Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Marabá: Abertura da 15ª Semana de Enfermagem reuniu 700 profissionais

A cerimônia ocorreu no teatro do Centro de Convenções, onde também acontecem minicursos e oficinas

Após vários anos sem comemoração no município, teve abertura na manhã desta segunda-feira (14), no teatro do Centro de Convenções “Leonildo Borges Rocha”, a 15ª Semana de Enfermagem de Marabá, reunindo 700 profissionais da área, entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e acadêmicos. O evento foi muito elogiado pelos participantes, que nos minutos que antecederam à solenidade e enquanto ocorriam as inscrições, puderam aferir a pressão, medir a glicemia e ganharam maquiagem.

O evento foi organizado por uma equipe de 20 pessoas, tendo à frente a enfermeira Dármina Duarte Leão Santos, diretora do Departamento de Média a Alta Complexidade da Secretaria Municipal de Saúde.

Ouvida pela Reportagem do Blog, que perguntou quais os maiores avanços registrados pelos profissionais de Enfermagem nos últimos 10 anos, Dármina disse que foram muitos, principalmente em relação à capacitação e à visão dos enfermeiros frente ao trabalho: “Eles estão presentes nos diversos setores da saúde, seja na gestão, seja na assistência. E não só na saúde, temos enfermeiros na educação e em vários outros setores”, disse ela, relacionando também os técnicos e os auxiliares.

“Somos a maioria”
“A gente tem sim ocupado o nosso espaço, precisamos ainda brigar muito para ampliar esses espaços, somos uma categoria muito grande. No setor da saúde somos a maioria e estamos em todos os locais em que se faz saúde porque nesses locais precisa haver a equipe de enfermagem, seja na unidade básica, na unidade de referência, no Hospital Municipal, no Regional, no Materno”, destacou.

Onde há técnico de enfermagem, precisa ter enfermeiro, porque ele é que supervisiona, orienta e indica os trabalhos que devem ser feitos, conforme observa Dármina. Segundo ela, em Marabá, na rede pública existem hoje 160 enfermeiros e aproximadamente 650 técnicos e auxiliares. “A gente ainda precisa de mais profissionais, o mercado está aberto, para os bons, não para os ‘mais ou menos’. Tem de ser para quem está se capacitando, consciente de que é uma profissão de entrega, onde profissional sabe o quadro, o nome, tudo do paciente. É dedicação”, salienta a enfermeira Dármina, que tem 13 anos de profissão. “A Enfermagem é aquela profissão que está mais próxima do paciente, nós somos cuidadores mesmo”, define.

Reconhecimento

Sobre o que é mais gratificante para o profissional de Enfermagem, ela afirma que é poder ver o trabalho sendo realizado, sendo visto. Diz que hoje se abriu um espaço muito grande para a Enfermagem na participação de gestão e os avanços disso são flagrantes: “O enfermeiro é muito organizado e isso é reconhecido por todas as categorias. Ele se doa, ele gosta das coisas detalhadas, tudo organizado, tudo no seu lugar. E a gente se dedica mesmo a isso”, descreve ela.

Veja também:  Profissionais de Enfermagem de Canaã comemoram data com workshop

Indagada sobre se o profissional de Enfermagem é bem remunerado, Dármina afirma que não e diz que essa é uma briga constante porque e classe, cuja função é tão importante no dia a dia da saúde, ainda não tem sequer piso salarial. “O que hoje é regido é muito baixo, é vergonhoso, temos brigado, mas tudo depende do Congresso Nacional, vem de cima para baixo e a gente sofre um pouco em ralação a isso. Deveríamos sem mais bem remunerados”, “A gente se capacita, busca conhecimento e nem sempre é remunerado como mereceria ser”, protesta, acrescentando: “Por isso
é que a Enfermagem vem abrindo serviços para tomar mais empoderamento, mais autonomia. É essa autonomia do enfermeiro frente ao cuidar. E aí a gente vê empresas montadas por enfermeiros que têm crescido bastante”, avalia.

União

Ao final, Dármina deixou uma mensagem aos colegas de profissão: “A Enfermagem não é só o cuidar, é muito mais. Quero dar meus parabéns a toda a categoria dos enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem. E que a gente possa ser mais unido a cada dia, nós somos uma categoria grande que tem peso, que tem força. Se a gente se unir mais vai, conseguimos avançar muito mais”.

Participaram da solenidade, o secretário municipal de Saúde, Marcones José Santos; o vereador Antônio Márcio Gonçalves; o diretor-geral do Hospital Regional, Valdemir Girato; a coordenadora de Epidemiologia de Marabá, Fernanda dos Santos Miranda; e a coordenadora de Atenção Básica, Camila Lopes Chagas. Todos discursaram e destacaram o trabalho humano que o profissional de Enfermagem faz no seu dia a dia, virando plantões quando é necessário, ficando longe da família em datas importantes, não tendo hora de repouso diante das emergências, sendo “verdadeiros anjos”, nas palavras do vereador Márcio.

Programação

Após a solenidade de abertura, aconteceu a palestra motivacional “Seja o mestre do seu destino: sucesso e realização profissional”, proferida pelo escritor e palestrante Maurício Souto. No decorrer do dia aconteceram os minicursos: Ferida e Curativos, ministrado pela enfermeira Rita Lisboa; Protocolo e Segurança do Paciente, pela enfermeira Daiane Regina de Freitas; Recepção do RN e protocolo de reanimação neonatal, pela drª. Mara Freitas; e Empreendedorismo e a Enfermagem, pela enfermeira Analécia Dâmaris.

Sexta-feira (18)

Minicursos: Saúde Mental no Ambiente de Trabalho, pelo enfermeiro João Augusto de Souza Miranda; Nova Lei do Exercício Profissional; Humanização no Atendimento, pela enfermeira Dármina Duarte.

Mesa Redonda

Oficinas: Primeiros Socorros, pela equipe multiprofissional médica do Samu; Protocolo RCP em Adulto, pelo enfermeiro Rafael Flores; Manejo Clínico da Sífilis Congênita, pela drª. Lígia Leal; O Ensino da Enfermagem: contexto histórico e atualidade. Encerramento.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá

Deixe uma resposta