Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Marabá: Revolta da madrugada faz desabrigados protestarem com fogo

Na manhã desta quinta-feira, o nível do Rio Tocantins está a 11,12 metros acima do nível normal e o número de famílias desabrigadas em Marabá só aumenta.
Continua depois da publicidade

Cerca de 60 famílias que estão no abrigo mais insalubre providenciado pela Prefeitura de Marabá, na Feirinha da entrada da Velha Marabá, fizeram um protesto na noite desta quarta-feira, durante uma forte chuva que caiu na cidade, que deixou seus móveis encharcados.

Revoltados, eles pegaram pneus, paus e jogaram combustível, ateando fogo no meio da rua, fechando a entrada do núcleo Velha Marabá. Logo se formou uma grande fila de veículos e os manifestando avisaram que só sairiam de lá com a garantia de que nesta quinta-feira, 15, as condições no abrigo se resolveriam.

Mesmo com a presença de homens da Polícia Militar, Guarda Municipal e DMTU, ninguém ousava passar pelo cordão de fogo e demorou cerca de uma hora e meia até que o chefe de Gabinete, Walmor Costa, chegasse ao local para negociar com as famílias de flagelados da enchente.

A dona de casa Irene da Conceição disse que ela, dois filhos e quatro netos estão sofrendo bastante se espremendo embaixo da lona preta doada pela prefeitura. “De tão final, ela rasgou com a chuva e aí a gente correu para um lado e outro, mas não teve jeito, tudo molhou no nosso barraco. Como pode a Prefeitura oferecer só isso para nós”, questionou a idosa, de 64 anos de idade.

O pescador Adelande Bispo Dias, outro que está no abrigo da Feirinha, disse que desde que as famílias chegaram ao local, a partir de segunda-feira pela manhã, quase nada a Prefeitura fez para ajudá-los. “Só os homens do Exército foram gentis conosco. A direção da Defesa Civil é grossa e a gente tem até medo de pedir alguma coisa”, confessou.

Por volta de 22h30 de ontem, o chefe de Gabinete da Prefeitura, Walmor Costa, esteve na manifestação para dialogar com as famílias e ficou agendada uma reunião entre representantes dos flagelados e o prefeito Tião Miranda às 10 horas de hoje, quinta-feira.

Leia abaixo Nota de Esclarecimento da Prefeitura:

“Por volta das 22h30, algumas famílias que estavam alojadas na antiga “feirinha” na entrada da Velha Marabá, iniciaram um protesto fechando a Avenida Antônio Maia. Segundo informações, os mesmos queriam mais estrutura para o local onde estão sendo alojados, como mais barracas ( algumas já montadas pela defesa civil) em função do aumento do número de famílias que foram alocadas nesta tarde.

Imediatamente, o chefe de Gabinete da prefeitura Walmor Costa, por determinação do prefeito Tião Miranda, juntamente com o diretor do DMTU e o comandante da Guarda Municipal foram ao local se reunir com representantes destas famílias para que sejam atendidas ainda nesta quinta-feira, com algumas solicitações. Uma reunião foi marcada para as 10 horas com o prefeito.

É importante ressaltar que a prefeitura decretou hoje Situação de Emergência, o que acelera a montagem, que já vinha acontecendo, de uma estrutura maior e mais adequada ao atendimento destas famílias.

Ainda pela manhã as equipes que cuidam da estrutura que hoje conta com mais de 100 pessoas entre Exército, Defesa Civil, servidores da saúde e da assistência social, serão reforçadas e irão melhorar o alojamento da Marabá Pioneira e também o segundo alojamento no ginásio da Obra Kolping. Outros dois alojamentos já serão construídos preventivamente para serem utilizados, caso haja necessidade.

“A prefeitura entende a angústia das 300 famílias que se encontram hoje fora das suas casas em função da cheia repentina do rio, e não está medindo esforços para amenizar a situação e oferecer as melhores condições possíveis a todos os desalojados. O nível dos Rios chegou a 11 metros na tarde desta quarta-feira, configurando a maior enchente em 4 anos na cidade.”

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. SAO TRABALHADORES PRECISANDO DE TERRA PARA PODE TRABALHA A FAZENDA ESTA CHEIA DE PISTOLEIRO ARMADO COM ARMA 12 E RIFE NA E ESIMA DA CAMIHONETA A FAZENDA NAO TEM DOCUMENTO OS TRABALADORE PISTOLEIRA QUE TRABALHA NA FAZENDA QUEMARAM ESSA NOITE DE SEXTA FEIRA TODOS OS BARACO DO SEM TERRA QUEIMOU TUDO OS SEM TERRA TA ESPALHADO NA MATA

Deixe uma resposta