Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

OAB repudia ataque em São Felix do Xingu

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará, repudia com veemência o inaceitável ataque do qual foram alvo agentes públicos integrantes de grupo móvel de trabalho escravo, composto pelo Procurador do Trabalho, Raphael Fábio Cavalcanti dos Anjos, por auditores fiscais do trabalho e por policiais rodoviários federais, em operação de combate ao trabalho escravo realizado no município de São Felix do Xingu, região sul do Pará.

No último dia 18 de maio (quarta-feira), durante deslocamento na operação realizada pelo grupo, o Procurador do Trabalho Raphael Cavalcanti e os demais integrantes encontraram um veículo ocupado por seis trabalhadores, os quais informaram que haviam acabado de ser agredidos, ameaçados e expulsos da fazenda em que trabalhavam por sete homens encapuzados e armados.

Depois de adotar medidas de segurança em relação aos trabalhadores, o grupo se deslocou até a fazenda indicada pelas vítimas, interceptou a caminhonete na qual estavam os agressores dos trabalhadores, que receberam as autoridades a tiros. Após o tiroteio, os agressores fugiram e abandonaram o veículo, armas, documentos e dinheiro, tudo apreendido pelos policiais rodoviários federais.

No entendimento da OAB-PA, episódios dessa natureza configuram flagrante atentado contra o Estado Brasileiro, que deve exercer sua missão de punir severamente todos os autores e responsáveis pelo ataque que alvejou agentes do Estado encarregados de defender a ordem jurídica no desempenho de suas atribuições funcionais.

Diante desse fato lamentável, a OAB-PA manifesta solidariedade ao Procurador do Trabalho, Raphael Fábio Cavalcanti dos Anjos, aos auditores fiscais do trabalho e aos policiais rodoviários federais atacados.

Como legítima representante da sociedade civil, a OAB-PA exige que sejam adotadas pelas autoridades todas as providências necessárias e imprescindíveis a fim de garantir segurança institucional aos membros do Ministério Público, cujas funções são arriscadas e não podem permanecer à mercê de tanta barbárie.

OAB-PA

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. Não devemos esquecer do que aconteceu em Unaí (minas gerais),onde em uma emboscada, fiscais do trabalho foram assassinados,crime de mando dos produtores de feijão,dentre os quais conhecidos políticos locais.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!