Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Prazo para vacinação contra aftosa vai até o dia 15 e menos de 70% do rebanho foi imunizado

Adepará alerta criadores para que imunizem seus animais e mantenham o rebanho do Pará como “livre de aftosa com vacinação”

Faltam 10 dias para o prazo final da vacinação contra a febre aftosa e, até a última sexta-feira (2), segundo a Adepará (Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará), com base nas notificações que chegaram à Gerência Regional,  somente 61% do rebanho de Marabá, Nova Ipixuna, Itupiranga, Eldorado do Carajás, Curionópolis e Parauapebas havia sido imunizado.

Conforme afirmou Juarez Pontes, do Setor Administrativo da Regional, ” é importante que o criador não deixe para vacinar o rebanho de última hora, a fim de evitar transtornos e multa. É bom para o rebanho e, consequentemente, para o pecuarista. Com os animais vacinados, o mercado se abre, com a vantagem de que a carne do Pará é bem mais valorizada”, observa ele, informando que só Marabá, segundo os registros de vacinação, tem na ordem de 1.060.000 cabeças de gado, as quais, somadas aos demais municípios de abrangência da Regional, totalizam cerca de 2.500.000 animais.

Juarez explicou ao blog que o criador teve de 1º a 31 de maio passado para adquirir as doses de vacina e logo começar a imunizar o rebanho. Fora desse prazo, só pode comprar a vacina com a autorização da Adepará e mediante o pagamento de uma multa.

Já o prazo para confirmação nos escritórios vai até o dia 15 deste mês e, após vacinar o rebanho, o criador deve se dirigir à Adepará para apresentar a nota fiscal da compra da vacina, o que serve de prova de que ele imunizou rebanho e atualizar os números da Agência.

Sobre qual o percentual do rebanho vacinado anualmente, Juarez Pontes informa que hoje o Pará tem vacinado 98% rebanho, bem acima do percentual mínimo exigido pela Organização Municipal de Saúde Animal, que é de 92%. “Desde 2007 nosso rebanho é considerado ‘livre de aftosa com vacinação’ e essa é uma posição que nós não podemos perder”, alerta ele.

Suínos

A respeito do rebanho de suínos, cujo mercado vem se abrindo rapidamente com o aumento da procura pela carne de porco, Juarez Pontes afirma que a Adepará também já está trabalhando num programa de atualização das propriedades e cadastrando o rebanho sob a responsabilidade da Regional, a começar por Marabá, que já contabiliza um rebanho cadastrado de 15 mil suínos.

A respeito desses animais, a partir do cadastramento será feito um trabalho de prevenção contra a febre suína clássica, cujos sintomas são: febre alta, animais amontoados, lesões hemorrágicas na pele e extremidades, falta de apetite, fraqueza, conjuntivite e alta mortalidade, de 5 a14 dias após o início da doença.

Serviço

Gerência Regional da Adepará

Rua Vitória, 117 – Bairro Novo Horizonte

Núcleo Cidade Nova – Marabá

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!