Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Incêndio

Fogo destrói galpão da Vale próximo ao Projeto Sossego. Mineradora culpa a Fetraf pelo incêndio.

Confira as duas versões (Vale e Fetraf) encaminhadas ao Blog

Uma onda de incêndios, supostamente criminosos toma conta da região desde o último fim de semana. O recém-criado Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, colado à Floresta Nacional (Flona) de Carajás e que tem área total de 79.029 hectares, abrangendo os municípios de Canaã de Carajás (82,9%) e Parauapebas (17,1%) está com boa parte do perímetro em chamas desde o último domingo. Equipes do ICMBio, com o apoio do grupamento anti-incêndio da Mineradora Vale tentam conter o incêndio.

Ontem (30), uma queimada em uma área de fazenda próxima ao Projeto Sossego, em Canaã dos Carajás, provocou um grande incêndio que destruiu um dos três galpões da Vale, onde estavam depositados caixas com material de sondagens de pesquisas geológicas e de mineração de projetos da empresa na região.

Em nota encaminhada ao Blog, a Vale acusa integrantes da Fetraf pelo incêndio, tendo inclusive registrado um Boletim de Ocorrências na Delegacia local. Confira a nota:

“A Vale registou um boletim de ocorrência policial na tarde de ontem (quarta-feira, 30) para que a polícia investigue os danos a um imóvel da empresa e ao meio ambiente, causados por integrantes de movimentos ligados à Fetraf, que invadiram uma fazenda da Vale na região sudeste do Pará.

Os invasores atearam fogo na vegetação do entorno da Fazenda Boa Esperança, na zona rural de Canaã dos Carajás. As chamas se alastraram e destruiriam um dos três galpões da Vale, onde há materiais de áreas sondadas para mineração, ou seja, locais que guardam importantes amostras (testemunho) de pesquisas geológica e de mineração de projetos da empresa na região.

Por volta das 18 horas de ontem (30/8), o incêndio criminoso foi controlado, mas as equipes de bombeiros civis da Mina do Sossego e de segurança patrimonial da Vale continuam no local, fazendo o trabalho de rescaldo.

Além do boletim de ocorrência, já registrado, a empresa adotará as medidas judiciais cabíveis para que os responsáveis pela invasão e pelo dano causando ao meio ambiente sejam responsabilizados”.

Contraponto

Instada a se pronunciar, Vivia Oliveira, que é a Coordenadora Estadual da FETRAF, encaminhou nota alegando não ser a primeira vez que a mineradora tenta culpar a Fetraf por problemas ocorridos em seus projetos, negando qualquer participação. Confira a nota:

“A FETRAF – Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Estado do Pará, vem por meio deste DECLARAR a todos e todas referentes às inúmeras acusações que a empresa VALE faz contra nós trabalhadores. Não é a primeira e nem vai ser a última vez que a EMPRESA vem publicando que estamos incendiando as áreas da mesma, mesmo nunca tendo conseguido provar essa acusação, não se cansa de tentar. REPUDIAMOS essa postura, estamos nos cansando de tantas calúnias. Somos trabalhadores, zelamos pelo campo e a paz no campo, não somos nós que DESMATA é o inverso. Qualquer pessoa pode botar fogo em um lugar, mas quem leva a culpa é os trabalhadores da FETRAF. Repudiamos essa forma indecente da VALE! REPUDIAMOS essa tentativa de tentar CRIMINALIZAR nossos trabalhadores e trabalhadoras”.

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!