) e as cópias dos seguintes documentos: carteira de identidade; Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); certidão de nascimento ou casamento; certificado de alistamento militar (candidatos do sexo masculino); uma foto 3 x 4 recente (colorida); título de eleitor, acompanhado do comprovante de votação na última eleição ou certificado de quitação eleitoral; histórico escolar do ensino médio; certificado de conclusão do ensino médio; comprovante de residência (recente e que contenha CEP). (Eleutério Gomes)

Ensino superior

UEPA implanta 1º Mestrado Profissional em Marabá

Curso em nível stricto sensu oferece 12 vagas em duas linhas de pesquisa

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Em parceria com a Unimed Sul do Pará, a Universidade do Estado do Pará (UEPA) apresentou a proposta de Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Cirurgia e Pesquisa Experimental (Cipe), da Universidade do Estado do Pará (Uepa). São ofertadas 12 vagas, divididas em duas áreas de concentração: Cirurgia Experimental e Pesquisa Experimental.

A proposta foi apresentada esta semana a profissionais da Unimed Sul do Pará pelo médico Antonio Márcio Nunes Alves, professor do curso de Medicina da UEPA em Marabá, a qual foi acatada e assinada pelos diretores da Unimed Sul do Pará, Jorge Bichara Neto, Juarez Dias Brito e Tarcízio Franzosi, pelo coordenador do mestrado professor doutor Marcus Vinícius Henriques Brito e o reitor da UEPA, professor doutor Juarez Simões Quaresma.

Sob coordenação do professor Marcus Vinicius Henriques Brito, este é um dos três melhores mestrados profissionais do Brasil.

A metade das vagas será disputada pela ampla concorrência. A outra metade pelos servidores da Uepa, sendo três vagas para os lotados em Belém e três vagas para os demais servidores lotados nos campi dos municípios do Estado.

A Uepa esclarece que o curso terá uma inserção social de alto impacto na região para ensino, pesquisa e extensão. Esta é quarta turma do mestrado, mas a primeira a ser realizada em Marabá. Podem participar médicos, enfermeiros e outros profissionais da área de saúde.

A seleção ocorrerá em três etapas. A primeira será uma Prova Objetiva de conhecimentos específicos, realizada amanhã, 10 de fevereiro, às 14h, e terá a duração de 4h. A segunda fase é de Análise de Documentos e do Currículo Lattes. A terceira, de entrevista. O resultado final será divulgado em 17 de março próximo. Segundo a coordenação, há 87 inscritos e 21 deles são de Marabá.

O professor doutor Marcus Vinícius esclarece que este mestrado possui duas áreas: cirurgia experimental e outra em pesquisa experimental. “O curso é credenciado pela Capes (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior), o órgão do Ministério da Educação responsável pelo reconhecimento e a avaliação de cursos de pós-graduação stricto-sensu (mestrado profissional, mestrado acadêmico e doutorado) em âmbito nacional.

Alguns profissionais de Marabá já formaram nas primeiras turmas e alguns já defenderam suas dissertações. Boa parte deles já está atuando em cursos de Medicina, Enfermagem e Saúde Coletiva, ministrados em Marabá pela UEPA, Faculdade Carajás e Unifesspa, respectivamente. “Em breve, outras turmas serão abertas e mais profissionais terão oportunidade de ampliar seus conhecimentos e melhorar o currículo”, diz o professor doutor Marcus Vinícius.

Engenharia ambiental

Em Marabá, compostagem usa tecnologia para transformar restos da merenda escolar em adubo

Acadêmicos da Universidade do Estado do Pará - UEPA - aplicam protótipo eletrônico integrado a uma plataforma digital para melhorar o serviço

Um projeto inovador em Marabá começou como embrião entre acadêmicos de Engenharia Ambiental do campus local da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e está conquistando estudantes do Ensino Fundamental. Eles perceberam que mais da metade de todo lixo produzido no Brasil é constituída por resíduos orgânicos, como restos de frutas, legumes e folhagens. Todo esse material acaba indo para os lixões a céu aberto ou aterros sanitários, decompondo-se de forma inadequada. Além de gerar mau cheiro, esses resíduos atraem animais causadores de doenças e aumentam os riscos de contaminação de lençóis freáticos e do solo.

Para reduzir a poluição ambiental e aproveitar as sobras da merenda escolar, de folhas que caem das árvores, de papéis jogados no lixo e todo o resto de resíduos orgânicos gerados nas Escolas de Ensino Fundamental Oneide de Sousa Tavares e Doutor Inácio de Sousa Moita, em Marabá, os egressos do curso de Engenharia Ambiental Jamerson Silva Soares, 26, e Igor Conceição Ribeiro, 25, desenvolveram um tipo de composteira que usa recursos tecnológicos para elevar a qualidade do adubo produzido. A pesquisa deles é orientada pela professora Aline Souza Sardinha.

A composteira é o recipiente no qual são acondicionados os resíduos orgânicos para dar início ao processo conhecido como compostagem, que consiste em deixar fermentar e decompor resíduos orgânicos – agrícolas, florestais, domésticos ou urbanos – misturados ou não em terra vegetal, para obter um material rico em nutrientes e minerais, chamado de “composto”, usado como adubo natural.

O diferencial da compostagem inteligente, proposta do projeto de Jamerson e Igor, é a possibilidade de mensurar os níveis de temperatura e umidade do material orgânico em decomposição. Essa identificação ocorre por meio de um protótipo eletrônico integrado à Plataforma Arduino.

A Plataforma Arduino é composta por uma placa controladora (hardware) e um sistema integrado (software). Ao ser colocado em contato com a composteira, o protótipo móvel irá detectar se os níveis de temperatura e umidade estão altos ou baixos, emitir alertas sonoros, de luzes e mensagens na tela de LCD, indicando qual procedimento seguir.

“O protótipo avisa na tela de LCD se a umidade está alta ou baixa, se é para adicionar mais água, fazer a mistura ou acrescentar mais material orgânico. É interessante poder ver e controlar a temperatura e umidade em tempo real”, destaca Jamerson Soares.

O projeto realizado nas escolas de Marabá custou R$ 20.000,00 e foi financiado pelo Banco da Amazônia por meio de um edital de patrocínio em 2016. Desenvolvido de junho do ano passado a janeiro do corrente ano, o trabalho incluiu palestras de educação ambiental, orientações sobre separação dos resíduos e domínio da Plataforma Arduino, entre os alunos do 8º e 9º ano.

Também foram entregues nas duas escolas lixeiras para a coleta de resíduos úmidos e secos e os depósitos para a compostagem. O projeto também foi tema de estudo do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Jamerson e Igor, que no Prêmio Melhor TCC 2015, ganharam o segundo lugar com o tema “Sistema de monitoramento inteligente da temperatura e umidade no processo de compostagem: protótipo baseado na Plataforma Arduino”.

A atividade de educação ambiental terá continuidade em 2017 com o acadêmico de Engenharia Ambiental Vinícius Soares. A partir das pesquisas será feito o monitoramento do processo de transformação dos resíduos orgânicos em adubo. “Esta é uma alternativa para evitar que mais resíduos sejam dispostos no aterro controlado de Marabá. As Composteiras Inteligentes ficarão abrigadas nas escolas. O Vinícius vai avaliar o processo de educação ambiental dentro das instituições, se as pessoas estão se educando para separar o lixo, e também avaliará a qualidade do composto”, ressalta a professora Aline Sardinha.

Parauapebas

Cerimônia de Assinatura de Convênio para implantação do Campus da UEPA em Parauapebas

Nesta quinta-feira (10), às 10 horas da manhã, acontece a cerimônia de assinatura do Convênio de Cooperação entre o município de Parauapebas, a empresa Vale e a Universidade do Estado do Pará (Uepa). O convênio visa à construção e implantação do Campus Universitário da UEPA no município de Parauapebas. O evento será realizado no auditório do Centro Administrativo da Prefeitura, 3º piso.

Atualização: Em virtude do mal tempo, a aeronave que traria o vice-governador Zequinha Marinho e o reitor da UEPA até Marabá não conseguiu aterrissar, o que impede a realização da cerimônia às 10 horas. A mesma foi adiada para a parte da tarde, em horário a ser confirmado pela Ascom.