Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Jatene discute em Brasília futura ferrovia ligando Carajás ao Porto de Vila do Conde

O governador Simão Jatene cumpriu agenda oficial de trabalho nesta terça-feira (7) em Brasília, onde teve reuniões em dois ministérios acompanhado da equipe de governo e do senador Flexa Ribeiro. Na pauta, assuntos como a cobrança por medidas que garantam a devida compensação ao Estado pelo uso dos recursos naturais, como as hidrelétricas, e a apresentação do projeto de uma ferrovia genuinamente paraense, ligando o sul do Pará ao Porto de Vila do Conde, em Barcarena.

Na primeira reunião na capital federal, Jatene teve encontro com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, acompanhado do senador Flexa Ribeiro e dos secretários Adnan Demachki, de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, e Helenilson Pontes, de Assuntos Institucionais. O governador cobrou medidas de compensação devidas ao Estado por conta da exploração de recursos naturais.

No segundo compromisso da agenda oficial em Brasília, Simão Jatene se reuniu com o ministro Moreira Franco, da Secretaria Executiva de Programas de Parcerias e Investimentos (PPI). Na audiência, o governador do Pará apresentou o projeto de uma ferrovia genuinamente paraense, ligando o sul do Estado até o Porto de Vila do Conde, em Barcarena. Participou também do encontro o chefe da representação do Governo do Estado em Brasília, Ophir Cavalcante Junior.

A proposta já foi apresentada em outras oportunidades para diferentes esferas de governo, investidores e empreendedores. “Nos últimos anos temos observado uma nova corrida rumo ao Norte, dessa vez mais calçada na iniciativa privada, ao contrário do que ocorreu no passado. Por isso, é ainda maior a expectativa de confirmarmos a chegada de investidores e grandes empresas para o Estado, não só para obras e projetos de infraestrutura, mas também com indústrias, aproveitando o nosso potencial geográfico”, destacou Jatene.

“Queremos andar com o projeto numa ação conjunta, sem qualquer desarmonia, pois o desenvolvimento do Brasil passa pelo Pará, que tanto contribuiu e quer continuar contribuindo com o país. Porém, de forma justa, que é através do próprio desenvolvimento”, disse o governador.

Para o ministro Moreira Franco, neste momento de crise o principal esforço deve ser a busca por novos empreendimentos como forma para restabelecer a confiança nos investimentos. “Não podemos ter restrições de natureza ideológica e vamos analisar conjuntamente, colocando as equipes técnicas do Ministério e do Governo para trabalhar de forma coesa, analisando tecnicamente o projeto e a melhor forma de viabilizá-lo”, destacou Moreira Franco.

Estrangeiros – O projeto da ferrovia também foi apresentado ao Ministro das Relações Exteriores, José Serra. Afinal, a iniciativa atrai a atenção de investidores estrangeiros, como argelinos, chineses e países do continente europeu. “Estamos apresentando a proposta, pois a atuação do ministro Serra estará muito pautada no comércio exterior e na imagem do Brasil perante o mundo. Logo, um projeto ousado e viável como é o da ferrovia paraense ajuda a demonstrar que o país possui medidas e oportunidades para superar a crise e gerar investimento”, destacou Adnan Demachki.

O senador Flexa Ribeiro lembrou que o Pará é um dos principais exportadores do país e está entre os maiores responsáveis pelo saldo da balança comercial brasileira. “Porém, o Estado está buscando mecanismos de internalizar e consolidar o desenvolvimento de fato. Como o governador costuma dizer, não queremos ser apenas corredor de passagem e sim garantir meios que permitam que o Pará possa se desenvolver, sendo esta a nossa contribuição efetiva e justa com o desenvolvimento do Brasil”, disse.

Além da apresentação do projeto da ferrovia, o governador Simão Jatene destacou diversas iniciativas que o Estado vem fazendo com organismos internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), entre outros.

“Estamos nos aproximando desses organismos pois é certo que a Amazônia atrai a atenção mundial e somente se nos determinarmos a não aceitar a ideia de ir a reboque, mas sim ajudar a construir um novo tempo, trocando e buscando experiências, poderemos de fato avançar para combater nossos maiores adversários, que são a pobreza e a desigualdade. Esses organismos tem em sua gênese o mesmo ideal, que é garantir um mundo mais justo e nesse sentido podemos unir esforços”, apontou Jatene.

Fonte: Folha do Bico

 

Comentários ( 5 )

  1. Em um primeiro instante pode parecer aos menos atentos ser esta uma ótima iniciativa do governo estadual,porém analisando de maneira mais fria nota-se ser este mais um engodo,ao menos que,esteja-se esquecendo do projeto da hidrovia do tocantins(eu sempre escrevi aqui também não acreditar).
    Portanto ao meu ver,isso não passa de nais um “balão”de ensaio sem a menor possibilidade de se concretizar,por isso devemos ficar atentos a manobras eleitoreiras,esse tipo de projeto faraônico não cola mais,o governador se quisesse realmente investir no estado deveria começar com os pés no chão,da maneira que está agindo não engana mais ninguém,finalizo deixando uma pergunta:qual seria a vantagem de se ter três caminhos que nos levam ao mesmo destino?(atual ferrovia,a hidrovia e esse atual projeto)todos nos levariam ao atlântico.

  2. Não faz sentido,o Jatene tá de enrolação mesmo,se quisesse desenvolver a região,melhoraria as estradas,lutaria pela hidrovia e a ALPA,na quebradeira que o PT deixou o país,se sobrar dinheiro,o governo federal não vai priorizar o Pará.
    Esse governador tá igual jacamim, fazendo barulho pelo buraco errado.
    Tá na hora de renascer o projeto do estado de carajás.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!