Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Feira de linguagens expõe realidade do aluno do campo

A abertura da feira foi regada à música e dança. A Escola de Música Maestro Waldemar Henrique se apresentou e deu um verdadeiro show de talento e harmonia.
Continua depois da publicidade

Com o objetivo de disseminar a diversidade linguística no contexto educacional e comunitário, principalmente no âmbito das regiões sul e sudeste paraenses, bem como desenvolver habilidades e competências no uso da linguagem, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio do Setor de Educação do Campo realizou durante o último final de semana – de 29 de junho a 1º de julho –  no Partage Shopping, a 1ª Feira de Linguagens.

Desenvolvido com o tema “A Linguagem na Formação da Identidade Local”, o evento reuniu os mais variados gêneros textuais, como poesias, lendas, memoriais, cordéis, entre outros. Tudo fruto de atividades desenvolvidas com alunos das escolas da zona rural do município no decorrer de 2017 e 1º semestre deste ano.

A abertura da feira foi regada à música e dança. A Escola de Música Maestro Waldemar Henrique se apresentou e deu um verdadeiro show de talento e harmonia. Quem também chamou a atenção dos presentes foi o grupo de dança The Trick’s, que com muito ritmo mostrou a que veio. A degustação do café de açaí de dona Perina Rodrigues também reuniu curiosos e amantes de um bom café.

Entre as escolas que expuseram seus trabalhos na mostra estão Gonçalves Dias com o “Memorial Regional das Variantes Linguísticas”, Crescendo na Prática com “O Misterioso Mundo das Lendas” e Monteiro Lobato, que trouxe “Desenhos e Família”. Gabriela Gonçalves é aluna desta última. A jovem tem uma história de luta e superação, revelada de forma livre e bela por meio do cordel “Família Forte”, que ela com um semblante de felicidade e melancolia faz questão de declamar.

“Escrever me ajuda a colocar para fora meus sentimentos, me traz paz, é um talento que tenho desenvolvido aos poucos com a ajuda da escola. Estou muito feliz em estar aqui e poder mostrar parte do nosso trabalho. Eu sou grata a todos que me proporcionaram essa alegria”, agradeceu a estudante, falando que agora acredita mais ainda em seu potencial.

Veja também:  Curionópolis: Serra Pelada ganha escola e 3,8 km de asfalto

Assim como Gabriela, a feira foi recheada de grandes talentos, entre os quais o professor Cícero Amorim, da Escola União do Povo, que costuma realizar homenagens com seus cordéis. Inclusive fez um específico sobre a Feira de Linguagens. “Minhas duas paixões são ensinar e produzir cordéis. Quando consigo aliar as duas coisas é maravilhoso”.

AUTONOMIA E CRIATIVIDADE

A servidora pública Mônica Rocha prestigiou a feira e disse ter ficado admirada com a forma com que os alunos conseguiram relacionar os conteúdos abordados com o campo. “Achei os trabalhos lindos, eles evidenciam a autonomia e criatividade desses alunos. Percebi também que foi trabalhada essa diversidade cultural do município. Só tenho elogios”, disse Mônica.

Ana Carolina de Assis, técnica pedagógica de Língua Portuguesa das escolas do campo, afirmou que o evento proporcionou a valorização do trabalho realizado nas escolas do campo. “Fizemos um trabalho focado na aprendizagem, em que os alunos puderam perpassar por leituras de vários gêneros textuais e fazer suas produções a partir daquilo que assimilaram. Parte do resultado foi exposto aqui. Com certeza esses alunos jamais esquecerão a oportunidade que tiveram de participar de um evento como este”, emocionou-se Carol, como é conhecida.

“Vale destacar que entre os inúmeros textos apresentados temos muitas produções de autoria dos próprios estudantes, produções muito boas. Isso é gratificante, pois demonstra que nosso papel enquanto educador está sendo cumprido”, comemorou Francisco Serrano, diretor das escolas do campo.

 “O shopping não é um centro só de compras, mas de lazer, cultura, educação e, é exatamente essa diversidade que trouxemos em parceria com a Secretaria de Educação. Fazendo isso valorizamos o trabalho deles e mostramos para a sociedade o quanto é relevante o trabalho desenvolvido com esses alunos”, explanou Kelly Paulino, coordenadora de marketing do Partage Shopping

Textos e fotos: Messania Cardoso

Deixe uma resposta