Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Eventos

Em cerimônia, ministros avisam que derrocamento do Pedral do Lourenção só começa daqui a dois anos

Durante cerimônia de assinatura da ordem de serviço para as obras de derrocagem do Pedral do Lourenção, ocorrida na manhã desta quinta-feira, 16 de junho, na Orla de Itupiranga, os ministros dos Transportes, Maurício Quintella, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, informaram aos presentes que a retirada da barreira de rochas que impede a navegabilidade num trecho de 43 km só deverá começar daqui a dois anos.

Isso porque, segundo Quintella, daqui até lá serão realizados estudos de impacto ambiental e audiências públicas com a comunidade. A ordem de serviço prevê a retirada de 1,4 milhão de tonelada de pedras, abrindo um canal navegável de cerca de 140 metros de largura no trecho de 43 km.

“A conta que eu faço é a seguinte: são 24 meses para realização do projeto executivo e do licenciamento. Depois, mais 24 a 36 meses de execução da obra em si”, disse o ministro Helder Barbalho.

Lembrando que a fase inicial do contrato ainda não envolve grandes intervenções, ele afirma que o orçamento está assegurado. “Temos um volume suficiente de recursos nesses próximos 24 meses para a produção de documentos. Essa é uma pauta à qual os ministérios da Integração Nacional, dos Transportes e a bancada federal estão atentos para que não faltem recursos e para que a obra possa ser concluída.”

As obras serão executadas pela DTA Engenharia LTDA, que venceu a licitação com proposta de R$ 520,6 milhões. A contratação integrada prevê, neste caso, a elaboração dos projetos básico e executivo, de todas as ações ambientais e a execução das obras em um prazo total de 58 meses. Ou seja, o derrocamento total – caso não haja nenhum atraso – só ocorrerá no ano de 2023, portanto daqui a sete anos.

O evento em Itupiranga contou com várias outras autoridades, como os senadores Jader Barbalho (PMDB) e Flexa Ribeiro, deputados federais, estaduais, prefeitos da região e ainda representantes das Colônias de Pescadores da região tocantina e centenas de moradores de Itupiranga, que protestaram contra o derrocamento, que provocará diversos impactos socioambientais.

O primeiro a usar da palavra foi o prefeito Benjamin Tasca, de Itupiranga, que deu boas vindas às autoridades e destacou que o povo do seu município quer o desenvolvimento, mas com sustentabilidade ambiental e também social. Alertou sobre a necessidade de ouvir os anseios da comunidade de seu município, onde está localizado o Pedral do Lourenção, um berçário natural para tucunarés e outras espécies de peixes. “Não vamos deixar que os navios e barcaças passem por aqui sem que nosso povo tenha os benefícios necessários para seu desenvolvimento”, disse Tasca.

Juntinhos

PMDB e PR estão se aproximando politicamente. Os ministros dos Transportes, Maurício Quintella (PR), e da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), trocaram afagos na cerimônia em Itupiranga. O deputado Lúcio Vale, também do PR, rasgou elogios para Helder durante seu discurso no evento.

 

Comentários ( 7 )

  1. Qual dos políticos presentes vai cair em uma ação da Lava Jato. Muito lari lari e nada resolvem. Se estão cortando a verba da Saúde, Educação e Segurança que atingem diretamente o brasileiro, imaginem o de infra. Pobre de nós eleitores.

  2. Mais uma do Barbalhão e Barbalinho… Vai ver que vão primeiro se explicar pro STF sobre a grana surrupiada conforme delação do Machado, depois vem mentir de novo… daqui há dois, tempo de eleição outra vez…

  3. Mudando de assunto:porque será que um certo blog de Marabá tá falando de políticos de Santarém,enquanto os de Marabá pontão e bordão e nada ele pública ,porque será??

  4. Mudando de assunto:porque será que um certo blog de Marabá fala de polícia de Santarém,enquanto os de Marabá pinta e borda e nada dele pública ,sei não acho que tem blogueiro por aí em Marabá que tem rabo preso

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!