Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Prefeito interino de Marabá quer revogar PCCR da Educação

Esta quinta-feira, 2 de junho, está sendo agitada para os educadores de Marabá, que amanheceram com a notícia de que o prefeito interino Luiz Carlos Pies (PT) pretende revogar o Plano de Cargos, Carreira e Salário do Magistério, aprovado em 2011 na gestão do ex-prefeito Maurino Magalhães de Lima.

Com déficit de mais de R$ 3 milhões por mês nas contas da educação, a Prefeitura já fez vários cortes de gastos, mas mesmo assim, segundo fontes do governo municipal, a gestão da educação de Marabá estaria insustentável, devendo levar a administração municipal à bancarrota.

No final da tarde de hoje, educadores e sindicalistas do Sintepp ficaram de se reunir com Luiz Carlos para discutir a medida, considerada extrema e “absurda” pela categoria. Em Marabá, há cerca de 5 mil servidores da educação e os sindicalistas reclamam de uma folha inchada com contratação de servidores temporários.

Vereadores da situação  (entre eles o presidente Miguel Gomes Filho) foram chamados à Semed hoje para tentar apagar o incêndio e o prefeito Luiz Carlos já teria enviado à Câmara um projeto para revogar o PCCR. Todavia, precisaria dos votos de dois terços dos vereadores para conseguir a revogação, o que hoje é praticamente impossível, devido ao baixo número de vereadores da base aliada: são menos de 10 dos 21 legisladores.

Comentários ( 5 )

  1. Político é mesmo bicho de outro planeta,esse cidadão que nunca fez nada por Marabá,me sai com essa,a educação é a solução dos problemas de qualquer sociedade,se falta dinheiro,corte gastos de outras áreas não prioritárias,veja por qual ralo está sagrando as finanças do município,corte os cargos comissionados do executivo,reveja os contratos das empreiteiras que fizeram esse asfalto de merda em nome de uma meta inatingível,de que adianta o falastrão João salame divulgar no blog do seu assessor de imprensa Bogea,os prédios de novas escolas aos quatro cantos,se não tem dinheiro para o principal,material humano(professores),ou será que é porque no salário não dá para desviar recursos?
    Tomem vergonha na cara bando de picaretas

  2. um cara que ocupa o posto máximo do município não poderia de maneira alguma fazer esse estilo “mala men”,convenhamos esse chapeuzinho mequetrefe não combina com o posto ocupado por este cidadão.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido contra cópia!