Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
polícial

Parauapebas: Tentou matar o companheiro a facada e agora torce para que ele não morra

Sindeval de Jesus está internado no Hospital Municipal em estado grave. Se morrer, Maysa vai responder por homicídio
Continua depois da publicidade

Maysa Cristina Lima da Silva, 37 anos, foi presa pela Polícia Militar e apresentada na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, na madrugada desta segunda-feira (19), acusada de tentativa de homicídio contra o companheiro Sindeval de Jesus de Lima Santos, 45, montador de andaimes, natural de Abaetetuba (PA). Ele deu entrada no setor de emergência do Hospital Municipal, com uma perfuração de faca na perna, que veio a atingir a artéria femoral. De acordo com o sargento Wanderlan, que esteve no hospital e conversou com o médico que atendeu o homem, o estado dele é grave. O crime ocorreu na Invasão das Palafitas, Bairro Primavera.

Ouvida pela Reportagem, Maysa contou que não foi ela que esfaqueou Sindeval. Disse que saiu para comprar cerveja e ficou conversando com umas amigas, o que despertou uma crise de ciúmes no companheiro, o qual a levou para casa e, depois de áspera discussão, tentou colocá-la à força para fora de casa, armado de faca.

Ainda segundo Maysa, enquanto ele tentava abrir a porta e ela resistia, um amigo de Sindeval chegou e, ao tentar desarmá-lo, fez com que ele se ferisse. Disse ainda que o acudiu e o levou ao hospital. Depois, quando voltou à casa de saúde e se apresentou como companheira dele, foi presa pela PM.

Veja também:  Oficina de moto é palco de homicídio ao meio dia

Já o sargento Wanderlan contra outra versão: segundo ele, sua guarnição foi chamada para verificar uma situação de tentativa de homicídio cuja vítima estava no hospital. Na casa de saúde, ouviu de Sindeval que a companheira teve uma crise de ciúmes e tentou matá-lo a facada. Em seguida, se dirigiu ao endereço do casal e prendeu Maysa.

Ela contou à Reportagem que vive há nove meses com o companheiro – que está desempregado – e que ambos são viciados em crack. Agora, ela aguarda decisão da Justiça, torcendo para que Sindeval Santos não morra. “Ele não vai morrer não. Deus e mais”, disse Maysa ao repórter.

(Caetano Silva)

Deixe uma resposta