Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Justiça

Ministério Público investiga suposto “mensalão” na Câmara Municipal de Parauapebas

Na reta final das eleições, começaram a circular nas redes sociais vídeos editados em que Pedro Ribeiro, sobrinho do empresário Hamilton Ribeiro, entrega dinheiro a vereadores no estacionamento da Câmara Municipal de Parauapebas. Desde então, os vídeos passaram a ser utilizados com objetivo de desestabilizar a campanha eleitoral dos envolvidos, mas, para o Ministério Público Estadual do Pará, o caso é muito mais sério e pode envolver todos os vereadores da cidade. Muitos deles são citados nas gravações.

Visão do MP

“O que se percebe é a tentativa de um empresário de comprar um poder [o Poder Legislativo]. Não estou dizendo que ele conseguiu comprar, mas ele pretendeu”, disse o Promotor de Justiça Hélio Rubens, titular da 4ª Promotoria de Justiça de Parauapebas, na tarde da última sexta-feira, 30, em coletiva realizada na sede do MP. “A gente ainda não tem o dado concreto, mas certamente ele não estava fazendo caridade, doando R$ 10 mil por mês para os vereadores. A intenção do Hamilton Ribeiro era de entrar em contato com todos os vereadores, isso foi dito pelo sobrinho dele no vídeo. Esse pagamento, que ele chama de ajuda de custo seria mensal”, disse o promotor.

Sobre o caso, já foram ouvidos os vereadores Bruno Soares (PSD) e Maridé Gomes (PSC), que aparecem recebendo dinheiro no primeiro vídeo publicado. Em outro vídeo, o vereador Charles Borges (PROS) também recebe dinheiro de Pedro Ribeiro. Nesse vídeo, Pedro afirma que o pagamento seria mensal. Um advogado do empresário foi à sede do Ministério Público em Parauapebas nesta segunda-feira, 03 e informou que Pedro está já na cidade e comparecerá para prestar depoimento assim que intimado. Todos os demais vereadores, bem como Hamilton Ribeiro, também serão intimados a depor.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1326&v=RuEc3khXjo4

Linha de investigação

Para o Ministério Público, a principal linha de investigação é a de que existe uma espécie de “Mensalão”, na Câmara Municipal: “se ele utilizava o dinheiro que recebia dos contratos com a Administração Pública ou de outros meios, nós não sabemos. Mas é uma linha de investigação. Pagamento para três vereadores por um empresário que recebe dinheiro público… Já se percebe um círculo: o dinheiro sai do poder público, vai para um empresário e esse empresário paga para parlamentares. Caso exatamente igual ao do mensalão. É o mesmo modus operandi”, disse o promotor.

Segundo Hélio Rubens, a meta para que as investigações sejam concluídas é de 30 dias. “Ao final das investigações nós vamos verificar se houve realmente crime contra a Administração Pública. Por enquanto, os envolvidos estão apenas prestando depoimento. No caso de o MP apresentar a denúncia à justiça, eles terão a oportunidade de se defender”, finalizou.

Outro lado

À Conecta Carajás, o vereador Bruno Soares enviou um áudio, no qual reiterou a versão divulgada por sua assessoria nas redes sociais, de que o valor recebido teria sido um empréstimo, já quitado. Bruno tratou o caso como uma “exposição desnecessária” à imagem das pessoas devido ao período eleitoral.

O vereador Charles Borges disse que só vai se pronunciar sobre o caso após assistir ao vídeo devidamente periciado. Charles afirmou estar tranquilo e que irá colaborar com o Ministério Público nas investigações. Ressaltou que é vereador de oposição e que já realizou diversas denúncias contra o atual governo junto ao Ministério Público Estadual e Federal.

O vereador Maridé informou que não irá falar à imprensa sobre a investigação e que já deu os devidos esclarecimentos às autoridades competentes nos dias 29 e 30, quando prestou depoimento, além de já ter divulgado uma nota sobre o assunto. Maridé disse que prefere deixar a justiça fazer o papel dela.

O empresário Hamilton Ribeiro também preferiu não se manifestar sobre o assunto. Pedro Ribeiro não atendeu às ligações e não respondeu as mensagens enviadas. Já a assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Parauapebas informou que a instituição não pretende se pronunciar sobre o caso.

Dos três vereadores que aparecem nos vídeos que circulam na internet, apenas Maridé se reelegeu.

Fonte: www.conectacarajas.com.br

Comentários ( 2 )

  1. Comentário original excluído pelo Blogueiro

    Anônimo, o Blogger até aceita comentários ofensivos a ele e aos mencionados no poster, e é relutante em não publicá-los. Mas avisa que aqui não é o lugar para destilar o seu veneno tampouco privada para aceitar tanta esterco. Refaça-o, assine-o, e apresente as provas das acusações que prometo não moderá-lo.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!