Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

EMATER e Banco da Amazônia buscam estratégias para fortalecer produção de abacaxi em Marabá

Próximo a completar um ano da entrega simbólica da chave de um caminhão Acello 815/44 Mercedes Benz, no valor de R$ 149.129,00 (cento e quarenta nove mil e cento vinte nove reais), em noite memorável na Expoama, a equipe do escritório de Marabá da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em conjunto com a gerente Leila Micherle e a agrônoma Sheila Patrícia Gomes, do Banco da Amazônia – Agência Nova Marabá, visitaram no último dia 25 (segunda-feira) a propriedade da família Soares para reforçar a parceria em favor da agricultura familiar com ênfase na produção de abacaxi.

Desde 2006, a família se estabeleceu no Assentamento Belo Vale, localizado a 18 Km da sede do município de Marabá. Iniciaram as atividades com a produção e comercialização de hortaliças, mas a perspectiva da família era a cultura do abacaxi, que foi implantada naquele mesmo ano, em uma área inicial de 05 ha, atualmente a cultura ocupa 08 hectares da propriedade.

Toda a produção é comercializada no mercado local, nas feiras de Marabá. Com o aumento da produção, a aquisição de um caminhão através do Pronaf Mais Alimentos, elaborado pela EMATER e contratado pelo Banco da Amazônia, foi essencial para garantir a comercialização da produção sem a necessidade de atravessadores.

A gerente da agência do Banco da Amazônia da Nova Marabá, Leila Micherle Souza pôde constatar in locu a experiência da família, e não teve dúvidas quanto à viabilidade do projeto elaborado pela EMATER para aquisição do caminhão.

E, no que depender da família, o caminhão será muito bem utilizado, pois pretendem aumentar a produção de abacaxi, limão e ponkan, que hoje juntas ocupam 12 ha e geram uma renda bruta anual de aproximadamente R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais). Além de outras culturas que completam a renda e alimentação da família, tais como o milho, a melancia e hortaliças.

O técnico em agropecuária da EMATER Richardson Mourão constatou que a experiência do Sr. Jovailton e sua família têm influenciado seus vizinhos, pois muitos já estão diversificando a produção com a implantação da cultura do abacaxi e citros. Além disso, produtores de outros municípios, como Novo Repartimento, já adquiriram mudas de abacaxi com Sr. Jovailton e estão diversificando a produção.

A socióloga Franceli Sousa Silva (EMATER) explicou: “trata-se de uma experiência inovadora, pois em uma região onde predomina a bovinocultura são raras as experiências de diversificação da produção, especialmente com fruticultura. Que tenham êxito em todas as etapas da cadeia produtiva, ou seja, desde a produção até a comercialização”.

Para o engenheiro agrônomo Weberson Rodrigues Rocha coordenador local da EMATER em Marabá “o cultivo do abacaxi fortalece a agricultura familiar no município de Marabá e também na economia local, pois produz e gera renda dentro do município, além de dispor de frutas frescas, produzidas localmente, gerando trabalho e renda”.

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. Marabá sempre foi campeão nacional na produção de abacaxi,agora na administração do Salame, baterá todos os recordes,será campeão na produção mundial da fruta,haja Tião para descascar tanto abacaxi da atual gestão.
    como diria o chacrinha:vocês querem abacaxi,para o prefeito João salame,reeeeaaalmente o troféu abacaxi meu filho.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!