Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

Polícia Civil e Ministério Público cumprem mandados de prisão em Tucuruí

Operação investiga ex-secretário da Fazenda e ex-presidente do Instituto de Previdência, da gestão do prefeito assassinado Jones William, por envolvimento em saques fraudulentos na prefeitura
Continua depois da publicidade

Uma operação da Polícia Civil em conjunto com o Ministério Público do Pará prendeu na manhã de hoje (17) em Tucuruí, o ex-presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Tucuruí – Ipaset Firmo Giroux. Ambos faziam parte do governo do prefeito assassinado Jones William. A operação, denominada Silere, tem como objetivo cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão sendo os alvos principais os dois empresários acusados de desvios de dinheiro dos cofres da prefeitura de Tucurui no dia da morte do prefeito Jones William e nos dias de luto.

As contas da prefeitura foram saqueadas no dia 25 de julho, dia do assassinato do prefeito Jones Wiliam, morto quando vistoriava obras em um residencial, e a reportagem do jornal O Liberal e do portal Pará News teve acesso aos documentos que comprovam que na noite do crime, quando o corpo do prefeito estava no IML, o Tokim do gestor foi usado para transferir mais de R$ 800 mil reais das contas da prefeitura.

Nos três dias de luto decretados pela morte de Jones Willam, os saques e transferências continuaram sendo efetuados nas contas da prefeitura no Banco do Brasil e Banpará. De acordo com a advogada Denise Silva, na noite do assassinato do prefeito, a senha do gestor foi usada para fazer duas transferências: uma de R$ 400 mil, para a empresa F, Cardoso e mais R$ 400 mil, operação de transferência entre contas.

No dia seguinte, data do velório, a senha do prefeito morto foi usada novamente autorizando a transferência de R$ 431 mil para a conta de Alexandre Siqueira, empresário que fez a denúncia ao MP, que resultou no afastamento do prefeito Artur Brito, por suposta prática de Improbidade Administrativa.

No dia seguinte, 27 de julho, um dia após o sepultamento do prefeito, com a cidade ainda em luto, foram descontados da  agência do Banpará de Tucuruí,  um cheque de R$ 69 mil no nome da então contadora do município e outros  dois cheques, cada um no valor de R$ 220 mil reais, totalizando R$ 440 mil reais. O cheque teria sido assinado pelo prefeito morto, Jones William, e endossado pelo então secretário municipal da Fazenda, Moisés Gomes Soares Filho, cujo beneficiário seria o Instituto de Previdência Social de Tucuruí (Ipaset).

Uma grande quantidade de documentos foi encaminhada ao Ministério Público Estadual e a operação ainda está em curso e a expectativa é que seja concluída até às 12h desta terça-feira.

Deixe uma resposta