Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Fraude

PRF: analfabeto diz que comprou CNH em auto escola de Marabá

Preso pela Polícia Rodoviária Federal, ele revelou como adquiriu o documento, que é falso
Continua depois da publicidade

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

A Polícia Rodoviária Federal efetuou a prisão em flagrante de um homem que revelou, espontaneamente, ter adquirido uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa em uma Auto Escola de Marabá.

A prisão ocorreu no dia 18 deste mês durante fiscalização de rotina da PRF, por volta de meia noite, no Km 160 da BR-153, em Araguaína-TO. Identificado apenas pelas iniciais W.M. da S., o condutor de 33 anos de idade apresentou a Carteira de Habilitação ao agente, que após verificação, identificou que a mesma era falsa.

Uma consulta mais detalhada ao sistema, o agente da PRF observou que a CNH fazia parte de um pacote de documentos falsos emitidos por organização criminosa alvo da operação Galezia, deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público do Pará em 2015, a qual apura fraudes na obtenção de carteiras de habilitação.

Questionado sobre onde comprou o documento, W.M. da S. informou que pagou pelo documento o valor de R$ 2.000,00 em uma Auto Escola localizada em Marabá e que fez isso porque não sabe ler nem escrever. Disse também que nunca residiu nesta cidade, tendo apenas adquirido o documento aqui.

Veja também:  Sebrae Pará realiza 10ª Semana do Microempreendedor até o dia 30 de maio

Por conta disso ele foi preso em flagrante com base no Artigo 304 do Código Penal, uma vez que fez uso de documento falso, sendo conduzido para a Central de Flagrantes.

A imagem do documento disponibilizada parcialmente pela PRF mostra que o condutor teria tirado sua primeira carteira de habilitação em 21/04/2012 e aquela via fora impressa em 27/11/2013, o que pode ser um erro grave. A CNH falsa era para categoria AB.

Operação Galezia

A operação “Galezia” foi deflagrada em agosto de 2015 para desarticular um esquema criminoso de venda de carteiras de habilitação no Pará e Tocantins. Computadores, documentos e celulares foram apreendidos, e pelo menos uma pessoa foi presa.

A ação cumpriu mandados judiciais de prisão temporária, busca e apreensão nas sedes regionais do Detran de Redenção, Xinguara, Conceição do Araguaia, Santana do Araguaia, Tucumã e Paragominas no Pará, e em Pedro Afonso no Tocantins. (Com informações do site conexaoto.com.br)

Deixe uma resposta