Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Ministro do Planejamento faz visita informal a Marabá

O ministro Dyogo Henrique de Oliveira é natural de Araguaína, no Tocantins, e conhece de perto a realidade da força econômica da região.

Na manhã desta quarta feira, dia 9, o prefeito de Marabá, Sebastião Miranda recebeu a visita do Ministro do Planejamento Dyogo Henrique de Oliveira. No encontro estavam presentes, além do prefeito e do vice Toni Cunha, os secretários de Planejamento do Município Karan El Hajjar, de Indústria e Comércio Ricardo Pugliese, do Procurador Geral do Município Absolon Mateus, do chefe de Gabinete, Walmor Costa e do presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, Ítalo Ipojucan.

O encontro, que teve caráter informal, objetivou alinhar as ações futuras entre prefeitura e ministério para atração de projetos de desenvolvimento da economia regional. O ministro Dyogo Henrique de Oliveira é natural de Araguaína, no Tocantins, e conhece de perto a realidade da força econômica da região.

Vale

Vale apresenta sistema de segurança de suas barragens a secretários de Parauapebas

A Vale realizou nesta quarta-feira, 2/12, uma reunião técnica com secretários municipais, com o objetivo de apresentar o sistema de segurança aplicado em suas barragens no Pará. Durante a reunião, a comitiva visitou a barragem de rejeitos do Gelado, localizada no município, e conheceu os procedimentos de construção, gestão de riscos e de monitoramento adotados nas estruturas.

Cerca de 25 pessoas estiveram presentes entre secretários municipais, Defesa Civil, técnicos e assessores. “O fato de virmos aqui, conhecer as estruturas, como funciona e o seu nível de segurança é muito positivo. O que percebemos é que há uma segurança  muito grande com relação à construção das barragens”, disse o chefe de gabinete da Prefeitura, Wanterlor Bandeira

barragem

Vale apresenta sistema de barragens

“Todas as nossas barragens estão operando em plena normalidade. Além dos controles internos, as barragens foram auditadas por consultorias externas especializadas e fiscalizadas pelos órgãos responsáveis e todas estão dentro dos parâmetros exigidos pela legislação”, afirmou o Diretor de Operações Ferrosos Norte da Vale, Paulo Horta.  Segundo a empresa, o projeto e a  construção das barragens atendem tanto as normas brasileiras de regulamentação da Associação Brasileiras de Normas Técnicas (ABNT), quanto às normas internacionais.

A reunião tratou também sobre os Planos de Ações Emergenciais (PAEBMs). A empresa informou que tem Planos de Emergência para todas as estruturas em que há exigência prevista na legislação, estabelecendo medidas de mitigação e comunicação. Esta foi a primeira reunião de uma série, que a empresa  estará realizando nas próximas semanas,  a fim de também ampliar o conhecimento e fazer uma revisão dos planos conjuntamente com os órgãos técnicos envolvidos no município.

barragem 2

Diretor de Operações Ferrosos Norte, Paulo Horta e equipe técnica apresentam sistema de segurança das barragens

Saiba mais sobre as barragens da Vale no Pará

As operações da Vale no Pará têm hoje 10 barragens e 7 diques cadastrados no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Dessas estruturas, sete estão em Parauapebas, cinco em São Félix do Xingu, quatro em Marabá e uma em Canaã dos Carajás.

As barragens são classificadas segundo dois critérios do DNPM: categoria de risco (CRI), associado à gestão, monitoramento e documentação e dano potencial associado ao meio ambiente, infraestrutura e populações próximas (DPA).  Pela combinação entre categoria de risco e dano potencial associado, as barragens recebem uma classificação de A até E. Isso significa que uma barragem com baixo risco e baixo dano associado recebe a nota E, enquanto que uma com alto risco e alto dano recebe nota A.

Das barragens da Vale no Pará, nenhuma tem classificação de alto risco (Classe A).  A Vale trabalha em todos os seus projetos e operações de barragem com técnicas de engenharia avançadas, seguindo rigorosos controles, realizando monitoramentos sistemáticos e auditorias externas anuais para garantir as condições de segurança. Nesse momento todas as estruturas estão funcionando em absoluta normalidade, seguindo a legislação vigente e com todos os aspectos de segurança garantidos.

A Vale tem os Planos de Ações Emergenciais (PAEBMs) para todas as estruturas em que há exigência prevista na legislação. Eles apresentam procedimentos de mitigação e comunicação que devem ser adotados em situação de emergência, com o objetivo de preservar a vida,  saúde, propriedades e o meio ambiente.

Tecnologias que reduzem a geração de rejeitos – Ainda no Pará, na Região Carajás, por conta do alto teor do minério de ferro, foi possível adotar o processamento à umidade natural. Hoje, mais de 60% da produção já ocorre utilizando esta tecnologia, sem a geração de rejeitos. As plantas de beneficiamento de Serra Leste em Curionópolis e do projeto S11D, que está em implantação em Canaã dos Carajás, já foram projetadas para operar com essa tecnologia.

Em Carajás, desde 2012, a empresa atua também com a recuperação de rejeitos na barragem do Geladinho. O total de 10,5 milhões de toneladas de ultrafino de minério que estava depositado na barragem já foi recuperado. A ação reduz a necessidade de alteamento das barragens existentes ou construção de novas unidades.

O processo de recuperação do minério das barragens é feito basicamente com o uso de dragas (uma espécie de estrutura flutuante) com tubulação, baias (onde o minério é depositado temporariamente) e uma planta de repeneiramento para a retirada de galhos e pedras, antes do carregamento nos vagões de trem.

As barragens são estruturas necessárias para o depósito de material descartado após o processamento do minério. Na Vale, as estruturas são projetadas pelas melhores empresas de projetos em barragens, construídas com a máxima qualidade, monitoradas por profissionais competentes e dedicados e licenciadas pelos órgãos ambientais competentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa Vale

Senado

Senadores visitarão obra de Belo Monte nesta quinta e sexta-feira

Nos próximos dias 03 e 04 de dezembro, senadores da Subcomissão de Acompanhamento das Obras de Belo Monte e da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) estarão em Altamira para vistoriar o andamento da construção da usina. Além de vistoriar as etapas do projeto de construção de Belo Monte, os senadores irão verificar o cumprimento das condicionantes.

No último dia 23, o Ibama concedeu a licença de operação à Norte Energia para que o consórcio possa iniciar o enchimento do lago da usina. Apesar da liberação da licença, avaliação do Ibama indica que 12 obrigações do setor ambiental ainda não haviam sido cumpridas. Outras 14 condicionantes referente à questão indígena também estão pendentes.

150928161037_tapajos3_624x351_greenpeace_nocredit

O senador Flexa Ribeiro, que preside a Subcomissão explicou que o grupo parlamentar vai acompanhar o andamento da obra, em especial o cumprimento das ações mitigadoras e compensatórias, aprovadas durante a fase de instalação do empreendimento. As condicionantes integram o Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Belo Monte, documento composto por 14 planos, 54 programas e 86 projetos.

“Entendemos a importância deste empreendimento ao Brasil, contudo, o Pará não pode ser prejudicado mais uma vez com as pressões que uma grande obra como esta provoca na região. Vimos isso acontecer em Tucuruí e não é possível que se repita no caso de Belo Monte. A licença foi expedida apesar do consórcio não ter concluído tudo aquilo que estava programado. Por conta disso, iremos até a região para cobrar da Norte Energia que as condicionantes sejam implementadas e as pressões mitigadas”, explicou o senador.

De acordo com o relatório de acompanhamento mensal da própria Norte Energia, existem ações que ainda não foram sequer iniciadas. É o caso do reassentamento de famílias para o novo bairro do Pedral. A previsão é de construir 570 residências para a população que antes habitava as áreas impactadas pelo projeto, no entanto, até o mês de outubro, nenhuma moradia havia sido entregue.

Outra pendência está relacionada à questão do saneamento básico de Altamira. Cerca de 80% do município não tem abastecimento de água tratada, dependendo de poços artesianos e de outros meios para captar água. Com a implantação do empreendimento na região, o problema foi agravado por conta do inchaço populacional. Estima-se que o número de habitantes em Altamira tenha dobrado, chegando a 105 mil.

Fornecimento de energia

O primeiro reservatório deverá estar cheio no prazo de 40 dias. O Ibama acredita que o início da geração de energia na casa de força principal de Belo Monte poderá começar em março de 2016.

Orçada em cerca de R$ 26 bilhões, Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo em potência, atrás da chinesa Três Gargantas e da usina binacional de Itaipu, instalada entre o Brasil e o Paraguai.

Em construção pela Norte Energia – empresa responsável pela usina que tem como sócios o Grupo Eletrobras, Cemig, Vale e Neoenergia, entre outros -, Belo Monte está com 87% das obras civis concluídas. Quando estiver em plena operação, em 2019, a maior hidrelétrica genuinamente brasileira terá capacidade instalada de 11.233,1 MW, distribuídos em duas casas de força: a Principal, no Sítio Belo Monte, com capacidade instalada de 11 mil MW, e a Complementar, no Sítio Pimental, com 233,1 MW. A energia gerada beneficiará cerca de 60 milhões de brasileiros, em 17 estados.

Subcomissão do Senado

Instalada em 2010, a Subcomissão de Acompanhamento das Obras de Belo Monte tem por objetivo acompanhar o andamento da Usina Hidrelétrica de Belo Monte e garantir o cumprimento dos programas de mitigação e compensação dos impactos gerados pelo empreendimento. O grupo parlamentar está vinculado à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

Programação da Diligência do Senado na região de Belo Monte (03 e 04/12)

QUINTA-FEIRA (03 DE DEZEMBRO)

  • 09h50 – Chegada do voo em Altamira-PA
  • 10h10 – Sobrevoo e visita aos canteiros de obras da usina.
  • 11h00 – Sobrevoo e pouso em Pimental. Visita: casa de força, vertedouros, barragem de fechamento direito, sistema de transposição de peixes e sistema de transposição de embarcações.
  • 12h30 – Sobrevoo e pouso no Canal de Derivação, próximo ao vertedouro de enchimento. Sobrevoo sobre o Canal no Travessão 27.
  • 13h10 – Sobrevoo aos diques e reservatório intermediário.
  • 13h20 – Sobrevoo e visita ao Canteiro Belo Monte.
  • 13h30 – Almoço refeitório de Belo Monte.
  • 14h30 – Visita à tomada d’água, área de montagem, subestações, canal de fuga, visita a Ponte da Transamazônica, estação de transbordo de cargas e vila residencial.
  • 16h00 – Saída de helicóptero para Vitória do Xingu. Visita às obras das condicionantes.
  • 17h00 – Retorno a Altamira.
  • 18h00 – Reunião com a comunidade e autoridades locais (auditório do Centro de Convenções).

SEXTA – FEIRA (04 DE DEZEMBRO)

  • 08h00 – Saída do hotel em camionetes para visitas às condicionantes em Altamira: pontes dos Igarapés Ambé e Altamira; estação de Tratamento de Esgoto; canteiros de obras do Centro Integrado de Pesca Artesanal, Centro Náutico e Atracadouros (CIPAR); praia próxima ao Porto 6; estação de tratamento de água e reservatórios de água potável;  novo bairro São Joaquim e às instalações de unidade. básica de saúde, quadra poliesportiva e obras de escola; novo bairro Jatobá e às instalações do assentamento urbano; Hospital Geral de Altamira (a depender do tempo – visita ao aterro sanitário);
  • 12h30 – Almoço restaurante em Altamira.
  • 14h00 – Saída do voo com destino à Brasília.

Parauapebas

40 mil pessoas devem visitar os cemitérios de Parauapebas até o Dia de Finados

finadosA partir de sábado, 31 de outubro, até o Dia de Finados, 2 de novembro, cerca de 40 mil pessoas devem passar pelos dois cemitérios de Parauapebas. A moradora do bairro da Paz, Keila Sousa, de 28 anos, é uma delas e irá ao cemitério localizado na Estrada Faruk Salmen para visitar os túmulos do avô e da sobrinha. “Vou ao cemitério todos os anos no Dia de Finados e sempre levo flores. Meu avô tem seis anos de falecido e a minha sobrinha, 11 anos”, conta.

Essa semana, ela esteve no mesmo cemitério para o sepultamento de um amigo da família. Segundo Keila, o local estava limpo, mas ainda com alguns trabalhadores fazendo a pintura de áreas internas. “Toda vez que vou ao cemitério, no feriado, percebo que a sujeira que se acumula é provocada pelos visitantes. Muita gente deixa as caixas das velas jogadas no local e as garrafinhas de água também”, comenta.  Com parentes sepultados no cemitério da Faruk Salmen, Edines Chaves, de 39 anos, morador do bairro da Paz, disse que também visitará na segunda-feira as sepulturas da mãe, do pai e de um primo. Na visita, ele leva apenas flores por causa da sua religião.

De família católica, Fernanda Brito de Sousa, de 20 anos, moradora do bairro Primavera, não tem parentes sepultados na cidade, mas sempre procura acender uma vela em casa em lembrança aos entes falecidos. “Nem todo ano dar pra gente ir nos cemitérios do Maranhão para visitar os túmulos, então, compramos velas e acendemos em casa. Ano passado, fui ao cemitério daqui para visitar sepulturas de amigos e conhecidos”, diz.

Segundo a Coordenadoria de Limpeza Pública, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb), serão realizados serviços de limpeza, capina, roço, raspagem, pintura de meio fio, árvores e muros, além de retirada de entulhos e revitalização de fachadas dos cemitérios da cidade. A previsão é que tudo seja concluído até esta sexta-feira (30). Os cemitérios, localizados no bairro da Paz e Estrada Faruk Salmen, ficarão abertos de 6 horas da manhã até as 8 horas da noite.

“Em dias normais, restringimos a entrada de pessoas à noite nos cemitérios. Mas, por conta do Dia de Finados, sempre liberamos o acesso. Muitas pessoas preferem o fim do dia e início de noite para visitarem túmulos de parentes”, diz Jullyhermes Lira, coordenador de Limpeza Pública, reforçando que a administração dos locais é de responsabilidade da Prefeitura.

Perguntado sobre a organização e disposição de vendedores de flores e velas nos cemitérios, muito comuns nessa época, Jullyhermes informa que a venda desses produtos só pode ocorrer na área externa dos locais. A área interna dos cemitérios é liberada apenas para ações voluntárias, como de ONGS e instituições, que nesse período distribuem água para os visitantes.

Parauapebas

Prefeito Valmir Mariano apresenta avanços na obra do novo hospital

A obra do novo hospital deve ser concluída até o final do ano, a informação foi passada pelo prefeito Valmir Mariano durante uma visita realizada nesta sexta-feira (23) às instalações do novo estabelecimento de saúde. Representantes do governo estadual, vereadores, secretários de saúde de municípios vizinhos, conselho municipal de saúde, diretores e coordenadores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e imprensa tiveram a oportunidade, durante a visita, de comprovar o avanço das obras.

IMGS0487. [downloaded with 1stBrowser]

“Estou trabalhando diuturnamente aqui com minha equipe, estamos aproveitando os andares liberados pela secretaria de obras para realizar a instalação de alguns equipamentos, como é o caso da hemodiálise. Já temos cerca de 70% dos equipamentos comprados. Estou muito satisfeito em poder apresentar para a nossa população o fruto do nosso trabalho”, disse Valmir Mariano. 

No início da gestão atual, o hospital foi recebido com cerca de 40% da obra feita, desde então, foi necessário realizar novos aditivos ao contrato para viabilizar a continuidade dos trabalhos, tudo amparo e justificado junto ao Ministério Público por meio de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

IMGS0391. [downloaded with 1stBrowser]Sobre o modelo de gestão do novo hospital foi anunciado que o município está em conversa com o governo estadual para avaliar a proposta de consórcio intermunicipal, envolvendo Parauapebas, Canaã dos Carajás, Eldorado dos Carajás e Curionópolis, dessa forma, o alto custo de manutenção não fica apenas na responsabilidade do município sede.

“A proposta é o que os serviços sejam regionalizados, mas a gestão será nossa. Nesse contexto a manutenção do hospital será custeada da seguinte forma: 40% de recursos do governo estadual, 30% dos municípios pactuados no consórcio e 30% da produção de atendimento do SUS”, disse o titular da Semsa, João Luiz Ribeiro.

“A estrutura desse hospital é a mais ampla da nossa região, pois conta com um número de leitos maior, inclusive, que o regional de Marabá. Sem dúvidas vai ser um marco para a melhoria da saúde pública de Parauapebas e região”, destacou Geraldo Barroso, diretor da 11º regional da Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa).

Estrutura e serviços do hospital

Os serviços do novo hospital são classificados em média e alta complexidade e a entrada dos pacientes deverá ser feita a partir do processo de regulação. O prédio conta com cinco pisos, incluindo o subsolo, nesta estrutura serão disponibilizados 152 leitos, sendo que em todas as alas haverá leitos de isolamento.

IMGS0591. [downloaded with 1stBrowser]

O novo hospital conta com estrutura para os seguintes atendimentos: tratamento de hemodiálise, com dez máquinas; UTI Adulto, Pediátrico e Neo-Natal; salas de Pré-Parto, Parto e Puerpério (PPP); Centro Cirúrgico, sendo um de grande porte e dois de médio; ala de atendimento de urgência e emergência. A cozinha e a lavanderia já estão todas equipadas, assim como a casa de máquinas e o necrotério, estruturas construídas na área externa.

Texto: Karine Gomes – Fotos: Anderson Souza

Parauapebas

14 anos depois, imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré visita Parauapebas

DSC_0402O anúncio da visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos Paraenses, ao município de Parauapebas foi feito em coletiva de imprensa na noite dessa quarta-feira (12), pelos representantes da igreja católica, padres Patrick Fernandes, da Paróquia São Sebastião; Hudson Rodrigues, da Cristo Rei; e  Alysson Castro, da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré do Núcleo Urbano de Carajás. A visita acontecerá nos dias 21 e 22 de agosto.

A imagem peregrina que visitará Parauapebas é a mesma que participa da procissão do Círio em Belém. Muito felizes e emocionados com a visita, os padres destacaram a importância desse momento para os católicos, tendo em vista que a última visita ocorreu há 14 anos, época em que o município ainda não realizava o círio com procissão e festejo. “Esse momento é sinônimo de muita emoção, amor e renovação. Cria em nós uma alegria imensa, vindo somar o que representa Nossa Senhora na nossa fé, caminhada e organização de igreja aqui em Parauapebas”, ressaltou o padre Hudson Rodrigues.

DSC_0412

Já o padre Alysson Castro disse que a visita da imagem de Nossa Senhora de Nazaré representa inspiração e o fortalecimento da fé. Ele explicou como acontecerá a programação.  “A imagem chegará sexta-feira, 21, às 14h50, no aeroporto de Carajás e será recebida pelas autoridades políticas, judiciárias e o arcebispo Dom Vital. Em seguida descerá para Parauapebas onde ocorrerá a Rodoromaria chegando até a rotatória próxima ao shopping seguindo para Igreja de São Sebastião onde será celebrada uma missa especial às 19:30h. Depois, a imagem será levada para Carajás onde terá uma procissão e o encerramento com uma missa campal”, detalhou.

O Círio de Parauapebas já é considerado a maior festa católica da cidade e, entre outros municípios do interior, se configura entre as oito grandes manifestações na sua proporção de grandeza no estado. Considerando que a cada ano cresce o número de fieis que participa da festa, o padre Patrick Fernandes falou da expectativa da participação dos religiosos na visita da imagem, já que muitos aguardam por esse momento há muito tempo.  “A presença da imagem é algo que toca muito os fiéis. Muitas pessoas que não podem ir ao círio em Belém, terão a oportunidade de viver esse momento. É um privilégio recebê-la em nossa cidade”, afirmou.

DSC_0419

Além do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, DMTT e ambulâncias, o esquema de segurança contará com a presença da Polícia Rodoviária Federal que faz a segurança no círio de Nazaré em Belém. O evento envolverá toda a comunidade católica do município que hoje é compreendida por quatro paróquias.

Confira programação

Programação de 21/08

  • 13h15 – Saída de Belém
  • 14h50 – Previsão de chegada ao Aeroporto de Carajás. Após chegada, a imagem será recebida pelo bispo diocesano Dom Vital Corbellini na presença da autoridade do município e da Vale. Logo após a equipe da Paróquia São Sebastião e os guardas de N.S. de Nazaré conduzirá a imagem peregrina até a portaria.
  • 15h30 – Previsão de chegada à portaria e início da romaria rodoviária com itinerário direto pela Rodovia PA-275, Av. Liberdade, até o trevo do Partage Shopping, retornando pela PA-275 até a Igreja de São Sebastião de Nazaré conduzirá a imagem peregrina para Carajás, na chegada acontecerá queima de fogos e em seguida a romaria rodoviária percorrendo algumas ruas do núcleo.
  • 20h30 – Missa na concha acústica em Carajás e evento musical, além de venda de comidas típicas.

Programação de 22/08

  • 07h00 – Visitação da imagem peregrina na Igreja Nossa Senhora de Nazaré, em Carajás.
  • 09h10 – Saída da imagem peregrina para o Aeroporto de Carajás.
  • 10h00 – Missa no Aeroporto de Carajás.
  • 13h05 – Embarque da imagem peregrina para Belém, com previsão de chegada ao Aeroporto Internacional de Belém às 14h09.

Marabá

Prefeito acerta vinda de ministra para discutir produção

Reunião1O prefeito João Salame esteve nesta quinta-feira (7), em Brasília, no Ministério da Agricultura. Na oportunidade, ficou acertada com a Ministra Kátia Abreu, a realização de reunião com prefeitos, secretários de Agricultura e entidades ligadas à produção rural na região, para debater a implantação de políticas do governo federal para o campo no sul e sudeste do Pará.

A Prefeitura de Marabá ficou incumbida de preparar a agenda e a pauta do encontro com prefeitos, deputados, senadores e entidades.

A ministra Kátia Abreu assegurou que vai convidar para o encontro a presidência nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, e a Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa). O evento deve ocorrer nos dias 25 ou 26 de junho próximo.

Acompanharam o prefeito João Salame no Ministério da Agricultura o ex-deputado Zé Lima e a prefeita de Novo Repartimento, Valmira Lima.

Fonte: Ascom PMM

No Pará, Dilma entregará casas de novo conjunto habitacional

A presidenta Dilma Rousseff estará no município de Capanema (PA), nesta segunda-feira (30), para entregar 1.032 unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). A estimativa é beneficiar mais de 4.100 pessoas com a entrega das novas casas.

Capanema (PA) recebe primeiro empreendimento pelo Minha Casa Minha VidaCapanema recebe primeiro empreendimento pelo Minha Casa Minha Vida

O empreendimento, denominado Conjunto Habitacional José Rodrigues de Sousa, é destinado a famílias com renda de até R$ 1,6 mil e recebeu investimento de R$ 53,6 milhões. São 1.032 apartamentos distribuídos em 129 blocos de dois pavimentos e quatro unidades por andar. Cada apartamento tem área privativa de 39,22 m², divididos em dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes.

O condomínio dispõe de duas praças, duas quadras poliesportivas, dois playgrounds e um centro comunitário. O residencial é equipado com infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e iluminação pública. Este é o primeiro residencial construído pelo MCMV em Capanema, município que fica a 160 km da capital paraense, Belém.

Mas, segundo o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Evandro Lima, apesar de ser o primeiro empreendimento, outros moradores de Capanema já foram beneficiados pelo MCMV. “O Programa Minha Casa Minha Vida já está presente em Capanema em outras faixas de renda, por meio de iniciativas de pequenas construtoras locais, que têm feito esses imóveis com financiamento da Caixa e os subsídios do programa”, afirma. Em Capanema, já foram entregues 1.496 unidades habitacionais, enquanto em todo o estado do Pará são 46.473 unidades, beneficiando 185 mil pessoas.

Fonte: Blog do Planalto