Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Eventos

Miguel Reis lança o livro A história de Parauapebas – Força e Trabalho em Carajás

O oftalmologista Miguel Ângelo Braga Reis lançou na noite desta quinta-feira (30), na Praça de Alimentação do shopping Center Cidade Nova, em Parauapebas, o livro “A história de Parauapebas – Força e trabalho em Carajás”.

O evento contou com as presenças do prefeito de Parauapebas, Valmir Mariano, de secretários municipais, vereadores, amigos e parentes do autor.

Piauiense, Miguel Reis é médico, e a exemplo do irmão, Hipólito Reis, especialista em oftalmologia, membro titular do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e Membro da Sociedade Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa.

O livro é um resumo baseado em pesquisas sobre a origem, fundação e desenvolvimento de Parauapebas, buscando dar sentido às sequências de fatos que resultaram no que é hoje o município. Ele mostra os caminhos percorridos pelos exploradores, migrantes, aventureiros, a história indígena na região, o progresso e suas qualidades e desvirtudes, não com a arte acadêmica de um historiador, mas com o fascínio de um estudioso e pesquisador das coisas da nossa gente, afirmou Miguel Reis sobre sua obra.

O Blogger conversou com Miguel sobre o livro. Acompanhe:

Zé Dudu – Qual a sensação de ver seu livro lançado?

Miguel – Sensação de dever cumprido, orgulho por lançar  meu primeiro livro. Como cidadão, esse trabalho é uma pequena colaboração a cidade de Parauapebas  ainda carente de registros históricos.

Zé Dudu – Seu pai teve influência nessa sua decisão de ser escritor?

Miguel – Meu pai Pedro Cláudio de Moura Reis, conhecido por muitos por PC, teve extrema importância na formação e na influencia pelo gosto do saber, pela escrita, pela literatura. Ele transmitiu um grande ensinamento, que é uma das maiores riquezas que pessoa pode adquirir na vida é o conhecimento. Hoje tenho orgulho de falar que Pedro Cláudio é o patrono da Academia de Letras de Parauapebas, e esse legado de exemplos que ele me deixou , trago comigo e manifeste neste momento com a produção deste livro.

Zé Dudu – Quantas horas de pesquisas foram necessárias para a conclusão do livro?

Miguel – Zé, passei um ano pesquisando e outro desenvolvendo os textos .Aos poucos fui descobrindo historias ocorridas e arquitetando o esqueleto do livro . Adquiri muito material , fiquei surpreso  com tantas informações  pois a região  de Carajás  foi bastante discutida e pesquisada nestes últimos 40 anos. Cada capítulo do livro dá para desenvolver  novas obras.

Zé Dudu – Você pretende estender a história de Parauapebas em outro livro. quais serão os temas abordados dessa vez?

Miguel – Nasci no Piaui , estado extremamente árido , ainda mais região Sul do Piaui .Os poucos rios que existem por lá , sabemos suas historias e geografia . A região de Carajás é cortados por vários rios e córregos, poucos conhecem essa riqueza hidrográfica. Estou fazendo pesquisas para  viabilizar um trabalho que possa descrever um pouco destes rios, uma historiografia

Zé Dudu = Você acredita que seu livro pode passar a ser consumido pelos alunos das escolas de Parauapebas de forma didática?

Miguel – Quando iniciei o trabalho  do livro , direcionei da forma mais didática possível as textos a fim de que pudesse atender esse demanda. Coloquei no livro o hino da cidade, a bandeira , a hidrografia e outras muitas informações que podem servir de consulta para as escolas.

 

Comentários ( 2 )

Deixe uma resposta