Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
água

Moradores do Residencial Alto Bonito culpam Saaep e Qualyfast por falta de água

Serviço autônomo e empresa se defendem e dizem que moradores mexeram no que não conheciam e cometeram vandalismo
Por Eleutério Gomes

Cerca de 4 mil pessoas que moram nos 1.008 apartamentos do Residencial Alto Bonito estão revoltados com a falta de água nas torneiras e procuraram a Reportagem do Blog na manhã desta sexta-feira (12) para denunciar a situação. Dizem que a Celpa cortou a energia devido um débito de R$ 6.200,00 e que, para não ficar sem o líquido, eles fizeram um “gato” – ligação clandestina -, mas a concessionária de energia foi lá e levou os fios. Os moradores responsabilizam o Saaep (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas) pela situação e também culpam a Qualyfast, empresa de engenharia responsável pelo conjunto de prédios.

Ouvidas pelo Blog, Saaep e Qualyfast se defendem das acusações. O órgão municipal afirma que houve um defeito técnico na parte elétrica do sistema de abastecimento e os, moradores resolveram consertar por conta própria, piorando a situação. Já a empresa de engenharia diz que alguns moradores cometeram atos de vandalismo, quebrando grades e danificando equipamentos importantes. Por fim, o Saaep emitiu nota garantindo que até às 20 horas de hoje, a água deve voltar a jorrar nas torneiras dos mais de mil apartamentos do Alto Bonito.

Caixas cheias e torneiras secas

Logo pela manhã, dizendo-se representante do Residencial Alto Bonito, o morador Kennedy Modesto denunciou ao Blog que há 15 dias a energia foi cortada pela Celpa, devido um débito de R$ 6.200,00 da Saaep para com concessionária, e, sem ter como conseguir água, um “gato” foi feito para que as bombas funcionassem, já que as caixas estavam cheias, mas o líquido não descia para os apartamentos. Entretanto, a Celpa esteve no local logo cedo e levou também os fios.

“Cada um dos 1.008 apartamentos paga religiosamente R$ 45,00 de taxa de água e quase R$ 200,00 de energia e o Saaep deixa de pagar uma conta de R$ 6.200”, desabafou Kennedy. Segundo ele, a Qualyfast também foi procurada, mas disse que o problema era do Saaep. “Eles ficam nos empurrando de um lado para outro. São mais de 3 mil moradores sem água e nós vamos ter de conversar com o Saaep. Acho que eles querem jogar esse débito nas nossas costas”, completou.

Lata d’água na cabeça    

Outro morador, Luiz Carlos Costa de Melo Júnior, também diz que a Saaep não pagou a conta e agora todos estão sem água, mas a entrega da fatura de R$ 45,00 não falha todos os meses. “É a terceira vez que acontece isso e a culpa não é nossa. Temos de carregar água do Rio Parauapebas quase todos os dias porque aqui não tem água. O negócio tá meio bagunçado”, vociferou.

Invasão e vandalismo

Ouvido pelo Blog, o engenheiro Roberto César Nani, responsável pela Qualyfast em Parauapebas, disse que, em verdade, alguns moradores cometeram atos de vandalismo que prejudicaram o abastecimento: “Quebraram a grade, entraram lá, mexeram nas bombas e queimaram os quadros de comando e o manômetro [equipamento que meda a pressão da água]. Estão fazendo algumas coisas que, não sei se é para chamar atenção ou se é de propósito”, reclamou Nani.

Ele afirma que, embora não fosse obrigação da Qualyfast, a empresa, para resolver o problema dos próprios moradores, mandou consertar tudo o que foi danificado. Roberto explicou também que não é necessário que a bomba esteja funcionando para que a água chegue às torneiras já que existem três caixas reservas e uma cheia. “Pela manhã estive reunido com o pessoal do Saaep e já está tudo sendo resolvido. Inclusive eles afirmaram que não existe débito algum para com a Celpa”, disse ele.

Mexeram no que não conheciam

Também ouvida pelo Blog, a gestora da Saaep, Cláudia Rocha, disse que esteve no local acompanhando os trabalhos e contou o que aconteceu: “O que houve lá foi um problema técnico, uma falha elétrica que queimou um dispositivo que faz o processo de redistribuição automatizada. E os moradores, em vez de chamar a Qualyfast ou o próprio Saaep, tentaram fazer o conserto por conta própria, o que danificou mais ainda o sistema”.

Ela afirma que foi o próprio Saaep que solicitou à Celpa o desligamento da energia para que a manutenção pudesse ser feita, o que está ocorrendo durante todo o dia de hoje. Quanto ao débito de R$ 6.200,00 Cláudia diz que essa dívida não existe. “Os moradores não queriam entender nem queriam aguardar uma posição do Saaep e quebraram vários equipamentos. Tudo está sendo refeito e após às 18 horas o abastecimento voltará ao normal”, concluiu.

Em nota enviada à Imprensa, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Parauapebas avisa: “O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) informa que já está tomando todas as providências para normalizar o trecho do sistema elétrico ligado aos reservatórios do Residencial Alto Bonito, com previsão para concluir os trabalhos até às 20h desta sexta-feira, 12. O Saaep informa também que o fornecimento de água para as unidades habitacionais do residencial não está prejudicado”.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!