Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Polícia Militar

Comandante do CPR-II se congratula com a tropa pelo WhatsApp

Coronel Mauro Sérgio deu os parabéns aos PMs do 4º e do 23º Batalhões e do 11º CIPM pela redução do número de roubos em Marabá, Parauapebas e Rondon do Pará

A divulgação da estatística do desempenho da Polícia Militar, referente ao período de abril passado, deixaram o coronel Mauro Sérgio Marques da Silva, comandante de Policiamento Regional II, muito satisfeito com o rendimento da tropa. Para traduzir esse contentamento e transmitir as congratulações a todos, ele usou o meio mais empregado hoje para comunicação instantânea de massa.

Pelo WhatsApp, o oficial, que está há sete meses no cargo, disse aos comandados: “Bom dia a todos os combatentes do CPR II. Quero parabenizar aí o 4º Batalhão o 23º e a 11ª CIPM, pela redução dos indicadores de criminalidade roubo, referentes ao mês de abril”.

Em seguida ele informa os percentuais da diminuição de casos roubos no mês passado em relação a março: Marabá, redução de 12%; Rondon do Pará, redução de 24%; Parauapebas, redução de 34%. “Obrigado a todos, realmente é isso o que a sociedade espera: compromisso nosso. Parabéns novamente às três unidades”, encerra.

De acordo com as estatísticas, em toda a região coberta pelo CPR-II, os casos de roubo em janeiro passado totalizavam 658; em fevereiro caíram para 559; em março houve uma elevação para 743, mas, em abril desceram para 584. Em relação a outubro de 2017, quando Mauro Sérgio assumiu e o número de roubos na região era 845, em sete meses essas ocorrências caíram em 30,89%.

Em Marabá, janeiro registrou 241 casos de roubo; em fevereiro esse número caiu para 214; em março de um salto para, 262; e em abril despencou para 231. Em outubro de 2017, o número de roubos era 287 logo, sete meses depois, houve redução de 19,51%.

No município de Parauapebas, em janeiro aconteceram 298 roubos; em fevereiro ocorreram 277; em março houve uma subida de mais de 100 casos, totalizando 394; mas, em abril, com a atuação redobrada da Polícia Militar, esse número despencou para 259. Então de outubro, quando o município registrou 404 ocorrências de roubo, para cá houve uma redução percentual de 35,9% na atuação
dos larápios.

Na cidade de Rondon do Pará, em janeiro ocorreram 23 casos de roubo; em fevereiro esse tipo de ocorrência caiu para 17; em março esse número se manteve; e, em abril, houve uma redução para 13 casos.

Tecnologia

App do Google vai apagar mensagens de bom dia do WhatsApp

Empresa quer apagar as imagens de "bom dia" automaticamente do seu aparelho

O Google está trabalhando para ajudar você a se livrar automaticamente das mensagens de “bom dia” recebidas via WhatsApp.

A novidade chegará aos usuários de smartphones com sistema operacional Android pelo aplicativo Files Go, um gerenciador de arquivos grátis lançado há pouco tempo pelo Google.

Em entrevista ao The Wall Street Journal, um porta-voz disse que a empresa trabalha para que o algoritmo de inteligência artificial reconheça as imagens de “bom dia” rapidamente e as apague do dispositivo.

“Estivemos tentando desconstruir qual é o DNA de uma mensagem de bom dia por meses. Tem dado muito trabalho para fazer isso do jeito certo”, disse Josh Woodward ao jornal americano.

Segundo uma pesquisa da própria empresa, um em cada três usuários de smartphones fica sem espaço na memória do aparelho diariamente. Na Índia, país cuja população também gosta de mandar mensagens de bom dia aos amigos, casos assim acontecem com grande frequência. Por isso, ele será o primeiro a receber o novo recurso do Files Go.

Por enquanto, o aplicativo grátis pode ser usado para outras funções no Brasil, como limpar dados acumulados ou indesejados na memória do smartphone Android. Ele não tem versão para iPhones.

Fonte: Exame/Lucas Agrela

Tecnologia

WhatsApp deixa de funcionar em vários smartphones a partir do dia 1º, veja quais

Versões do BlackBerry e do Windows Phone perderão suporte na virada do ano

A partir do dia 1º de janeiro de 2018, próxima segunda-feira, o aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp vai deixar de funcionar em alguns dispositivos antigos, como o BlackBerry OS e o BlackBerry 10, além de todos os aparelhos que rodam o Windows Phone 8.0, da Microsoft.

Na prática, não será mais possível criar novas contas ou verificar as já existentes nos aparelhos obsoletos. Além disso, a empresa anunciou que, por não mais desenvolver para essas plataformas, “alguns recursos podem deixar de funcionar a qualquer momento”.

De acordo com a equipe do aplicativo de mensagens, “estas plataformas não têm a capacidade necessária para suportar futuras funções ”. O conselho aos poucos usuários dos modelos afetados é “adquirir um telefone Android com um sistema operacional 4.0 ou superior, Windows Phone 8.1 ou superior, ou um iPhone com iOS 7 ou superior”.

Além disso, o WhatsApp vai deixar de funcionar no próximo ano nos dispositivos que rodam com sistema operacional Nokia S40.

Recentemente, o mensageiro instantâneo também anunciou que versões do Android anteriores a 2.3.7 não terão mais suporte a partir de fevereiro de 2020.

A intenção é concentrar a equipe no desenvolvimento de mais e melhores funcionalidades (e que recolham mais dados) para as plataformas que totalizam mais de 99% do mercado, ou seja as versões mais recentes dos sistemas operacionais do Google, Apple e Windows Phone.

Atualmente, o aplicativo de mensagens já não oferece suporte para o Android 2.3.3 e anteriores, além do iOS 6 (iPhone 3GS) e Nokia Symbian S60.

WhatsApp

Mobilização em rede social resgata renomado médico das ruas de Marabá

O neurocirurgião foi dominado pelo alcoolismo e perambulava com um grupo de mendigos pela orla do Tocantins

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Nas últimas 72 horas, jornalistas de Marabá e de Redenção demonstraram que as redes sociais não servem apenas para publicar futilidades, agredir a moral e a honra das pessoas covardemente ou propagar teorias da conspiração sem fundamento, entre outras bobagens.

No sábado (17), pela manhã, o repórter Josseli Carvalho, do Jornal Correio, passava pela Orla “Sebastião Miranda”, em Marabá, quando avistou um grupo de mendigos e, entre eles, o médico Luiz Rogério Miranda, que já foi um dos mais respeitados neurocirurgiões do Norte do País e pessoa das mais estimadas em Redenção e região do entorno, tanto pelo seu profissionalismo quanto pela generosidade.

Miranda estava em estado muito ruim, alcoolizado, fraco, mal podia caminhar e era amparado pelos moradores de rua. Josseli, então, fez um vídeo de menos de 10 segundos e postou no grupo de WhatsApp “Olho Vivo”, formado por colegas jornalistas e policiais de Marabá, com um apelo para quem conhecesse o médico e pudesse ajudá-lo.

Ninguém respondeu ao apelo, mas um integrante do grupo lembrou que o médico, que já havia trabalhado em Marabá, inclusive no Hospital Municipal, tinha fortes ligações com a cidade de Redenção e postou o vídeo, acompanhado do apelo, no Grupo Sinjor S e SE do Pará, formado por jornalistas da região.

No dia seguinte, domingo (18), o jornalista Lourivan Gomes, de Redenção, viu o vídeo, reconheceu o médico e iniciou uma grande mobilização entre os amigos de Luiz Rogério. Rapidamente formou-se o grupo de WhatsApp “Amigos Luiz Rogério”, com aproximadamente 30 pessoas que passaram a coordenar uma verdadeira ação social para resgatar Miranda das ruas de Marabá.

No início da tarde desta terça-feira (20), amigos do médico estiveram na cidade, o localizaram, conversaram com ele e o convenceram a voltar a Redenção com eles e iniciar um tratamento em uma instituição de recuperação de dependentes químicos, cujos custos serão bancados pelo grupo de amigos.

Marabá

Tempo real: ofendida via WhatsApp, vereadora pede cassação do mandato de colega em Marabá (Atualizada)

Vereadora Irismar se diz ofendida pelo vereador Ray Athiê no WhatsApp. Ray se defende dizendo que vereadora ofendeu seu pai, de 90 anos.

A sessão desta terça-feira (2) da Câmara Municipal de Marabá está sendo marcada por um grande bate-boca entre dois vereadores.

A vereadora Irismar Melo (PR), da tribuna, pediu a abertura de processo de cassação, por falta de decoro, contra o vereador Ray Athiê (PC do B). Irismar acusa Ray de tê-la caluniado e faltado com o respeito por meio de um grupo de WhatsApp, usando termos pesados, em momento de farra com amigos.

Ray se defendeu dizendo que Irismar ofendeu o pai dele, um ancião de 90 anos, também via WhatsApp, em razão de um jogo de futebol.

Daqui a pouco mais detalhes da calorosa discussão entre os vereadores.

Atualização:

Por Eleutério Gomes – de Marabá

A sessão plenária desta terça-feira (2), da Câmara Municipal de Marabá (CMM), foi marcada por calorosa discussão entre os vereadores Irismar Nascimento de Araújo Melo (PR) e Ivanildo Bandeira Athie (PC do B) – Ray Athie. Primeira a se pronunciar no Grande Expediente, Irismar dirigiu-se imediatamente a Ray, acusando-o de tê-la desrespeitado, com atitudes depreciativas, vergonhosas, baixas, além de ter tentado desmoralizá-la ao chamá-la de “indecente”, no último domingo (30 de abril), à tarde, em quatro áudios divulgados em um grupo de WhatsApp que reúne vereadores, servidores dos gabinetes e pessoal do Departamento Jurídico e da Comunicação da CMM.

No meio do discurso da vereadora, que chegou a bater na bancada da tribuna, mostrando o tamanho de sua indignação, Ray pediu aparte, o que foi negado por Irismar, ao dizer que ele deveria usar sua vez de falar, para se defender, ironizando que até calado ele estaria errado. “Se coloque no seu lugar, vereador”, bradou ela, acusando-o de injúria e difamação. Em seguida, Irismar solicitou ao colega Ronisteu da Silva Araújo (PTB) – Pastor Ronisteu, que fizesse a leitura da representação apresentada por ela, à Mesa Diretora da Câmara, contra Ray Athie, solicitando a cassação do mandato dele por quebra de decoro parlamentar.

O ataque a Irismar Melo, segundo Ray Athie, se deu em razão de a vereadora ter postado mensagem com palavras ofensivas ao pai dele, Michel Atihe, de 90 anos de idade, após um jogo de futebol em que determinado atleta do Flamengo, conhecido como Pará, havia enviado um elogio ao ancião. De acordo com o vereador, Irismar teria tentado, ofensivamente, desqualificar o elogio.

Irismar nega, afirma que, além de não estar ligada em jogos de futebol, jamais desrespeitaria uma pessoa de 90 anos, que conheceu em Sessão Especial no último dia 9 de abril, considerando-o um “ser humano espetacular”. A vereadora disse ainda, em vários momentos, que dá para perceber nos áudios postados que Ray estava bêbado e em meio a outras pessoas, como se estivesse numa farra.

Ray, porém, insistiu em dizer que houve sim desrespeito, disse que não tem medo de Irismar Melo e afirmou que ela poderia falar o que quisesse da pessoa dele, vereador, mas não de seu pai, um homem honesto que “trabalhando num banco de canoa, criou e cuidou de 10 filhos”.

Atacado continuamente por Irismar, que mesmo de volta ao seu lugar na Mesa Diretora continuava a falar com veemência, Ray perdeu o controle e encerrou seu discurso, aos gritos de “Vá procurar votos, vereadora”, enfatizando que Irismar deveria se envergonhar do fato de “estar no terceiro ou quarto mandato e ter entrado arrastada nas últimas eleições”.

Tecnologia

Grupo de WhatsApp “Umbora” propõe mais atividades presenciais e menos interação virtual

Três amigos criaram o “Umbora”, grupo de WhatsApp que ironicamente promove a diminuição do uso do aplicativo.

O WhatsApp é o aplicativo de interação social mais famoso dos últimos tempos, considerado como umas das mais poderosas ferramentas de mídia social. A maior parte dos seus usuários utiliza grupos criados no aplicativo com assuntos específicos para se comunicar, trocar informações, comprar, entreter-se, trabalhar, e assim, cumprir com o objetivo principal de um grupo, que é a interação, e isto faz com que as pessoas fiquem ligadas, uma boa parte do seu tempo, no WhatsApp.

Indo na contramão deste objetivo e com uma proposta de fazer com que as pessoas se desconectem um pouco do mundo virtual e vivenciem mais a interação presencial, três amigos criaram o “Umbora”, grupo de WhatsApp que ironicamente promove a diminuição do uso do aplicativo.

“Estávamos voltando de um passeio em uma cachoeira, na Vila Sanção. A experiência foi tão boa. Daí, durante as nossas conversas sobre como deveríamos fazer isso mais vezes, o Carlos teve a ideia de criar o grupo”, disse Wesley de Almeida Guedes, um dos idealizadores do grupo.

“Percebemos que quando a gente sai, todo mundo fica ligado no WhatsApp. A ideia foi criar um grupo que pudesse estimular as pessoas a se desconectar um pouco mais desse mundo virtual, a se movimentar, e assim, promover mais interação presencial”, disse Carlos Alessander, criador do grupo. Atualmente são 45 integrantes do Umbora, e o detalhe interessante é que todos são administradores.

Praticamente todo grupo tem regras de participação. No Umbora, os integrantes não devem: cumprimentar, apresentar-se, postar correntes ou informações comerciais. Somente enviar convites para eventos, passeios, viagens ou mesmo para uma caminhada ou para ajudar em uma mudança de casa.

O convite para eventos ou qualquer tipo de atividade deve ser feito a partir da criação de um subgrupo, desta forma já foram criados o Umbora para o cinema, Umbora para a cachoeira, Umbora na roça, Umbora para Belém, Umbora fazer uma mudança, Umbora caminhar, entre outros subgrupos desde a criação do grupo principal, em 28 de agosto de 2015. Não importa o tipo de atividade, o objetivo é tirar os integrantes do WhatsApp por um período e proporcionar mais contato presencial.

No início de janeiro deste ano teve o Umbora Docenorte, clube de esporte e lazer localizado em Carajás e, recentemente, foi criado o Umbora Rio de Janeiro, uma viagem que promete muitas aventuras e um belo passeio pela cidade maravilhosa à um custo impressionantemente baixo.

“Eu encontrei passagens à R$ 250,00, ida e volta, de Carajás para o Rio de Janeiro. Logo que postei essa informação no grupo o pessoal se interessou e agente começou a organizar a viagem. Conseguimos também um hotel, em Copacabana, por R$ 225,00 para cada pessoa, sete dias de hospedagem”, comemorou Wesley Guedes. Onze pessoas estão programadas para o Umbora Rio de Janeiro, que será entre os dias 8 e 15 de março.

“Conheci a ideia do grupo através de uma boa e velha carona do Carlos. Me interessei principalmente porque estava há apenas dois meses na cidade e queria me enturmar. Participei de várias atividades. Muita gente entrou e depois saiu por não compreender a metodologia. Hoje posso dizer que o Umbora é o melhor grupo do meu aplicativo, não é chato. Sei que quando começa a chegar mensagens é por que vai rolar algo, daí eu opto por participar ou não, sem estresse, sem cobranças. Com o grupo conheci mais pessoas, lugares e comidas diferentes”, disse a enfermeira Lígia Miranda.

O jovem servidor público Abimael Oliveira Sousa mora sozinho em Parauapebas e também esteve envolvido na criação do grupo. Ele conta que a partir de sua participação conseguiu estabelecer novas amizades na cidade, “achei uma ideia inovadora, pois tira as pessoas do ‘zap’ e faz a gente ter experiências legais”, acrescentou.

“Fico sem palavras ao refletir sobre todas as histórias do grupo e ver que o objetivo foi cumprido: de sair do isolamento da vida moderna e usar a tecnologia para juntar as pessoas, fazendo com que todos se percebam numa grande família”, relatou Carlos Alessander.

Tecnologia

WhatsApp libera chamada de vídeo para Android e iPhone

Recurso estava em testes desde o final de outubro e deve chegar a todos os aparelhos nos próximos dias

O WhatsApp liberou nesta segunda-feira, 14, um novo recurso de chamadas em vídeo. Em teste desde o final de outubro, a função já está disponível para aparelhos com sistemas operacionais Android, iOS e também para o Windows Phone.

Segundo a assessoria do WhatsApp no Brasil, a atualização pode demorar alguns dias para chegar a todos os usuários brasileiros.

Para usar as chamadas de vídeo, o sistema será bastante parecido com o atualmente utilizado com as chamadas de voz. Para começar uma chamada, basta acessar a tela de mensagens com o seu contato específico e clicar no símbolo do telefone – na sequência, um menu será aberto pedindo para o usuário escolher entre chamada de voz ou de vídeo. O sistema é parecido com o Skype e o Duo, do Google.

Utilizado por mais de 1 bilhão de pessoas, o WhatsApp já havia começado a realizar testes de vídeo no início do ano, mas durante um curto espaço de tempo.

O aplicativo, que foi vendido para o Facebook por US$ 22 bilhões, aposta em diversificar as formas de comunicação entre seus usuários. Para os brasileiros, um fator que pode ser prejudicial à utilização do recurso de vídeo é a qualidade da internet móvel no país.

O WhatsApp já fez, nos últimos meses, outras atualizações para incrementar a experiência de seus usuários. Além de permitir que as pessoas desenhem em suas fotos, como no Snapchat, o aplicativo também poderá ser utilizado por empresas no contato com seus clientes.

Notícias

Acaba no sábado prazo para que seus dados do WhatsApp sejam compartilhados pelo Facebook

Os usuários do WhatsApp que não quiserem que os seus dados pessoais sejam compartilhados automaticamente com o Facebook têm mais três dias para evitar essa troca de informações: o prazo é até o dia 25 de setembro para rejeitar os novos termos de privacidade. Já os novos usuários do WhatsApp não terão a chance de escolher.

No mês passado, o WhatsApp informou que passaria a compartilhar mais dados com o Facebook para “melhorar suas experiências com anúncios e produtos” da rede social.

Na ocasião, dia 25 de agosto, o Whatsapp também divulgou um prazo de 30 dias para quem quisesse rejeitar as novas regras de compartilhamento. É a primeira vez em quatro anos que o serviço de mensagem instantânea muda os termos de uso de dados.

As novas regras têm relação com a venda do WhatsApp para o Facebook, concretizada no final de 2014 por US$ 22 bilhões. Depois da compra, o serviço, antes pago no caso de renovação, ficou completamente gratuito.

A ideia do Facebook, segundo declarações da própria empresa, é utilizar o serviço de compartilhamento de mensagens para os negócios da rede social.

Como desfazer o compartilhamento de dados?

Se você já é um usuário do WhatsApp, mas quiser recusar as novas regras, há duas formas para isso:

  • A primeira maneira ao iniciar o aplicativo e se deparar como aviso de atualização. Nesse caso, você precisa clicar em “Leia”. Se a pessoa não quiser que os dados de sua conta sejam compartilhados com o Facebook, você poderá desmarcar essa opção e prosseguir a atualização.
  • No entanto, se o usuário já aceitou a atualização anteriormente, ainda há solução. Ele tem até a próxima semana para escolher se quer ou não compartilhar os dados da conta. Para isso, é preciso entrar no aplicativo, ir para “Configurações ou Ajustes”, em seguida escolher a opção “Conta” e, finalmente, optar por marcar ou desmarcar “compartilhar os dados da conta”.

Segundo o WhatsApp, ao concordar com os novos termos, os números do telefone e o conteúdo das conversas dos usuários “não serão” repassados à rede social. Mas o Facebook já planeja usar as informações compartilhadas para sugerir sugestões de amizade “mais relevantes” e também anúncios publicitários para quem troca mensagens.

Alcance

Em fevereiro deste ano, o WhatsApp alcançou a marca de 1 bilhão de usuários, segundo publicação do presidente-executivo e cofundador do Facebook, Mark Zuckerberg.

De acordo com um post no blog do WhatsApp, esse número representa quase uma em cada sete pessoas na Terra que, todo mês, usam o WhatsApp “para estar em contato com seus amados, amigos e família”. No Brasil, estima-se que 100 milhões de pessoas usem o serviço. (BBC)