Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Exposição comercializa 3.500 orquídeas no final de semana em Marabá

Evento também marcou lançamento da revista “Balaio de Histórias”, apresentando entrevistas inéditas com pioneiros de Marabá

A 16ª Exposição de Orquídeas promovida pela Fundação Casa da Cultura de Marabá chega ao fim neste domingo, com um número impressionante: mais de 3.500 plantas comercializadas em três dias de evento. O palco foi o piso L2 do Shopping Pátio Marabá, por onde passaram milhares de pessoas entre sexta-feira, 13, e domingo, 15.

A exposição contou com a participação de colecionadores de orquídeas e leigos, mas apaixonados pelas plantas e suas flores exuberantes. Luiz Gomes, do Orquidário Irpeel Green, de Iporá-GO, revela que trouxe a Marabá 4.000 orquídeas de 300 espécies diferentes, as quais têm valor que variam entre R$ 10,00 a R$ 300,00. “As plantas de espécie são poucas, em torno de 20% e quem mais se interessa por elas são os colecionadores. A maioria é híbrida, florescem entre uma a três vezes por ano e têm valor comercial bem interessante para quem quer começar a cultivar orquídeas”, explica ele.

Além das orquídeas, o Irpeel Green trouxe também os atrativos bonsais, árvores em miniatura que lembram a cultura japonesa. O objetivo da Exposição de Orquídeas é estimular a população a conhecer um pouco mais das orquídeas regionais e as que são cultivadas pelos orquidófilos locais, além de proporcionar lazer para a população regional e dar oportunidade para que novas pessoas tornem-se colecionadores.

Na sexta-feira e sábado a Casa da Cultura realizou curso de cultivo de orquídeas para os neófitos no assunto e os instrutores mostraram como cuidar dessa planta, muito bonita mas sensível ao mesmo tempo.

Pela primeira vez na vida, Olinda Carvalho Porto, 23, comprou uma orquídea e confessa que foi atraída pela linda flor que ela exibia. Disse que iria estudar para saber como cuidar direito da planta para ornamentar a sala de sua casa. “Não é cara e é uma flor encantadora. Vou levar pra casa e tenho certeza que meu esposo vai amar”, disse.

Além da 16ª Exposição de Orquídeas, a FCCM ofereceu ainda uma diversificada programação durante os três dias de exposição, com apresentações musicais e o lançamento da primeira edição da revista “Balaio de Histórias”, que propaga entrevistas inéditas realizadas pela Fundação Casa da Cultura com pioneiros de Marabá.

Na abertura do evento, o prefeito Tião Miranda elogiou o trabalho que vem sendo desenvolvido por Vanda Américo à frente da Fundação Casa da Cultura e a manutenção de projetos importantes, como a Exposição de Orquídeas e o resgate da memória dos pioneiros de Marabá. “A história de nossos antepassados não pode ser apagada. Reconheço que este trabalho é importante para mostrar às novas gerações o modo de vida de nossos pais e a origem da nossa cultura”, destacou o prefeito.

Também presente ao evento, o presidente da Câmara, Pedro Corrêa, enalteceu o trabalho da FCCM e ainda o trabalho que a ex-vereadora Vanda Américo vem fazendo à frente da instituição, ampliando os horizontes culturais em Marabá. “Temos orgulho de ter uma Casa da Cultura também produtiva e que resgata a história de Marabá e de sua gente. Essa exposição de orquídeas vem apenas coroar o trabalho de preservação do meio ambiente e da nossa história”, avaliou.

Vanda Américo enfatizou o empenho dos servidores da Fundação Casa da Cultura de Marabá em abraçar a realização da Exposição de Orquídeas no shopping, palco do evento há cinco anos consecutivos. Ela também destacou a importância da revista Balaio de História, que faz parte de um projeto maior, gravando entrevistas em vídeo com idosos que viveram em Marabá nos últimos 60 a 80 anos. Para ela, os registros científicos escritos são importantes, mas os orais, contados por quem viveu a história, também têm um valor importantíssimo para a preservação da memória regional. “Essa é a grande razão de ser da Casa da Cultura e não vamos abandonar esse caminho. Pelo contrário, vamos ampliar ainda mais nos próximos anos”, destacou.

Ulisses Pompeu – correspondente em Marabá

Deixe uma resposta