Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
PCCR

Em Marabá, vereadores que votaram a favor do PCCR da Educação pedem respeito e repudiam insinuações maldosas

Vereadores Alécio da Palmiteira e Cristina Mutran fizeram duros discursos e afirmaram que o voto não foi resultado de barganha

O vereador Alécio Stringari (PSB), mais conhecido como Alécio da Palmiteira pediu respeito na sessão desta quarta-feira (31), ao assumir a Tribuna da Câmara Municipal de Marabá. Ele é um dos 17 membros do Legislativo que, no último dia 23, aprovaram o polêmico Projeto de Lei 014/2017, que modifica vários pontos do PCCR da Educação. Acontece que Alécio assim como os demais que disseram “sim” ao projeto do Executivo, vêm recebendo críticas virulentas nas redes sociais e veladas nos discursos de alguns colegas contrários à aprovação do novo PCCR.

Alécio reagiu com veemência diante de insinuações de que ele e seus colegas se venderam ao Executivo e que aprovaram o projeto como barganha por nomeações de correligionários. “Não aceito isso, estou aqui no meu terceiro mandato e até aqui cheguei com muito trabalho, muito sacrifício. Nunca pedi nada ao governo em troca de benefícios para mim ou para quem quer que fosse”, bradou da Tribuna.

Sempre com a fisionomia fechada, demonstrando indignação, Alécio mais uma vez exigiu respeito e disse que votou de acordo com sua consciência, tendo em vista o momento difícil pelo qual o município atravessa. “Examinei minuciosamente o projeto e cheguei à conclusão de que as mudanças eram necessárias. Por isso aprovei, não porque alguém houvesse mandado. Repito, me respeitem, me respeitem e respeitem aos demais 16 vereadores ”, exigiu.

Em aparte, a também vereadora Cristina Mutran (PMDB) endossou as palavras do colega a também pediu respeito. Disse que, antes de dar seu voto, levou o projeto para casa e leu, estudou exaustivamente, reforçando ainda, que nunca barganhou nada com o Executivo, que aprovou porque concluiu que a proposta do governo estava correta, não deixava dúvidas de que tinha de ser aprovada e também exigiu que a respeitem.

Comentários ( 9 )

  1. Lembrando.. terceiro e último mandato.. você vereador folgado.. tem que ver minuciosamente o seu salário e procurar meio de aprovar a diminuição dele.. vc esta aí fazendo nada.. terceiro mandato, nunca vi vc lançar projetos ou leis a benefício da população marabaense.. quer respeito mostre trabalho.. e não fique aí ganhando 26 mil sem fazer nada..

  2. Não é o que as pessoas dizem nas Vilas de Zona Rural, a justificativa que eles dão é que se não votassem nada seria feito pelas comunidades, só que as pessoas que são esclarecidas sabem que isso não é verdade. Vereadores tem.poder de brigar e ir atrás pra fazer o que é certo. São todos uns vendidos por isso o Brasil não vai pra frente.

  3. Não voltarão! Escrevam, esses vereadores que votaram contra professor não voltarão. Adeus reeleição!
    Professores devem ser respeitados e devem ganhar mais do que qualquer categoria profissional.
    Vereador é que não deve ganhar nenhum centavo.
    Não voltarão!

  4. Tenho nojo desses políticos! Escória da humanidade, ele, Cristina Mutran e todos os outros 15 vendidos. Já que estão tão preocupados assim com o município, por que não reduzem seus vencimentos também? Cortem pela metade como fizeram com os professores de Marabá os seus vencimentos e de seus lacaios! Mesmo assim não saberão o que os pobres professores passarão, pois ainda continuarão ganhando muito, para o nada que fazem.

  5. Não poderíamos esperar muito dessas velhas raposas de carteira​ assinada, muitas delas figurinhas carimbadas dos parlamentos e já com diversos mandatos, quase vitalícios.

    A única plataforma dessa gente é o estelionato eleitoral, financiado absurdamente pela justiça e por eleitores que ainda não aprenderam a lição, qual seja: não votar nesses sanguessugas da sociedade.

    Mas lembrem-se, todas aquelas raposas estão naquele galinheiro com o seu voto.

  6. Acho que pra gente querer respeito antes de tudo tem que respeitar os outros né, os nosso políticos infelizmente não tem o minimo de respeito com a população, então diante disso exigir respeito e bem complicado, a categoria que eu acredito que merece muito respeito que são os professores foi tratada por eles como foi visto nas imagens então não podemos esperar muito ou quase nada desses ditos representantes do povo que ai estão

  7. Lixo…Discurso… lixo… se realmente queriam o bem do município e região… deveriam analisar melhor o que eles estão cortando e de quem. Se queriam cortar dispensas deveriam começar pelos seus salários e benefícios.

Deixe uma resposta