Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Edital para construção da ponte sobre o Rio Araguaia, na divisa entre Tocantins e Pará, será aberto dia 17 de novembro

O Cadastro de Licitações da Superintendência Regional do Estado do Tocantins do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes fará, no dia 17 de novembro de 2016, às 9 horas, a abertura do edital de licitação para a Contratação Integrada de Empresa para a Elaboração dos Projetos Básico/Executivo e Execução das Obras da Ponte Rodoviária sobre o Rio Araguaia, na rodovia BR-153, na divisa dos Estados do Pará e Tocantins.

A obra sobre o Rio Araguaia, em Xambioá, que faz divisa com São Geraldo, no Pará, está contemplada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e tem custo total estimado em R$ 160 milhões, sendo de R$ 100 milhões já garantidos no orçamento 2016 por meio de emenda da bancada federal do Estado do Tocantins, de caráter impositivo.

A ponte, com 1.721 metros de extensão, será construída no trecho da BR-­153 que interliga as malhas viárias dos Estados do Tocantins e Pará. Atualmente, a travessia no trecho é realizada por meio de balsas, gerando transtornos à logística de escoamento da produção local e regional.

Uma antiga reivindicação da população, tanto do Estado do Tocantins como do Estado do Pará, a rodovia BR-­153 é considerada o principal eixo de escoamento da produção agropecuária das regiões de produção do Tocantins e do Pará, onde, a construção da Ponte e seus acessos irão otimizar os custos com transportes dos veículos que trafegam com destino às regiões Sul, Sudeste, Centro-­Oeste e Norte do país. Além de ser um importante eixo de ligação entre as regiões norte e do centro do país, a rodovia BR-­153 permite a integração multimodal entre a ferrovia Norte-­Sul e a hidrovia Tocantins/Araguaia.

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. Hey zé,voltei após uns dias ausente.
    Notem que o estado do tocantins já garantiu 100 milhões através de sua bancada no congresso,o Pará como sempre, nada!isso me faz concluir que,a obra não será executada,a não ser que o Tocantins faça a metade até o meio do rio e deixe a outra metade para o Pará concluir quando o nosso estado tiver políticos com vergonha na cara.

Deixe uma resposta