Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Em jogo dramático no Rosenão, Parauapebas derrota a Tuna Luso nos pênaltis e vai a semifinal da Segundinha

A partida terminou em 0 a 0 no tempo normal com vitória do Gigante de Aço nas penalidades máximas por 6 a 5
Por Fábio Relvas

Em jogo com muita dramaticidade, o Parauapebas Futebol Clube empatou sem gols diante da Tuna Luso no tempo normal, na tarde deste domingo (19/11), no estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. A decisão da vaga foi para os tiros livres da marca da cal. Melhor para o PFC que venceu, por 6 a 5, e garantiu vaga na semifinal da Segundinha do Parazão. O pênalti que garantiu a vitória do time da casa foi convertido pelo lateral-esquerdo Neilson.

Os representantes dos times classificados: Bragantino, Izabelense, Parauapebas e Sport Belém, serão convocados para uma reunião na tarde desta segunda-feira (20/11), na sede da Federação Paraense de Futebol (FPF), para definir os confrontos da semifinal através de sorteio. Com o empate contra a Tuna, o PFC somou nove pontos na classificação geral, ficando atrás dos concorrentes, ou seja, o confronto da semifinal para o Gigante de Aço será fora de casa contra qualquer uma das equipes.

O jogo: Parauapebas 0 x 0 Tuna Luso – 6 a 5 PFC nos pênaltis

A partida começou muito equilibrada com os times se estudando dentro de campo e com poucas chances de gol. O PFC tinha mais posse de bola, mas esbarrava na boa marcação da Águia. A Tuna chegou com André Mensalão que disparou muito alto. Depois de uma sobra de bola dentro da área, o atacante Aleílson tentou surpreender de bicicleta, mas parou na defesa de Rodrigo Ramos. Mais uma vez a Elite do Norte chegou e outra vez com André Mensalão, que chutou cruzado e bola passou a esquerda de Cleriston.

O PFC respondeu com Thiago Potiguar que saiu driblando a defesa adversária e mandou por cima da meta. De novo o Gigante de Aço, Felipe Baiano deu belo passe para o atacante Aleílson, que ficou sozinho para marcar, mas o assistente José Jacemir Gonçalves de Brito paralisou tudo e assinalou impedimento para a bronca geral da torcida e do banco de reservas do time da casa. Com o forte calor, o árbitro Raimundo Gilson Gonçalves de Brito deu a chamada parada técnica aos 30 minutos.

De volta a partida, o Parauapebas perdeu a melhor chance do primeiro tempo. Flamel recebeu livre na direita e cruzou na medida para a cabeçada de Alílson, que sozinho mandou para fora. No segundo tempo, o PFC foi para cima da Águia Guerreira. Danúbio tocou para Wanderson que cruzou, Felipe Baiano pegou de primeira e mandou para longe. Em outra boa jogada de Flamel, o meia se livrou de dois adversários e cruzou novamente para Aleílson, que testou por cima da meta de Rodrigo Ramos. Como o resultado persistiu até o final, a partida foi para a disputa de pênaltis.

A Tuna começou cobrando a série e marcou com Claison, Dudu, Danilo Galvão, Marco Pinheiro e André Mensalão, enquanto que para o Parauapebas assinalaram Thiago Potiguar, Francesco, Aleílson, Wanderlan e Flamel. Todos os jogadores converteram as cobranças fechando a série em 5 a 5. Nos pênaltis alternados, o atacante da Tuna Jeferson Monte Alegre cobrou rasteiro no canto e acertou a trave do goleiro Cleriston, que foi para o lado oposto. A esperança dos donos da casa estava nos pés do lateral-esquerdo Neilson, que com muita categoria, balançou as redes cruzmaltina e saiu para comemorar. Placar final nos pênaltis: Parauapebas 6 x 5 Tuna Luso.

“Lamentamos bastante porque no campeonato até aqui, a Tuna classificou para essa fase e jogando aqui fez um grande jogo, um jogo difícil, um jogo muito disputado, mas nas penalidades fomos eliminados, só temos a lamentar pela eliminação. É um projeto que tem a frente a diretoria principalmente o Eder e o Vinicius e a gente então vai interromper isso ai, mas parabenizo a equipe que honrou a camisa, lutou muito pela vitória e não conseguiu. Fica agora o sentimento que era possível continuar”, afirmou Sinomar Naves, técnico da Tuna Luso.

“Foi um jogo dominante da nossa parte mentalmente, tecnicamente, taticamente, porém quando você pega um adversário extremamente fechado ele intenciona o jogo, mas a gente foi inteligente, soubemos levar o jogo no sentido daquilo que fosse bom para a gente dominar a partida e fomos para os pênaltis, ai pênaltis é sofrimento, mas hoje graças a Deus fomos felizes, toda honra e toda glória ao nosso senhor Jesus, porque não é fácil você assumir a equipe a oito dias de um jogo tão importante”, disse Léo Goiano, técnico do Parauapebas.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Cleriston; Wanderson (Bruno Leite), Cris, Wanderlan e Neilson; Gilberto, Felipe Baiano (Francesco), Flamel e Thiago Potiguar; Monga (Danúbio) e Aleílson. Técnico: Léo Goiano

TUNA LUSO: Rodrigo Ramos; Bruno Alves, Charles, Léo Azevedo e João Victor; Claison, Adauto (Jeferson Monte Alegre), Dudu e André Mensalão; João Victor (Danilo Galvão) e Tiago Mandir (Marco Pinheiro). Técnico: Sinomar Naves

Árbitro: Raimundo Gilson Gonçalves de Brito

Assistentes: José Jacemir Gonçalves de Brito e Ivaldo de Oliveira dos Santos

Quarto-árbitro: Edinaldo Alves de Souza

Cartões amarelos: Gilberto, Flamel, Danúbio e Aleílson (Parauapebas); Rodrigo Ramos, Bruno Alves, Charles, Jeferson Monte Alegre e Danilo Galvão (Tuna)

Local: Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas

Resultados das quartas de final da Segundinha

Tapajós 2 x 4 Sport Belém (Estádio do Souza)

Bragantino 2 x 0 Tiradentes (Estádio Diogão)

Izabelense 3 x 0 Vila Rica (Estádio Edilson Abreu)

Deixe uma resposta