Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Esporte

Enxadristas vão participar da 2ª etapa da Copa do Rei de Xadrez em Parauapebas

Já foram confirmados 17 eventos de xadrez na cidade para o ano de 2018

Enxadristas de Parauapebas, Palmares 2, Eldorado dos Carajás e Canaã dos Carajás, vão participar da 2ª etapa da Copa do Rei de Xadrez, que será realizada na tarde deste sábado (24), na Feira do Produtor – CAP, que fica localizada na avenida Faruk Salmen. A competição será promovida pelo Clube de Xadrez Parauapebas, que já desenvolve um trabalho há mais de 10 anos na região sudeste do estado.

“Começamos a fazer os torneios agora em forma de circuito para abranger mais todas as áreas da cidade e não ficar em um lugar só. Desde o ano passado, estamos fazendo 10 torneios no estilo rápido, até 20 minutos para cada jogador e em 10 etapas. O campeão é aquele que fizer mais pontos durante a etapa e tem algumas premiações. Ano passado foi um jantar em um restaurante com fogão a lenha e um passeio de avião panorâmico por Parauapebas”, afirmou Rodrigo Leal, presidente do Clube de Xadrez Parauapebas.

O número de participantes só vem crescendo a cada ano. Em 2017, foram mais de 100 enxadristas. A 1ª etapa da Copa do Rei começou no domingo passado, no clube Sthopa, e seguirá neste sábado com a 2ª etapa no CAP, lugar no qual todos os sábados, são ministradas aulas gratuitas de xadrez das 8h às 11h para toda a comunidade. O principal objetivo é ensinar a prática para as crianças para que aprendam o jogo, fortalecendo a parte intelectual, ajudando a memória, a concentração e o raciocínio lógico.

“O objetivo é de está difundindo o xadrez e levando cada vez mais longe. Esse ano de 2018, teremos 17 eventos confirmados em Parauapebas, só de xadrez, e faremos outros torneios, que ainda não estão confirmados com parcerias como a prefeitura por exemplo, que é o Jeps, eles não tem ninguém que façam isso, então fazemos o Jeps para a prefeitura de forma voluntária”, disse Rodrigo Leal.

A partir do mês que vem, vai está surgindo a formação de alguns professores de educação física para difundir mais o xadrez na zona rural com a educação no campo. É um projeto da SEMED (Secretaria Municipal de Educação) que vai levar o xadrez para a educação do campo, onde serão comprados 120 jogos de peça para que 12 escolas possam ter materiais, com os professores sendo qualificados para poder dá essa formação para os alunos.

“Nós vemos que o xadrez vai melhorar muito a partir dai. Porque quanto mais pessoas tiverem trabalhando, principalmente na área educacional, melhora ainda e esse esporte cresce cada vez mais. Para as mulheres temos uma novidade. No dia 18 de março no shopping, vai acontecer o 4º torneio da Copa da Rainha, com mil reais de premiação e as inscrições são gratuitas. Então a tendência é só crescer e o Clube de Xadrez de Parauapebas vem trabalhando para que o xadrez cresça na cidade e na região”, finalizou Rodrigo.

Por Fábio Relvas

evento

Prática do xadrez nas escolas ainda não encontra apoio em Marabá

Francisco Arnilson, presidente do Clube de Xadrez, lamenta a falta de interesse e diz que o esporte prepara seu praticante para a vida toda
Por Eleutério Gomes – de Marabá

Reconhecido como esporte pelo Comitê Olímpico Internacional, o xadrez traz vários benefícios para a mente de quem o pratica, sobretudo na juventude e, melhor ainda, quando aprendido e praticado nas salas de aula. Em Marabá, entretanto, um dos maiores incentivadores desse esporte vive uma luta constante para promover o xadrez e leva-lo às escolas. Francisco Arnilson de Assis, presidente do Clube de Xadrez de Marabá (CXM), queixa-se de falta de apoio para concretizar seu projeto.

Arnilson de Assis

Mesmo sem recursos financeiros, o CXM conseguiu realizar este ano 27 competições, reunindo um público de 161 enxadristas, entre eles 23 universitários, 76 estudantes e 62 outros praticantes. Desses certames, 10 foram dirigidos exclusivamente ao público infantil, com jovens do município e alunos de escolas que procuraram o apoio do clube.

“A gente conta com a boa vontade das escolas, dos praticantes e dos estudantes, mas, apoio do poder público, não. Já conversamos com a Secretaria de Educação do Município e também com a Secretaria de Esportes, mas não vimos ainda uma luz no fim do túnel”, lamenta Arnilson. Segundo ele ainda não deu para perceber boa vontade nem interesse em apoiar ao esporte nem o levar para as salas de aula. “Pode ser que surja no ano que vem”, espera.

Benefícios

Segundo Francisco Arnilson, Marabá conta hoje com 500 praticantes do xadrez, cujos benefícios são: disciplina, organização, planejamento, avaliação de risco, tomada de decisão, memorização, raciocínio lógico, atenção e capacidade de cálculo.

“Os benefícios do xadrez são para a vida toda. A vida escolar, profissional e esportiva. Mas, não basta aprender a jogar xadrez, tem de seguir praticando. A partir de um ano de prática, esses benefícios certamente virão”, avisa o presidente do CXM.

É possível, inclusive, segundo Arnilson, por meio do xadrez, resgatar jovens cuja tendência era entrar nos tortuosos caminhos do crime. “Conheço muitos casos de pessoas que foram resgatadas após aprenderem e começarem a praticar esse esporte”, afirma ele.

Arnilson diz que o xadrez já está presente nas salas de aulas de muitas cidades de Minas Gerais, Santa Catarina, Tocantins, Goiás e outras País afora. “Não é uma coisa massificada ou sistematizada, mas surge como atividade extracurricular e está entrando muito forte em cidades cujas escolas têm jornada de integral e esse não é o caso de Marabá”, observa.

Única

Na cidade, segundo Arnilson, apenas uma escola municipal, a São Francisco, no Km 2 da Cidade Nova, considerada por ele “modelo na prática do esporte”, ministra aulas de xadrez para os alunos e conseguiu que eles se interessassem tanto, a ponto de minimizar bastante a baderna que se formava no intervalo do recreio.

“Nessa hora, ao sair para a merenda, os alunos faziam muita algazarra, caíam, se sujavam ou eram atropelados por outros maiores. Então, a direção, preocupada, pensou em uma atividade esportiva que pudesse ajudar a amenizar esse quadro. E os próprios alunos escolheram o xadrez”, conta Arnilson.

Capital do Xadrez

Ele destaca que, diferentemente de Marabá, em Parauapebas o xadrez tem encontrado muita aceitação, tanto nas escolas da rede privada quanto nas da rede pública. Tanto assim que a cidade é considerada a “Capital do Xadrez no Pará”, sendo referência para todo o Estado.

 “O melhor local para se aprender e praticar o xadrez é na escola. O Brasil tem mais de 150 mil escolas, Marabá tem muito mais de100. Então, nós poderíamos também ser referência, mas não temos apoio público nem privado”, lamenta Arnilson, afirmando que em Canaã dos Carajás o esporte encontrou apoio em um bibliotecário, que trouxe para uma das competições promovidas pelo CXM alunos da Escola “João Nelson”, “com carro e combustível bancados pela prefeitura”.

Quem quiser se engajar na luta travada por Arnilson, em favor da disseminação da prática do xadrez, pode contatar com ele pelo celular (94) 98166-1616 ou pelo e-mail arnilson@uol.com.br.

Eventos

Parauapebas terá “Dia D” do atendimento à pessoa com deficiência, para inclusão no mercado de trabalho

A data foi escolhida durante a comemoração do Dia Nacional do Surdo, realizada ontem em Parauapebas

Durante uma reunião realizada nesta terça-feira, 26, na Secretaria Municipal de Assistência Social de Parauapebas, com os representantes dos Conselhos Municipais dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPDP), e Assistência Social (COMASP), SINE, APAE e o secretário Jorge Guerreiro, foi definida a data de 23 de novembro como o dia “D” para o atendimento da pessoa com
deficiência e reabilitados, voltado para a inserção no mercado de trabalho.

A proposta é aproximar as empresas da pessoa com deficiência para que ela volte a ter uma atividade rentável e não dependa do benefício do governo, que muitas vezes não consegue atender às necessidades.

A reunião aconteceu no Dia Nacional do Surdo, comemorado no dia 26 de setembro em todo o país e que fez parte da programação da IX Semana de Luta pelos Direitos da Pessoa com Deficiência. As atividades de lazer, esporte e ações de conscientização foram realizadas em Parauapebas entre os dias 19 e 22 de setembro.

O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Parauapebas (CMDPDP) reuniu dezenas de pessoas pelas ruas da cidade para chamar a atenção para a falta da acessibilidade em áreas públicas e da padronização das calçadas que hoje dificultam o cadeirante e o cego, de circular pela cidade.

Para o presidente do CMDPDP, Edivaldo Lima, a luta também é pelo empoderamento da pessoa com deficiência. “Buscamos junto ao governo a implementação de políticas públicas que atendam os anseios e a necessidade desse grupo que eu faço parte ainda tão marginalizado na sociedade”, destacou Edivaldo.

O Clube de Xadrez de Parauapebas também participou da programação e realizou no dia 23 de setembro, no shopping da cidade, um circuito sensorial de xadrez com deficientes visuais que tiveram a oportunidade de conhecer as regras desse esporte, que também pode ser inclusivo. ” O xadrez é o jogo mais democrático que existe, qualquer pessoa pode jogar. Por isso, é muito utilizado na escola, quanto da reabilitação. Ajuda a prevenir o Alzheimer, melhora a concentração e o raciocínio lógico”, destaca o professor de xadrez, Rodrigo Leal.

Mas o esporte ainda esbarra na dificuldade de encontrar no município os materiais adaptados para quem é cego, ou tem baixa visão. Também faltam os professores para trabalhar nessa área.

“Temos uma professora que trabalhou tempos atrás e nós já entramos em contato com ela para fechar uma parceria. A nossa ideia é iniciar, no ano que vem, duas turmas com deficientes visuais dentro do clube. Hoje temos cinco cegos que já praticam o Xadrez”, explicou o professor que pretende ainda realizar uma competição de cegos, com atletas de cidades vizinhas e divulgar mais esse esporte entre a pessoa com deficiência. Rodrigo Leal espera conseguir apoio para adquirir os materiais adaptados.

O Conselho Municipal também aproveitou a semana de luta para divulgar os direitos adquiridos ao longo dos anos das pessoas com deficiência, que são garantidos pela Legislação Brasileira e se tornaram instrumento de inclusão social. A primeira delas foi a lei de cotas, implantadas em 24 de julho de 1991, e regulamentada nove anos depois, melhorando a fiscalização nas empresas.
Em 20 de dezembro de 1999 foi regulamentada a Lei das pessoas com deficiência. Em 2000, duas Leis Federais garantiram o atendimento prioritário e as normas e critérios para a acessibilidade das pessoas com deficiência, e em 2 de janeiro de 1916, foi aprovada a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência que passou a ser chamada de Estatuto da Pessoa com Deficiência.

Esporte

Equipe de Xadrez do Pará melhora ranking em competição nacional

Camila de Assis Paiva, de 13 anos, de Parauapebas, e Saulo António Alves, de 14 anos, de Breu Branco, representaram o Pará na 13ª edição dos Jogos Escolares da Juventude

Chegou ao fim, esta semana, a 13ª dos  Jogos Escolares da Juventude, realizada na cidade de Curitiba (PR). Organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), a etapa de 12 a 14 anos dos Jogos Escolares reuniu mais de 4 mil atletas/alunos de todos os estados do Brasil. Foram 10 dias de competição em 13 esportes, sendo 9 individuais. Os estudantes de Parauapebas foram destaques entre as equipes paraenses nos diferentes esportes.

No Xadrez, Camila de Assis Paiva, de 13 anos, de Parauapebas, e Saulo António Alves, de 14 anos, de Breu Branco, representaram o Pará. Eles se classificaram durante os Jogos Estudantis Paraenses (JEPS) realizados em junho deste ano, em Belém. Camila é bicampeã paraense e pela segunda vez, representou o Pará nos Jogos da Juventude.

Nesta edição, a equipe paraense conseguiu melhorar a classificação nas categorias masculina e feminina. Camila saiu do 21º lugar, do ano passado, para o 18º, no ranking geral. E Saulo conquistou o 21 º lugar. Segundo o técnico da seleção paraense de xadrez, Rodrigo Ferreira Leal, os dois alunos/atletas mostraram talento apesar das adversidades. Foram três dias de vigem de ônibus para chegar até Curitiba, deixando a equipe exausta física e mentalmente, o que compromete o desempenho do jogador, já que o xadrez é um esporte que exige o raciocínio lógico. “A equipe do Rio grande do Sul foi a grande campeã, mas o investimento no xadrez educacional no Sul é muito grande, além do que eles não precisam enfrentar 3 dias dentro do ônibus”, destacou o professor. Ele contou ainda que Camila e Saulo estavam exaustos mentalmente, no penúltimo dia. “Levei os dois para um passeio e depois  assistimos um filme no shopping. Deu certo. Ganharam as partidas do último dia”.

Apesar dos desafios, a participação da equipe foi positiva, principalmente para a cidade de Parauapebas que há nove anos tem representado o Pará nessa competição. Camila agora está estudando para as provas, mas depois vai treinar para o campeonato paraense feminino, que vai acontecer em Belém nos dias 25 e 26 de novembro. Ela e outros atletas do Clube de Xadrez de Parauapebas disputarão até o fim do ano, na cidade, outras 5 competições que também vão servir para manter o ritmo de competição. Mas o professor Rodrigo enfatiza que o aluno/atleta precisa manter boas notas na escola, por isso primeiro vem o aluno e só depois o atleta. “Eles já são vencedores. Melhoramos a colocação do estado do ano passado, e agora é treinar para os próximos desafios. Pretendo levar os alunos de Parauapebas para a disputa do mundial no ano que vem. São caminhos que abrimos para as próximas gerações de atletas que se tiverem apoio, vão cada vez mais nos dar alegrias e principalmente se formarem em cidadãos melhores que esse é o objetivo final e o meu de vida”, disse Rodrigo.

O xadrez tem garantido os estudos de Camila que conta com uma bolsa do Colégio Sophos e agora concorre à bolsa-talento do Estado. E não é só isso, o xadrez garante outros benefícios para quem pratica, como o raciocínio matemático e o pensamento crítico, além de melhorar a imaginação, criatividade e comunicação.

O Clube de Xadrez de Parauapebas também prepara os novos talentos. Para quem estiver interessado em aprender xadrez, todos os sábados, das 08hs às 11hs, no segundo piso do CAP- Nova Feira do Produtor, tem aulas gratuitas.

Esporte

Estudante de Parauapebas representará o Pará em competição nacional de xadrez

Os Jogos Escolares da Juventude são realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) com organizações governamentais e empresas privadas.

Começa nesta terça-feira, 12, em Curitiba (PR), os Jogos Escolares da Juventude 2017, a maior competição escolar do Brasil, que revela talentos de 12 a 14 anos de idade, em 13 esportes. A cerimônia de abertura será no Ginásio do Círculo Militar da cidade, e as competições de 9 esportes individuais começam nesta quarta-feira, 13. Dois estudantes vão representar o Pará no torneio de xadrez. Camila de Assis Paiva de 13 anos, de Parauapebas e Saulo António Alves, de 14 anos, de Breu Branco que se classificaram durante os Jogos Estudantis Paraenses – JEPS realizados em junho deste ano, em Belém. Para conquistar as duas únicas vagas nas categorias, masculino e feminino, 23 municípios paraenses enviaram os estudantes para disputar o Super JEPs.

Camila é bicampeã paraense e pela segunda vez vai representar o Pará nos Jogos da Juventude. A “aluna atleta” treina no clube de xadrez de Parauapebas e através deste esporte conseguiu uma bolsa no Colégio Sophos, onde estuda o 9º ano. Camila é uma promessa, segundo o técnico da seleção paraense de xadrez, Rodrigo Ferreira Leal. “Todo ano é realizada uma competição classificatória através do Jeps, e Parauapebas já representou o Estado por 9 vezes, na fase nacional. E Camila mantém essa tradição. Pra chegar até aqui, ela enfrentou 50 competidoras na primeira fase, em Parauapebas, e mais 20 na disputa em Belém”, destacou o técnico, afirmando que o evento esportivo em Curitiba é uma oportunidade para uma outra competição. “Estamos nos preparando para disputar o mundial no ano que vem, fora do Brasil, e essa competição em Curitiba, embora não seja classificatória, é mais uma etapa preparatória para o mundial de xadrez, em 2018”, completou Rodrigo.

Nos Jogos da Juventude, Camila e Saulo vão encarar 54 alunos atletas. Os dois melhores da competição, nas categorias feminino e masculino, vão disputar o sul-americano de xadrez pela seleção brasileira. Embora seja um desafio difícil por causa da qualidade dos jogadores, Rodrigo acredita que Camila deva ficar entre as dez melhores jogadoras de xadrez do país. “Nos anos anteriores, nós não tínhamos patrocínio e ainda conseguimos, em 2014, ficar em terceiro lugar na competição. Esse ano viemos mais preparados porque tivemos o apoio de transporte, pela Prefeitura de Parauapebas e até o ônibus da delegação para participar tanto do Jips Municipal, do JEPS Regional, que foi em Marabá e do Super JEPS, em Belém”.

Os jogos escolares da Juventude já revelaram campeões olímpicos como Sarah Menezes, do judô; campeões mundiais, como a judoca Mayra Aguiar; atletas como Raul Togni Neto, o Raulzinho (hoje na NBA); Rosamaria Montibeller e Drussyla, da seleção feminina de vôlei; Ana Cláudia Lemos, Rosângela Santos, Geisa Arcanjo e Darlan Romani, do atletismo; Samira Rocha, do handebol; Emanuelle Lima, da GR; Hugo Calderano, do tênis de mesa, e até uma medalhista em Jogos Paralímpicos – Bruna Alexandre, também do tênis de mesa.

A partir desta quarta-feira, os atletas vão em busca de medalhas no atletismo, badminton, ciclismo, judô, ginástica rítmica, luta olímpica, natação, tênis de mesa e xadrez. No domingo, dia 17, terão início as modalidades coletivas: basquete, futsal, handebol e vôlei. As competições seguem até o dia 21 de setembro.

Os Jogos Escolares da Juventude são realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) com organizações governamentais e empresas privadas.

Parauapebas

Parauapebas realizou a 9ª edição do Aberto da Copa Xadrez

Por Fábio Relvas

O xadrez é um jogo de tabuleiro de natureza recreativa e competitiva entre dois jogadores e exige muita concentração. Em Parauapebas existem vários enxadristas e no último sábado (27), a cidade realizou, nas dependências de uma colégio particular, a 9ª edição do Aberto da Copa Xadrez, que reuniu 25 atletas das cidades de Belém, Eldorado dos Carajás e Marabá, além de participantes locais. ,

Antes do torneio começar foi montado um tabuleiro gigante de xadrez no meio da escola, uma espécie de aquecimento para os participantes que literalmente entraram no tabuleiro para mexer as peças. A inscrição para a competição foi um quilo de alimento não perecível que será entregue a CMJ (Coordenadoria Municipal da Juventude). O aberto de xadrez garantiu cinco vagas para a final do Campeonato Brasileiro.

Além do aberto de xadrez, os enxadristas de Parauapebas fizeram bonito na etapa regional dos JEP’S, realizada no último final de semana em Marabá. Todos os seis participantes trouxeram medalhas e quatro deles conquistaram vagas para etapa estadual dos jogos. Matheus Silva de 13 anos e Laucídio Bonfim de 12 foram os destaques da Seleção de Parauapebas em Marabá, conquistando o 1° e 2° lugares, respectivamente. Ambos estão na etapa estadual em Belém, que será realizada entre os dias 12 e 14 de agosto. “A expectativa é boa para o estadual. Eu comecei a jogar com cinco anos, mas parei porque perdi o interesse. Agora que eu estou retornando”, afirmou Matheus Silva.

Em 2001, o xadrez foi reconhecido como esporte pelo Comitê Olímpico Internacional, tendo nos dias de hoje sua olímpiada específica e campeonatos em todas as suas categorias. “O xadrez ainda é complicado em Parauapebas, mas surgem mais praticantes. Precisamos de mais apoiadores e espaço. Hoje usamos as dependências deste colégio particular”, declarou Rodrigo Leal, professor e técnico de xadrez.

Os atletas de outras cidades gostaram do que viram em Parauapebas. É o caso de Francisco Ferreira de Eldorado dos Carajás, que pretende montar um clube em sua cidade para a prática do xadrez. “Em Eldorado dos Carajás têm enxadristas, mas não tem espaço para podermos praticar. Estou com uma ideia de montar uma espécie de clube para incentivar a prática do xadrez em nossa cidade. Sempre venho a Parauapebas disputar competições”, disse Francisco.

Notícias

Darlane Santos, bi-campeã paraense de xadrez, disputará mundial em novembro

xadrez Darlane Santos, filha do garimpeiro Salustiano Santos, o Salú, diretor social da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), e de Idelzuíte Brito, técnica de enfermagem, tem apenas 14 anos, mas já é bi-campeã paraense de xadrez. E um detalhe curioso: a simpática menina começou jogar xadrez há apenas um ano e meio num torneio escolar em Parauapebas, onde mora e cursa a 8ª série do ensino fundamental. Ela foi descoberta pelo professor de educação física, Paulo Rodrigues, que promoveu uma série de jogos na escola.

Torcedora do Palmeiras, Darlane nasceu em Paraíso (TO), mas chegou a Parauapebas ainda bebê, portanto, se considera uma legítima paraense. Ela disse que tudo começou quando o professor Paulo Rodrigues a inscreveu num torneio. “Achei interessante o xadrez, passei a estudar a teoria e praticar mais o esporte. Aí ganhei o torneio municipal e depois o paraense de xadrez em todas as modalidades na categoria feminina”, disse ela.

Entre os dias 17 e 27 de novembro, em Caldas Novas (GO), Darlane participará do Torneio Mundial de Xadrez. Ela está confiante e acredita que poderá ter uma boa participação no evento. No dias 8 e 9 de setembro deste ano, ela participou dos jogos escolares em João Pessoa (PB) e ficou em quarto lugar no brasileiro de xadrez, mesmo disputando o torneio com jogadores muito mais experientes do que ela.

Sobre suas dicas para quem deseja praticar xadrez, a bi-campeã paraense afirma: “a pessoa tem que ter muito esforço, dedicação e se aprofundar bastante no assunto. Sem estudo, ninguém vai a lugar algum”.

O pai de Darlane, Salustiano Santos, disse que é muito gratificante ter uma filha campeã de xadrez e defendeu mais apoio ao esporte. “Nós precisamos que os governos federal, estaduais e municipais tragam o xadrez para a sala de aula. Eu acredito que dessa forma os alunos desenvolverão suas mentes muito mais e aprenderão melhor as outras matérias”, disse ele.

A mãe da bi-campeã paraense, que também presta serviço para a Coomigasp, sente-se muito honrada e feliz em ter uma filha jogadora de xadrez. “Estou feliz e realizada por ter uma filha de apenas 14 anos sendo bi-campeã de xadrez. Ela melhorou em tudo a partir do momento em que começou a jogar xadrez”, afirmou Idelzuíte.

Darlane Santos disse que, além de desejar torna-se campeã brasileira de xadrez, sonha também formar-se em direito e passar em concurso para juíza. Pelo talento apresentado no xadrez, com certeza a jovem paraense também será uma grande juíza.

Por Lima Rodrigues – Curionópolis

Parauapebas

Parauapebas terá primeiro Campeonato Feminino de Xadrez

Nos dias 9 e 10 de abril será realizado o 1º Campeonato de Xadrez Feminino de Parauapebas. A competição ocorrerá no ginásio Poliesportivo e será desenvolvida no sistema suíço de cinco rodadas, em ritmo de 65’ KO para cada jogador. A arbitragem ficará por conta de Francisco Araújo e equipe, sob a supervisão de Clauber Martins.

A pontuação da competição será válida para o ranking nacional da Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e para o seletivo do Campeonato Paraense de Xadrez Feminino, que ocorrerá nos dias, 22, 23 e 24 de abril, em Belém.

Inscrições
Data: de 4 a 9 de abril
Local: Ginásio Poliesportivo – bairro Beira Rio sala do xadrez nº. 2 Horário: 8h às 18h – (sábado plantão até às 8h)
Informações: (94) 8136-0455 / 9116-3458
Valor da inscrição: R$20,00 (vinte reais)
Documentos: Comprovante de residência ou declaração escolar

Premiação: Troféus e premiação especial para: 1º, 2º e 3º Lugar

Programação:
Dia 09/04 – 8h00 – Término das inscrições
Dia 09/04 – 8h30 – Congresso técnico – 9h00 – 1ª Rodada  – 14h – 2ª Rodada  – 16h15 – 3ª Rodada
Dia 10/04 – 10h – 4ª Rodada  – 14h– 5ª Rodada  – 16h– Premiação e Encerramento

Organização:
Departamento de Xadrez de Parauapebas – DXPEBAS
Realização: Federação de Xadrez do Pará – FEXPA e Prefeitura Municipal de Parauapebas/Secretaria Municipal de Esporte e Lazer