Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Política

Em Jacundá, prefeitos Zé Martins e Ismael já mudaram o secretariado 57 vezes

A campeã de alternância de secretários é a pasta da Finanças. Nela já sentaram 11 pessoas, entre elas o vice-prefeito Ismael Barbosa, e o filho de Zé Martins, Ronaldo Martins
Continua depois da publicidade

Em um vídeo institucional da campanha à Prefeitura de Jacundá, em 2016, o então candidato José Martins de Melo Filho, o Zé Martins, estava sentado ao lado do candidato a vice-prefeito Ismael Babosa. Após as apresentações, os dois dizem: “Juntos mudaremos essa história”. E a história que os dois estão escrevendo não está agradando muito, nem um pouco.

De janeiro de 2017 a fevereiro de 2018, o que totaliza 14 meses de governança, os dois já mudaram o secretariado diversas vezes, principalmente desde junho do ano passado quando o prefeito sofreu o primeiro afastamento através da Câmara de Vereadores e o vice subiu ao topo na condição de chefe do Executivo Municipal.

A Reportagem fez uma varredura nas portarias assinadas e publicadas pelos dois e chegou ao expressivo número de 57 alterações nas 12 secretarias, chefia de gabinete e procuradoria geral de advocacia. “Esse número pode ser até maior”, revelou um servidor do quadro administrativo da Prefeitura de Jacundá.

A campeã de alternância na cadeira de secretários está a de Finanças. Nela já sentou por mais de 5 meses o então vice-prefeito Ismael Barbosa, depois assumiu o filho de Zé Martins, Ronaldo Martins. E com o afastamento do prefeito, Ismael já colocou na cadeira uma gerente de posto de combustíveis e, por último, quem manda na Finanças é o advogado Sérgio Correia Júnior.

Com tantos nomes no comando da Procuradoria Geral, acredita-se que fica quase impossível acompanhar a tramitação dos processos. Por ela já passou os advogados Alex Pires, Marcos Roberto, e agora tem a advogada Raquel.

Nas secretarias de Educação e Assistência, onde Leila Barbosa e Marilene Campos, respectivas esposas dos gestores, houve menos alternâncias. Leila só saiu do posto de secretaria de Educação no final de dezembro do ano passado, enquanto a primeira-dama Marilene abriu lugar para a ex-vereadora Geane de Deus, que ficou menos de um mês à frente da pasta, no mês de janeiro de 2017. Já, Leila, foi substituída pelo professor Elias Souza até o dia 2 de fevereiro, quando este recebeu a exoneração assinada pelo prefeito Ismael Barbosa. Assim, a mulher do prefeito afastado tem o título de secretária com mais de 365 dias consecutivos na cadeira de secretária.

Houve o caso de uma nomeação para a secretaria de Meio Ambiente e Turismo (Sematur) que o indicado não chegou a sentar na cadeira. O engenheiro florestal João Victor Morais Rios, filho do ex-secretário de Obras do governo Dino Altoé, Agnaldo Pezzin, foi nomeado pela manhã e exonerado horas depois. Isso porque o prefeito Ismael Barbosa se esqueceu de comunicar ao secretário Zeferino Brito, que estava em fiscalização no Lago de Tucuruí, de tal decisão. “Ele não gostou e o prefeito teve que voltar atrás”, revelou uma fonte.

Na próxima reportagem as consequências negativas e positivas das nomeações e exonerações.

Esta é uma série de reportagens sobre o conturbado cenário político do município de Jacundá.

Secretaria Municipal           Nomeações

Secretaria de Saúde                    5
Mulher                                          2
Administração                             5
Educação                                      3
Obras                                             3
Agricultura                                   4
Meio Ambiente                            5
Finanças                                        11
Cultura                                          5
Terras                                            3
Indústria                                       2
Assistência Social                        3
Chefe de Gabinete                       6
Procuradoria                                6

Por Antonio Barroso – correspondente em Jacundá

Deixe uma resposta