Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Trânsito

Marabá: Na Semana do Trânsito, DMTU comemora queda no número de acidentes

Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano de Marabá, implantará novas ações, como a fiscalização eletrônica, para que os índices sigam diminuindo

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Começa nesta segunda-feira (18) e vai até o próximo dia 25 a Semana Nacional do Trânsito. E, se na maioria das cidades do País, o número de acidentes aumentou, em Marabá, as estatísticas do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano) apontam que 2013 para cá o volume de acidentes vem caindo. Apesar da frota local de 107 mil veículos mais 35 mil de outras cidades que circulam diariamente, totalizando mais de 140 mil carros e motos nas ruas.

Essa diminuição se deve, de acordo com o diretor do DMTU, Jocenilson Silva Souza, ao aperfeiçoamento da fiscalização do trânsito, ano a ano, e à maior atuação do departamento na educação de condutores e futuros condutores. “A partir do momento em que a gente intensifica a fiscalização, naturalmente reduzimos o índice de acidentes e a entrada de acidentados, tanto no Hospital Municipal quanto no Regional, entre outros benefícios”, afirma ele, que comanda 85 agentes de trânsito e dispõe de uma frota de 16 veículos entre carros e motocicletas.

E, segundo Jocenilson, esses índices de acidentes vão continuar caindo, porque o DMTU, por meio do Projeto Cine Vida, a ser anunciado em breve, vai trabalhar a educação no trânsito paralelamente com a fiscalização, que vai acontecer nas escolas e também entre os condutores.

Indagado se a prefeitura pretende implantar também a fiscalização eletrônica, Jocenilson confirmou e disse que é intenção do governo municipal, em breve, instalar esse recurso, inicialmente, em 20 ou 30 pontos críticos para acidentes, a exemplo do que já acontece em Parauapebas, onde vem dando certo.

Os números

Segundo o estatístico do DMTU, José Edigley Ferreira, que ano a ano acompanha e analisa os números do trânsito em Marabá, em 2013 o município registrou 411 acidentes; em 2014, esse número caiu para 363; em 2015 seguiu diminuindo e foi de 330; e, em 2016, 248. “Logo, nesse período, uma redução de 19,7% no número de acidentes”, observa ele.

Já no período de janeiro a agosto de 2014 aconteceram 243 acidentes; na mesma época, em 2015, esse número caiu para 190; em 2016 teve um alta e foi para 218, o que serviu de alerta ao departamento, resultando na fiscalização mais rigorosa, o que fez com que, de janeiro a agosto deste ano de 2017, o número de acidentes caísse para 145. “Conforme análise, podemos concluir que houve uma redução de 33,4%, entre 2016 e 2017”, assinala Edigley.

Em relação ao número de mortes no trânsito, em 2013 as vítimas fatais totalizaram 123; em 2014 esse número caiu para 99; em 2015 morreram 87; e, em 2016 perderam a vida em acidentes 47 pessoas. Entretanto, se comparados, 2016 e 2017, número de mortes aumentou neste último ano. De janeiro a agosto do ano passado morreram 23 pessoas em acidentes de trânsito e no mesmo período deste ano, 39 já perderam a vida pelo mesmo motivo. O crescimento desse número coloca o DMTU em alerta, daí as ações de fiscalização e educação já programadas para tentar fazer com que esse número não siga subindo.

As causas mais prováveis de acidentes até o momento são: falta de atenção, 67,4%; distância entre um veículo e outro 24,7%; desobediência à sinalização, 2,25%; ultrapassagem indevida, 3,4%; ingestão de álcool, 1,12%; e outros, 1,12%.

Os tipos de acidentes mais frequentes são: colisão lateral 69,6%; colisão traseira, 20,2%; colisão frontal, 5,6%; colisão com objeto fixo, 1,12%; atropelamento, 2,2%; e outros, 1,12%.

O percentual de acidentes de trânsito por núcleo é: Nova Marabá, 49,4%; Cidade Nova, 41,5%; Velha Marabá, 7,9%; e São Félix, 1,12%. Segundo as estatísticas, em Morada Nova não houve acidentes de trânsito, de janeiro a agosto últimos.

As infrações se dividem em: condutor ou passageiro de motocicleta sem capacete, 36,5%; condutor ou passageiro sem cinto de segurança, 28,5%; condutor ao celular, 7%; e outras, 28%.

Comentários ( 2 )

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!